sombra

Crise no Antigo Regime: As Revoluções Inglesas

Como vimos anteriormente, o Antigo Regime era alicerçado em dois pilares principais: o absolutismo e o mercantilismo. A partir do século XVII, no entanto, ele começou a sofrer contestações. Neste post falaremos sobre algumas delas, as Revoluções Inglesas.

Revoluções Inglesas: contestações ao modelo

As chamadas Revoluções Inglesas representaram as primeiras manifestações políticas contrárias ao Antigo Regime, pois colocaram fim ao absolutismo na Inglaterra.

No século XVIII, mudanças econômicas e culturais também colaboraram para o fim das práticas do período moderno. Novas formas de produção econômica deram origem à Revolução Industrial.

No campo intelectual, o conjunto de ideias ficou conhecido como Iluminismo.

O poder concentrado nas mãos do monarca passou a ser fortemente criticado por outros setores da sociedade que buscavam uma nova forma de legitimar as organizações políticas, sociais e econômicas. Aos burgueses não interessava mais apoiar a monarquia, já que eles não queriam mais o papel de coadjuvantes no cenário nacional e os operários também reivindicavam maior participação política.

Dentro desse cenário político, social, econômico e cultural é possível entender as Revoluções Inglesas que representaram o começo do fim do Antigo Regime.

>> Prepare-se para o ENEM com qualidade! Conheça nosso Curso Intensivo ENEM. <<

Revolução Puritana (1640- 1649)

Com a morte de Elizabeth I (que não havia deixado herdeiros), em 1603, a dinastia Tudor chegou ao fim, assumindo o trono Jaime I. Esse monarca defendia que todo o poder deveria ser concentrado em suas mãos, o que desagradou tanto a burguesia quanto os setores populares.

Devido a sua impopularidade, Jaime I abdicou em favor de seu filho: Carlos I. O filho deu continuidade à política do pai, causando uma disputa acirrada entre ele e o Parlamento.

Carlos I entrou em conflito com a Escócia, ao tentar impor aos presbiterianos escoceses um livro de preces baseado na liturgia anglicana. Ao convocar o Parlamento para ajudá-lo nessa guerra, o rei obteve uma resposta negativa, o que colaborou para o enfraquecimento do poder real.

Os calvinistas ingleses (puritanos) passaram a reivindicar limitações para a ação da Igreja Anglicana e a divisão se agravou resultando em uma guerra civil.

Nesse conflito lutavam os cavaleiros (em nome do rei) e os cabeças-redondas (defensores do parlamento). O líder desses últimos era Oliver Cromwell que criou o Novo Exército Modelo, que reunia membros ricos do parlamento, senhores rurais e religiosos exaltados.

Fotografia de uma estátua de Oliver Cromwell
Estátua de Oliver Cromwell no Palácio de Westminster, em Londres.

O rei Carlos I foi derrotado e decapitado em 1649 e proclamou-se a República, dominada pelo líder puritano Cromwell. O período ficou conhecido como Commonwealth.

Baixe o E-book Como Aprender Mais Rápido!

Commonwealth (1649-1658)

O período da República Puritana foi marcado pela divisão do poder entre o Parlamento e o exército. Cromwell era a figura central de República.

Várias classes haviam se unido para derrubar a monarquia. Mas, com o fim da guerra civil às diferenças, especialmente as sociais, passaram a aparecer e gerar conflitos.

O fôlego revolucionário que executou o rei não alterou a ordem social. Os líderes populares, chamados niveladores foram executados por ordem de Cromwell.

Os conflitos com a Irlanda se acirraram por conta da desconfiança que os irlandeses católicos tinham dos puritanos.

Com a morte de Cromwell, assumiu o poder seu filho Ricardo, que não tinha a habilidade política de seu pai e foi deposto em 1660. Com isso se restaurou a monarquia.

Restauração (1660- 1688)

Em 1660, Carlos II foi convidado a assumir a coroa, com a condição de que manteria o Parlamento livre. O monarca, refugiado na França aceitou e passou a governar com o apoio da nobreza e da burguesia.

Com sua morte assumiu o trono seu irmão, Jaime II, que sem a mesma sensibilidade política de seu antecessor e convertido ao catolicismo, levantou suspeitas. A Igreja Anglicana deixou de apoiá-lo e o clima político se acirrou.

Revolução Gloriosa (1688)

Precavidos com o risco de uma nova Guerra Civil e temendo uma revolta popular, os aristocratas ingleses obrigaram Jaime I a abdicar do trono em favor de seu genro, Guilherme de Orange.

Os reis Maria e Guilherme, protestantes, assumiram o poder com o compromisso de respeitar o parlamento.

Essa transição, ocorrida em 1688, ficou conhecida como Revolução Gloriosa. Ela institui o modelo que perdura na Inglaterra até os dias de hoje.

Nele, o rei é obrigado a respeitar os direitos essenciais expressos pela Carta de Direitos, a Bill of Rights (1689), que institui a Monarquia Parlamentarista e Constitucional.

Prepare-se para o vestibular com as revisões do Kuadro!

Conheça os Cursos de Revisão do Kuadro e garanta sua vaga na universidade que deseja ainda este ano!

Curso Intensivo ENEM

Curso Intensivo Medicina

Curso de Revisão ITA-IME

O que você achou?