5 acontecimentos históricos que devem ser lembrados em 2019

5 acontecimentos históricos que devem ser lembrados em 2019

Todos os anos, alguns acontecimentos históricos fazem aniversário e são bastante lembrados pela mídia. No vestibular, não poderia ser diferente. Como os exames precisam escolher alguns temas de história para cobrar, eles costumam relacionar esses episódios ao presente.

Por isso, é comum encontrar questões que começam assim “determina guerra completa x anos, analise o que mudou de lá para cá”. Nesse sentido, o estudante não pode apenas saber o que foi a data, mas o que, de fato, ela representou para a época.

Pensando nisso, selecionamos alguns episódios que aconteceram há alguns anos e em 2019 podem ser mais lembrados. Fique atento a esses acontecimentos históricos e não esqueça de estudá-los relacionando com os dias atuais!

Queda do muro de Berlim – 30 anos

Antes de entender o porquê o muro de Berlim caiu, é necessário saber o motivo dele ter sido construído e o que isso representou. Essa estrutura começou a ser erguida em 1961, durante a Guerra Fria. A decisão foi tomada pela então Alemanha Ocidental, que não queria que as pessoas refugiassem para o lado Oriental.

Mais do que uma divisão geográfica, o muro de Berlim significou as polaridades ideológicas da época: de um lado socialista, do outro capitalista. Para muitas famílias, essa estrutura significou o afastamento e sofrimento, já que era possível ir de uma área para outra apenas por avião.

Assim que a União Soviética começou a entrar em colapso, o povo começou a pressionar o país para que ele voltasse a se reunificar. Foi então que ocorreu a queda do muro de Berlim, no dia 9 de novembro de 1989.

Na ocasião, a população se muniu de machados e marretas para, literalmente, quebrar a estrutura. Mas o muro não veio inteiramente abaixo. Até hoje, há cerca de 1 km dessa parede em pé, forrada de grafites. Ela é mantida como patrimônio histórico da Alemanha.

Eleições diretas – 30 anos

No mesmo ano da queda do muro de Berlim, o Brasil também viveu um ano histórico. Depois de ter passado quase três décadas sem decidir os próprios representantes de maneira direta, o país podia, enfim, escolher o presidente. A parte de história no vestibular deste ano tem muitas chances de cobrar esse tema.

Nesse cenário, a expectativa era grande para o novo pleito. Tanto os eleitores, quanto os candidatos e a mídia estavam ansiosos pelos resultados. Era como se todos acreditassem que o próximo mandatário fosse resolver todos os problemas.

Para as eleições de 1989, 22 candidatos se apresentaram aos cidadãos. Alguns deles se tornaram ilustres na década de 1990, como Paulo Maluf, Leonel Brizola, Mário Covas e Luiz Inácio Lula da Silva.

Após uma intensa e acalorada campanha, o vencedor do pleito foi Fernando Collor de Mello, o caçador de marajás, como ficou conhecido. Porém, as expectativas da população não foram atendidas. O ex-presidente mandou confiscar as poupanças, não impediu que a inflação subisse e ainda foi afastado por conta de um processo de impeachment.

Posse de Margaret Thatcher – 40 anos

Este ano também faz 40 anos que Margaret Thatcher assumiu o cargo de primeira-dama do Reino Unido. Ela governou entre 1979 e 1990, com mão de ferro e muitas medidas impopulistas.

Thatcher, como muitas personalidades de todo o mundo, nunca causou unanimidade. Apesar de ter ajudado a melhorar a economia e controlar a inflação, ela não conseguiu diminuir o desemprego.

Como ela liderou o Reino Unido durante a queda do muro de Berlim, ela é bastante associada a esse período. Desde sempre, Thatcher foi uma grande crítica do socialismo, uma das ideologias dominantes daquela época. Essa personalidade pode ser cobrada tanto em história, por conta da posse, quanto em atualidades, já que seus posicionamentos se refletem até hoje.

Tratado de Versalhes – 100 anos

O tratado de Versalhes foi acordo de paz assinado pelos países europeus assim que a 1º Guerra Mundial terminou. Nesse tratado, ficou decidido que a Alemanha teria que se responsabilizar por ter começado o conflito. Por causa disso, o país perdeu parte do território fronteiriço e teve que indenizar as potências vencedoras.

Entre as disposições do acordo estavam ainda que a Alemanha deveria devolver a região da Alsácia e da Lorena para a França, passar as colônias alemãs para as mãos dos aliados e ter uma quantidade máxima de tropas.

Para quem está estudando para o vestibular, é importante, além das disposições do tratado, saber como a 1º Guerra Mundial começou, por que a Alemanha foi responsabilizada e quais foram as consequências do conflito.

Revolução Francesa – 230 anos

Lembrada por muitos como um dos maiores eventos do Ocidente, a Revolução Francesa tem reflexos até nos dias atuais e comemora 230 anos. Para quem está acompanhando os assuntos da atualidade, esse episódio pode ser associado às manifestações dos coletes amarelos.

Para entender o que foi a Revolução Francesa, o estudante precisa estudar desde o que foi o feudalismo até o Absolutismo francês. Além de saber as causas que levaram a esse episódio. Como já dissemos, vale a pena trazer esse fato para a atualidade.

Quer estudar os principais acontecimentos históricos de onde estiver e com total suporte pedagógico? Conte com o Kuadro para te ajudar nessa caminhada, rumo à aprovação!

Blog Kuadro