3 dicas infalíveis para ler os livros que caem no vestibular

Vamos combinar que, com tanta coisa legal para fazer por aí, a última coisa que queremos é sentar para ler um livro escrito em 1800!

Pode confessar! Quando você vai checar a lista dos livros obrigatórios para o vestibular, cruza os dedos para encontrar “Harry Potter” ou “Game of Thrones”, não é verdade?

Nós podemos imaginar, mas a realidade está mesmo em títulos clássicos como “Iracema” e “Dom Casmurro”: os mais cobrados no Enem e nos vestibulares que garantem vaga nas melhores universidades do Brasil.

Por essa razão, os redatores do blog do cursinho online Kuadro decidiram te ajudar. Vamos deixar você por dentro das obras exigidas pelos principais vestibulares do país e, de quebra, mostrar que dá para curtir a leitura dos grandes nomes da literatura nacional e mundial.

A professora Érica Heredia, que dá orientação pedagógica aos alunos da plataforma Kuadro, tem ótimas dicas para acelerar as leituras e fixar o conteúdo dos livros. Depois desse guia completo você vai ficar com as histórias na ponta da língua e deixar todos os concorrentes para trás!

  1. A maioria dos clássicos apresenta um português formal, que não usamos mais no cotidiano. A primeira dica, então, é procurar o significado das palavras desconhecidas. Não precisa ficar folheando o dicionário, hoje existem aplicativos e sites que dão conta disso rapidinho!

  2. Como absorver a grande quantidade de livros recomendados? A palavra de ordem aqui é “organização”. A lista de leituras é divulgada com bastante antecedência, então monte um cronograma. Estipule horários de leitura e estabeleça metas que te motivem a progredir.

  3. Para fixar o conteúdo lido, a dica valiosa é fazer uma ficha ou resumo para cada livro. Isso ajudar a reter partes importantes da história e pode ser usado mais perto da prova. O aluno pode relembrar os principais aspectos da obra relendo suas anotações.

Fazer essa ficha é simples: o aluno deve separar cartões pautados ou folhas soltas e, após realizar a leitura completa da obra, ele deve anotar as seguintes informações: contexto histórico no qual a obra está inserida, escola literária a qual pertence, ideias gerais e valores da obra na literatura brasileira ou mundial, personagens principais, enredo e biografia básica do autor.

Agora que você já está munido de todas as informações que precisa, só falta pegar um cafezinho ou um chocolate quente e aproveitar a sua leitura! Boa sorte!

A seguir, a lista de livros obrigatórios dos vestibulares de 2021 mais disputados do Brasil:

LIVROS QUE CAEM NA FUVEST

  • Poemas Escolhidos, de Gregório de Matos

  • Quincas Borba, de Machado de Assis

  • Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade

  • Angústia, de Graciliano Ramos

  • A Relíquia, de Eça de Queirós

  • Mayombe, de Pepetela

  • Campo Geral, de Guimarães Rosa

  • Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles

  • Nove Noites, de Bernardo Carvalho

Banner geral

LIVROS QUE CAEM NA UNICAMP

  • Sonetos selecionados pela Comvest – Luís de Camões    

  • Sobrevivendo no Inferno – Racionais Mc’s

  • O espelho – Machado de Assis

  • O marinheiro – Fernando Pessoa

  • A falência –  Júlia Lopes de Almeida    

  • O Ateneu – Raul Pompéia 

  • Sermões selecionados pela Comvest – Antonio Vieira

 

LIVROS QUE CAEM NO VESTIBULAR DA UERJ

  • Triste fim de Policarpo Quaresma – Lima Barreto: 1º Exame de Qualificação

  • Assim na terra como embaixo da terra – Ana Paula Maia: 2º Exame de Qualificação

  • 1984 – George Orwell: Prova de Redação

  • Os sonetos – Luiz de Camões: Prova de Língua Portuguesa e Literaturas

 

LIVROS QUE CAEM NO VESTIBULAR DO ITA

  • O alienista – Machado de Assis

  • São Bernardo – Graciliano Ramos

  • A hora e a vez de Augusto Matraga – Guimarães Rosa

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) ainda não divulgou as obras do seu vestibular de 2021, então essas obras são as que caíram no vestibular 2020.

Se você vai fazer o ENEM, prestar a Fuvest, tentar a Unicamp ou o ITA deve ter se assustado com essa quantidade de livros. São muitos vestibulares, muitos conteúdos e pouco tempo… Mas fazer a leitura dos livros exigidos colocará você à frente de seus concorrentes. Estude cada obra na íntegra.

Curtiu esse post? Deixe seu comentário!

Continue acompanhando o Blog do Kuadro e assista às nossas aulas gratuitas e vídeos informativos no nosso canal do YouTube!

Redação da FUVEST: análise dos últimos 10 anos

A redação da FUVEST é uma das disciplinas mais temidas entre os vestibulandos que desejam entrar na USP. Por isso, analisamos as redações dos 10 últimos anos de FUVEST para você se preparar!

O modelo

Assim como a maioria dos vestibulares, a redação da FUVEST segue o modelo dissertativo-argumentativo.
Este modelo exige reflexões e argumentos sólidos por parte do(a) candidato(a). Ele(a) também deve se posicionar a respeito do tema cobrado, geralmente de maneira favorável ou contrária. É importante fundamentar seu posicionamento com base em argumentos.
A redação da FUVEST tem como pontuação máxima 50 pontos e cada redação é corrigida por dois avaliadores.
Cada um dos critérios de avaliação permite notas de 1 a 5. Se a nota dos dois avaliadores tiver diferença de até um ponto, a nota será a média entre os valores dados por cada avaliador. Se a diferença for de mais de um ponto, um terceiro avaliador corrige a prova e decide a pontuação.
No entanto, os critérios de avaliação do texto têm pesos diferentes entre si. O primeiro critério, “Desenvolvimento do tema e organização do texto”, tem peso quatro (4) e os outros dois têm peso três (3).
Para a pontuação final, os pontos do candidato são multiplicados pelo peso de cada critério.
A redação da FUVEST deve ter título e sua extensão deve ser de 20 a 30 linhas.

Critérios de avaliação da redação da FUVEST

A avaliação do candidato leva em conta três critérios, que são:

1. Desenvolvimento do tema e organização do texto

Neste critério, é verificado se a redação do candidato está no modelo dissertativo-argumentativo e se ela atende ao tema proposto pelo vestibular.
É importante que o candidato relacione os assuntos dos textos de apoio em seu texto e que apresente progressão temática e capacidade crítico-argumentativa ao longo da redação.

2. Coerência dos argumentos e articulação das partes do texto

Neste critério são avaliados, em conjunto, a coesão textual (entre frases, períodos e parágrafos) e coerência entre as ideias apresentadas.
A coerência mostra a capacidade de relacionar os argumentos de maneira a expor bem o ponto de vista. Por sua vez, a coesão mostra que o candidato sabe organizar as ideias que propõe. Por isso esses critérios são avaliados em conjunto.

3. Correção gramatical e adequação vocabular

Por fim, no último critério, os corretores avaliam o domínio da norma culta da Língua Portuguesa e a clareza na expressão das ideias.
É essencial, para este critério, que o candidato trabalhe bem com aspectos gramaticais. Entre eles ortografia, morfologia, sintaxe, pontuação e acentuação.

Temas da redação da FUVEST nos últimos 10 anos

FUVEST 2018: Devem existir limites para a arte?

O tema da redação da FUVEST 2018 abordou uma discussão recorrente durante o ano de 2017: as manifestações artísticas. A escolha está relacionada à polêmica em torno da exposição “Queermuseu” e outras formas de arte.
A proposta incita a reflexão sobre os limites das manifestações artísticas em relação à ética, à necessidade de expressão e à liberdade. Cinco textos de apoio sobre arte compuseram a coletânea.
A arte, nessa proposta, surge como um elo entre o individual e o coletivo. Portanto, o candidato é estimulado a analisar o tema por esses dois vieses.

FUVEST 2017: O homem saiu de sua menoridade?

Com base no texto “Resposta à pergunta: O que é Esclarecimento?”, de Immanuel Kant, a proposta de redação sugere a reflexão a respeito do pensamento livre e autônomo, sem a tutela de outra pessoa.
O foco da proposta é o “esclarecimento” em relação à “menoridade”. Portanto, o candidato deveria refletir a respeito de como está o esclarecimento do ser humano, com base no conceito de Kant, em relação à sua autonomia como indivíduo.
O tema, como é de costume na redação da FUVEST, estimula a reflexão profunda a respeito da sociedade mas partindo de um ponto de vista individual

FUVEST 2016: As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?

Com quatro textos de apoio a respeito o termo “utopia”, o tema da redação da FUVEST 2016 propõe o questionamento sobre a função das utopias na sociedade.
A pergunta do tema, “As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?” estimula que o aluno se posicione. Uma vez definido o posicionamento, o candidato deve argumentar sobre por que aquele foi o viés escolhido.

FUVEST 2015: Camarotização da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Desta vez com um tema mais social e concreto, a proposta de redação da FUVEST 2015 apresentou quatro textos de apoio sobre a segregação em diferentes classes sociais. Neles há diferentes pontos de vista sobre o tema.
Embora a segregação em classes sociais seja um tema mais concreto, eram esperadas do candidato reflexões profundas, como se exemplos de onde, como e por que ocorre a segregação de classes.

FUVEST 2014: Situação dos idosos no Brasil e no mundo

Neste tema, também de cunho social e político, a proposta apareceu de maneira específica, com somente um texto de apoio e questões propostas ao candidato para estimular a reflexão.
A partir de um texto com opiniões polêmicas sobre os gastos do Estado com a população idosa no Japão, eram feitas as seguintes perguntas ao candidato:

  • Essas opiniões são tão raras ou isoladas quanto podem parecer?
  • O que as motiva?
  • O que elas dizem sobre as sociedades contemporâneas?
  • Opiniões desse teor seriam possíveis no contexto brasileiro?
  • Como as jovens gerações encaram os idosos?

O candidato deveria escolher alguns aspectos do tema e respondê-los na redação, fazendo a reflexão sobre a situação dos idosos em relação à qualidade de vida, improdutividade etc.
Houve ainda outro ponto interessante da redação de 2014: o texto deveria ser elaborado como se fosse ser publicado (em jornal, revista ou internet).

FUVEST 2013: Consumismo

Para o tema da FUVEST 2014, em vez dos tradicionais textos de apoio, havia somente uma imagem. Era uma propaganda de cartão de crédito, com uma fotografia de um shopping center e uma frase. A imagem dizia “Aproveite o melhor que o mundo tem a oferecer com o Cartão de Crédito X”.
A partir disto, o candidato deveria elaborar um texto dissertativo-argumentativo a respeito dos padrões de consumo e suas nuances, propondo uma reflexão.
Nesta proposta, os questionamentos poderiam ser tanto de cunho mais social e objetivo quanto de cunho mais individual e subjetivo.

FUVEST 2012: Participação política: indispensável ou superada?

Com cinco textos de apoio, sendo um deles uma tirinha, a proposta de redação da FUVEST 2012 abordou a participação política. O candidato deveria expor se a considera indispensável ou superada. Seu posicionamento deveria ser defendido com argumentos.
O tema desta edição pode ser considerado mais social e coletivo. As reflexões exigidas do candidato giravam em torno da necessidade ou não da política, seus limites e impasses para a sociedade.

FUVEST 2011: O altruísmo e o pensamento a longo prazo ainda têm lugar no mundo contemporâneo?

Subjetivo e profundo, o tema da FUVEST 2011 propôs reflexões a respeito do pensamento a longo prazo e do altruísmo (ato de se dedicar ao outro).
A coletânea de textos de apoio incluía dois textos sobre a palmeira Palma talipot, que floresce uma vez na vida, 50 anos depois de plantada. Além desses, dois outros textos sobre altruísmo e longo prazo compuseram a coletânea.
O tema de 2011 fornece o elo entre o ponto de vista individual, “egoísta”, e o ponto de vista coletivo, altruísta.
O candidato deveria se posicionar sobre se acha ou não que ainda há lugar para esses conceitos no mundo contemporâneo, defendendo seu posicionamento com argumentos.

FUVEST 2010: Um mundo por imagens

A redação da FUVEST 2010 abordou a construção do mundo através de imagens. Entre os textos de apoio havia uma imagem, de uma janela, e dois textos escritos.
Na descrição da proposta havia a ideia de que “no cotidiano, é comum substituir-se o real imediato por essas imagens”.
Para a escrita do texto havia mais do que dois caminhos, que é o comum para o modelo da prova. O candidato deveria abordar o mundo por imagens em relação a um dos seguintes eixos: pessoas, fatos, livros, instituições ou situações.

FUVEST 2009: Fronteiras

O último tema da nossa análise abordou o conceito de fronteiras. Entre elas, divisões geográficas, psicológicas, do pensamento, da ciência etc.
Era esperado que o candidato escolhesse uma das angulações do conceito de fronteira e dissertasse sobre o assunto, com base nos textos de apoio e outros argumentos.
A proposta poderia ter cunho tanto social e objetivo, com a abordagem sobre fronteiras físicas entre países, por exemplo, quanto cunho objetivo e individual, com abordagem sobre fronteiras do pensamento ou da linguagem.

Estude para a FUVEST com o Kuadro

O Kuadro já aprovou dezenas de alunos na USP e pode te ajudar nessa etapa! Veja os benefícios que o aluno tem ao se matricular no Kuadro:

  • Acompanhamento pedagógico individual e personalizado;
  • Correção de redação TODA semana;
  • Monitoria diária ILIMITADA;
  • Simulados todo mês;
  • Banco com mais de 29 mil questões;
  • Vídeo Aulas de revisão e resolução de exercícios ao vivo;
  • Acesso ao conteúdo disponível 24hs para acessar quantas vezes quiser.

Gostou? Então conheça nossos cursos!

Resumo teórico – Refração da Luz

Conceitos importantes anteriores à refração da luz podem ser encontrados em outros resumos teóricos.

1.Definição de Refração:

Alteração na velocidade de propagação da luz devido à mudança do meio material a qual propagava anteriormente.

2. Elementos da refração da luz:

a) Os elementos:

Elementos da refração da luz

θi = ângulo de incidência (ângulo formado pelo raio incidente e a reta normal)
θr = ângulo de refração (ângulo formado pelo raio refratado e a reta normal)
n1 = Índice de refração do meio 1
n2 = Índice de refração do meio 2
A refração possui uma grandeza física que caracteriza a capacidade da luz se propagar em um meio quando comparado a outro meio de propagação. Essa grandeza chama-se Índice de Refração (n).

b) Índice de Refração Absoluto:

Trata-se de comparar a velocidade da luz em um meio qualquer com a velocidade da luz no vácuo (que é a máxima velocidade alcançada pela luz no universo).
n=\frac{c}{v_{meio}}
Onde:

c = velocidade da luz no vácuo = 3.10^{8} m/s

Observações importantes:
I) n = 1 para o vácuo e para o ar;
II) n > 1 para os demais meios ópticos;
III) Quando compara-se dois índices de refração, diz-se que o meio que possui o maior valor de n é o meio mais refringente e o meio que possui o menor valor de n é o meio menos refringente;
IV) O índice de refração é uma grandeza adimensional (ou seja, não possui unidade de medida).

c) Índice de Refração Relativo:

Trata-se de comparar a velocidade da luz em um meio qualquer com a velocidade da luz em um outro meio que não seja o vácuo.
n_{B,A}=\frac{v_{A}}{v_{B}}
Onde: nB,A = índice de refração do meio B em relação ao meio A
Observação: geralmente é pouco utilizado o Índice de Refração Relativo.

3. Leis da Refração:

1ª Lei:

O raio de luz incidente, o raio de luz refratado e a reta normal pertencem a um mesmo plano.

2ª Lei (Lei de Snell-Descartes):

É a lei da refração que relaciona as grandezas geométrica e física
\mathit{n_{inc}\cdot \sin \left ( \theta _{inc} \right )=n_{ref}\cdot \sin \left ( \theta _{ref} \right )}
ninc = Índice de refração do meio incidente
nref = Índice de refração do meio refratado

4. Comportamento dos raios na refração da luz:

  • Raio de luz sai do meio MENOS refringente e vai para o meio MAIS refringente: o raio refratado se aproxima da reta normal.
Meio MENOS refringente para o meio MAIS refringente
  • Raio de luz sai do meio MAIS refringente e vai para o meio MENOS refringente: o raio refratado se afasta da reta normal
Meio MAIS refringente para o meio MENOS refringente

5. Reflexão total:

Quando o raio de luz sai de um meio mais refringente e vai para um meio menos refringente, há a possibilidade de, em algum momento, obter-se um ângulo de refração igual a 90°. Quando isso ocorre, diz-se que o ângulo incidente (que gerou tal situação) é o Ângulo Limite.
O seno do ângulo limite é determinado pela seguinte equação:
\sin \hat{L}=\frac{n_{MENOS}}{n_{MAIS}}

Onde: nMENOS = índice de refração do meio menos refringente

nMAIS = índice de refração do meio mais refringente

Se o ângulo de incidência for superior ao ângulo limite, tem-se que ocorrerá o fenômeno da reflexão total, ou seja, o raio de luz não consegue atravessar a superfície de separação dos meios e permanece no meio ao qual incidiu a luz.
Exemplo: raio de luz saindo da água e indo para o ar.

Ângulo Limite entre Água e Ar

 

Reflexão Total

Neste caso o ângulo limite é 48,6°

6. Assuntos raros de aparecer nos vestibulares modernos:

a) Lâminas de faces paralelas:

Uma lâmina de um determinado meio A é imersa em um meio B.

Lâmina de face paralela

Nos vestibulares das décadas de 80 e 90, costumava-se pedir para determinar o desvio do raio de luz quando passava por essa lâmina, o qual é determinado pela seguinte equação:
d=\frac{e\cdot \sin \left ( i-r \right )}{\cos r}

b) Prisma:

Um prisma de um determinado material é capaz de separar a luz branca, conforme pode ser visto na figura a seguir:

Prisma óptico – Fonte: Depositphotos

Nos vestibulares das décadas de 80 e 90, costumava-se pedir para determinar o desvio angular do raio de luz quando passava por esse prisma, o qual é determinado pela seguinte equação:

D=i_{1}+i_{2}-A

Comportamento do raio de luz em um prisma

7. Exercício de Aplicação de Refração da Luz:

(Unesp 2017) Dentro de uma piscina, um tubo retilíneo luminescente, com 1 m de comprimento, pende, verticalmente, a partir do centro de uma boia circular opaca, de 20 cm de raio. A boia flutua, em equilíbrio, na superfície da água da piscina, como representa a figura.

Unesp 2017 – 1ª Fase

Sabendo que o índice de refração absoluto do ar é 1,00 e que o índice de refração absoluto da água da piscina é 1,25, a parte visível desse tubo, para as pessoas que estiverem fora da piscina, terá comprimento máximo igual a
A) 35 cm.
B) 85 cm.
C) 65 cm.
D) 15 cm.
E) 45 cm.
Para mais resumos teóricos e assuntos de vestibular, continue acompanhando o Blog e o Canal do Kuadro!

O que mais cai na segunda fase da FUVEST?

Hoje nós trazemos um compilado das matérias mais cobradas na segunda fase do vestibular da Fuvest durante esses últimos 4 anos. Seguem os dados:

Os principais assuntos cobrados na 2ª fase da Fuvest em cada disciplina

Foram extraídos os números de questões de todas as disciplinas dos últimos 4 anos

Matemática

Na 2ª Fase da Fuvest, nota-se um grande interesse do vestibular em funções. Neste tópico, a Banca gosta de avaliar como alunos interpretam gráficos. Ainda em funções, a prova gosta de funções logarítmicas, na qual o aluno precisa usar as propriedades de logaritmos, em especial a propriedade de mudança de base.

Português

A prova de português está bem formulada na parte de interpretação de textos. Geralmente, são abordados textos em prosa, textos jornalísticos e textos publicitários.
Além disso, em literatura é cobrado a lista de obras literárias, e no passado, teve maior incidência questões envolvendo Modernismo, Romantismo e Realismo/Naturalismo/Parnasianismo.
A redação na Fuvest costuma cobrar uma abordagem mais sociológica e conceitual em seus temas de Redação. É importante o aluno estar bem informado com assuntos atuais.

>> Mande bem na FUVEST! Conheça o Curso Semiextensivo do Kuadro. <<

História

A prova de Segunda Fase de História da Fuvest é conteudista e busca um conhecimento aprofundado dos temas. Ela não dá muita margem para interpretação, o candidato  tem que saber o que o enunciado está pedindo. Nota-se um enfoque maior em Sistema Colonial e República Oligárquica. Na parte de História Geral, destacam-se em Mundo Contemporâneo os assuntos Guerra Fria e Segunda Guerra Mundial.
 

Biologia

A prova de Biologia possui maior incidência em Genética e Fisiologia Animal e Humana. Em Genética, destacam-se os assuntos Lei de Segregação e Cromossomos Sexuais.
Em fisiologia, os assuntos Nutrição / Digestão e Circulação possuem maiores recorrências. Além disso, em Ecologia, a Fuvest gosta de abordar questões sobre Relações Ecológicas.

>> Passe em Medicina estudando online! Conheça o curso Medicina do Kuadro. <<

Física

Como a maioria dos vestibulares no Brasil, a prova de Física tem como maior incidência o tópico de Mecânica.
Neste tópico, destaca-se Trabalho e Energia, assunto que depende de outros conceitos da física clássica, como Dinâmica.
Na parte de Eletricidade, a prova é dividida em Eletrostática e Eletrodinâmica. Ambos assuntos têm iguais incidências. Em Eletrostática, é mais recorrente questões sobre campo elétrico e em Eletrodinâmica, é mais recorrente questões sobre potência.

Geografia

A prova de Geografia está dividida em duas grandes frentes: Geral e do Brasil. Nota-se uma maior incidência em Geografia do Brasil, onde a questão Econômica possui mais questões, abordando questões sobre Agropecuária, Transportes e Fontes de Energia.
Em Geografia Geral, Geopolítica é o tema mais abordado. Neste tópico são cobradas questões referentes ao Sudeste Asiático, Mundial e Europa.

Química

Novamente, como a maioria dos vestibulares, Físico-Química é o assunto mais recorrente. Destacam-se os tópicos relacionados a Equilibrios Químicos, Termoquímica, Cinética e Eletroquímica. Na parte de Química Geral, o assunto preferido da Fuvest é Cálculo Estequiométrico, abordando geralmente questões com reagente limitante, pureza dos reagentes e rendimento da reação.

Inglês

A prova de Inglês da Fuvest cobra muita interpretação de textos. Para isso, um dos fatores que ajuda muito na interpretação de textos é o vocabulário. A Banca da Fuvest sempre espera uma resposta detalhada, nada resumida e bem fiel ao texto original. Por isso, é fortemente recomendado resolver provas anteriores para entender o “jeitão” da Fuvest.

O que fazer para ir bem na segunda fase da FUVEST?

Neste momento, é muito importante para o vestibulando refrescar os assuntos com maior incidência. Vale lembrar que revisar não é buscar novidades, o assunto é muito extenso, por isso não adianta querer estudar tudo agora.
Algumas dicas para estudar nesse período:

  1. Estabeleça rotinas tranquilas para fazer as revisões. Não se mate de estudar todos os dias, gerando stress sem foco no vestibular.
  2. Procure sanar algumas matérias que possui dificuldades e que têm incidência na sua prova.
  3. Tenha conhecimento dos assuntos que caem no seu vestibular específico. Para isso, é importante conhecer o edital do seu concurso.
  4. Não deixe as obras literárias de lado, elas são muito bem cobradas na prova de português.
  5. Não pare de treinar as redações. Manter um bom ritmo de fazer redação ajuda o candidato a chegar preparado e não ficar enrolado na redação.

O papel da família na aprovação #06

A Ingrid imaginava que nunca seria possível passar no vestibular da USP, mas além da sua dedicação o apoio incondicional da família foi um ponto muito importante para realizar esse sonho e conquistar a aprovação no vestibular.

Comenta aqui embaixo o que você achou do vídeo e se gostaria de assistir outros como esse! 😉

História de aprovação #06 Ingrid Oliveira

A Ingrid imaginava que nunca seria possível passar no USP, chegou a mudar de cidade pra fazer um cursinho presencial, mas precisou retornar pra casa na sua cidade natal. Infelizmente, lá ela não tinha um cursinho bom o suficiente para ajudá-la a alcançar os objetivos que buscava. Foi aí que surgiu o kuadro na vida dela! O fim da história foi a aprovação na USP.

Se identificou com a história da Ingrid? Comenta aqui embaixo se gostaria de assistir mais vídeos como esse 🙂

Estatísticas dos aprovados no vestibular do ITA

Se você pretende entrar em escolas como ITA, IME, AFA, Escola Naval, Fuvest e Unicamp, prepare-se para estudar muito, desenvolver uma boa base e cair pelo menos uma vez pelo caminho antes de alcançar sua redenção. 

É preciso conhecer o desafio para vencê-lo

Antes de você prestar vestibulares concorridos como ITA, IME, Escola Naval, AFA, Fuvest e Unicamp é preciso conhecer o tamanho do desafio. Só assim você poderá vencê-lo. Para te ajudar nessa trajetória, preparei este estudo sobre algumas estatísticas dos aprovados no ITA. Não é uma análise exaustiva, mas é bastante aprofundada e vai te dar uma boa visão sobre o que esperar na caminhada até sua aprovação.

Nota de corte e média dos aprovados

Nos últimos 5 anos, a nota de corte do ITA ficou entre 61 e 71, em um máximo de 100 pontos.

Evolução de notas no vestibular do ITA
Fonte: vestibular.ita.br

Uma conclusão importante é que a concorrência não é entre os alunos como num vestibular para medicina, onde a nota de corte beira os 100%. Mas o desafio é realmente a prova.

Para conquistar a aprovação, você pode deixar algumas questões em branco. Isso facilita a vida de quem desenvolve uma boa estratégia de prova. Ao invés de resolver todas as questões, inclusive aquelas que tomam bastante tempo, você deve deixar essas questões maiores para o final e só resolver se houver tempo sobrando mesmo, o que é muito difícil de acontecer no vestibular do ITA. Portanto, comece pelas questões fáceis e vá resolvendo tudo até alcançar seus 70-75%.

Estatística de aprovações do ITA
Fonte: vestibular.ita.br

O histórico da prova de Português mostra, nessa disciplina, a média dos aprovados está entre 60% e 65%, ou seja, em geral os aprovados no ITA não são bons de Português. Enquanto isso, Matemática e Química têm médias acima dos 70% e matemática, pasmem, já chegou a quase 90%. Física vinha pelo mesmo caminho, mas nos últimos anos a banca que elabora a prova tomou alguma providência e a média está parada abaixo dos 60% faz dois anos. Isso mostra que é muito difícil subir sua nota pelas exatas, mas quem é muito bom em Português realmente tem um diferencial. Enfim, se for pra você apostar numa disciplina pra te diferenciar dos outros candidatos, aposte em Português.

Banner ITA/IME

Origem dos aprovados: tempo de preparação, escola, cursinho…

 

Tempo de preparação dos aprovados do ITA
Fonte: pesquisa com alunos do ITA

Em uma pesquisa feita com os alunos aprovados no vestibular do ITA de 2015, foi constatado que 92% dos candidatos aprovados fez cursinho específico para o ITA, 99% estudaram em escolas particulares, técnicas federais ou militares e o tempo médio de preparação dos alunos aprovados é de 1 ano e 8 meses.

Isso mostra que para conquistar a aprovação é importante ter uma boa base, que geralmente você adquire em escolas de ponta, e a perseverança é requisito obrigatório para passar em vestibulares como ITA, IME, Escola Naval, AFA etc.

Portanto, se você quer estudar em uma dessas escolas, prepare-se para mais de um ano de muita dedicação, disciplina e estudo.

Uma estratégia que se mostrou comum entre os alunos que fizeram 2 ou mais anos de cursinho foi conseguir bolsa em cursinho depois de quase passar em um desses vestibulares super concorridos.

Se você pretende entrar em escolas como ITA, IME, AFA, Escola Naval, Fuvest e Unicamp, prepare-se para estudar muito, desenvolver uma boa base e cair pelo menos uma vez pelo caminho antes de alcançar sua redenção.

Saiba o que há por trá de algumas das estatísticas do vestibular do ITA:

Quer se preparar para ITA, IME, Escola Naval e AFA estudando sem sair da sua casa?

Conheça a Turma ITA do kuadro!

Como se dar bem em testes de múltipla escolha?

Provas de múltipla escolha… Nós do Kuadro já vivemos na pele essa fase que você está vivendo agora. O tempo é curto, o emocional está abalado, há uma pressão, nunca dá tempo de estudar tudo o que cai, enfim, há muito em jogo. Sua vida nos próximos anos depende de três, quatro, cinco horas que seja. Muito pouco tempo para decidir um futuro de possibilidades que há pela frente.

Nós do Kuadro nos preocupamos com o seu futuro, e é justamente por isso que viemos neste texto ajudar você a ir melhor em provas de múltipla escolha. Novamente será feito um estudo de caso.

Primeiramente, vamos fazer uma tabela para organizar informações:

Vestibular

Nº de questões

Tempo de prova

Tempo por questão

ENEM (Sem redação)

90

4,5 h

3 min

1ª fase FUVEST

90

5 h

3 min 20 s

Prova Objetiva – IME

40

4 h

6 min

ITA

30

4 h

8 min

 

Apesar de na nossa estatística breve o ITA incrivelmente ter aparecido com o maior tempo por questão, vale lembrar que na conta acima está incluso o tempo das questões discursivas (são 10 questões discursivas). Admitindo que a maior complexidade das questões seja para as questões discursivas, isso também deixa o vestibulando ITA com pouco tempo para os testes.

Portanto, o aluno que quer ser aprovado nestes vestibulares precisa ganhar tempo nos testes. Neste texto apresentamos mais uma dica que vai ajudar você a ganhar tempo nos testes.

A gente abordou vários assuntos úteis para você que está se preparando para vestibulares de medicina e de engenharia neste momento. Falamos sobre estratégia de prova, sobre ler as questões primeiro e o texto depois e até sobre questões que tentam te prejudicar durante uma prova. Hoje nós vamos abordar dicas importantíssimas para você aumentar a eficiência em provas, vestibulares e concursos de um modo geral.

A dica de hoje é que examinadores elaboram questões para provocar indecisão no candidato. O melhor jeito de entender isso é um estudo de caso. Vamos olhar, por exemplo, essa questão do vestibular do ITA de 2016, prova de Matemática.

Perceba que todas as alternativas possuem 3/2 como elemento no canto superior esquerdo de cada matriz. Portanto, é óbvio que a resposta certa deve ter 3/2 no canto superior esquerdo das alternativas também.

O interessante, no caso dessa questão, é olhar para o canto inferior esquerdo das alternativas. Perceba que as alternativas C, D, E tem todas 13/2 como elemento no canto inferior esquerdo da resposta. Partindo do princípio de que examinadores querem que vocês fiquem indecisos nas questões, é bastante lógico concluir que provavelmente uma das alternativas C, D, E é a correta.

Se você estiver disposto a correr um risco maior, você pode ficar brincando com as alternativas C, D, E e chutar uma delas, mas a certeza de você acertar a questão diminui bastante.

Conclusão: Segundo o gabarito oficial do vestibular, a resposta correta é a alternativa C, conforme previmos. Ou seja, sabendo que examinadores querem que você fique indeciso você pode ficar menos indeciso, curiosamente! E aplicando essa dica você aumenta as suas chances de acerto em testes de múltipla escolha!

Acompanhe o Kuadro para mais dicas valiosas dessas!

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF