Dicas de bem-estar e saúde mental durante a quarentena: breve conscientização sobre como a quarentena atua em nossa saúde física e mental.

Estamos vivendo uma realidade inédita! Isso tem nos afetado como coletividade, mas também como pessoas que buscam manter a não só a saúde física, mas especialmente a saúde mental!

É importante reconhecermos que estamos vivendo uma situação única, cada pessoa com uma intensidade e uma maneira, e que esse momento hostil pode ser amenizado.

São vários os nossos medos: de pegar o vírus e ter de ir para o hospital; de algum familiar ou amigo ser infectado e não resistir; de estar sozinho em isolamento e não ter com quem contar em uma situação de emergência; de estar em isolamento com várias pessoas e ter de gerenciar conflitos frequentes; de faltar dinheiro para pagar os boletos que continuam chegando.

Conviver diariamente com esses sentimentos pode aumentar sentimentos como ansiedade e tristeza. Para lidar com a avalanche emocional e manter a saúde mental, é importante criar estratégias.

Separei algumas dicas para passar por esse período de forma mais tranquila:

1. INFORME-SE, MAS COM TODO O CUIDADO

É importante equilibrar a quantidade e a qualidade de informações para não cair em um dos dois extremos: negligência (“não quero saber de nada”) ou desespero (“quero saber de tudo).

Perceba qual horário do dia é melhor para você se informar – como no horário do almoço ou fim de tarde – e, depois, realize outras atividades sem que a ansiedade ou a tristeza tomem conta de você.

Evite buscar informações principalmente, em dois momentos:

  1. Antes de dormir, pois as notícias podem influenciar seu sono
  2. Logo que acordar, pois notícias ruins podem dar o tom para o seu dia

Restringir seu tempo de contato com notícias (de fontes confiáveis) a uma ou duas horas diárias, no máximo, é o mais aconselhável.

2. RESPEITE O SEU TEMPO

Estar em isolamento pode gerar uma montanha-russa emocional. Em uma hora você sente esperança, alegrai, gratidão pelo que tem, na outra hora, sente ansiedade, tristeza ou raiva.

Quando você se sente bem, percebe-se com energia e disposição para cuidar de si, da casa, do trabalho e de quem você ama.

Mas quando se sente mal, a energia vai embora e pode sentir vontade de dormir, chorar ou conversar com alguém.

Reconheça e, se for possível, respeite suas necessidades. Peça ajuda quando sentir que não está dando conta de lidar sozinho. 

3. FAÇA EXERCÍCIOS

Sabe a frase: “Corpo são, mente sã”? Ela faz ainda mais sentido no isolamento.

Atividades físicas liberam endorfinas, hormônio responsável pelo bem estar, humor, concentração e autoconfiança, ajudando na nossa saúde mental.

Pular corda, dançar… tudo é atividade física! Vai lá… movimenta essa corpo!!!

4. BUSQUE AJUDA

Contato com outras pessoas é fundamental para humanos em momentos de comemorações e de tristezas. A presença de outra pessoa fez a alegria ser mais intensa e a dor ser mais amena.

O distanciamento social presencial pode ser amenizado por encontros online com amigos e familiares. 

Precisamos nos adaptar a essa realidade nesse momento e isso fica mais fácil com a ajuda de outras pessoas, então, busque apoio. Não fica muito tempo sozinho, promete?

—–
Escrito por Renata Lott


Renata Lott (@renatalott.psi)  Psicóloga, psicopedagoga e empreendedora com mais de 20 anos de experiência em ajudar adolescentes e jovens a vivenciarem suas novas descobertas através do processo de autoconhecimento e desenvolvimento emocional. Ajudando-os a desenvolver novas habilidades de lidar com o ambiente ao seu redor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *