Chat with us, powered by LiveChat
Soluções Químicas

Soluções Químicas

Soluções são misturas homogêneas, ou seja, que possuem apenas uma fase mesmo observada através de um ultramicroscópio. Em uma solução as partículas apresentam tamanhos menores que 1 nm. Exemplo: cloreto de sódio dissolvido em água, ar atmosférico, ligas metálicas etc.

Uma mistura também pode ser heterogênea. Estas podem ser classificadas em dois tipos de acordo com o tamanho das partículas presentes. Se as partículas tiverem tamanhos entre 1 e 100 nm são chamados de coloides ou dispersões coloidais. Exemplos: leite, gelatina, neblina etc. Também temos as suspensões onde as partículas são maiores que 100 nm e duas ou mais fases podem ser facilmente visualizadas. Exemplos: água e areia, cloreto de sódio e areia etc.

Leite: suspensão coloidal

O leite é um exemplo de dispersão coloidal.

As soluções podem ser sólidas como uma amostra de latão (composta de zinco e cobre), líquidas como uma mistura de açúcar e água ou ainda gasosas como o ar atmosférico.

Aspectos quantitativos das soluções químicas

Para descrever uma solução precisamos conhecer o que é soluto e solvente. Soluto é o componente que será dissolvido e solvente é o componente que realiza a dissolução.

Concentração comum (g/L)

Indica a massa de soluto por volume de solvente. Geralmente expresso em gramas por litro.

C = m/V

Densidade

É a relação entre a massa da solução e seu volume. Pode ser expresso em g/mL, g/L, g/cm3, etc.

d= m/V

Concentração em ppm

Partes por milhão (ppm) indica quantas partes (pode ser grama, mililitro etc.) do soluto estão presentes em um milhão de partes de solução (1000000).

1 ppm = 1 parte soluto/1000000 partes de solução.

Concentração em quantidade de matéria (mol/L)

Quantidade de mols de soluto (n) presente em um determinado volume da solução.

M = n/V

Título em massa ou em volume

É a relação entre massa do soluto e a massa total da solução ou entre o volume do soluto e volume total da solução.

tm= msoluto/msoluto + msolvente

tv= vsoluto/vsoluto + vsolvente

Diluição

Quando fazemos uma diluição quer dizer que adicionamos solvente a uma solução sem que a quantidade de soluto seja alterada. Matematicamente podemos escrever:

Ci.Vi = Cf.Vf

M i.Vi = Mf.Vf

Exemplos:

1) Em 1 litro solução 20 g/L de NaCl adicionou-se 3 litros. Qual será a concentração final?

Ci.Vi = Cf.Vf

20 . 1 = Cf.(1+4)

Cf = 4 g/L

2) Tem-se 3 litros de uma solução de HCl 2 M e deseja-se obter 1 L de uma solução 0,01 M. Qual o volume da solução inicial que deve-se retirar?

M i.Vi = Mf.Vf

2.Vi = 0,01.1

Vi = 0,005L ou 5 mL.

Mistura de soluções de mesmo soluto

Quando misturamos soluções com o mesmo soluto não há reação química. A quantidade de soluto na solução final será igual a soma das quantidades de solutos nas solução iniciais. Então podemos escrever:

Cf.Vf = CA.VA + CB.CB

M f.Vf = MA.VA + MB.VB

Exemplo:

(Mackenzie) 200 mL de solução 24,0 g/L de hidróxido de sódio são misturados a 1,3 L de solução 2,08 g/L de mesmo soluto. A solução obtida é então diluída até um volume final de 2,5 L. A concentração em g/L da solução, após a diluição, é aproximadamente igual a: a) 26,0 b) 13,0 c) 3,0 d)5,0 e) 4,0

Primeiramente determinar a concentração após a mistura das duas soluções:

Solução 1: C1 = 24 g/L e V1 = 200 mL ou 0,2 L

Solução 2: C2 = 2,08 g/L e V2 = 1,3 L

Solução final: Cf = ? e Vf = 1,3 + 0,2 = 1,5 L

Cf.Vf = C1.V1 + C2.V2

Cf = (0,2 x 2,4 + 1,3 x 2,08) / 1,5 = 5,0 g/L

Agora considerar a diluição realizada após a mistura das soluções:

Solução inicial: Ci = 5,0 g/L e Vi = 1,5 L

Solução final (após diluição): Cf = ? e Vf = 2,5 L

Ci.Vi = Cf.Vf

5 x 1,5 = Cf x 2,5

Cf = 3,0 g/L → letra c.

Gostou deste resumo? Deixe seu comentário!

Leia outros resumos aqui: Resumos Teóricos do Kuadro

Assista às Aulas Ao Vivo Gratuitas do Kuadro!

Blog Kuadro