Gabarito UFRN - Provas Anteriores

chevron left center16-30 de 91chevron right center
Questão
2013Matemática

(Ufrn 2013) Um arquiteto projetou, para um salão de dimensões 22 m por 18 m, um teto de gesso em formato de elipse com o eixo maior medindo 20 m e o eixo menor, 16 m, conforme ilustra a figura abaixo. O aplicador do gesso afirmou que saberia desenhar a elipse, desde que o arquiteto informasse as posições dos focos. Para orientar o aplicador do gesso, o arquiteto informou que, na direção do eixo maior, a distância entre cada foco e a parede mais próxima é de

Questão
2013Química

(UFRN2013) Uma lei qumica expressa regularidades dos processos qumicos, permitindo explic-los e tambm fazer previses de comportamentos de fenmenos que pertencem ao contexto de aplicao dessa lei. Por exemplo, a Lei das Propores Constantes de Proust expressa uma das mais importantes regularidades da natureza. Segundo essa lei,

Questão
2013História

(UFRN - 2013) Os historiadores fazem distino entre o perodo medieval e a modernidade na Europa Ocidental. As imagens a seguir evidenciam essa nova concepo de mundo, caracterstica da modernidade. Essas imagens remetem a aspectos da mentalidade do mundo moderno, que era caracterizado

Questão
2013História

(UFRN - 2013) Segundo o historiador David Landes, a Revoluo Industrial [...] comeou na Inglaterra no sculo XVIII e expandiu-se de forma distinta nos pases da Europa continental e em algumas reas do ultramar. Em um espao de menos de duas geraes, transformou a vida do homem ocidental, a natureza de sua sociedade e seu relacionamento com outros povos do mundo. LANDES, David S. Prometeu desacorrentado: transformao tecnolgica e desenvolvimento industrial na Europa ocidental, desde 1750 at os dias de hoje. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. p. 1. A Revoluo Industrial significou mudanas radicais, promovendo

Questão
2013Química

(Ufrn 2013) A purificação do cobre é essencial para sua aplicação em fios condutores de corrente elétrica. Como esse metal contém impurezas de ferro, zinco, ouro e platina, é preciso realizar um processo de purificação na indústria para obtê-lo com mais de 99% de pureza. Para isso, é necessário colocá-lo no anodo de uma cuba com solução aquosa de sulfato de cobre e aplicar corrente elétrica de forma a depositá-lo no catodo, fazendo-o atingir essa pureza. Apesar de ser um método lento e de consumir grande quantidade de energia, os custos de produção são compensados pelos subprodutos do processo, que são metais como ouro, platina e prata. O método de purificação do cobre é conhecido como

Questão
2013História

(UFRN - 2013) O historiador Jacques Le Goff, analisando o Ocidente europeu na Idade Mdia, comenta: O conflito entre o tempo da Igreja e o tempo dos mercadores afirma-se pois em plena Idade Mdia, como um dos acontecimentos maiores da histria mental destes sculos, d urante os quais se elabora a ideologia do mundo moderno, sob a presso da alterao das estruturas e das prticas econmicas. LE GOFF, Jacques. Para um novo conceito de Idade Mdia: tempo, trabalho e cultura no Ocidente. Lisboa: Estampa, 1979. p. 45. Esse conflito referido pelo autor diz respeito

Questão
2013Biologia

(UFRN 2013) Uma pessoa foi fazer um hemograma e obteve o resultado abaixo. HEMOGRAMA Valores obtidos Valores referenciais Hemácias (milhões/mm3) 5,12 4,5 a 6,5 Leucócitos (mm3) 8.100 4.300 a 10.000 Plaquetas (mm3) 90.000 150.000 Considerando os valores obtidos, apresentados no resultado do hemograma, é correto afirmar que

Questão
2013Química

(Ufrn 2013) O ferro é encontrado, nos alimentos, no estado de oxidação 3+, ou seja, como Fe (III), mas, para que possa ser absorvido pelo organismo, deve apresentar-se no estado de oxidação 2+, ou seja, como Fe (II).Contribuem, para a transformação do Fe (III) em Fe (II), substâncias redutoras presentes no suco gástrico. Por sua vez, outras substâncias podem facilitar ou dificultar a biodisponibilidade do Fe (II) para sua absorção pelo organismo. Em presença da vitamina C, o Fe (II) forma complexos solúveis, enquanto que, com o oxalato, forma um composto cujo valor de Kps é muito baixo.Algumas pessoas recomendam consumir espinafre por conter alto teor de Fe (II), mas que também contém elevada quantidade de oxalato. Também aconselham que a feijoada, rica em Fe (II), seja consumida juntamente com suco de laranja, rico em vitamina C. Em relação às recomendações para se consumir espinafre com o suco de laranja, nessas condições, é correto afirmar:

Questão
2013História

(UFRN - 2013) Os diversos grupos envolvidos na Revoluo Francesa interpretaram diferentemente os princpios tericos que a fundamentaram. Uma interpretao desses princpios pode ser exemplificada no Manifesto dos Iguais, que se expressava nos seguintes termos: Desde a prpria existncia da sociedade civil, o atributo mais belo do homem vem sendo reconhecido sem oposio, mas nem uma s vez pde ver-se convertido em realidade: a igualdade nunca foi mais do que uma bela e estril dico da lei. E hoje, quando essa igualdade exigida numa voz mais forte do que nunca, a resposta esta: Calai-vos, miserveis! A igualdade no realmente mais do que uma quimera; contentai-vos com a igualdade relativa: todos sois iguais em face da lei. Que quereis mais, miserveis? Que mais queremos? Queremos igualdade efetiva ou a morte. De que mais precisamos alm da igualdade de direitos? Queremos v-la entre ns, sob o teto das nossas casas. (BABEUF, Graco. Manifesto dos Iguais. Disponvel em: . Acesso em: 17 set. 2012. [Adaptado]) Elaborado na fase do Diretrio, esse Manifesto inspirou a Conspirao dos Iguais, que foi sufocada, e seu lder, Graco Babeuf, preso e executado. No contexto da Revoluo Francesa, esses acontecimentos evidenciam que

Questão
2013Filosofia

(UFRN/2013) A imagem e o fragmento textual a seguir fazem parte do material utilizado na Campanha De P no Cho Tambm se Aprende a Ler, promovida pela Prefeitura Municipal da Cidade do Natal, no perodo de 1961 a 1964, sob a administrao de Djalma Maranho. ste Livro de Leitura para Adultos da Campanha De P No Cho Tambm Se Aprende a Ler no um trabalho original; uma adaptao, s condies locais do Rio G. do Norte do Livro de Leitura para Adultos do Movimento de Cultura Popular do Recife. Se a Cartilha do MCP vlida, como acreditamos, ento, o certo que aproveitemos esta experincia vlida e apliquemo-la entre ns. Se o MCP e a Campanha De P No Cho tm o mesmo embasamento, a autenticidade de uma cultura popular e se se propem ao mesmo fim o de liberao popular, atravs da educao [...] O Brasil no pode mais perder tempo. Por isso, com humildade e coragem, a Campanha De P No Cho, oferece ste seu livro ao Povo. Mensagem de Moacyr de Ges, ento Secretrio de Educao da Prefeitura do Natal (1963), no Livro de Leitura para Adultos. Considerando as ideias expressas nos documentos, correto afirmar que essa campanha de alfabetizao foi

Questão
2013Química

(UFRN2013) O etino (C2H2), conhecido como acetileno, bastante usado em solda de metais. Quando obtido na indstria, pode apresentar impurezas como o sulfeto de hidrognio (H2S), molcula de geometria angular. Se o gs acetileno contiver essa impureza, pode ser purificado fazendo-o passar atravs de

Questão
2013Biologia

(UFRN 2013) A prevenção de doenças é um hábito essencial para a saúde humana.Existem alguns comportamentos simples e saudáveis que devemos cultivar sempre. Observeas figuras abaixo, que representam algumas medidas de prevenção contra doenças frequentes As figuras a, b, c e d indicam, respectivamente, medidas preventivas contra:

Questão
2013Biologia

(UFRN 2013) A fibrose cística é uma doença hereditária causada por alelos mutantes, autossômicos, recessivos. Em uma família hipotética, um dos genitores apresentava o fenótipo, enquanto que o outro não. Esses genitores tiveram dois descendentes: um apresentou o fenótipo e o outro não. Com relação ao genótipo dessa família,

Questão
2012Português

(Ufrn/2012) OS ANJOS Renato Russo Hoje não dá Hoje não dá Não sei mais o que dizer E nem o que pensar Hoje não dá Hoje não dá A maldade humana agora não tem nome Hoje não dá Pegue duas medidas de estupidez Junte trinta e quatro partes de mentira Coloque tudo numa forma Untada previamente Com promessas não cumpridas Adicione a seguir o ódio e a inveja Dez colheres cheias de burrice Mexa tudo e misture bem E não se esqueça antes de levar ao forno temperar Com essência de espírito de porco Duas xícaras de indiferença E um tablete e meio de preguiça Hoje não dá Hoje não dá Está um dia tão bonito lá fora E eu quero brincar Mas hoje não dá Hoje não dá Vou consertar a minha asa quebrada E descansar. Gostaria de não saber destes crimes atrozes É todo dia agora e o que vamos fazer? Quero voar pra bem longe mas hoje não dá Não sei o que pensar e nem o que dizer Só nos sobrou do amor A falta que ficou. Disponível em http://letras.terra.com.br/legiao-urbana/46964/ . Acesso em: 7 jul. 2011. Com relação ao texto, é correto afirmar que

Questão
2012História

(UFRN - 2012) Em 1789, no contexto da Revoluo Francesa, na Assembleia Nacional, os representantes do povo elaboraram a Declarao dos Direitos do Homem e do Cidado, que, entre outras proposies, enunciou: Os homens nascem livres e iguais em direitos. As distines sociais s podem ter fundamento na utilidade comum. O fim de toda associao poltica a conservao dos direitos naturais e imprescritveis do homem. Estes direitos so: a liberdade, a propriedade, a segurana e a resistncia opresso. A lei a expresso da vontade geral. Deve ser igual para todos, protegendo ou punindo. Sendo todos os cidados iguais perante a lei, so, igualmente, admitidos a todas as dignidades, cargos e empregos pblicos, segundo a capacidade de cada um e sem outra distino que no seja a das suas virtudes ou talentos. In: PAINE, T. Os direitos do homem. Petrpolis: Vozes, 1989. [Adaptado]. As proposies citadas, de ampla repercusso no Mundo Contemporneo, esto fundamentadas

chevron left center16-30 de 91chevron right center