Prova do ITA: o guia definitivo

A prova do ITA, Instituto Tecnológico da Aeronáutica, é uma das mais concorridas de todo o Brasil. De acordo com dados divulgados pela instituição, foram 12.484 inscritos para 110 vagas ao todo. Isso dá, aproximadamente, 115 candidatos por vaga, um dos números mais altos em todo o país.
Quando olhamos com atenção para sua história, dá para entender por que essa instituição é tão desejada.

Toda essa disputa pelas vagas tem base na tradição do ITA. O Instituto foi criado em 1950 pelo Marechal do Ar, Casimiro Montenegro Filho. Entre 1950 e 1954 ficou sediado na Escola Técnica do Exército (que mais tarde virou o Instituto Militar de Engenharia – IME) no Rio de Janeiro.
A partir desta data ele se transferiu para a cidade de São José dos Campos, que foi escolhida como sede principalmente por conta da sua localização estratégica, já que fica entre dois grandes centros: São Paulo e Rio de Janeiro. Além disso, o relevo é propício para a prática da aeronáutica, o que é outro ponto positivo.

A importância do Instituto

Com o ITA, o desenvolvimento de São José dos Campos se acelerou. A cidade, a partir daí, recebeu a Rodovia Presidente Dutra em 1951, a instalação da Embraer (terceira maior fabricante de Aeronaves do mundo) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Tudo impulsionado pela vinda do instituto para a cidade do interior paulista.
“O ITA é pioneiro e tem excelência nas diversas áreas em que atua”, declara Luiz Carlos Rossato, professor do ITA e chefe de concursos da instituição. “Aqui a gente oferece um pacote completo para o aluno: ensino de qualidade, permanência estudantil, qualidade de vida, possibilidade de intercâmbio”.
Sobre este último, o professor ressalta uma parceria entre o Instituto Tecnológico da Aeronáutica e a École Polytechnique, que fica na França. Inclusive, a aula inaugural do ITA em 2017 foi realizada pelo reitor da universidade francesa. “Fazendo o intercâmbio há a possibilidade de ser obtido os dois diplomas, daqui e de lá”. Além disso, o aluno tem uma oportunidade de ampliar seu repertório cultural.

Como é a prova do ITA?

Exceto nas provas de português e inglês, as questões são feitas pelos próprios professores do ITA, como explica Luiz Carlos. “Os professores de cada departamento sugerem questões, levando em conta o programa de matérias, o tempo disponível e a complexidade”. As questões de inglês e português são encomendadas a professores externos.
Depois das questões já estarem prontas, um coordenador seleciona entre as que se encaixam melhor para a prova, como explica Luiz. Esse coordenador é rotativo, ou seja, a cada ano e a cada exame, um coordenador diferente que fica responsável por essa seleção.
O vestibular do ITA é composto por duas fases. Na primeira, a prova tem 60 questões objetivas, divididas igualmente por matéria – ou seja, são 12 questões de Matemática, 12 de Química, 12 de Física, 12 de Português e 12 de Inglês. A prova tem duração de 4 horas.
A segunda fase conta com apenas três matérias e uma Redação, sendo elas elas Física, Matemática e Química. São 10 questões dissertativas, aplicadas em dois dias. No primeiro, o aluno resolverá questões de Matemática e Química. Já no segundo, a redação e Física.

A correção das questões

No processo de correção, as questões objetivas ou de múltipla escolha são conferidas digitalmente, por meio de um computador. Alguns critérios desclassificatórios são levados em conta – como a obrigatoriedade de acertar pelo menos 40% da prova de Língua Inglesa.
Depois do software fazer essa “pré-seleção”, aqueles que não forem desclassificados terão suas questões dissertativas e a redação corrigidas.
Essa correção é feita às cegas por dois examinadores que não tem acesso nem ao nome, nem à nota dada pelo colega avaliador – os avaliadores só têm acesso ao número de inscrição. Caso haja uma diferença maior de dois pontos entre as notas, é acionado um terceiro avaliador, que deve corrigir a prova novamente. No final, é calculada uma média das notas.

Mudanças

O vestibular do ITA mudou! O Instituto anunciou algumas alterações no processo avaliativo do vestibular a partir da prova aplicada em 2018. Entre as mudanças, foram definidas três obras literárias que serão cobradas para as questões de português. O intuito é dar um foco maior para os alunos.
Os livros são escolhidos foram: Senhora, de José de Alencar; Quincas Borba, de Machado de Assis, e São Bernardo, de Graciliano Ramos.
Ao todo, serão 6 questões de literatura na provas. Destas, 3 serão para os livros (1 para cada) e 3 serão de interpretação de poemas de autores brasileiros. Quanto às outras matérias, não há uma definição de bibliografia. Apenas é deixado bem claro qual é o conteúdo pedido pelo exame, o aluno escolhe por onde vai estudar.

Vagas ordinárias x vagas privativas

Até o processo seletivo para adentrar em 2017, o ITA divulgava o número geral de vagas. A partir do processo de 2018, elas são divulgadas em 2 categorias. São elas:

  • privativas – para quem opta na carreira militar (25)
  • ordinárias – para quem é civil (85)

O número de vagas gerais continua o mesmo dos exames anteriores, ou seja, 110.

Como se preparar?

Para se preparar para o vestibular, todo tempo vale ouro. Se o aluno já entrar no ensino médio com o desejo de passar no ITA, não deve perder tempo. Desde o 1º ano, deve treinar os temas que são cobrados no exame. “É importante fazer muitos exercícios”, declara Luiz Carlos Rossato. “Obviamente, existem aqueles que não precisam treinar tanto para conseguir passar, mas esses são raras exceções”.
Exercícios que não faltam para serem resolvidos com o maior acesso a internet. Dá para pegar em diversos sites especializados, provas anteriores de outros vestibulares, livros didáticos, e-books, etc.
Apesar disso, as questões da prova são feitas pensando no conhecimento disponível no ensino médio. “Todas as questões do ITA são possíveis de serem feitas por quem fez um bom ensino médio. Por exemplo, questões de cinemática podem ser resolvidas mais facilmente por quem sabe derivadas, mas não é necessário sabê-las”, comenta Luiz Carlos Rossato.

Simulados

Simule o vestibular do ITA com provas anteriores. O estudante tem fácil acesso à elas on-line. E, quando fizer os simulados, faça o passo a passo de um dia de prova. Ou seja, desligue os aparelhos eletrônicos, cronometre o tempo e não consulte na internet ou em livros.
Quanto mais treinar, melhor você vai se sair no dia da prova.

Estude hoje!

Também não deixe para mais tarde o que deve ser feito agora. Se tem uma matéria nova para estudar, estude. Se tem uma lista de exercícios novos para resolver, resolva-a.
Se está com dúvida em alguma coisa, tire-a com o professor. Assim o aluno consegue avançar e não acumula material. Se hoje é 1 dúvida, amanhã vão ser 2 e assim por diante. No fim, ele acaba desistindo e vai sentir falta lá na frente.

Dedicação e constância

Mais do que passar horas estudando uma semana antes da prova, o que importa é a constância nos estudos e a dedicação que deve crescer gradualmente. Por isso, nada de desanimar.
Estude um pouco por dia, intercalando matérias e apostando em cronograma de estudos bem estruturado, que dê conta de contemplar todos os tópicos que considera essenciais no seu projeto.

Cursinho pré-vestibular: uma boa opção para se destacar na prova do ITA!

Uma alternativa para se preparar melhor é fazer um cursinho pré-vestibular preparatório para o ITA e o Kuadro tem uma turma especial, focada no ingresso ao Instituto.
Ao matricular-se, o cursinho do ITA oferece videoaulas que você pode assistir quando quiser, listas de exercícios que vão te ensinar métodos de resolução de exercícios com maior índice de erro, correção de redações em até 7 dias e simulados semanais que vão te preparar estrategicamente para a sua prova.
Quer saber mais sobre a prova do ITA? Continue acompanhando nosso blog para mais informações.

O vestibular do ITA mudou!

As inscrições para o próximo vestibular do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) começaram no dia 07 de agosto deste ano e o edital está publicado. Lá você vai encontrar o calendário de eventos do vestibular, todas as informações sobre provas, como se inscrever e como concorrer às vagas de uma das principais escolas de engenharia do Brasil.
No edital, você também vai encontrar algumas mudanças em relação aos anos anteriores. Uma das novidades é que agora o ITA divulga as obras literárias que vai atacar na prova de português. Você encontra mais sobre as obras literárias que vão aparecer no próximo vestibular neste link!
Mas a principal mudança no vestibular foi outra!

A grande mudança no vestibular do ITA

Para o vestibular deste ano, o ITA promoveu uma mudança que causa um grande impacto na vida do iteano – pessoa que estudou no ITA – durante e após a graduação.
Quando você fizer sua inscrição para o vestibular do ITA, você terá que escolher entre dois tipos de vaga: privativa (ativa) ou ordinária (reserva).

  • Vagas Privativas: também conhecidas como vagas da ativa. São destinadas a candidatos que têm interesse em seguir a carreira militar como Oficiais Engenheiros da Aeronáutica. São 25 vagas privativas.
  • Vagas Ordinárias: comumente chamadas de vagas da reserva. O foco aqui é para candidatos que querem seguir a carreira civil. São ofertadas 85 vagas ordinárias por concurso.

Esta é a principal mudança do vestibula do ITA para 2018. Calma, que eu vou te explicar tudo direitinho

Como era antes?

Antes, no ato da inscrição, o candidato optava por uma vaga privativa, ou ordinária. No entanto, os 110 melhores entravam no ITA, sem distinção por opção de vaga.
A opção somente se materializava no final do segundo ano de curso. Se entre os aprovados houvesse mais de 25 optantes por carreira militar (vagas privativas), alguns seriam migrados para vagas ordinárias, seguindo critérios internos do CPOR (Centro Preparatório de Oficiais da Reserva).
Se entre os candidatos aprovados houvesse menos de 25 optantes por vagas privativas, as vagas remanescentes seriam disponibilizadas para aqueles que se inscreveram no vestibular para vagas ordinárias mas mudaram de ideia, decidiram ser militares.
Resumindo: uma prova, um concurso.

Como é agora?

Uma prova, dois concursos.
No vestibular deste ano, você escolhe se quer ser militar (vaga privativa) ou civil (vaga ordinária) no ato da inscrição e essa decisão vai te acompanhar até o fim da faculdade e também vai definir qual carreira você vai seguir.
Todos os candidatos farão a mesma prova. Mas não concorrerão todos contra todos. Os optantes de vagas privativas concorrerão apenas com outros optantes de vagas privativas. Enquanto os optantes de vagas ordinárias só concorrerão entre si.

Quais são os impactos dessa mudança?

Os principais impactos dessa mudança são na concorrência pelas vagas e nas notas de corte que agora serão separadas.
É muito cedo pra afirmar qual tipo de vaga terá maior concorrência, porque isso depende do perfil dos candidatos em cada modalidade. O que podemos prever é mais candidatos por vaga privativa, pois nos últimos vestibulares 50% dos candidatos escolheram essa opção na inscrição. A conta é simples!
Vamos tomar como exemplo o último vestibular!

Vestibular 2017 Simulação vestibular 2018
Total Vagas privativas Vagas ordinárias
Candidatos Inscritos 12.484 6.180 (49,5%) 6.304 (50,5%)
Vagas 110 25 85
Relação candidato/vaga 113,5 247,2 74,2

Como você viu na tabela, a relação candidato/vaga entre os optantes pelas vagas privativas é bem maior e talvez tenha impacto na nota de corte, mas isso nós só saberemos na primeira semana de janeiro de 2018.
O importante pra você que vai prestar o vestibular é escolher a carreira que quer seguir e se esforçar pra ter o melhor desempenho possível no vestibular.
Mas me fala uma coisa! O que você achou dessa mudança?
vestibular do ita

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF