Como eu fui no ENEM 2017?

Olá pessoal do Kuadro, tudo bem? 

Esse domingo chegou com o famoso e temido ENEM e deu, assim, início a maratona de vestibular certo? E já que vocês provavelmente estão tensos (pelo menos eu sempre fiquei. Meu ombro, aliás, parecia uma rocha de tão tensa), eu queria fazer uma análise sobre como eu fui no ENEM. 

Fiz o ENEM? Fiz. Porque? Primeiramente porque eu já tinha pago (não ia perder quase cem reais de graça assim né?) e, em segundo lugar eu tinha uma hipótese na minha cabeça: será que o fato de não ter a pressão de passar no vestibular alteraria minha performance na prova e meus resultados mesmo tendo ficado mais de um semestre sem estudar absolutamente nada de matéria do ensino médio?  

Eu já tinha em mente que sem o fator “vaga” minha hipótese poderia estar certa, mas eu não vazia ideia da diferença alarmante que existiu apenas fazendo o primeiro dia da prova. Então, deixarei uns tópicos aqui embaixo sobre as impressões pessoas de cada tema, espero que gostem. 

A REDAÇÃO 

Eu sempre tive bom desempenho nas redações que fazia no cursinho, entretanto, esse era meu monstro pessoal nas provas. Isso porque a minha ansiedade adorava atacar justamente quando estava elaborando a redação, eu simplesmente não conseguia terminá-las, era uma briga constante da minha vontade de fazer a redação contra os meus nervos praticamente explodindo. 

Resultado: minha nota nunca refletia o meu real potencial e a tudo o que eu estudava durante o ano inteiro. E pior, essa ansiedade fazia com que me atrasasse na prova toda, tendo que no final chutar várias por falta de tempo. 

Essa com toda a certeza, foi a área que eu mais senti diferença, pois parecia que existia um Buda dentro de mim e conseguir raciocinar, elaborar, ler, reler e passar a limpo toda a redação em uma hora de prova.  

A minha reação foi engraçada quando dei por conta que foi a primeira vez que eu consegui fazer isso, eu ri de dar gargalhadas (desculpa quem estava ao meu redor). 

QUESTÕES 

Como a redação eu tinha eliminado, eu conseguia ler todas as questões, respondendo as mais fáceis e as médias. Depois, revisei toda a prova, passando para o gabarito na mesma hora. 

No final, eu concluo a prova faltando 5 minutos para o fim (sendo que, quando faltava 15 minutos, eu ainda tinha 5 questões para revisar, mas preferi ir ao banheiro e tomar uma água, já que na saída seria um transtorno total). 

COMIDAS 

Sempre fui a louca das comidas, levava, praticamente, o armário inteiro para a prova porque eu não conseguia me concentrar sem ter algo para mastigar. 

Dessa vez eu levei uma bagagem linda de guloseimas e se eu comi metade de um chocolate e um salgado foi muito, apenas tomei bastante água e já era. 

Enfim, não ficarei tagarelando muito aqui. 

Eu só queria mostrar a enorme diferença que o nosso psicológico faz na nossa prova, se você estudou o ano todo e não passou, tenho total certeza que você é capaz. Quem faz isso contigo é o monstrinho do nervosismo.  

Então, se acalmem, respire fundo que vocês conseguem, porque inteligência não falta e o método de entrada nas faculdades não é justo. 

Blog Kuadro