Chat with us, powered by LiveChat
Quando devemos ou não usar a vírgula

Quando devemos ou não usar a vírgula?

O uso correto da vírgula é essencial para realizar uma boa redação no seu vestibular. A vírgula é um sinal gráfico de pontuação que define uma pausa de curta duração e é usado para separar frases entre si ou elementos dentro de uma frase. Saber usar a vírgula é essencial para conduzir o texto e dar ritmo à leitura.

Se a frase estiver em ordem direta, ou seja, com seus termos sucedidos em sujeito- verbo – complemento verbal (objetos) – adjunto adverbial, não se faz necessário o uso da vírgula.

Exemplo:

“Eu vou viajar amanhã”
(Sujeito- VTD- Objeto direto – Adjunto adverbial)

Contrário a essa ordem, nos seguintes casos deve-se usar a vírgula:

  • Para marcar alteração na sequência lógica de frases que não estão em ordem direta:
    “Com toda beleza e desenvoltura, a modelo iniciou o desfile.”

 

  • Para separar termos coordenados (enumerados):
    “Eu comprei frutas, verduras e legumes.”

 

  • Para marcar inversão do adjunto adverbial:
    Depois das cinco horas, todos já devem estar em casa.”

 

  • Para marcar intercalação do adjunto adverbial:
    “O filme, em razão do seu tempo de duração, quase não foi assistido”

 

  • Para marcar intercalação da conjunção:
    “Maria estava preparada para a prova, portanto conseguiu uma boa nota.”

 

  • Para separar expressões explicativas e corretivas:
    “Aquele homem amava correr, ou seja, amava o atletismo.”A inflação, isto é, a alta dos preços, destrói a economia do país.

 

  • Para isolar topônimos e datas:
    “Rio de Janeiro, 22 de julho de 1989”

 

  • Para marcar a intercalação dos objetos pleonásticos anteriores ao verbo:
    “As margaridas, no vaso azul, não lhes poupei água”“Aos alunos, não lhes disseram nada”

 

  • Para marcar elipse (a omissão de um verbo):
    “Eu prefiro filme; meu marido, apenas novela”

 

  • Para isolar o aposto:
    “Mariana, situada no estado de Minas Gerais, sofreu um grande desastre”.“Gregório de Matos, o autor do movimento barroco, é considerado o primeiro poeta brasileiro”.

 

  • Para isolar o vocativo:
    “Ora João, não faça mais isso!”.“Queridos, nada de bagunça enquanto eu estiver fora”

 

  • Para separar orações adverbiais:
    “Ao chegar em casa, percebi sua apreensão”

Casos que não necessitam do uso da vírgula:

  • Entre sujeito e predicado:
    Maria está se preparando para a prova
      Sujeito                      Predicado

 

  • Entre o verbo e seus objetos:
    “O trabalho custou caro aos trabalhadores
                           V.T.D.I  O.D             O.I

 

  • Entre o nome e o adjunto adnominal ou complemento nominal:
    Vera é um amor de mãe”.
    Adjunto adnominalCamila tem muito amor à mãe”.
    Complemento nominal

 

  • Em orações subordinadas adverbiais consecutivas e substantivas:“A tempestade estava tão forte que derrubou a casa”.
    Oração subordinada adverbial consecutiva“É essencial que você compareça no escritório amanhã”
    Oração subordinada substantiva

 

Tem alguma dúvida? Comente aqui embaixo que a gente te ajuda! 😉

 

A Marina é graduanda em Letras pela UNIFESP. É orientadora pedagógica e monitora do Kuadro. Sabe tudo sobre língua portuguesa e redação. Tire suas dúvidas aqui nos comentários!

Blog Kuadro