Risco de retorno da Poliomielite

A poliomielite foi considerada como uma doença erradicada das Américas em 1994 pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Porém a queda da imunização de crianças em muitos municípios brasileiros tem causado muita preocupação nas autoridades de saúde. Vamos entender um pouco mais sobre essa doença e os riscos do retorno da poliomielite para o Brasil?

Poliomielite: risco de retorno da doença deixa o país em alerta

A poliomielite é uma doença viral infecciosa aguda causada pelo Poliovírus que pertence à família Picornaviridae. O vírus da poliomielite possui como material genético uma fita simples de RNA.
O vírus afeta o sistema nervoso central e pode causar a destruição dos neurônios motores, o que resulta em uma paralisia flácida (permanente ou não). Pessoas podem ser infectadas em qualquer idade, porém a doença apresenta alta incidência em crianças – por isso a doença também é conhecida como paralisia infantil.

Sintomas

O período de incubação dura 1 a 30 dias, sendo mais frequente o surgimento dos primeiros sintomas de 7 a 12 dias após o contato com o vírus. Em geral, a maioria das pessoas infectadas são assintomáticas ou os apresentam sintomas de forma branda, como por exemplo: febre, dor de garganta, vômito, entre outros.
Uma pequena parcela dos infectados com a poliomielite apresenta a forma aguda da doença. Nessa outra forma, a pessoa pode apresentar sequelas permanentes como a paralisia dos membros inferiores. Uma importante característica é a perda da força muscular e dos reflexos, porém há a manutenção da sensibilidade nos membros atingidos.
>> Passe em Medicina estudando online! Conheça o curso Medicina do Kuadro. <<

Transmissão

A transmissão pode ocorrer diretamente de uma pessoa para outra. O vírus da poliomielite pode ser transmitido através do contato fecal-oral.  Esse tipo de contato é um grande problema em regiões que possuem condições sanitárias e de higiene inadequadas. Crianças mais novas, em geral, apresentam maior risco de contrair a doença, uma vez que muitas ainda não adquiriram completamente hábitos de higiene.
Além disso, o vírus causador da poliomielite também pode ser liberado nas fezes de pessoas doentes e causar contaminação da água e de alimentos. A doença também pode ser transmitida através de gotículas de saliva liberadas ao falar, tossir ou espirrar.
Inicialmente, o vírus pode se alojar na boca, garganta e intestinos. Em seguida, penetra na corrente sanguínea e pode chegar até o sistema nervoso central. Independentemente de desenvolver ou não sintomas, a pessoa infectada elimina o vírus através das fezes.

Prevenção

Apesar de não apresentar tratamento específico, a poliomielite pode ser evitada através da vacinação e de medidas preventivas, como melhores condições de higiene da população e saneamento básico. Existem dois tipos de vacinas: a Sabin, que é dada via oral e é produzida com vírus atenuado; e a Salk, que é uma vacina injetável, que é produzida com vírus inativado. A Sabin é aplicada rotineiramente em postos de saúde no Brasil e em campanhas de vacinação.

Vacinacao contra a Paralisia Infantil
Cartaz para campanha de vacinação. Fonte: http://portalms.saude.gov.br/campanhas/18870-vacinacao-contra-a-paralisia-infantil

>> Quer entrar na faculdade pelo ENEM? Conheça o Curso Semiextensivo do Kuadro. <<

Riscos do retorno da poliomielite no Brasil

A poliomielite foi considerada erradicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas em 1994. No entanto, a doença ainda é comum em países como Nigéria, Afeganistão e Paquistão. Em junho de 2018, o Brasil apresentou mais de 300 cidades consideradas de alto risco para casos de poliomielite. Isso porque que não conseguiram atingir a meta de imunização recomendadas organizações de saúde.
Recomenda-se que pelo menos 95% das crianças de um município sejam imunizadas contra a pólio. O que causa o alerta nas autoridades são casos suspeitos da doença que estão em investigação na Venezuela. Os casos investigados no país vizinho estão relacionados com vírus vacinais, ou seja, que estão nas vacinas – como a Sabin, que é produzida com vírus atenuados – e são eliminados através fezes de pessoas que foram vacinadas. O problema é que vírus vacinais poderiam infectar crianças não imunizadas.
Para que haja a erradicação da doença, é fundamental que a imunização nos países endêmicos seja priorizada. Além disso, as campanhas devem ser contínuas nos países em que não há mais a circulação do vírus selvagem da poliomielite. É necessário que casos suspeitos sejam investigados e que a população seja bem informada sobre a importância da vacinação.

Estude para o vestibular com o Kuadro

Precisa se preparar para o vestibular? Nós podemos te ajudar!
Conheça nossos cursos:
CURSO SEMIEXTENSIVO
CURSO MEDICINA

Corais da Amazônia: conheça esse novo ecossistema

Sabemos que o Enem adora cobrar temas da atualidade em suas provas! Por isso, é muito importante que você saiba sobre um dos assuntos que estão em evidência no momento, que são os Corais da Amazônia. Você já ouviu falar deles?

O que são corais?

Os corais são animais, fazem parte do filo dos cnidários e da classe Anthozoa. Formam colônias nas quais vivem milhares de indivíduos.
Os recifes de corais são formados por uma associação entre os cnidários e microalgas – dinoflagelados fotossintetizantes. Estima-se que os corais existam há aproximadamente 250 milhões de anos.
Os corais são encontrados principalmente em regiões de águas rasas, quentes e claras, porém nas últimas décadas, também foram encontrados em águas profundas em vários países do mundo.
A importância dos corais está na diversidade de seres que vivem ao seu redor. Acredita-se que os corais abrigam cerca de uma a cada quatro espécies marinhas, sendo um habitat muito rico em biodiversidade.
A maior formação fica na Austrália, é conhecida como Grande Barreira de Corais e está ameaçada pelas mudanças climáticas e ações humanas.

Vista aérea de uma barreira de corais
Fonte: https://marsemfim.com.br/a-importancia-dos-corais/

A descoberta dos corais da Amazônia

Os corais da Amazônia foram encontrados em um ambiente improvável para esse tipo de formação natural, visto que as condições naturais eram consideradas desfavoráveis pelos pesquisadores brasileiros que estudavam a região. A descoberta recente foi possível devido à presença de espécies de peixes que são frequentes em recifes de corais.

Fotografia de corais da Amazônia. Fonte: Greenpeace
Corais da Amazônia. Fonte: Greenpeace

Esses recifes de corais conseguem sobreviver em condições ambientais que seriam desfavoráveis para a maioria dos corais conhecidos. Os recifes de corais da Amazônia vivem na região de encontro entre o rio Amazonas e o mar, onde há mistura de água doce e salgada.
É um ambiente com pouca luminosidade, as águas são turvas e ricas em sedimentos, uma vez que o rio traz uma grande quantidade de  sedimentos e matéria orgânica vinda da floresta. Por isso, muitos pesquisadores acreditavam que não seria possível encontrar corais nesse local.
Diferentemente dos outros tipos de corais que necessitam de boa iluminação para a ação de seres fotossintetizantes, nos recifes amazônicos são encontradas bactérias que os auxiliam na produção de energia.
Além dos corais, vivem ali diversos tipos de peixes, poríferos (esponjas gigantes), entre outros seres vivos. Por suas características tão específicas, espera-se encontrar muitas espécies novas nesse ambiente.
Os recifes de corais da Amazônia estão presentes em uma área extensa, com mais de nove mil quilômetros quadrados. Esse ecossistema está situado entre o Brasil e Guiana Francesa e é recém-descoberto: a existência dessa formação foi divulgada em 2016.

Imagem de mapa contendo a localização dos corais da Amazônia
Onde estão situados os corais da Amazônia. Fonte: http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/Corais-da-Amazonia-Nosso- tesouro-recem-descoberto-e-ja-ameacado/

Riscos para os recifes de corais amazônicos

Apesar da descoberta recente, esses corais já são ameaçados. Algumas empresas estão interessadas em explorar a extração de gás e petróleo na região.
A perfuração e a contaminação por petróleo poderia causar graves impactos ambientais na região, causando a morte de diversas espécies, devastando um bioma de características únicas e ainda muito pouco conhecido.
É importante conhecer mais sobre esses corais e também preservá-los. Sabemos que no Enem e nos vestibulares, temas como esse são muito cobrados.
Por isso, separamos uma vídeo-aula completa sobre impactos ambientais. Veja abaixo:

Para mais resumos e conteúdos interessantes sobre vestibular, continue acompanhando o Blog do Kuadro!

O que cai de Ecologia no ENEM?

Temas em Ecologia para você mandar bem no Enem

Se você é nosso aluno, já percebeu que durante as aulas ao vivo nós falamos muito da importância da Ecologia no Enem. Muitas listas que resolvemos em aula apresentam uma grande quantidade de questões que foram cobradas nessa avaliação.

Essa quantidade de questões nas nossas aulas não é por acaso, quase metade das questões que são cobradas na prova de Biologia do Enem são relacionadas ao tema Ecologia. Por ser um assunto muito cobrado é fundamental que você fique ligado nos temas que poderão aparecer na sua prova esse ano.

Abaixo, nós selecionamos para você alguns tópicos que você precisa saber para se dar muito bem no Enem:

Preservação ambiental:

Nos últimos anos, esse foi um assunto muito cobrado no Enem. A relação do ser humano com os impactos ambientais pode estar presente de diversas formas nas questões, principalmente envolvendo acontecimentos da atualidade.

É importante que você saiba que no ano passado, houve crescimento de 30% no desmatamento da floresta Amazônica, esse foi o pior resultado observado desde o ano de 2008, segundo dados do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia.

Há alguns fatores que contribuíram para esse aumento: a retirada de árvores para a pastagem, a exploração ilegal de madeira, assim como a falta de investimentos públicos para fiscalização e combate do corte ilegal da floresta.

Cadeias e teias alimentares:

Esse é outro tema muito recorrente na prova de Ecologia do Enem. Entender a dinâmica do fluxo de energia pelos seres vivos é fundamental.

Lembre-se que cadeia alimentar é um esquema linear, no qual a energia flui através dos diferentes níveis tróficos, sua base é sempre composta pelos produtores – seres autótrofos.  As teias alimentares são formadas por várias cadeias interligadas.

De acordo com a posição em que ocupam nesses sistemas, os seres podem ser classificados em produtores, consumidores e decompositores.

Ecologia no Enem

Relações Ecológicas

Outra oportunidade para conseguir uns pontinhos na prova de Biologia é compreender sobre as relações entre os seres vivos. Por exemplo: elas podem ser interespecíficas – entre indivíduos de espécies diferentes ou intraespecíficas – entre seres da mesma espécie.

Na prova, é comum aparecer relações harmônicas (em que não há prejuízo para os envolvidos) como mutualismo, protocooperação e comensalismo.  As relações desarmônicas (em que há seres prejudicados) também costumam ser cobradas no Enem, por exemplo: predação, parasitismo e competição.

ecologia no enem

Atualidades

O Enem também adora colocar em suas questões de Ecologia temas atuais, muitas vezes relacionados aos assuntos já citados aqui.  É importante que você leia ou assista jornais, para que esteja sempre atualizado.

Um assunto cobrado com frequência ultimamente nas provas de Biologia, são as doenças transmitidas por mosquitos – principalmente pelo Aedes aegypt. No ano passado, milhares de pessoas foram contaminas pelo vírus Zika (relacionado com o nascimento de crianças com microcefalia).  Recentemente, a Fiocruz Pernambuco, publicou que pernilongo comum – Culex quinquefasciatus – também pode transmitir esse vírus para seres humanos.

Com essas dicas e com as nossas aulas, temos certeza que você conseguirá direcionar seus estudos e ficará mais fácil acertar mais questões no Enem! Leia e esteja sempre bem informado! Bons estudos e conte com a gente! Fique agora com uma aula sobre o tema:

[VÍDEO] Aula de Biologia: Neodarwinismo

Em outra aula, o professor Davi abordou os conceitos básicos de Organização Nuclear, falando também um pouco sobre DNA. Agora, ao analisar o mecanismo de evolução de acordo com o neodarwinismo (teoria sintética da evolução). Ele vai ressaltar a relação entre genética e variabilidade dos seres vivos.

Conheça o Kuadro

Gostou da introdução dessa aula sobre Neodarwinismo? Para ter acesso a todos os conteúdos de nossas aulas, além de também contar com orientações, monitorias e um excelente material didático. Acesse o site do Kuadro e veja qual curso se encaixa mais para o seu objetivo.
Aqui no blog do Kuadro, você vai sempre ter dicas e material super rico para ajudar nos seus estudos. Você pode também acessar nossa página de vídeos para ver outras aulas como essa. E se quiser ter acesso a todo nosso curso, temos um orientador prontinho para te atender. Basta acessar a nosso site e conversar com a gente pelo chat!

[VÍDEO] Aula de Biologia: Organização Nuclear

Esta é a primeira aula de Organização Nuclear da disciplina de Biologia. Nela, o professor Davi vai descrever a organização do núcleo, desenvolver noções básicas de ciclo celular, estudar os cromossomos (composição, arquitetura e função), caracterizar os tipos de ploidia e conceituar cromossomos homólogos e alelos.

Conheça o Kuadro

Gostou dessa introdução? Para ter acesso a todos os conteúdos de nossas aulas, além de também contar com orientações, monitorias e um excelente material didático. Acesse o site do Kuadro e veja qual curso se encaixa mais para o seu objetivo.
Aqui no blog do Kuadro, você vai sempre ter dicas e material super rico para ajudar nos seus estudos. Você pode também acessar nossa página de vídeos para ver outras aulas como essa. E se quiser ter acesso a todo nosso curso, temos um orientador prontinho para te atender. Basta acessar a nosso site e conversar com a gente pelo chat!

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF