Chat with us, powered by LiveChat
aprovação na AFA

Orientação Pedagógica foi chave na aprovação de Artur na AFA

Já pararam para pensar quantas pessoas estão envolvidas no processo de aprovação de alguém em um vestibular? É a família sendo o porto seguro e o alicerce, é o professor passando o conteúdo de qualidade, tem o aluno, que é a figura central desse teatro. Mas nada disso vai funcionar se ele desengajar e perder a confiança. Aí que entra a importância da orientação pedagógica.

“É muito comum um aluno que estuda sozinho oscilar de picos de extrema motivação para quedas bruscas de energia”, explicou Érica Herédia, professora e orientadora pedagógica do Kuadro. “O maior desafio do orientador é manter o aluno confiante e mostrar que ele não está sozinho. A gente sempre vai estar acompanhando a trajetória”.

Érica foi orientadora de Artur Araújo, ex-aluno do Kuadro e atualmente aluno da AFA.

Insistência e perseverança pelos orientadores contam muito

A orientação tem como papel de manter o aluno engajado com os estudos para ele conseguir alcançar o tão sonhado objetivo, que é o de passar no vestibular. Para isso, Érica ligava toda a semana para cobrar a motivação do Artur.

“Quando eu recebia a ligação, no início eu ficava meio desconfortável por que eu sabia que tinha que estudar”, lembrou Artur. “Mas depois eu sabia que era pro meu bem. Eles queriam sempre o melhor dos alunos”.

“Eu sabia que ele ficava meio aborrecido”, lembrou Érica rindo. “Mas a gente quer que ele continue estudando. Que ele olhe para o computador e veja o Kuadro e pense: ‘hmmm, se eu não estudar a Érica vai me ligar’. Se ele não desiste eu não desisto”.

Deu certo, Artur conseguiu a aprovação na AFA (mas se afastou um pouco da plataforma)

Depois que Artur foi aprovado na AFA, ele acabou se afastando da plataforma. E a Érica continuava a ligar para ele se engajar com o Kuadro. “Ele queria o ITA, por isso a gente queria que ele continuasse estudando”.

“Depois que eu passei, eu meio que relaxei”, lembrou Artur. “A AFA pedia uma série de exames e por isso o meu foco era eles e não simplesmente continuar estudando”. Bom, deu certo de toda forma, já que ele entrou para a Academia da Força Aérea.

Só a orientação pedagógica não adianta, tem de partir do aluno

“A gente sabe que quem quer passar em uma AFA, um IME, um ITA tem conhecimento”, explicou Érica. “A nossa função é sedimentar esse conhecimento e mantê-lo motivado e confiante. É uma plataforma bacana, com um time de professores legais, mas de qualquer forma o esforço do aluno. É importante ele juntar isso com o sonho, ninguém vai conseguir pará-lo”.

Artur reconhece a importância disso tudo. “O apoio pedagógico foi essencial para mim. Eles eram quase como pais e mães insistindo para eu estudar”, explicou. “Isso me estimula a continuar estudando depois que terminar a AFA”.

O Heitor é Jornalista e redator especialista em web. Escreve sobre curiosidades e assuntos gerais para tirar dúvidas dos nossos alunos e leitores. Se tiver aluma sugestão de tema, ou dúvida, é só deixar nos comentários!

Blog Kuadro