Chat with us, powered by LiveChat
17 verdades sobre o perfil do aprovado no ITA

7 verdades sobre o perfil do aprovado no ITA

Não existem dúvidas sobre o quanto é concorrido o vestibular do Instituto Tecnológico de Aeronáutica. No último concurso, cerca de 10 mil pessoas concorreram às 110 vagas disponíveis. Portanto, não é tão simples ser um dos candidatos aprovados no ITA.

Pensando nessa realidade de milhares de estudantes, preparamos um conteúdo sobre o perfil de quem passa no vestibular. A pesquisa levou em consideração os iteanos que irão se formar em 2021. Confira!

1 – Mais de 19 anos

Os alunos concluem o ensino médio no Brasil, em sua maioria, com 17 ou 18 anos. Porém, mais da metade dos aprovados no vestibular do ITA possuem mais de 19 anos. Esse número apenas reforça um fato que deve você deve entender o quanto antes: o projeto de ser aprovado nesse vestibular é de médio/longo prazo.

Uma das justificativas para está na qualidade da concorrência. Por já estarem estudando há algum tempo, muitos alunos já começam o ano com um nível muito alto de conhecimento e maturidade. Sem dúvida, a experiência conta muito para a aprovação.

2 – Média de vestibulares

Apesar da variedade de motivos pelos quais os alunos querem passar no ITA, em média, os estudantes seguem uma mesma trajetória (pelo menos a princípio). O aluno vislumbra estudar na instituição, antes de começar a se preparar de maneira eficiente para isso.

O que ocorre, em quase 100% dos casos, é o aluno se assustar com o nível de dificuldade da prova ao ter contato direto pela primeira vez. Mesmo todos sabendo que a prova é difícil, só quem realiza o vestibular entende essa realidade.

Após essa primeira experiência, o candidato normalmente percebe a necessidade de realizar uma preparação mais específica e busca algum tipo de suporte e acompanhamento. Os aprovados fizeram o exame, em média, quatro vezes até conquistar a vaga.

3 – Base fraca

Todos os aprovados que participaram da pesquisa responderam como consideravam a sua base de conhecimento nas matérias exatas e português antes de começarem a se preparar. A maioria das respostas variou entre fraca e média.

Esse resultado é importante porque desconstrói uma impressão que muitos estudantes têm sobre o perfil do iteano. Muitos acreditam que aqueles que passam são gênios que sempre tiveram enorme facilidade de aprendizado e que passaram por poucas dificuldades ao longo da sua preparação.

Entretanto, como podemos ver pelos dados levantados, a genialidade não é uma característica presente no iteano. Na realidade, o perfil de quem passa na prova do ITA é o de pessoas conscientes de que estão defasadas em relação aos demais candidatos, mas que confiam em sua capacidade.

4 – Tempo de preparação

Os estudantes se preparam, em média, por 2,1 anos para alcançarem a tão sonhada vaga. Contamos tanto o tempo que o aluno gasta estudando sozinho quanto o tempo em que ele estuda com algum tipo de acompanhamento de um curso, seja presencial ou on-line.

Além disso, de acordo com a nossa pesquisa, o tempo médio de preparação mensal foi de 30 a 60 horas. Os que responderam com números próximos de 50 horas semanais consideraram o tempo de aula, enquanto os alunos que não consideraram isso, em sua maioria, disseram estudar menos de 30 horas semanais.

Caso o aluno busque um curso preparatório para o ITA online, esse tempo muda, visto que o tempo de estudo fora de aula é bem maior e por consequência mais produtivo – esses alunos estudaram em torno de 42 horas semanais.

5 – Base é importante

Quando você começa a se preparar para o vestibular do ITA, o fator que vai determinar o tempo que será necessário para a sua aprovação é a sua base de conhecimentos. Ou seja, a quantidade de conteúdos que você já aprendeu até o momento.

Assim, o seu ponto de partida depende do quanto você já se sentir preparado. Todos os alunos que consideravam que possuíam uma base muito fraca demoraram pelo menos 3 anos para passar.

Para quem considerava ter base fraca, 72% precisaram de 3 anos ou mais de cursinho e 24% precisaram de 2 anos de preparação. Já os que consideravam a sua base média ou boa, demoraram em média 2 anos para serem aprovados. Até mesmo para aqueles que consideravam que possuíam uma base muito boa, apenas 60% conseguiu a aprovação em 1 ano de estudos.

Como você pode ver, o ponto de partida importa bastante, mas não deve ser um fator de desmotivação. Mas, sim, para você ter uma ideia da dimensão do caminho a ser seguido.

6 – 40% querem ser engenheiros

Você pode estar se perguntando o porquê tão poucos alunos que pleiteiam uma vaga em um curso de engenharia não pretendem seguir na carreira. Há duas razões principais para esse cenário.

A primeira justificativa para essa pergunta é que o profissional que se forma em engenharia desenvolve qualidades que podem ser úteis em outras áreas do mercado de trabalho. Além disso, o mercado atual para os engenheiros está desaquecido.

A terceira e mais relevante justificativa é a de que inúmeras empresas — muitas delas que nem sequer trabalham com engenharia — gostam muito do perfil iteano e desejam contar com essa força de trabalho em seus negócios. Companhias financeiras, estratégicas e de educação estão recrutando esses profissionais.

7- Apoio da família é essencial

A maioria dos novos iteanos apontam o apoio da família como um diferencial para a aprovação. Ao responderem a pergunta sobre qual foi pessoa que mais manifestou apoio durante toda a preparação, 76,6% responderam como sendo pais, irmãos ou outro ente familiar.

É muito importante ter um bom relacionamento familiar. O bem-estar dentro de casa e a sensação de ser apoiado são determinantes para que o estudante consiga se concentrar em um único problema: passar no ITA.

Conte com o Kuadro para ajudá-lo a ter o perfil do aprovado no ITA. Aqui você pode aprender e ir muito mais longe. Inscreva-se já!

Graduando da Turma 20 de Engenharia Civil-Aeronáutica no ITA, orientador pedagógico da Turma ITA e professor de matemática do Kuadro, apaixonado por educação.

Blog Kuadro