Reações Químicas Inorgânicas

Reação química é um fenômeno que ocorre com uma ou mais substâncias sob condições específicas formando pelo menos uma substância diferente do que se tinha nos reagentes, a que chamamos de produto. Nós podemos classificar as reações químicas inorgânicas em quatro grupos: reações de adição, decomposição, deslocamento ou dupla troca.

Reações de síntese ou adição

São reações que possuem dois ou mais reagentes e forma um único produto.
Exemplo:
S + O2 → SO2

Reações de análise ou decomposição

Pode ser entendida como a reação inversa da adição, ou seja, quando um único reagente leva a formação de dois ou mais produtos.
Exemplo:
H2CO3 → H2O + CO2

Reações de deslocamento ou simples troca

Nessas reações temos dois reagentes que originam dois produtos. Um dos reagentes é uma substância simples e o outro é uma substância composta, assim como para os produtos. Para entender melhor sobre substância simples e composta, leia nosso resumo sobre o tema. 
Exemplo:
Fe + CuSO4 → FeSO4 + Cu
Nesse exemplo podemos observar que o ferro (Fe) “trocou” de lugar com o cobre (Cu).  Mas será que poderíamos substituir o ferro por qualquer outro metal e a reação ocorreria da mesma maneira?
A resposta é não. A reatividade dos metais é diferente, como mostramos na figura abaixo. Metais menos reativos também são chamados de nobres.
<- Reatividade aumenta: Li > K > Ca > Na > Mg > Al > Zn > Cr > Fe > Ni > Sn > Pb > H > Cu > Hg > Ag > Pt > Au
Segundo nosso esquema, quanto mais à esquerda estiver o elemento mais reativo ele será e, portanto, terá a tendência em “trocar de lugar” com o metal que estiver mais à direita. Observe a reação do exemplo; o ferro está mais à esquerda que o cobre, por isso a reação ocorre.
Reações de deslocamento também podem ocorrer com elementos não metálicos. Nesse caso, temos a seguinte ordem de reatividade:
<- Reatividade aumenta: F > O > Cl > Br > I > S
Quanto mais à esquerda, mais reativo será o elemento. Sabendo-se a reatividade dos ametais, fica fácil prever a ocorrência de uma reação, por exemplo:
Cl2 + 2NaBr → 2NaCl – essa reação ocorre, porque o cloro é mais reativo que o bromo.
Br2 + 2NaCl → 2NaBr – essa reação NÃO ocorre, pois o bromo é menos reativo que o cloro.

Reações de dupla troca

Aqui também temos dois reagentes e dois produtos, porém todos são substâncias compostas. Para que ocorram reações de dupla troca, precisamos que forme um produto insolúvel ou um produto volátil ou menos dissociado.

Formação de um produto insolúvel

Os reagentes são solúveis e pelo menos um produto é insolúvel, formando um precipitado. Como a maioria dessas reações ocorre em meio aquoso, para fazer essa previsão precisamos conhecer a solubilidade dos compostos em água:
Ânions x Solubilidade x Exceções
Além dos sais, sabemos que ácidos geralmente são solúveis em água; e bases são pouco solúveis, com exceção para as bases de metais da família 1 e o NH4OH que são solúveis.
Exemplos:
AgNO3 + NaCl →NaNO3 + AgCl – essa reação ocorre pois forma AgCl, que é insolúvel em água.
KNO3 + NaCl → NaNO3 + KCl – essa reação NÃO ocorre, pois ambos os produtos são solúveis.

Formação de um produto volátil

Macroscopicamente formar um composto volátil significa observar bolhas de gás sendo formadas. Isso significa que houve desprendimento de um gás, ou ainda que se formou um produto volátil.
Nas reações inorgânicas, a maioria dos compostos voláteis são ácidos, com exceção do NH4OH, que é uma base volátil. Demais bases e sais são fixos, ou seja, não volatilizam. Os ácidos voláteis mais comuns são HF, HCl, HBr, HI, H2S, HCN.
Exemplos:
FeS +2HCl → FeCl2 + H2S – essa reação ocorre pois se forma H2S que é volátil e tende a escapar do sistema.
Também temos que considerar três decomposições importantes:
H2CO3 → H2O + CO2
H2SO3 → H2O + SO2
NH4OH → NH3 + H2O
Esses três reagentes das equações acima são muito instáveis e se decompõe facilmente. Caso uma reação forme um desses compostos, a tendência será de se decomporem.
Exemplo: Na2CO3 + H2SO4 → Na2SO4 + H2CO3
Mas: H2CO3 → H2O + CO2;
Então a reação ficará:
Na2CO3 + H2SO4 → Na2SO4 + H2O + CO2

Formação de um produto menos dissociado

Uma reação de dupla troca pode ocorrer se formar um produto que se dissocie menos que o reagente (então dizemos que se trata de um eletrólito fraco) ou então se for um composto molecular.
Exemplo:
HCl + Na(CH3COO) → NaCl + CH3COOH
Essa reação ocorre porque houve formação de um produto menos dissociado que os reagentes, no caso o CH3COOH. Ambos reagentes se ionizam quase que completamente em água. Já entre os produtos o NaCl se dissocia completamente, mas o CH3COOH não, pois é um ácido fraco (ácido acético).

Videoaula: Reações Químicas Inorgânicas

Para consolidar o que estudou até aqui, assista à videoaula abaixo:

O que achou deste resumo? Deixe seu comentário!
Continue acompanhando o Blog do Kuadro para mais resumos teóricos e assista às Aulas Ao Vivo Gratuitas do Kuadro

Como ir bem na prova discursiva de Química da fuvest?

A segunda fase da Fuvest, entre todos os seus testes, possui 6 questões que envolvem toda a química lecionada no ensino médio. Por um momento isso pode parecer muito conteúdo para ser colocado em um pequeno número de questões, certo? Nós, do Kuadro, não queremos que você pense assim.

Observar o perfil da prova durante a sua preparação é uma boa medida para se tranquilizar e ganhar confiança. E para te ajudar nisso, analisamos a incidência de todos os conteúdos cobrados em química nos últimos 4 anos do vestibular da Fuvest.

Prova discursiva de química da FUVEST

Analisando a tabela acima, preparamos algumas dicas que aumentarão consideravelmente o seu desempenho na prova de Química da Fuvest:

  • 91 % das questões de química da segunda fase se concentram em 7 assuntos. Ou seja: todo ano existe praticamente uma questão de cada um desses conteúdos. Está ficando bem mais fácil saber onde focar, não é?
  • Alguns conteúdos só foram cobrados na primeira fase desde 2014: propriedades periódicas, reações nucleares e modelos atômicos. Isso não quer dizer que eles não cairão nas próximas provas, mas sim que você não deve priorizá-los em seus estudos.
  • O estilo das provas objetiva e discursiva de química da Fuvest são parecidos. Uma boa maneira de praticar é fazer as provas antigas. Elas lhe fornecerão uma maior experiência na hora de encarar as questões.
  • Reações químicas estão presentes na maioria das questões da prova discursiva de química. Seja como tema principal de algum item ou como maneira de cobrar conceitos como ácidos e bases, química orgânica ou equilíbrios químicos. Por isso, é de grande importância ganhar muita experiência em provas de química, para saber com confiança a maioria das reações que poderão ser cobradas.
  • Boa parte das questões de química trabalham com gráficos e tabelas. Principalmente quando estão relacionados a conteúdos como equilíbrios químicos, termoquímica e eletroquímica. Por isso, é importante saber analisá-los e tirar conclusões das informações disponíveis.

Com esse artigo, esperamos facilitar os seus estudos. Ficou alguma dúvida? Venha conversar conosco, sua opinião é muito importante para crescermos junto com você!

FUVEST: Como ir bem em Química na prova objetiva?

Ao fazer uma prova de matemática, história ou física da Fuvest, você vai encontrar muitas questões que cobram muito dos conteúdos e pouco de habilidades interdisciplinares. Entretanto, química é uma exceção a essa “regra”. Apesar de continuarmos enfrentando um vestibular que cobra amplamente toda a matéria do ensino médio, é inevitável notar o grande número de questões que abordam mais de uma área da química ou que às vezes necessitam de um certo domínio da física ou da matemática.

Para facilitar o seu entendimento, o Kuadro traz para você uma pesquisa que aponta quantas questões de cada conteúdo caíram nos últimos anos na parte objetiva de química da Fuvest. Lembre-se que a cada ano as perguntas mudam. Mas a proporção entre os conteúdos tende a permanecer a mesma durante um certo período de tempo.

Prova objetiva de química da FUVEST

Observando a tabela acima, saiba algumas dicas que podem ser um diferencial para a sua aprovação:

  • Estude química orgânica. 20% da prova gira em torno desse conteúdo. Entretanto, é importante saber como estudar, pois existem uma infinidade de reações orgânicas. Uma boa ideia é focar no aprendizado das características e propriedades químicas das funções orgânicas. Isso facilitará bastante o estudo das reações. Lembre-se: aprenda mais e decore menos!
  • As reações químicas entre os mais variados compostos são, sem dúvida, o assunto mais cobrado na parte de química do vestibular da Fuvest. Por isso, a ideia para ir bem não é aprender inúmeros métodos específicos, mas saber vários tipos de reações. Uma boa dica é começar pelas reações que envolvem ácidos, bases, óxidos e sais, que são as mais recorrentes.
  • Estequiometria, gases, soluções e equilíbrios são conteúdos que caem sempre. Eles compõem, em sua maior parte, o que chamamos de físico-química. Tenha bastante atenção, afinal em toda prova você encontrará questões dessas matérias.
  • Ainda relacionado com a dica anterior, não se esqueça de que não é suficiente saber apenas os conceitos de química para resolver questões de química. Principalmente na área de físico-química. Muitos erros ocorrem no desenvolvimento do raciocínio que depende de conceitos da matemática básica (porcentagem, rendimento, aritmética). 

Seguindo essas dicas e fazendo a prova atenciosamente, não tem erro. A parte objetiva da prova de química da Fuvest será um sucesso. E para garantir ainda mais a sua vitória, estamos a disposição para tirar a sua dúvida. Venha conversar com o Kuadro!

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF