Como passar no ENEM? Descubra agora!

Todo ano, milhões de estudantes se preparam para passar no ENEM em alguma Univ. Pública.

Por isso mesmo, você precisa se destacar dos seus concorrentes. Assim você consegue sua aprovação sem depender de ninguém, só de você.

E no blog post abaixo, vamos contar a história da Sophia Hachmann, que era uma aluna normal mas batalhou e se esforçou para alcançar o 3º lugar em medicina na UFGD! Só continuar a leitura.

História de aprovação Sophia Hachmann

Sophia era uma aluna normal na escola, estudava apenas para as provas e ia bem, mas nada a mais que isso.

Até o 9º ano, ela queria fazer arquitetura. E foi por volta dessa época que ela começou a se questionar e surgiu o interesse em fazer medicina para ajudar pessoas.

Já no Ensino Médio, Sophia continuou estudando no ritmo da sua escola, mas quando chegou no 3º ano viu que precisava se dedicar mais para passar em medicina.

Isso porque na escola, ela estudava apenas para provas. Isso é comum com a grande maioria dos estudantes. E por isso é importante você perceber que precisa de ajuda, que passar estudando da maneira que você estuda na escola é muito difícil.

O início da preparação para o ENEM

Sophia, depois de se formar na escola, contratou um cursinho presencial preparatório para medicina.

Ela até tinha ido bem na prova, mas nada perto de passar em medicina, um curso tão concorrido.

No primeiro ano de cursinho, logo após essa primeira reprovação, Sophia chegou muito triste para estudar. Ela estava bem desanimada depois de não ter conseguido passar.

Ela começou a estudar nesse cursinho e, apesar de ver melhoras no seu aprendizado, ela sentia que ainda estava longe de aprender a estudar de verdade.

O acompanhamento para passar no ENEM

Em 2020, após mais uma reprovação, veio a pandemia. Sophia estava na lista de espera mas acabou não sendo chamada.

Foi aí que ela viu que teria que estudar mais uma vez. Mas diferente do ano anterior, ela decidiu estudar em uma plataforma online. Ela viu que daria mais certo para ela.

“A plataforma do Kuadro era 10 vezes mais barata que o cursinho presencial e oferecia mais recursos que eu tinha no cursinho presencial.”

E foi aí que ela decidiu pelo Kuadro. Os recursos da plataforma chamaram muito sua atenção, e ela não pensou duas vezes na hora de assinar.

“Com o Kuadro eu aprendi a ter uma rotina de estudos com mais autonomia. […] No Kuadro, eu tinha acesso a tudo no mesmo lugar.”

Adaptação para estudar online

Sophia tinha começado a fazer sua preparação para passar no ENEM de forma online, e teve algumas dificuldades para se adaptar.

Porém, depois que ela pegou o jeito, as funcionalidades da plataforma a ajudaram a elevar seus estudos a outro patamar.

As resoluções de questões, a monitoria de dúvidas, as correções de redações e a tutoria foram recursos da plataforma que a ajudaram a estudar com mais eficiência.

E ela tinha aprendido a estudar de verdade. Algo que não aconteceu na escola nem no cursinho presencial.

Depois de um ano de preparação estudando online e da forma mais eficiente possível, o resultado não tinha como ser diferente.

Sophia Hachmann passou em medicina na UFGD em 3º lugar! Se quiser assistir sua história, só dar play no vídeo abaixo:

 

 

HISTÓRIA DE APROVAÇÃO – MATHEUS THOMAZ

Hoje separamos para você um pouco da história do Matheus Thomaz, aprovado em Medicina na UFMG. Se quiser saber tudo sobre sua trajetória, só assistir a entrevista abaixo:

 

https://youtu.be/j6Iat62eNyE
Matheus Thomaz, aprovado em 12º lugar em medicina na UFMG

Como tudo começou?

Desde pequeno, Matheus tinha interesse em medicina. Mas ele nunca tinha estudado com esse foco até 2019, que foi quando sua preparação de fato começou.

Ele conta que sempre competiu ciclismo, então esse era o seu foco. Mas em 2019 ele decidiu parar de competir, apesar de continuar treinando sempre, e começar a estudar de fato para medicina.

Esse foi o primeiro passo para o Matheus. Mas como ele chegou na aprovação em medicina na UFMG?

Como foi a preparação para passar em medicina?

Assim que o Matheus decidiu que iria começar a estudar, ele não olhou para trás. Em 2019, ele estudou em um cursinho presencial, mas isso acabou se tornando um problema.

Ele sentia que a burocracia do cursinho presencial não estava funcionando. Por isso ele resolveu estudar em um preparatório online, onde ele mesmo poderia fazer seus horários. E ele conta que fez uma diferença enorme, que o ajudou muito.

“A praticidade foi algo chave para a escolha de estudar no Kuadro em 2020”

E como foi essa escolha? O Matheus contou para a gente que durante o ano de cursinho presencial, ele fez um teste de 1 semana e já havia gostado da plataforma.

Por isso, quando ele decidiu que o presencial não estava funcionando, ele não teve dificuldades em recorrer àquele curso online que já havia gostado.

“Eu não senti muita dificuldade nessa transição da aula presencial para a aula online. Pelo contrário, eu preferi a aula online”

Chegou o dia da prova. E agora?

O Matheus contou que fez ENEM e outros vestibulares lá em São Paulo. Então, quando ele chegou no vestibular, ele já estava mais tranquilo, pois estava mais treinado. Esse processo de fazer vários vestibulares o ajudou muito.

Ele não ficou completamente tranquilo. No 2º dia ele disse que ficou bem nervoso, passou na cabeça dele que ele não ia passar. Mas de qualquer forma, ele não desistiu e continuou fazendo o vestibular. E deu no que deu, né? O Matheus conseguiu passar em 12º lugar em ampla concorrência em medicina na UFMG!

“Fazer uma boa prova varia do dia, de como você está se sentindo, mas também de você querer enfrentar o desafio”

E você pode ter essa preparação especializada como o Matheus teve. Se você se dedicar, temos certeza que consegue passar em medicina nas universidades mais concorridas. Ou em qualquer outro curso que você tenha interesse!

Dê uma olhada nos nosso cursos! Só clicar aqui.

Como utilizar o método Pomodoro nos estudos?

Se preferir assistir o vídeo:

https://youtu.be/Dm5hOJ2quRw

Você já ouviu falar no método Pomodoro? Muitas pessoas ao redor do mundo estão utilizando esse método para tarefas simples do dia a dia, ou tarefas no trabalho e estão vendo os benefícios dessa ferramenta tão útil.

Se você não tem ideia do que estamos falando, calma, vamos te explicar como utilizar o método Pomodoro nos estudos e porque ele é tão eficaz para a concentração.

Continue lendo a seguir.

Qual a diferença entre procrastinação e distração?

Antes de mostrar como você pode utilizar o método Pomodoro nos estudos, vamos entender qual é a diferença de procrastinação e distração, já que ambos derrubam a produtividade nos estudos.

A distração é necessária para que o estudante consiga relaxar e se concentrar melhor. Por quê? Porque o cérebro cansado satura e deixa de absorver informações uteis. Mesmo que você acredite que isso não é necessário, principalmente em período de provas, você deve ter momentos de distração ao longo do dia.

Você vai conseguir tirar a atenção de algo que precisa de concentração e vai até um momento lúdico, de distração. Ela é extremamente saudável para o cérebro.

Por isso, recomendamos que nossos alunos tire o domingo de folga. Recomendamos que eles parem os estudos e façam atividades prazerosas.

Já a procrastinação é o ato de deixar para depois tarefas importantes, que precisam ser feitas. É quando você vai “empurrando com a barriga” e acaba não fazendo nada. Fique atento, pois, preparamos uma matéria exclusiva que explica melhor o que é procrastinação e como evitá-la.

Notou a diferença? Distração é necessário e procrastinação é um vilão da produtividade.

Precisamos tomar cuidado com a distração em excesso, ou distração na hora errada. Como por exemplo, mensagens de textos, redes sociais, tarefas desnecessárias, entre outras distrações.

Para evitar esses tipos de distrações, veja como utilizar o método Pomodoro nos estudos.

O que é a técnica Pomodoro?

A técnica Pomodoro é uma técnica de gestão de tempo, criada em 1988 por Francesco Cirillo. Ela auxilia no tempo tanto no trabalho quanto nos estudos. O principal objetivo da criação dessa técnica é utilizar o tempo da melhor forma possível. Com ela você consegue fazer tudo o que deseja e como deseja.

É interessante saber, que utilizando a técnica Pomodoro você consegue saber quais as atividades foram feitas e a quantidade delas, assim, você consegue medir a sua produtividade.

Quem pode utilizar a técnica Pomodoro?

Essa técnica foi desenvolvida especialmente para pessoas com mania de procrastinação, ou que adiam as coisas, como já vimos anteriormente. Essa técnica pode ser utilizada por:

  • Estudantes;
  • Concurseiros;
  • Profissionais vestibulandos;
  • Trabalhadores home office;
  • Pessoas que sofrem e ansiedade e não conseguem cumprir tarefas simples;
  • Entre outras pessoas.

Na verdade, qualquer pessoa pode utilizar essa técnica se desejar criar novos hábitos e otimizar melhor o tempo.

Como funciona a técnica Pomodoro?

Mas, como funciona o método Pomodoro?  O nome Pomodoro vem do Italiano, que significa tomate. Ele é uma ferramenta em formato de tomate mesmo, tipo aqueles timers de cozinha, e é dividido em quatro partes. Cada parte marca 30 minutos.

A técnica funciona assim: Você vai fazer uma lista de tarefas a fazer ao longo de um dia. Daí, escolha a primeira tarefa e coloque-a em prática por 25 minutos, depois, pare e descanse por 5 minutos. Depois, repita o processo até terminar todos os itens da lista.

Você vai perceber que conseguirá ser mais produtivo naquele dia.

Mas não se preocupe se você não tem o aparelho Pomodoro, é possível utilizar a técnica utilizando o timer do seu celular ou um despertador.

Como utilizar o método Pomodoro nos estudos?

Chegou a hora de saber como utilizar o método Pomodoro nos estudos. Se você está estudando para alguma prova, seja prova para vestibular ou ainda para o ENEM, essa técnica pode te ajudar.

Você pode dividir a técnica Pomodoro em temas. Por exemplo, se você está estudando para matemática, separe os períodos do Pomodoro por tópicos dentro da matemática, por exemplo:

  • 1 Pomodoro (25 minutos): Frações;
  • 2 Pomodoro (25 minutos): Equações;
  • E assim por diante.

Antes disso, analise e faça um planejamento da matéria a ser estudada e do tempo de estudos que você pretende aplicar. É claro que alguns assuntos vão precisar de mais de 1 Pomodoro, mas isso não é problema. Você só vai precisar continuar o assunto de onde parou, no próximo período de 25 minutos.

Por que método Pomodoro nos estudos?

Esse método Pomodoro funciona, porque pausando por 5 minutos, o seu cérebro vai recarregar as energias e sua concentração vai aumentar. Você ainda vai conseguir absorver mais informações.

Você ainda vai ter um maior poder de concentração, sem distrações. Agora que você já sabe como utilizar o método Pomodoro nos estudos, faça o teste e aplique o método!

Tenha bons estudos!

 

 

Lista de Universidades que aceitaram o ENEM/SiSU

Você vai prestar o vestibular mas não sabe ainda onde utilizar a sua nota do Enem? Abaixo listamos as universidades que aceitaram o ENEM/SISU em 2019. Se liga!

CENTRO-OESTE

DISTRITO FEDERAL

UnB – Universidade de Brasília − O Enem será usado no vestibular do primeiro semestre, mas sem utilizar o SiSU, e também para vagas remanescentes
ESCS – Escola Superior de Ciências da Saúde – Todas as vagas (160) pelo Enem/SiSU
IFB – Instituto Federal de Brasília – Todas as vagas pelo SiSU, exceto Dança, que utiliza Enem mais teste de habilidade específica (THE)

GOIÁS

UFG – Universidade Federal de Goiás – Todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto cursos de Música e outros
IFG – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás – Todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto Música, que utiliza Enem mais THE
IF Goiano – Instituto Federal Goiano – Todas as vagas pelo ENEM, sendo 70% via vestibular e 30% via Sisu

MATO GROSSO DO SUL

UFGD – Universidade Federal da Grande Dourados – 50% das vagas pelo Enem/SiSU
UFMS – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – 30% das vagas pelo Enem/SiSU e o Vestibular usa o Enem como parte da nota
UEMS – Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

MATO GROSSO

UFMT – Universidade Federal do Mato Grosso – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Unemat – Universidade do Estado do Mato Grosso – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu no 1º semestre e vestibular no 2º semestre
IFMT – Instituto Federal do Mato Grosso – 30% das vagas pelo Enem de 2016 a 2019, mas sem aderir ao SiSU
IFMS – Instituto Federal do Mato Grosso do Sul– Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

NORDESTE

ALAGOAS

UFAL – Universidade Federal de Alagoas – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFAL – Instituto Federal de Alagoas – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Uneal – Universidade Estadual de Alagoas – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
Uncisal – Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas 90 vagas pelo Enem/SiSU

BAHIA

UFBA – Universidade Federal da Bahia –Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica THE
UFOB – Universidade Federal do Oeste da Bahia – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFSB – Universidade Federal do Sul da Bahia – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRB – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UNEB – Universidade do Estado do Bahia – As vagas do primeiro semestre são preenchidas exclusivamente via Enem/SiSU
UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFBA – Instituto Federal da Bahia – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFBaiano – Instituto Federal Baiano – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

CEARÁ

UFC – Universidade Federal do Ceará – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFCA – Universidade Federal do Cariri – todas as vagas pelo Enem/SiSU
Unilab – Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro–Brasileira – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFCE – Instituto Federal do Ceará – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
 MARANHÃO
UFMA – Universidade Federal do Maranhão – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFMA – todas as vagas pelo Enem/SiSU

PARAÍBA

UFPB – Universidade Federal da Paraíba – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFCG – Universidade Federal de Campina Grande – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UEPB – Universidade Estadual da Paraíba – Todas as vagas serão preenchidas pelo ENEM/Sisu
IFPB – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

PERNAMBUCO

UFPE – Universidade Federal de Pernambuco – todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto Dança, Música, Letras – Libras e Intercultural Indígena
UFRPE – Universidade Federal Rural de Pernambuco – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Univasf – Universidade Federal de São Francisco – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UPE – Universidade de Pernambuco – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFPE – Instituto Federal de Pernambuco – Vagas do segundo semestre são preenchidas pelo ENEM/Sisu
IFSertão – Instituto Federal Sertão Pernambucano – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

PIAUÍ

UFPI – Universidade Federal do Piauí – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UESPI – Universidade Estadual do Piauí – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFPI – Instituto Federal do Piauí – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

RIO GRANDE DO NORTE

UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto para cursos que exigem teste de habilidade específica (THE)
UERN – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFRN – Instituto Federal do Rio Grande do Norte – Todas as vagas pelo Enem, sendo algumas pelo Sisu
Ufersa – Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

SERGIPE

IFS – Instituto Federal de Sergipe – Alguns cursos oferecem todas as vagas pelo SiSU e outros metade das vagas
UFS – Universidade Federal de Sergipe – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto para o curso de Música

NORTE

ACRE

UFAC – Universidade Federal do Acre – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFAC – Instituto Federal do Acre – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

AMAPÁ

Unifap – Universidade Federal do Amapá – 50% das vagas pelo Sisu e 50% pelo ENEM 2018 e 2019
UEAP – Universidade do Estado do Amapá – Todas as vagas pelo ENEM, mas sem aderir ao Sisu
IFAP – Instituto Federal do Amapá – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

AMAZONAS

UFAM – Universidade Federal do Amazonas – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFAM – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – Todas as vagas pelo Enem/SiSU

PARÁ

UEPA – Universidade do Estado do Pará – vagas do Prosel (50% do total) serão exclusivas para participantes do Enem 2019
UFPA – Universidade Federal do Pará – Todas as vagas pelo ENEM 2019, sendo 20% pelo Sisu
UFOPA – Universidade Federal do Oeste do Pará –Todas as vagas pelo ENEM 2018 ou 2019, mas sem utilizar o Sisu
Unifesspa – Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFRA – Universidade Federal Rural da Amazônia – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFPA – Instituto Federal do Pará – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

RORAIMA

UFRA – Universidade Federal de Roraima – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
UFRR – Universidade Federal de Roraima – parte das vagas pelo Enem/SiSU
IFRR – Instituto Federal de Roraima – 50% das vagas do campus Boa Vista pelo Enem/SiSU

RONDÔNIA

UNIR – Universidade Federal de Rondônia – Todas as vagas pelo ENEM, mas sem aderir ao Sisu
IFRO – Instituto Federal de Rondônia – 50% das vagas pelo Enem/SiSU

TOCANTINS

IFTO – Instituto Federal do Tocantins – Parte das vagas pelo Enem/SiSU
UFT – Universidade Federal do Tocantins – 50% das vagas pelo Enem/SiSU

SUDESTE

ESPÍRITO SANTO

UFES – Universidade Federal do Espírito Santo – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFES – Instituto Federal do Espírito Santo – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

MINAS GERAIS

UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto cursos que exigem teste de habilidade específica
UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – 70% das vagas pelo ENEM/Sisu; as demais vagas pelo vestibular seriado (Pism)
UFLA – Universidade Federal de Lavras – 60% das vagas pelo ENEM/Sisu; as demais vagas pelo vestibular seriado (PAS), sendo que o ENEM substitui as provas da 3ª etapa
Unifal – Universidade Federal de Alfenas – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Unifei – Universidade Federal de Itajubá – maior parte das vagas pelo Enem/Sisu
UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFSJUniversidade Federal de São João Del Rei – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFTM – Universidade Federal do Triângulo Mineiro – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFU – Universidade Federal de Uberlândia – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto para cursos que exigem teste de habilidade específica, no 1º semestre, e vestibular no 2º semestre
UFV – Universidade Federal de Viçosa – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFVJM – Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu; as demais vagas pelo vestibular seriado (SASI), sendo que o ENEM substitui as provas da 3ª etapa
UEMG – Universidade Estadual de Minas Gerais – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu exceto os cursos que exigem teste de habilidade específica
Unimontes – Universidade Federal de Montes Claros – 60% das vagas pelo Enem/SiSU 
IFSudesteMG – Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFSuldeMinas – Instituto Federal do Sul de Minas Gerais – 70% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFMG – Instituto Federal de Minas Gerais – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFNMG – Instituto Federal do Norte de Minas Gerais – Alguns cursos terão vaga pelo Sisu e outros pelo vestibular
IFTM – Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Cefet-MG – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – Todas as vagas pelo Enem, sendo a maioria pelo Sisu (três cursos de Divinópolis e Leopoldina fazem seleção fora do SiSU)

RIO DE JANEIRO

UniRio – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro –Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFF – Universidade Federal Fluminense – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – 8.748 vagas pelo SiSU e 447 vagas pelo Enem para cursos que exigem teste de habilidade específica
UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto para os cursos que exigem teste de habilidade específica
UENF – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – Todas as vagas pelo Enem/SiSU
IFF  – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense – Algumas vagas pelo ENEM/Sisu
IFRJ – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Cefet-RJCentro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

SÃO PAULO

UFABC  – Universidade Federal do ABC – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFSCar – Universidade Federal de São Carlos – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Unesp – Universidade Estadual Paulista – Nota do Enem 2019 pode ser usada para aumentar nota do vestibular
Unicamp – Universidade Estadual de Campinas – 20% das vagas destinadas ao ENEM, mas sem aderir ao Sisu
Unifesp – Universidade Federal de São Paulo – usa ENEM como 1ª fase do vestibular para alguns cursos, e o Sisu para outros
USP – Universidade de São Paulo – cerca de 25% vagas (2.830) pelo Enem/SiSU
IFSP – Instituto Federal de São Paulo – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

SUL

PARANÁ

UFPR – Universidade Federal do Paraná – 30% das vagas pelo ENEM/Sisu
UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
Unila – Universidade Federal da Integração Latino-Americana – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu, exceto o curso de Música
UEL – Universidade Estadual de Londrina – 586 vagas em 47 cursos pelo Enem/SiSU
UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná – 307 vagas pelo Enem/SiSU
Unicentro – Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná – Enem é usado para vagas remanescentes
Unioeste – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IFPRInstituto Federal do Paraná – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

RIO GRANDE DO SUL

UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – 30% das vagas pelo ENEM/Sisu
UFCSPA – Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UFSM – Universidade Federal de Santa Maria – Todas as vagas pelo Enem/SiSU, exceto Música, Dança e outros cursos
UFPel – Universidade Federal de Pelotas – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
FURG – Universidade Federal do Rio Grande – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu e cursos a distância pelo ENEM
Unipampa – Universidade Federal do Pampa – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UERGS  – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu; exceto para os cursos que exigem teste de habilidade específica
IFRS – Instituto Federal do Rio Grande do Sul – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu
IF-Farroupilha – Instituto Federal Farroupilha – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFSul  – Instituição Federal Sul-rio-Grandense – 50% das vagas pelo ENEM/Sisu

SANTA CATARINA

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina – 30% das vagas pelo ENEM/Sisu
UFFS – Universidade Federal da Fronteira Sul –Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina – 25% das vagas do Vestibular de Verão serão preenchidas pelo ENEM/Sisu
IFSC – Instituto Federal de Santa Catarina – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu
IFC – Instituto Federal Catarinense – Todas as vagas pelo ENEM/Sisu

Calendário do ENEM 2020

O ENEM 2018 seguirá o seguinte cronograma. Anote as datas:

  • Solicitação de isenção da taxa de inscrição: 06 a 17/04/2020
  • Justificativa de ausência no Enem 2019: 06 a 17/04/2020
  • Inscrições: 11 a 22/05/2020
  • Pagamento da taxa de inscrição: 11 a 28/05/2020
  • Aplicação das provas impressas: 01/11/2020 e 08/11/2020
  • Aplicação das provas digitais: 22/11/2020 e 29/11/2020
  • Gabarito das provas impressas oficial: 11/11/20

O que achou deste conteúdo? Para mais informações sobre o ENEM, continue acompanhando o Blog do Kuadro!

Assuntos que mais caem no Enem por disciplina

Está se preparando para o ENEM 2020? Veja aqui quais os assuntos que mais caem no Enem por disciplina e comece a estudar o que vai cair!

Língua Portuguesa

A disciplina de Língua Portuguesa, no ENEM, faz parte da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, aplicada no primeiro dia do Exame. O candidato deve estar preparado para conteúdos de interpretação de texto, literatura e gramática.

Gramática

As questões de gramática no Enem não são super frequentes, mas quando aparecem na prova, estão sempre ligadas a esses tópicos:

  • Norma Culta e Norma Popular
  • Variação Linguística
  • Classe de Palavras

Literatura

Para as questões de literatura, você precisa estar atento a:

  • Escolas literárias
  • Vanguardas Europeias

Interpretação de Texto

As questões de interpretação de texto são as campeãs de Língua Portuguesa no Enem e exigem conhecimentos como:

  • Figuras de Linguagem
  • Gêneros Textuais
  • Funções da Linguagem

Matemática

A matemática no ENEM está preocupada em avaliar o seu raciocínio em questões que se aproximam do cotidiano e a sua capacidade de aplicar os conhecimentos teóricos em situações próximas da prática. Fique atento aos conteúdos de:

  • Razão e Proporção
  • Função
  • Trigonometria no Triângulo Retângulo
  • Matemática Financeira
  • Geometria plana e espacial básica
  • Probabilidade e Estatística

História

A disciplina de História aparece na prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias. As questões da disciplina focam nos temas que impactam diretamente a nossa sociedade atual.

  • Brasil Colônia
  • Brasil Império
  • Brasil República
  • História Antiga
  • Idade Moderna
  • Idade Contemporânea

Geografia

A disciplina de Geografia é ampla, com temas que contemplam o meio ambiente, a sociedade e a relações entre eles. Veja quais temas estudar:

  • Geomorfologia
  • Recursos Naturais
  • Questões Ambientais
  • Industrialização e Urbanização
  • Demografia
  • Urbanização

Filosofia

Presente no ENEM desde 2009, a disciplina de Filosofia entra na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias. As questões exigem que o candidato interprete as ideias filosóficas e eventualmente relacione os conceitos à sociedade atual.
É importante dar atenção aos temas:

  • Filosofia Antiga
  • Filosofia Moderna
  • Filosofia Contemporânea
  • Filosofia Política

Sociologia

A disciplina de Sociologia entrou no ENEM junto com Filosofia, em 2009. Para as questões dessa matéria é importante que o candidato saiba reconhecer causas sociais, suas razões e suas consequências. Deve também saber identificar conceitos relacionados à sociedade.

  • Diversidade Cultural
  • Estratificação Social
  • Poder, Política e Estado
  • Teorias da Sociologia
  • Causas Sociais
  • Trabalho, Cultura e Contrastes na Sociedade

Biologia

A prova de Biologia do Enem, incluída na parte de Ciências da Natureza e Suas Tecnologias, também conta com a compreensão dos conceitos em relação à sociedade e ao meio ambiente hoje. Foque nos seguintes conteúdos:

  • Ecologia
  • Fisiologia
  • Genética
  • Evolução
  • Citologia
  • Micro e Parasito

Física

Para a prova de Física do Enem, é importante que você não apenas decore as fórmulas, mas priorize a compreensão conceitual dos fenômenos físicos e relacione-os entre si. Fique atento aos conteúdos de:

  • Mecânica
  • Energia e Eletricidade
  • Ondulatória
  • Termologia
  • Óptica

Química

A prova de Química faz parte da prova de Ciências da Natureza e exige que o candidato entenda a aplicação prática dos conhecimentos de Química. Veja quais conteúdos estudar:

  • Química Geral
  • Físico-Química
  • Química Orgânica

O que achou deste texto? Compartilhe com os amigos!

Como usar sua nota do ENEM para estudar em Portugal

Nos últimos anos, tem crescido o número de universidades brasileiras que utilizam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no processo seletivo. Atualmente, centenas de instituições aceitam essa prova, sendo mais 120 públicas. Mas você sabia que você pode usar a sua nota do Enem em Portugal?
É isso mesmo! Desde 2014, o processo já é autorizado e a primeira universidade portuguesa a integrar o acordo foi a Universidade de Coimbra. Entenda melhor como usar a nota do Enem para estudar nesse país!

Inscrição

As inscrições, geralmente denominadas “candidaturas”, são oferecidas em três prazos e são aceitas apenas nos sites das universidades. A concorrência às vagas exige alguns critérios, como a comprovação de que o candidato concluiu o Ensino Médio.
Além disso, o concorrente não pode ser natural de nenhuma nação que componha a União Europeia, nem pode residir legalmente em Portugal há mais de dois anos ininterruptamente. Quem tem cidadania europeia também não pode se candidatar a essas vagas.
Portanto, essa oportunidade é destinada para quem concluiu o Ensino Médio no Brasil e quer se mudar para o país. Ou seja, é uma chance e tanto para estudantes que querem ter estudo de qualidade, aliado a um novo estilo de vida.

Processo Seletivo

Para concorrer às vagas nas instituições portuguesas, as notas obtidas do exame brasileira servem de base do processo. Porém, o cálculo da nota do Enem em Portugal é diferente. Cada universidade define outras especificações, como pontuações mínimas e pesos para cada área.
Lá, a escala costuma variar de 0 a 200 pontos, o que equivale à classificação do Enem (0 a 1000 pontos) dividida por cinco. Além disso, para entrar em alguns cursos de graduação em Portugal, como Música e Arquitetura, é preciso fazer um teste de conhecimentos específicos.

Custo exigido

As universidades portuguesas costumam cobrar uma taxa de candidatura entre 20 e 110 euros. Para calcular a conversão, atualmente (2019) um euro (1€) equivale a aproximadamente quatro reais (R$ 4).
Há, no entanto, algumas universidades que não cobram taxa de candidatura. Esse é o caso da Universidade de Algarve, no Sul de Portugal.
Alguns cursos podem ter outras taxas destinadas a testes físicos ou relacionadas à prática esportiva. Em universidades que cobram mensalidade, o valor costuma chegar até 700€ e as anuidades, que variam entre 1500 e 7000 euros, podem ser parceladas.
Caso o classificado seja bolsista ou tenha bom desempenho, aumentam as chances de ele receber descontos nos custos da universidade. Mas, vale notar que essa ajuda não é concedida por todas as instituições, por isso, é importante pesquisar isso antes.

Opções de cursos

O Brasil já fez acordo com diversas universidades portuguesas para que elas utilizem o Enem como parte do processo seletivo. Atualmente, 37 instituições aceitam o exame para o ingresso no ensino superior.
Há diversas opções de cursos disponíveis aos estudantes brasileiros. Entre elas estão: Design, Letras, Química, Engenharia, História e muito mais. A única restrição é para a graduação de Medicina. Nesse caso, a pessoa interessada deve passar por exames específicos e preencher uma série de requisitos, inclusive ser residente em Portugal por pelo menos seis meses.

Nota de corte para estudar em Portugal

Assim como acontece no Brasil, a nota de corte do Enem em Portugal varia. Ela é determinada pela concorrência do curso. Ou seja, quanto mais concorrida uma graduação é, mais preparado são os candidatos e, consequentemente, mais alta é a nota para o ingresso.
Portanto, se você deseja fazer uma faculdade no país, é importante ter a mesma dedicação aos estudos que um vestibular. Lá os cursos são tão concorridos quanto aqui, apesar de a matriz curricular e a estrutura serem diferentes.

Instituições que aceitam o Enem em Portugal

O número de Instituições de Ensino Superior (IES) que aceitam o Enem como forma de ingresso não para de crescer. De acordo com o site do Inep, atualmente, o exame é aceito nas seguintes universidades:

Esteja preparado para o Enem

Independentemente se você deseja estudar no Brasil ou Portugal, é importante estar bem preparado para o Enem. Como vimos, esse exame pode abrir diversas portas, incluindo a oportunidade de morar fora do país!
Faça o cursinho on-line do Kuadro, se prepare e use a sua nota do Enem para estudar em Portugal. Esteja preparado para avaliar os seus conhecimentos em diversas áreas. Nós ajudamos você nisso!

Pais de vestibulando: como ajudar na preparação para o ENEM

O período pré-vestibular pode ser muito conturbado para os estudantes, o que acaba virando uma preocupação dos pais. Você está entre os pais de vestibulando e não sabe o que fazer? O Blog do Kuadro explica tudo sobre esse assunto e te dá algumas dicas de como ajudar seu filho na preparação para o ENEM!

Responsabilidade e preocupação

Ter filhos é uma das maiores responsabilidades, se não a maior, que um ser humano pode ter. Criar, educar, ensinar, apoiar são tarefas complexas e que exigem muito empenho e aprendizado.
As preocupações que pais e mães têm com seus filhos estão em todos os âmbitos: saúde física e mental, educação, instrução, socialização, bem-estar e outros. A educação, que é um campo que dará base para que o filho seja uma pessoa autônoma, tira o sono de muitos pais.
É comum que, desde o começo da vida do filho, os pais já comecem a se preocupar com questões relativas à educação. Por exemplo, qual escola será escolhida, quais atividades extracurriculares podem ser feitas, que tipos de influências o filho poderá ter e outros pontos.
Esse processo acontece durante toda a vida do filho, em maiores ou menores proporções. Na alfabetização, na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio as escolas costumam notificar os pais a respeito de quaisquer problemas com o filho. Se ele tem dificuldades de aprendizado em alguma disciplina, se obtém destaque em outra, se a conduta está inadequada e outros casos. Isso porque, até que a idade adulta chegue, os pais são responsáveis por seus filhos e, consequentemente, por sua educação.
Por isso, durante toda a educação de uma pessoa, é importante que seus pais estejam próximos e acompanhem o desenvolvimento intelectual e psicológico. O processo de aprendizagem é contínuo e é papel dos pais incentivar os estudos, ajudar a tirar dúvidas, acompanhar o processo e, quando necessário, sugerir melhorias e cobrar resultados.
Mas, quando o vestibular se aproxima, a preocupação e a angústia dos pais pode aumentar muito. Muitos pais querem saber como ajudar seu filho na preparação para o vestibular.

Por que o vestibular se destaca?

Para os pais, cada conquista do filho é um grande evento. A primeira palavra dita, o primeiro passo sozinho, o nome escrito pela primeira vez… Tudo simboliza o desenvolvimento e evolução dos filhos.
Conforme os filhos crescem, as conquistas vão ganhando proporções maiores – e é aí que entra o vestibular.
As provas para ingresso em universidades representam uma mudança muito grande, tanto para os pais quanto para os adolescentes. Simbolizam o começo da vida profissional, a passagem para a vida adulta e a obtenção de novas responsabilidades.
É um momento decisivo em relação à carreira que será escolhida, à formação pessoal e profissional que o filho fará. Por isso é fundamental que tanto os pais quanto os filhos percebam a importância desse período.
É comum que os pais já se preocupem com o estresse e as frustrações que seus filhos sofrerão naturalmente. Mas, durante o período pré-vestibular, essa preocupação aumenta.
Isso porque a fase, por si só, já é estressante: a alta competitividade, a possibilidade do fracasso e a ansiedade em relação à grande escolha que será feita pode deixar os vestibulandos instáveis emocionalmente.

Conheça o Curso Medicina do Kuadro

As exigências feitas de um vestibulando estão em âmbitos diversos. O ENEM cobra que o vestibulando estude profundamente dez matérias: Matemática, Português, História, Geografia, Biologia, Física, Química, Inglês, Sociologia e Filosofia. Além de todos os conteúdos dessas disciplinas, o vestibulando ainda precisa elaborar um texto dissertativo-argumentativo de qualidade.
Dentro de cada uma dessas matérias, há uma infinidade de assuntos que devem ser aprofundados. Estudar Matemática é, por exemplo, saber funções, análise combinatória, geometria plana, matrizes… Aprender História é conhecer a fundo Antiguidade, Brasil Colônia, Imperialismo e vários outros assuntos.
A pressão de precisar dominar todos os assuntos, para garantir que nenhuma questão passará em branco, faz com que a ansiedade se instale gradualmente nos vestibulandos.
A preocupação com a escolha do curso também ronda frequentemente a cabeça dos estudantes: “é isso que quero fazer?”, “e se eu me arrepender dessa escolha?” e outras suposições são frequentes.
Além disso, neste cenário geralmente estão também as mudanças físicas e emocionais próprias da fase adolescente: a transição para a fase adulta, a sexualidade, a socialização e outros fatores que mexem com a vida de um(a) vestibulando(a).
Todos esses fatores somados tornam o período bastante conturbado para os vestibulandos. E os pais, por consequência, sofrem pelo sofrimento dos filhos.

Pressão e crítica: empecilho ou motivação?

Muitos pais de vestibulando, na ânsia de ajudar o (a) filho(a) na preparação, acabam se atrapalhando por agirem sem cautela. Não há uma fórmula mágica do que fazer, visto que cada família tem sua dinâmica e suas questões, mas há algumas recomendações que costumam ser adequadas para ajudar os filhos durante a preparação para o ENEM.
Não é raro ver pais agindo de forma autoritária com o(a) filho(a) vestibulando(a) acreditando ser esta a melhor forma de vê-lo(a) bem-sucedido(a).
“Se não estudar está proibido de sair final de semana”
“Só poderá jogar videogame se estudar tantas horas por dia”
Atitudes autoritárias e negativas podem tornar o processo pré-vestibular ainda mais desgastante para o vestibulando. Castigos, ameaças e desaprovações dificultam o processo que já costuma ser complexo para um(a) jovem de 17, 18, 19 anos.
Aprovação pelo ENEM! Conheça o Curso Extensivo do Kuadro
A psicóloga Vera Zimmermann, coordenadora do Centro de Referência da Infância e do Adolescente da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), afirmou em entrevista ao UOL que “compreensão é a palavra-chave nesse momento tão delicado”.
Como pai ou mãe de vestibulando, é importante que você perceba a situação em que seu filho ou filha se encontra. Os pais devem ser firmes quanto aos estudos, mas é preciso mostrar compreensão quando os filhos estão tristes ou desmotivados.

Eu devo opinar na escolha do curso de meu filho ou filha?

Muitos pais gostariam que suas carreiras profissionais fossem escolhidas pelos filhos. A opção por seguir a carreira dos pais pode ser vista como uma forma de reconhecimento e “aprovação” dos filhos em relação aos pais.
No entanto, cada indivíduo tem sua personalidade, suas ideias e preferências, o que faz com que nem sempre desejem seguir a profissão dos pais. O filho pode preferir a área de biológicas enquanto o pai ou a mãe atua na área de exatas, por exemplo.
A partir disso, é importante que os pais de vestibulando entendam as preferências do filho e compreendam que é melhor dar espaço para a livre escolha.
Em entrevista ao portal IG, a psicóloga Nancy Erlach Danon, explica: “Os pais devem aprender a escutar o filho, a respeitar sua escolha e entender que ele só será bem-sucedido na profissão que realmente gostar”.
Isso impede que os pais opinem na escolha do curso? Não. Mas mostra que as sugestões e críticas devem ser feitas com respeito.
Para opinar quanto à escolha do curso de seu filho, é importante refletir sobre os seguintes aspectos:
“Eu estou colocando minhas expectativas e frustrações na escolha dele(a)?”
“Qual é minha maior preocupação com a escolha profissional dele(a)?”
“Eu confio no senso crítico e na educação que dei a ele(a)?”

Conheça o Curso Medicina do Kuadro

Por outro lado, não conversar ou não se informar a respeito da escolha profissional do(a) filho(a) mostra desinteresse no momento atual e em seus planos para o futuro.
É importante lembrar que, durante esta fase, prestar vestibular é o que há de mais impactante no universo de seu filho(a). Eles respiram isso diariamente, o momento da prova é possivelmente o que mais lhes causa apreensão.
Portanto, não perguntar ou não demonstrar nenhum interesse nesta etapa da vida dos filhos pode trazer afastamento.

Pensando como profissional

Uma das maneiras de opinar e ajudar seu filho ou filha na preparação para o ENEM é tentar desligar um pouco da preocupação de pai/mãe e pensar como profissional.
Pesquise sobre a carreira que seu filho ou filho deseja seguir e incentive-o(a) a se informar. Incentive e permita que ele(a) converse com profissionais da área que pretende seguir. Estimule a curiosidade e o senso crítico. Dar conselhos como faria profissionalmente, com um colega de trabalho, pode ser uma boa maneira de ajudá-lo com base em argumentos e fatos.
Aprovação pelo ENEM! Conheça o Curso Extensivo do Kuadro

Hora de conversar: seja um ombro amigo

Nós, do Kuadro, que já passamos por essa fase e acompanhamos o período pré-vestibular de milhares de alunos, temos certeza que todos os pais de vestibulando têm a melhor das boas intenções.
Certamente você quer ajudar seu(sua) filho(a) em tudo que puder. Seu filho ou filha é a última pessoa que você quer ver sofrer no mundo. Por isso, o período pré-vestibular exige que você, pai ou mãe, seja compreensivo e carinhoso.
Isso não significa fazer todas as vontades do(a) filho(a) ou deixar de ser firme nos momentos necessários. Mas busque ouvir seus medos e angústias, compreender o que  causa aquele sentimento e ajudar a amenizar.
Conversar, estar presente para momentos de desabafo e mostrar outros lados, mais positivos, são algumas maneiras de se mostrar como um ombro amigo para seu filho ou filha.
Lembre-se de que você é uma das pessoas em quem seus filhos mais confiam. Uma das pessoas que mais lhe ensinou e ajudou durante toda a vida. Esse pode ser um momento de reafirmar essa proximidade.

Dicas gerais para pais de vestibulando

Para que o período pré-vestibular seja mais tranquilo para vestibulandos e seus pais, nós do Kuadro separamos algumas dicas especiais. São sugestões que podem ser aplicadas para uma relação mais equilibrada e saudável nessa etapa tão importante para a família.

1. Pesquise sobre a universidade e o curso desejados

Sua filha quer cursar Biomedicina e você não sabe o que há nesse curso? Seu filho resolveu que deseja estudar em uma universidade estadual longe e que você desconhece?
Esse é o momento de ir atrás dessas informações. A internet pode ser uma grande aliada. Todas as universidades do país possuem sites oficiais, com dados sobre os campus, recursos e outras informações importantes.
Nesses sites e em outros portais de educação (como o Blog do Kuadro!) também costuma haver informações sobre os cursos. Quer conhecer a ementa do curso, o mercado de trabalho daquela área ou as possibilidades de salário? A internet pode ser de grande utilidade!
Tendo informações você poderá compreender as escolhas e, se for o caso, terá mais argumentos para questionar a opção de seu filho ou filha.
Aprovação pelo ENEM! Conheça o Curso Extensivo do Kuadro

2. Identifique onde/como pode ajudá-lo em sua preparação

É certo que todos os pais têm seus compromissos, mas busque separar um tempo para ajudar no que for possível.
Se você é engenheiro(a), por exemplo, pode ser que consiga ajudar seu filho que está com dificuldades em Física. Ou se você atua no ramo financeiro, poderia ajudá-lo(a) a compreender os conceitos de matemática financeira.
Não tem paciência ou didática para ensinar? Busque outras formas. Passe contatos de amigos que atuam na área que seu/sua filho(a) deseja. Seja aluno(a) e ouça explicações sobre a matéria que ele(a) estudou. Isso ajuda na fixação da matéria, estreita os laços e, mais, você ainda pode aprender um conteúdo novo!

3. Saiba como (e quando) cobrar

É importante lembrar que também há momentos em que o papel dos pais de vestibulando é ser firme e cobrar resultados.
Comportamentos frequentes de descompromisso com os estudos, autoengano e preguiça podem e devem ser questionados pelos pais.
Um caminho é mostrar que você confia nele(a) e que o vestibular é uma etapa necessária para cursar o ensino superior e viver toda a experiência da educação de qualidade. Por isso, para chegar, ele(a) terá de passar por alguns momentos difíceis.
Evite fazer as cobranças em momentos de muita fragilidade e faça as crítica sempre com respeito e sem ofensas.

ENEM é com o Kuadro!

Conheça os Cursos do Kuadro e dê ao seu filho(a) a melhor preparação!

20 anos de Enem: veja o que mudou desde a criação do exame

Em 20 anos de Enem, muita coisa mudou. Criado em 1998 como ferramenta para analisar o nível da educação do Ensino Médio no Brasil, o Enem cresceu e se consolidou como a maior porta de entrada para as universidades do Brasil!
Em 2017, foram quase 7 milhões de inscritos e atualmente são mais de 500 universidades públicas e particulares que utilizam o Enem como forma de ingresso.
Veja o que mudou nesses 20 anos de Enem!

Função do Enem

Quando surgiu, há duas décadas, a prova tinha o objetivo apenas de avaliar os estudantes que estavam terminando o Ensino Médio. Não à toa, o Enem é a sigla para Exame Nacional do Ensino Médio.
Com o exame, o Ministério da Educação (MEC) tinha o intuito de analisar como estava o conhecimento dos alunos e, com isso, promover melhorias nas políticas educacionais, especialmente na rede pública de ensino.
De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), em 1998 foram 157 mil inscritos e cerca de 115 mil fizeram a prova. Até então, apenas cerca de 90 instituições usavam o Enem como forma de ingresso no ensino superior. Em relação à edição de 2017, esse número cresceu mais de cinco vezes!

Formato da prova

Em 1998, o Enem continha 63 questões e foi aplicado em um dia. A prova, com duração de quatro horas, tinha questões de Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia.
A redação, que também já existia naquele ano, teve como tema “Viver e Aprender”. O texto de apoio na época foi um trecho da música “O que é o que é”, do cantor e compositor Gonzaguinha.

 

Além de mais curto, o exame exigia conteúdos menos aprofundados do que hoje. A redação ganhou mais textos de apoio e proposta de intervenção; as questões se tornaram mais aprofundadas e conteudistas com o passar dos anos.

Banner ENEM

20 anos de Enem: veja grandes mudanças

As mudanças no Enem aconteceram foram graduais e a prova levou anos para se consolidar como a maior do país. Veja as principais alterações:

2001

Três anos depois da primeira edição do exame, em 2001, aconteceu a primeira mudança significativa do Enem: a criação da isenção da taxa para alunos da rede pública.
Essa mudança resultou em um grande aumento no número de inscritos. Em 2000, 390 mil pessoas haviam se inscrito para o exame; no ano seguinte, após a criação da isenção da taxa, o número de inscritos passou para 1,6 milhão.
Também em 2001, por pressão dos participantes, a duração da prova aumentou em uma hora, passando de quatro para cinco horas.
O custo de inscrição na primeira edição do Enem era de R$20. Em 2000, o valor aumentou para R$35, número que se manteve até 2014.

2004

Neste ano, destaca-se a criação do Programa Universidade para Todos (ProUni), que até hoje permite que alunos consigam bolsa em universidades particulares de acordo com a nota no Enem. Graças ao ProUni, no ano seguinte o Enem dobrou o número de inscritos e bateu 3 milhões de inscritos.

2009

Em 2009, o Enem passou a funcionar como um vestibular unificado. Passou a ter dois dias de prova e teve 200 questões e uma redação, número superior ao de questões hoje (180).
Neste ano também foi criado o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), para ser válido em janeiro de 2010, e o Enem passou a ser usado como método para obtenção do certificado de conclusão do Ensino Médio.
Por outro lado, foi no Enem 2009 que ocorreu escândalo do roubo da prova. O problema resultou no declínio de outras universidades para usar o Enem como forma de ingresso, como foi o caso da Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
O conflito resultou também na ausência de mais de um terço dos inscritos no exame (37,7%). Recentemente, o problema foi tema do livro “O Roubo do ENEM”, escrito pela jornalista Renata Cafardo e publicado em 2017.

2015

O valor da taxa foi reajustado, após mais de 10 anos, para R$63. Neste ano também as notas do Enem passaram a valer para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

2017

No ano passado, a principal mudança no exame foi a alteração nos dias de prova após uma consulta pública sobre a estrutura do exame. Anteriormente, o exame ocorria em um sábado e um domingo.
Em 2017, o Enem passou a acontecer em dois domingos consecutivos, o que acarretou em mudanças nas datas de outros vestibulares (em especial os estaduais de São Paulo).
Também neste ano a divisão das disciplinas na prova foi alterada. Antes, o primeiro dia de prova era de Ciências da Natureza e Ciências Humanas e o segundo, Linguagens, Matemática e Redação.
Em 2017, o primeiro dia conteve questões de Linguagens e Ciências Humanas, além da Redação; já o segundo dia ficava com as questões de Matemática e Ciências da Natureza.
Ainda, no ano passado deixou de valer a regra que permitia que as notas do Enem fossem usadas para obtenção do certificado de conclusão do Ensino Médio.

2018

Neste ano, a principal mudança foi o acréscimo de 30 minutos no segundo dia de prova (Matemática e Ciências da Natureza).
O exame mantém o modelo de prova de 2017, com dois domingos consecutivos de prova e 180 questões interdisciplinares, além da redação.
Houve mudança em relação ao pedido de isenção de taxa, que neste ano foi anterior à época de inscrições pro exame. Além disso, neste ano os ausentes em 2017 tiveram de justificar suas faltas para conseguirem a isenção em 2018.
O valor da taxa de inscrição se mantém em relação ao ano passado, custando R$82.

O que se manteve

O principal ponto que não mudou no ENEM em suas duas décadas de existência foi o cunho social da prova.
Apesar das mudanças em relação ao aprofundamento das disciplinas, o ENEM continua exigindo que o candidato relacione o conteúdo a problemas e situações contextualizados na sociedade atual.

Cronograma do Enem 2018

O ENEM 2018 seguirá o seguinte cronograma. Anote as datas:

  • Inscrições: 07 a 18/05/2018
  • Pagamento da taxa de inscrição: 07 a 23/05/2018
  • Solicitação de Atendimento pelo Nome Social: 28/05 a 03/06/2018
  • Aplicação das provas: 04/11/2018 e 11/11/2018
  • Gabarito oficial: 14/11/18

O que achou deste texto? Deixe seu comentário e compartilhe com os amigos!
Continue acompanhando o Blog do Kuadro para outros conteúdos imperdíveis sobre ENEM e vestibulares!

Especialista ensina passo a passo da redação do Enem

Redação do Enem: siga o passo a passo do especialista e destaque-se na prova

Não é necessário ser um gênio ou ter feito faculdade de jornalismo para conseguir escrever um bom texto. É verdade que algumas pessoas têm facilidade e talento para contar histórias de forma atrativa, mas segundo especialistas e escritores, o segredo de uma redação perfeita está mesmo na prática.
Com a redação do Enem não é diferente, embora ela tenha algumas particularidades. Antes de entrar nos detalhes, confira o passo a passo da redação do Enem revelado pela professora Erica Machado Herédia, que tem licenciatura em Letras pela UFMG e dá aulas da disciplina no cursinho online Kuadro.

Passo 1 – Antes da prova e da redação do Enem – Bagagem cultural ajuda na redação do Enem

Ao longo da vida você já deve ter se dedicado a ampliar seus conhecimentos em diversos assuntos, certo? Errado… você nem estava tão atento a isso, mas fez algumas viagens, visitou museus, participou de cursos e, com certeza, poderá aproveitar sua bagagem para ir bem na
redação.
Caso contrário, ainda assim tem salvação. Comece agora a buscar temas de impacto social que vêm sendo noticiados e comentados na internet. Quanto mais você se informar, lendo com atenção os textos de jornais, revistas e portais de notícias, mais consistentes serão suas argumentações na hora da prova.
Dica preciosa: durante a leitura, além de prestar atenção ao tema abordado, repare na forma como o texto foi escrito. Há boas redações feitas por jornalistas e colunistas no mundo digital.

Passo 2 – No momento da redação do Enem – Leia o enunciado que traz o tema da redação

Parece óbvio, mas muitos alunos acreditam que os textos de apoio são desnecessários e, com medo de estourarem o tempo da prova, acabam lendo rapidamente a proposta e partindo direto para a escrita. Um dos erros mais graves para um aluno na redação do Enem é fugir ao tema apresentado.
Se a prova oferece textos de apoio, leia-os com atenção! Eles indicam um caminho para os textos, direcionam seus argumentos e dão insights, isto é, “estalos” com ideias para a abordagem do tema.

Passo 3 – O primeiro parágrafo da redação do Enem – Essa é sua chance de chamar a atenção da banca que corrige a redação do Enem

O primeiro parágrafo de todo texto, também chamado por jornalistas de lead, deve trazer um resumo do que será a redação, ou seja, o leitor precisa saber logo no início o tema que será abordado e dentro de que contexto.
A redação – e isso vale para todos os textos que você for escrever de agora em diante – deve começar de forma atrativa, para que o leitor queira passar para o segundo parágrafo e seguir adiante. Você deve despertar a curiosidade do leitor. Deve usar um número de uma entidade de credibilidade, como a ONU, por exemplo. Também pode levantar uma questão polêmica… Enfim, usar sua criatividade dentro do tema proposto.

Passo 4 – Manter a coesão do texto – Um parágrafo tem que chamar o próximo e assim sucessivamente, com raciocínio coerente.

Quando você for escrever uma redação, “ligue” um parágrafo ao outro. Você tem que manter uma linha de raciocínio coerente. Mais do que criar um vínculo entre parágrafos, você precisa preocupar-se com a estrutura do texto e dar sentido a eles, concatenando as ideias.
Dica preciosa da especialista: para manter a coesão na redação do Enem, trate ponto a ponto das possíveis argumentações que seu leitor possivelmente faria ao ler o texto. Mantenha a calma, sem perder o fluxo de pensamento, sem pular de um ponto A para um ponto E, então volte ao ponto B. É importante ter em mente que a coesão é a costura bem feita das ideias em um texto e não um remendo!

Passo 5 – Propondo soluções para o tema citado no primeiro parágrafo

A redação do Enem, em geral, pede textos dissertativos (que narram uma história com começo, meio e fim) ou argumentativos (que apresentam respostas às perguntas do imaginário do leitor)
A redação do ENEM exige um tipo de texto de natureza reflexiva que consiste na ordenação de ideias, na proposição de argumentos e na discussão.
Uma das coisas mais importante é colocar uma proposta de solução do problema na redação do Enem. E atenção, a proposta de solução não é sinônimo de conclusão; ou seja: não precisa ser apresentada apenas na parte final da redação.
Você tem que ter em mente que fazer redação é discutir, questionar e expressar um ponto de vista, mas principalmente fazer isso tudo com o propósito de convencer o leitor. É primordial, nesse tipo de texto, que o desenvolvimento de raciocínios e argumentos que fundamentem as posições apresentadas sejam feitos com muito cuidado.
Dica preciosa da especialista: dedique-se à leitura e ao treino de textos que usam linguagem formal e que não citem datas específicas. Pegue papel e caneta e comece a escrever. No início, talvez não saia nada, mas com persistência você vai começar a produzir uma linha, uma frase e, finalmente, terá um parágrafo pronto. Siga em frente.

Passo 6 – Conclusão: chegou a hora de encerrar a discussão – Feche sua redação do Enem com chave de ouro

Aqui está sua última oportunidade de demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita e também que você está atento às questões atuais de cunho social e político.
Em geral, a banca que corrige a redação do Enem espera que o aluno apresente números que comprovem o problema abordado e proponha soluções para ele.
A escolha do tema da redação é bastante sigilosa, mas os eixos temáticos costumam se repetir, priorizando o lado social, como os que já apareceram em provas anteriores, como imigração, publicidade infantil e violência contra a mulher.
Depois de seguir estes passos, vamos aos detalhes. Se você conseguiu acompanhar a matéria até aqui, já pode ser um sinal de que tem chances de ir bem na redação. Saber ler, afinal de contas, é um dos maiores segredos de quem sabe escrever.
De acordo com Erica Herédia, uma boa estratégia na hora da redação do Enem é montar um rascunho, transformando o tema proposto em uma pergunta. Monte a estrutura colocando em cada parágrafo uma resposta para a questão e, de um modo simples e claro, concorde ou discorde do argumento apresentado. A resposta deve ser o seu ponto de vista sobre o assunto.
“Durante a redação, pergunte a si mesmo o porquê de sua resposta. Encontre uma razão para justificar sua posição: aí estará o seu argumento principal e é em cima dele que toda a argumentação secundária será construída”, afirma a professora do cursinho online Kuadro.
Ela diz ainda que é importante respaldar seus argumentos com fatos e informações de autoridade. Pode ser um fato da vida política, econômica, social ou até a citação de um filme, sempre alinhado ao tema principal e com originalidade.

Assista a uma aula completa sobre a estrutura do Texto Dissertativo com a Profª Erica:


O que achou deste conteúdo? Para mais textos conteúdos sobre o ENEM, continue acompanhando o Blog do Kuadro!

Aulas grátis para o ENEM

Acústica e seus Conceitos Fundamentais

Este Resumo Teórico é a primeira parte de Acústica dentro do tema Ondulatória.

1. Definições:

a) Acústica:

É a parte de ondulatória responsável pelo estudo específico das ondas sonoras.

b) Ondas sonoras:

Onda mecânica longitudinal (necessita de um meio para se propagar) que se propaga em todas as direções (tridimensional).

2. Conceitos fundamentais da acústica:

a) Velocidade de propagação do som nos meios materiais:

A velocidade de propagação do som é diferente para os diversos estados da matéria. O som encontra mais facilidade para se propagar quanto mais proximidade há entre os átomos ou moléculas que compõem um corpo. Sendo assim, pode-se dizer que a velocidade com que o som se propaga nos meios sólidos é maior do que nos meios líquidos, e a velocidade de propagação nos meios líquidos é maior do que nos meios gasosos.
Resumidamente, tem-se:

Vsom,sólidos > Vsom,líquidos > Vsom,gasosos

b) Espectro sonoro:

Cada animal possui um espectro sonoro diferente, isso significa que pode existir determinadas frequências que um animal pode ser escutar e outro não.
Para o nosso cotidiano o especto sonoro mais importantes para termos conhecimento é o Espectro Sonoro do Ser Humano, o qual é apresentado na figura a seguir:

Espectro Sonoro do Ser Humano
Espectro Sonoro do Ser Humano

A figura acima mostra que o ser humano não consegue escutar sons inferiores a uma frequência de 20 Hz (infra-sons) e também não escuta sons superiores a 20.000 Hz (ultra-sons).

3. Qualidades do som:

a) Altura Sonora:

Qualidade do som relacionada com a FREQUÊNCIA.
Exemplo:

Altura do Som - Comparação entre frequências
Altura do Som – Comparação entre frequências

b) Intensidade Sonora ou Volume:

Qualidade do som relacionada à AMPLITUDE da onda.
A Intensidade Sonora é calculada utilizando a seguinte equação:
\large I=\frac{P_{fonte}}{4\cdot \pi \cdot r^{2}}
Onde:
Pfonte = potência da fonte sonora que gerou o som
r = distância da fonte até o ponto em que deseja saber a intensidade sonora
As unidades de medidas no SI são:
[I] = W/m2
[Pfonte] = W
[r] = m
Exemplo:

Intensidade Sonora - Comparação entre amplitudes
Intensidade Sonora – Comparação entre amplitudes

c) Timbre:

Qualidade do som relacionada à FORMA DA ONDA.
Exemplo:

Timbre - Comparação entre formas de onda
Timbre – Comparação entre formas de onda

d) Observação sobre Altura e Intensidade:

No cotidiano é comum utilizarmos os termos “Abaixar o Som” e “Aumentar o Som” quando queremos alterar a intensidade sonora de algo, no entanto fisicamente estes termos estão errados. Isso porque ao dizer que gostaríamos de abaixar ou aumentar o som estamos dizendo que gostaríamos de alterar a frequência do som, o que não corresponde à alteração da amplitude da onda (intensidade sonora).
Esse equívoco acontece porque ocultamos a palavra “volume” que iria especificar a ação que desejaríamos que ocorresse. Deste modo o correto seria falarmos “Abaixar o volume do som” ou “Aumentar o volume do som”.

4. Nível de intensidade sonora:

É a medida da percepção auditiva do ser humano.
O nível de intensidade sonora é determinado pela seguinte equação:
\large N=10\cdot \log \left ( \frac{I}{I_{0}} \right )
Onde:
N = Nível de Intensidade Sonora
I = Intensidade do som em questão
I0 = Intensidade do som de referência = 10-12 W/m2
A unidade de medida no SI é o bel, cujo símbolo é um B ou β. No entanto, no cotidiano é mais comum utilizarmos uma sub unidade do bel, o dB (decibel) que é o mesmo que 10-1 B. Na equação acima, a unidade de N já é dB, pois a conversão de unidade já está embutida na equação.

5. Exercício de Aplicação:

(Unesp 2018 – Questão 81) Define-se a intensidade de uma onda (I) como potência transmitida por unidade de área disposta perpendicularmente à direção de propagação da onda. Porém, essa definição não é adequada para medir nossa percepção de sons, pois nosso sistema auditivo não responde de forma linear à intensidade das ondas incidentes, mas de forma logarítmica. Define-se, então, nível sonoro (β) como , sendo β dado em decibels (dB) e I0 = 1012 W/m2.
Supondo que uma pessoa, posicionada de forma que a área de 6,0 . 105 m2 de um de seus tímpanos esteja perpendicular à direção de propagação da onda, ouça um som contínuo de nível sonoro igual a 60 dB durante 5,0 s, a quantidade de energia que atingiu seu tímpano nesse intervalo de tempo foi
A) 1,8 . 1014
B) 3,0 . 1010
C) 1,8 . 108
D) 3,0 . 1012
E) 6,0 . 109
Para obter a resposta desta questão clique aqui e acesse o Gabarito Oficial disponibilizado pela Vunesp (procure a resposta da questão 81).
O que achou do Resumo Teórico – Acústica – Parte 1? Deixe seu comentário!
Para outros conteúdos de qualidade, assista às Aulas Ao Vivo do Kuadro e continue acompanhando os Resumos Teóricos do Kuadro!

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF