Como aprendi a estudar para o vestibular de Medicina

“O Kuadro mudou a chave do meu aprendizado”, diz João Sendrete, 20 anos, de Lavrinhas, aprovado em Medicina pela UFJF

São José dos Campos (SP) – Qual é a sua história de estudos? Você ainda não acredita que seja possível passar no vestibular para Medicina? O estudante João Sendrete, de 20 anos, de Lavrinhas (interior de São Paulo), tem uma trajetória muito curiosa e vai te mostrar que isso é absolutamente possível.

João percorreu um longo caminho – literalmente. Foram muitos quilômetros viajados e um mergulho no mundo digital, até finalmente entrar para a Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, uma das mais bem-conceituadas do Brasil.

“Por morar em região rural, sempre tive que percorrer grandes distâncias para ir à escola. Minha vida sempre foi me locomover para estudar. Eu saía 5h30 de casa para chegar às 7h na escola. Eu sempre tive que pegar ônibus e demorava uma hora para ter aulas. Só voltava às oito da noite”, conta João.

Incentivado pelos professores a estudar matemática e engenharia, ele decidiu se preparar para o vestibular do IME (Instituto Militar de Engenharia). A primeira experiência, no entanto, não foi das melhores.

“Quando saí da prova do IME, pensei ‘estou perdido e vou ter que estudar muito”, conta o aluno do Kuadro, que já pensava nas inúmeras viagens que ainda teria de fazer de ônibus.

A possibilidade que ele tinha era de fazer um cursinho na cidade vizinha de Cruzeiro, porém não era um preparatório específico para vestibulares concorridos.

“Eu teria que ir e voltar todo dia, pegar ônibus, sair cedo de casa e voltar muito tarde. Eu ia perder muito tempo me locomovendo, sendo que o cursinho não tinha foco em engenharia ou medicina”, conta. Mas naquele mesmo dia da prova do IME, João havia recebido um panfleto na portaria da escola. Como estava desanimado na hora, nem deu atenção. Dobrou o papel e foi embora para casa.

 

“Em casa, li o panfleto e vi que era um cursinho online. Entrei no site do Kuadro e comecei a assistir alguns vídeos de alunos que tinham passado em vestibulares concorridos”, lembra.

João encontrou aulas abertas de química e biologia do Kuadro no Youtube e começou a perceber que tinha matéria que ele nem tinha visto no ensino médio. Quando se deparou com as aulas de biologia do Kuadro, começou a se interessar por medicina.

“No começo do Kuadro, eu tive realmente que aprender a estudar. Eu me cansava muito, mas quando consegui pegar o ritmo comecei a acreditar. Eu nunca tinha tido experiência igual. Os professores corrigem os exercícios junto com os alunos. Isso mudou a chave do aprendizado na minha cabeça”, afirma o estudante determinado. Com o apoio dos professores e pedagogos do Kuadro, ele decidiu mudar para o vestibular de Medicina.

“Quando comecei a assistir às aulas inteiras do Kuadro pela plataforma, foi paixão à primeira vista. Comecei a estudar sério para Medicina e vi uma melhora absurda [no desempenho]”, revela o estudante. Até antes de conhecer o Kuadro, o IME era uma decepção na vida do estudante. “Eu sabia que se eu seguisse as listas que estavam lá, se eu seguisse o caminho que o Kuadro falava para eu seguir, eu chegaria lá”, admite João, que fez dois anos de cursinho on-line para passar em Medicina.

Segundo ele, o cursinho on-line Kuadro é um cursinho que tem muita responsabilidade e faz as coisas com muita seriedade. “O que mais me encanta é a qualidade do pessoal, desde o time interno até os professores. Você não vai encontrar professores melhores em outros cursinhos. Eu poderia ficar aqui citando o nome de cada um deles, matéria por matéria. Eles são muito bons. Eles realmente se importam com os alunos”, emociona-se o futuro médico.

Jornalista responsável Leticia Maciel

O que você achou?