Quantos exercícios é preciso fazer por dia

No blogpost abaixo, você vai descobrir quantos exercícios você deve fazer por dia para passar na universidade pública, no curso dos seus sonhos.

A resposta é relativamente simples, e é assim que você vai se destacar do resto da sua concorrência!

Bora ver? Só continuar a leitura.

Contexto

Não é novidade que é preciso fazer várias questões para conseguir ter sucesso no vestibular. É só com muito treino que você aprende as matérias necessárias para arrasar na prova.

E, para se destacar, você precisa fazer mais questões que os seus concorrentes, concorda?

Porém, é algo muito individual. Cada um tem seu jeito de estudar e se preparar. Então não existe regra para a pergunta: Quantos exercícios devo fazer por dia?

Mas vamos te mostrar jeitos certos e jeitos errados de fazer exercícios. Com certeza, ao final desse artigo, você vai se sentir mais preparado para estudar bastante e arrasar no vestibular no final do ano.

Então bora lá!

O jeito errado de fazer exercícios

O jeito errado é o jeito em que a maioria dos estudantes estudam. Eles assistem muitas aulas durante o dia, fazem poucos exercícios e depois param.

Por que essa maneira é errada? Porque quando você assiste a aula, você não cola um neurônio no outro. Apenas aproxima. Isso quer dizer que você não aprende a matéria, apenas entende.

Depois disso vai assistir um filme, descansar. Aí na hora de dormir, você apenas se lembra do momento de lazer, e acaba esquecendo do que estudou no dia.

Outro jeito errado é não fazer exercícios. Os exercícios são seu treino. Você já viu algum atleta conquistar uma medalha sem antes treinar muito para isso?

E por último, um outro jeito errado é pegar exercícios difíceis achando que vão te ajudar na prova. A única coisa que vai acontecer é você não conseguir resolver o exercício e ficar triste e desmotivado com isso.

Agora bora ver qual o jeito certo de fazer exercícios?

Banner geral

O jeito certo de fazer exercícios

Quando você for estudar, a melhor estratégia é começar pelos exercícios. Existem algumas matérias que tem formalizações, que você precisa ler alguns conceitos antes de começar, mas são exceções.

No geral, o ideal é começar pelos exercícios de fixação. São exercícios que vão te dar um diagnóstico, te mostrar o quanto você sabe daquele assunto.

Toda matéria tem exercícios de fixação, e normalmente são exercícios que tem base em uma outra matéria que você precisa saber para começar a estudar.

Se você tiver dificuldade nos exercícios, aí você vai para a aula, para fortalecer aquele conhecimento que agora você já sabe que está defasado.

O legal é que, como você já treinou com as atividades, a aula vai fazer mais sentido para você. O que vai te ajudar a aprender aquela matéria.

Quantos exercícios fazer por dia?

Depende rs. Mas é sério! Depende do tempo que você vai estudar por dia. Todos somos diferentes com rotinas diferentes. Então não tem uma resposta geral, mas uma resposta certa para você!

O que recomendamos aqui no Kuadro é que você gaste metade do seu tempo fazendo exercícios. Então se você tem 8 horas de estudos por dia, vai gastar 4 horas fazendo exercícios.

Agora, quantos exercícios você tem que fazer nessas 4 horas de estudo?

Você precisa ver qual o vestibular que você vai fazer. ENEM, Fuvest e outros vestibulares parecidos, são muitas questões. Você tem cerca de 3 minutos por cada questão.

Então já comece a fazer exercícios pensando que está lá na hora do vestibular, para se acostumar. 3 minutos cada exercício dá 20 questões por hora. Caso esteja no início da preparação, faça uns 15 exercícios por hora.

Então, na média, o ideal é fazer de 15 a 20 questões por hora.

Voltando ao exemplo de 8 horas de estudos diária, você vai fazer de 60 a 100 exercícios por dia.

Viu como não tem um número certo? Isso é individual de cada um, de acordo com sua rotina.

Mas é muito importante já no começo da preparação fazer exercícios pensando que está no vestibular. Isso é: sem consulta, sem interrupções e em média de 3 minutos!
Gostou do conteúdo? Separamos uma Super Aula para você ver certinho quantos exercícios fazer por dia. Só clicar aqui!

Como utilizar o método Pomodoro nos estudos?

Se preferir assistir o vídeo:

https://youtu.be/Dm5hOJ2quRw

Você já ouviu falar no método Pomodoro? Muitas pessoas ao redor do mundo estão utilizando esse método para tarefas simples do dia a dia, ou tarefas no trabalho e estão vendo os benefícios dessa ferramenta tão útil.

Se você não tem ideia do que estamos falando, calma, vamos te explicar como utilizar o método Pomodoro nos estudos e porque ele é tão eficaz para a concentração.

Continue lendo a seguir.

Qual a diferença entre procrastinação e distração?

Antes de mostrar como você pode utilizar o método Pomodoro nos estudos, vamos entender qual é a diferença de procrastinação e distração, já que ambos derrubam a produtividade nos estudos.

A distração é necessária para que o estudante consiga relaxar e se concentrar melhor. Por quê? Porque o cérebro cansado satura e deixa de absorver informações uteis. Mesmo que você acredite que isso não é necessário, principalmente em período de provas, você deve ter momentos de distração ao longo do dia.

Você vai conseguir tirar a atenção de algo que precisa de concentração e vai até um momento lúdico, de distração. Ela é extremamente saudável para o cérebro.

Por isso, recomendamos que nossos alunos tire o domingo de folga. Recomendamos que eles parem os estudos e façam atividades prazerosas.

Já a procrastinação é o ato de deixar para depois tarefas importantes, que precisam ser feitas. É quando você vai “empurrando com a barriga” e acaba não fazendo nada. Fique atento, pois, preparamos uma matéria exclusiva que explica melhor o que é procrastinação e como evitá-la.

Notou a diferença? Distração é necessário e procrastinação é um vilão da produtividade.

Precisamos tomar cuidado com a distração em excesso, ou distração na hora errada. Como por exemplo, mensagens de textos, redes sociais, tarefas desnecessárias, entre outras distrações.

Para evitar esses tipos de distrações, veja como utilizar o método Pomodoro nos estudos.

O que é a técnica Pomodoro?

A técnica Pomodoro é uma técnica de gestão de tempo, criada em 1988 por Francesco Cirillo. Ela auxilia no tempo tanto no trabalho quanto nos estudos. O principal objetivo da criação dessa técnica é utilizar o tempo da melhor forma possível. Com ela você consegue fazer tudo o que deseja e como deseja.

É interessante saber, que utilizando a técnica Pomodoro você consegue saber quais as atividades foram feitas e a quantidade delas, assim, você consegue medir a sua produtividade.

Quem pode utilizar a técnica Pomodoro?

Essa técnica foi desenvolvida especialmente para pessoas com mania de procrastinação, ou que adiam as coisas, como já vimos anteriormente. Essa técnica pode ser utilizada por:

  • Estudantes;
  • Concurseiros;
  • Profissionais vestibulandos;
  • Trabalhadores home office;
  • Pessoas que sofrem e ansiedade e não conseguem cumprir tarefas simples;
  • Entre outras pessoas.

Na verdade, qualquer pessoa pode utilizar essa técnica se desejar criar novos hábitos e otimizar melhor o tempo.

Como funciona a técnica Pomodoro?

Mas, como funciona o método Pomodoro?  O nome Pomodoro vem do Italiano, que significa tomate. Ele é uma ferramenta em formato de tomate mesmo, tipo aqueles timers de cozinha, e é dividido em quatro partes. Cada parte marca 30 minutos.

A técnica funciona assim: Você vai fazer uma lista de tarefas a fazer ao longo de um dia. Daí, escolha a primeira tarefa e coloque-a em prática por 25 minutos, depois, pare e descanse por 5 minutos. Depois, repita o processo até terminar todos os itens da lista.

Você vai perceber que conseguirá ser mais produtivo naquele dia.

Mas não se preocupe se você não tem o aparelho Pomodoro, é possível utilizar a técnica utilizando o timer do seu celular ou um despertador.

Como utilizar o método Pomodoro nos estudos?

Chegou a hora de saber como utilizar o método Pomodoro nos estudos. Se você está estudando para alguma prova, seja prova para vestibular ou ainda para o ENEM, essa técnica pode te ajudar.

Você pode dividir a técnica Pomodoro em temas. Por exemplo, se você está estudando para matemática, separe os períodos do Pomodoro por tópicos dentro da matemática, por exemplo:

  • 1 Pomodoro (25 minutos): Frações;
  • 2 Pomodoro (25 minutos): Equações;
  • E assim por diante.

Antes disso, analise e faça um planejamento da matéria a ser estudada e do tempo de estudos que você pretende aplicar. É claro que alguns assuntos vão precisar de mais de 1 Pomodoro, mas isso não é problema. Você só vai precisar continuar o assunto de onde parou, no próximo período de 25 minutos.

Por que método Pomodoro nos estudos?

Esse método Pomodoro funciona, porque pausando por 5 minutos, o seu cérebro vai recarregar as energias e sua concentração vai aumentar. Você ainda vai conseguir absorver mais informações.

Você ainda vai ter um maior poder de concentração, sem distrações. Agora que você já sabe como utilizar o método Pomodoro nos estudos, faça o teste e aplique o método!

Tenha bons estudos!

 

 

Por que você deveria fazer cursinho durante o Ensino Médio

O Ensino Médio é um período importante para muita gente. Além de aprofundar as matérias que são ensinadas no Ensino Fundamental, é nessa época que os jovens, geralmente, escolhem uma profissão. Essa é a principal razão que leva estudantes a escolher fazer cursinho preparatório durante essa fase.
O vestibular, que geralmente é feito no terceiro ano do Ensino Médio, é o exame que garante o ingresso dos estudantes às universidades. Por isso, a preocupação dos estudantes é grande quando ainda estão na escola.
Para aumentar as chances de ser aprovado rapidamente, muitos alunos estão fazendo cursinho, ao mesmo tempo em que concluem a escola. Quer entender mais a fundo essa escolha? Vamos as principais razões.

Base educacional fraca

Muitos jovens chegam despreparados ao momento do vestibular, o que geralmente acontece porque o aluno teve uma base educacional fraca. Assim, eles perdem a oportunidade de ingressar em um bom curso.
Infelizmente, o ensino público brasileiro tem falhas e, muitas vezes, deixa lacunas no aprendizado do aluno. Escolas particulares com poucos recursos também não conseguem passar aos estudantes tudo que o vestibular cobrará.
O jovem Lincoln Esteves, que estudou no cursinho pré-vestibular on-line do Kuadro, passou por isso antes de ser aprovado no IME. “Tanto meu Ensino Fundamental quanto o Ensino Médio foram em escolas públicas do Rio de Janeiro, na Baixada Fluminense. Então, eu não tive uma boa qualidade de ensino como o resto dos aprovados têm normalmente”, afirma.
Cursar o Ensino Médio e estudar em cursinho pode ajudar o aluno a identificar essas falhas e corrigi-las a tempo para a prova. Dessa forma, ele pode nivelar o conhecimento até conseguir atingir a aprovação na graduação que deseja.

Dúvida sobre que carreira seguir

Qual carreira você deseja seguir? Engenharia? Psicologia? Medicina? Geografia? Muitas vezes, o vestibular está chegando e o vestibulando ainda não decidiu que curso prestar.
Por envolver diversas questões, a escolha da profissão nunca é tão simples. O estudante deve levar em consideração, por exemplo, a área de que mais gosta, as matérias que irá estudar e rotina da carreira.
Quanto a isso, o curso para vestibular é um ótimo aliado. Geralmente, ele reúne profissionais formados em cursos distintos de várias áreas.
Dessa forma, o vestibulando pode perguntar a professores e outros funcionários (monitores, diretores) que curso eles fizeram e quais as especificidades de cada um. Com esse contato, ele ganha mais base para tomar uma decisão certeira.
No Kuadro, a orientação pedagógica também cumpre esse papel. O orientador, responsável por acompanhar o desenvolvimento do aluno, tem bastante conhecimento a respeito do perfil do aluno. Por esse motivo, a equipe pedagógica pode propor ao aluno algumas reflexões sobre essa escolha.

Banner geral

Direcionamento de estudo

Para quem deseja prestar cursos mais concorridos ou quer carreiras específicas, como as de instituições militares, muitas vezes, o Ensino Médio não oferece um estudo direcionado. Para alguns vestibulares é necessário que o aluno saiba conteúdos restritos, que o conteúdo do Ensino Médio não aborda.
Foi o que ocorreu com a jovem Bianca Campos, ex-aluna do cursinho para Medicina do Kuadro, aprovada na UNICAMP e na UNESP. “Não tinha um cursinho específico perto de mim, na minha cidade, que fosse viável fazer”, afirma.
Esse problema pode ser resolvido com o estudo simultâneo em um cursinho. Alguns oferecem turmas focadas em uma área ou em algum tipo de vestibular, como é o caso do Kuadro. Nelas, o aluno pode aprender o que precisa para o vestibular que deseja.

Diferença do cursinho para a escola

Antes de se inscrever em um dos cursinhos preparatórios, é importante que o estudante entenda qual é a diferença deles para a escola. Enquanto no Ensino Médio o conteúdo é passado para que o aluno entenda o conceito, no curso preparatório tem como foco passar no vestibular.
Portanto, no cursinho, o estudante encontra aulas mais objetivas e concisas. Além disso, nesse tipo de ensino, a revisão tem um papel muito grande. Diferentemente da escola, em que os professores costumam só revisar a matéria dias antes da prova, nas aulas para vestibular isso é feito com mais frequência.
Porém, para tirar o melhor proveito dessa jornada dupla, é necessário que o estudante se organize para otimizar o seu estudo. Com organização e dedicação, a aprovação na carreira que deseja estará mais próxima!

O cursinho on-line Kuadro

O Kuadro é uma ótima opção para quem deseja fazer um cursinho durante o Ensino Médio. Além do conteúdo completo oferecido, a orientação pedagógica e a flexibilidade de horário facilitam a adaptação à rotina do estudante.
Alguns dos nossos alunos comprovam isso, como é o caso do jovem Lucas Carvalho, aprovado em Engenharia Aeroespacial na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Por ser à distância, [o curso] era bastante maleável. Eu consegui adaptar aos meus horários, conciliar junto com o terceirão e acabou sendo a melhor escolha”, afirma o jovem.
Conheça os cursinhos preparatórios do Kuadro e escolha aquele que mais se adequa às suas necessidades.

Assuntos que mais caem na EsPCEx por disciplina

A prova da EsPCEx, forma de ingresso para a Escola Preparatória para Cadetes do Exército, é um dos vestibulares mais concorridos do país. Por isso, esse concurso exige uma alta preparação dos candidatos.

Para quem está se planejando para a EsPCEx, vale a pena saber quais assuntos mais caem. Confira os conteúdos mais solicitados por disciplina que preparamos para você!

Antes de conferir o blogpost, que tal dar uma olhada na Turma EsPCEx/AFA do Kuadro? Lá você vai encontrar como funciona a melhor plataforma online para concursos militares do Brasil. Vem com a gente!

Matemática

Na prova de matemática da EsPCEx, o principal assunto cobrado é Função, principalmente, a Função do 2º grau. Os conteúdos de Geometria Analítica e Espacial também são muito cobradas nesse exame.

A prova possui questões mais simples e diretas, em que o aluno apenas usa definições. Também há questões mais elaboradas, de elevado grau de dificuldade. Trata-se de uma prova bem conteudista em Matemática.

Assuntos:

  • Funções;
  • Geometria Analítica;
  • Geometria Espacial;
  • Equações Polinomiais;
  • Trigonometria;
  • Complexos;
  • Geometria Plana;
  • Logaritmos;
  • Binômio de Newton;
  • Polinômios,
  • Progressão Geométrica.

Português

As questões de língua portuguesa abordam questões específicas de Gramática, com foco em Sintaxe. Nas provas anteriores da EsPCEx, percebeu-se o uso de muitos textos, apesar de as perguntas serem bastante objetivas e claras.

Para essa matéria, é importante que o candidato estude os principais tópicos de gramática. Não basta apenas contar com a sorte de ir bem na interpretação de texto, pois esse exame não cobra apenas esse tipo de conteúdo.

Assuntos:

  • Gramática;
  • Literatura;
  • Interpretação de Textos;
  • Estilística;
  • Fonética,
  • Redação.

Química

Em química, a Físico-Química é o assunto mais cobrado. Nesse tema, o exame dá destaque para Termoquímica, Eletroquímica e Radioatividade.

Por outro lado, em Química Geral, a maior incidência é em Cálculo Estequiométrico e Equações Químicas. Se o estudante focar nesses conceitos e fizer bastante exercícios, chegará bem preparado para o vestibular.

Assuntos:

  • Físico-Química;
  • Geral;
  • Atomística,
  • Orgânica.

Banner Espcex

Física

Em física, o assunto mais cobrado, como quase todo vestibular, é Mecânica. Dentro de mecânica, estão assuntos como: Dinâmica, Estática, Cinemática, Trabalho e Energia, Hidrostática.

Na parte de Eletricidade, destaca-se Eletrodinâmica. A EsPCEx segue a tendência dos outros vestibulares e cobra assuntos como resolução de circuitos e aplicações da 1ª Lei de Ohm com recorrência.

Assuntos:

  • Mecânica;
  • Eletricidade;
  • Termologia;
  • Óptica;
  • Magnetismo,
  • Ondulatória.

Inglês

A prova de inglês tem foco em Interpretação de Texto, o que inclui vocabulário. Domínio desses dois assuntos já é suficiente para um ótimo desempenho.

Uma boa dica para o vestibulando, é criar seu próprio vocabulário em inglês. Para isso, é interessante anotar palavras novas quando lê ou assiste a uma série nesse idioma. Assim, a aluno garantirá bagagem para fazer o exame mais tranquilamente.

Assuntos:

  • Text comprehension;
  • Vocabulary;
  • Conjunction;
  • Adjectives and Pronouns;
  • Idiomatic expressions;
  • Prepositions,
  • The Passive Voice.

Geografia

A prova EsPCEx na parte de geografia se divide em dois grandes grupos: Geral e do Brasil. Em Geografia Geral, os três grandes tópicos cobrados são: Física, Humana e Geopolítica.

Já na Geografia do Brasil, os principais temas cobrados têm sido Economia, Espaço Físico e Geografia Humana. Fique atento às Atualidades, que estão dentro de Geopolítica, Humana e Econômica.

Geografia Geral:

  • Física;
  • Humana;
  • Geopolítica;
  • Econômica,
  • Questões ambientais.
  • Geografia Do Brasil:
  • Econômica;
  • Física;
  • Humana,
  • Questões Ambientais.

História

Para a prova de história, os assuntos são divididos em dois grandes tópicos: Geral e do Brasil. A parte de História Geral ocupa quase o dobro de questões, com destaque para Mundo Moderno e Mundo Contemporâneo.

Por outro lado, História do Brasil é uma prova mais abrangente. Entre os assuntos que mais caem na EspCEx estão Nova República e República Oligárquica, embora haja um equilíbrio entre todos os temas cobrados.

A prova de História também é bem conteudista e exige uma boa preparação do candidato. Nesse sentido, o estudante não pode apenas saber datas e eventos isolados. Ele precisa entender o porquê houve determinado acontecimento e qual a relação dele com outros episódios.

História Geral:

  • Mundo Moderno;
  • Mundo Contemporâneo;
  • Alta Idade Média,
  • Baixa Idade Média.
  • História do Brasil:
  • Nova República;
  • República Oligárquica;
  • Sistema Colonial;
  • Período Regencial;
  • Era Vargas;
  • Segundo Reinado;
  • Crise do Sistema Colonial;
  • Período Pré-colonial,
  • República Liberal (1946-1964).

Passe na EsPCEx e AFA com o Kuadro

O Kuadro conta com cursos desenhados especificamente para você construir sua carreira militar, estudando de casa no seu tempo.

Veja o depoimento de um dos nossos alunos que conseguiu a aprovação na EsPCEx:



Conheça o curso do Kuadro e veja como passar na EspCEX e na AFA.

Antiguidade Clássica: Monarquia e República Romana

Anteriormente a Monarquia e República Romana, tratamos de outros temas da Antiguidade Clássica, como Grécia Antiga e Atenas e Esparta.

Início: Monarquia e República Romana

Os romanos criaram o maior império da Antiguidade Clássica, que abrangeu a Europa, Ásia menor e norte do continente africano. Para além das suas dimensões geográficas, o conhecimento sobre a Roma Antiga é importante, pois, dela vieram grandes contribuições para o sociedade moderna.
Dos romanos herdamos o Latim (língua que dará origem ao português, espanhol, francês, italiano), o sistema jurídico, as formas de organização política e os primórdios do Cristianismo.
Não devemos, no entanto, olhar para o passado romano apenas como um modelo a ser seguido, mas sim analisar como se formaram essas instituições. Ou seja, pensar em que circunstâncias elas foram criadas, levar em conta as suas especificidades e lembrar que a História é uma construção dinâmica e constante. Também não podemos esquecer que, apesar de modificadas, essas instituições ainda estão presentes hoje.
Roma está localizada na parte oeste da península itálica e foi a capital do que viria a ser o Império Romano, que se estendeu do século VI a.C. ao IV d.C. Dividimos a história romana em três períodos, correspondentes a cada sistema político por qual passou: Monarquia, República e Império.

Monarquia (da fundação de Roma ao Século VI a.C.)

Além da versão histórica da fundação de Roma, a versão lendária permaneceu no imaginário romano ao longo dos séculos. Essa versão é narrada pelo poeta Virgílio, em sua obra Eneida.
Segundo a lenda, a cidade teria sido fundada por dois irmãos, Rômulo e Remo. Os irmãos seriam descendentes do herói troiano Enéas, por parte de mãe, e do deus Marte, por parte de pai. Ambos teriam sido abandonados e alimentados por uma loba. Na disputa entre os dois, Rômulo venceu e se tornou o primeiro rei de Roma em 753 a. C.

Lenda de Roma: Rômulo e Remo
Estátua de Rômulo e Remo com a Capitoline Museums

A península itálica era habitada por três principais povos: Latinos, Sabinos e Etruscos.
Roma foi fundada em um pequeno povoado na região do Lácio, com terras férteis, no centro da península no século VIII a. C. Esse povoado reunia uma série de aldeias que viveram sob o domínio de uma monarquia até o século VI a.C.. O rei dominava os clãs e detinha o poder e o comando do exército e da justiça, além da função de sacerdote.
A economia era essencialmente agrícola e a sociedade era dividia em três principais classes sociais: Patrícios (aristocracia), plebeus (homens livres sem direitos políticos) e escravos (endividados ou vencidos em guerras). A religião era politeísta e o rei era o sacerdote.
No fim do século VII a.C., a estabilidade romana foi quebrada por conta da força militar e política exercida pelos etruscos. Tarquínio, o Soberbo (rei etrusco) foi deposto por uma insurreição liderada pelos patrícios.
A monarquia foi abolida e o Senado passou a representar o poder supremo. Assim, configurou-se como um regime de características oligárquicas: a República.

República (séculos VI a.C. a I a.C.)

Na República, o governo passou a ser exercido pelos magistrados (administravam a República, eram eleitos) com assessoria do senado (possuía função legislativa, composto por família abastadas e era vitalício). As assembleias romanas nomeavam os magistrados e ratificavam as leis. Possuía caráter oligárquico pois era controlado pelos patrícios.
Os plebeus, marginalizados e descontentes com sua situação, passaram a ser fonte crescente de tensão. A Roma republicana vivia sempre a possibilidade de uma convulsão social.
Para tentar diminui-la uma série de medidas foram criadas. Entre elas estavam os Tribunos da Plebe (cargo eleito pelos plebeus que tinha o poder de veto sobre as decisões do senado) e a Lei das Doze Tábuas (primeira compilação das leis romanas).
Nesse período Roma se expandiu por toda a península se envolvendo em uma série de disputas, sendo as Guerras Púnicas (264 a 146 a.C.) as maiores (foram três grandes guerras). Roma enfrentou, nesses conflitos, Cartago pelo controle do comércio na bacia do Mediterrâneo. Roma saiu-se vitoriosa e Cartago foi destruída.

Mudanças na sociedade

As conquistas provocaram profundas transformações em Roma. O senado passou a administrar um vasto território. A riqueza convergia para a cidade, que era agora a capital do império.
A guerra passou a ser elemento chave da economia romana, pois gerava tributos, pilhagens e escravos. Por conta disso, a população cresceu rapidamente, aumentando com ela as tensões sociais.
Surgia também uma nova classe social, a dos homens novos (comerciantes) que ansiavam por maior participação política. O governo oligárquico não conseguia fazer frente a essa série de pressões sociais e políticas.
Em meio a esses conflitos surgiram ditaduras militares. A disputa por poder entre os líderes militares resultou na criação dos triunviratos (governo de três líderes político-militares).
O primeiro foi o de Júlio César, Pompeu e Crasso. Júlio César se tornou um ditador, instaurou uma série de reformas econômicas e deu mais poder ao senado, proclamou uma ditadura vitalícia, mas foi assassinado em 44 a.C.
O segundo foi composto por Marco Antônio, Otávio e Lépido. Otávio derrotou os rivais e se auto proclamou imperador e Augusto (“O divino). Derrubou a república e instaurou o Império Romano.
O que achou deste resumo? Deixe seu comentário!
Continue acompanhando o Blog do Kuadro para mais resumos teóricos e assista às Aulas Ao Vivo Gratuitas do Kuadro

7 Erros que Podem te Impedir de Passar em Medicina

Em quase todas as universidades do país, o curso de Medicina é o mais concorrido do vestibular. De acordo com o site da Agência de Notícias Unesp, por exemplo, no vestibular 2018 da Unesp a relação candidato-vaga foi de 312,7 para o curso de Medicina. Para ultrapassar a grande concorrência, é necessário vencer alguns obstáculos na hora de estudar. Conheça os 7 erros que podem te impedir de passar em Medicina e o que fazer para acabar com eles!

1. Desorganização

Para o vestibulando de Medicina, organização é fundamental. A prova exige que o candidato domine muitos conteúdos de diferentes disciplinas.
Para conseguir estudar tudo a tempo da prova, você precisa de uma rotina de estudos. Organizar seu tempo e fazer planos a curto, médio e longo prazo, traçando metas possíveis. Para isso, é ideal ter um horário e um cronograma de estudos!
O horário de estudos é o planejamento dos períodos que você vai estudar no dia e na semana. Para montá-lo, você precisa primeiro ter o cronograma de tudo que precisa estudar até o vestibular que deseja.
O ideal é que você reveja seu horário de estudos a cada semana, para que nenhum conteúdo seja esquecido (caso você se atrase ou se adiante em seus estudos).
Já o cronograma deve incluir todos os conteúdos que você precisa estudar durante o ano, ou seja, atende a organização a longo prazo.
Veja abaixo como montar seu horário de estudos:

2. Destinar pouco tempo aos estudos

Tem a rotina cheia e não consegue destinar tempo suficiente aos estudos? Infelizmente, nessa etapa pré-vestibular é necessário estabelecer prioridades.
Para passar em Medicina, algumas vezes você terá que destinar parte do tempo que passa nas redes sociais ou fazendo outras atividades para os estudos.
Se você já reduziu o tempo destinado a outras atividades, provavelmente o que falta para você é aproveitamento do tempo. Para isso, a organização com cronograma e horário de estudos serão suficientes para você aproveitar melhor seu tempo disponível.
Lembrando que dormir pouco, se alimentar mal e não ter momentos de lazer não só fazem mal à saúde. Esses hábitos podem te prejudicar ao longo do ano e até mesmo no dia do exame. Então busque equilibrar sua rotina.

3. Desinteresse nos estudos

O desânimo te domina só de pensar em um exercício? A saída para isso é encarar os estudos de duas maneiras: como um prazer, por ganhar conhecimento, e como o caminho para algo que você deseja muito.
Você pode pensar “mas eu não me interesso por esse conteúdo” ou “não usarei isso para nada”, mas é possível encarar as matérias do vestibular como repertório para sua vida.
A Física Elétrica pode ser útil para trocar um chuveiro quando você estiver na faculdade, morando sem seus pais; a História do Brasil pode te ajudar a entender os problemas da cidade onde você mora.
Se ainda assim isso não te motivar, pense que são esses conteúdos que te levarão até a vaga no curso que você sempre sonhou. Leve em consideração também o peso de cada disciplina no vestibular de Medicina. Os conteúdos são seus parceiros nessa caminhada, não seus inimigos.

4. Não trabalhar sua confiança

Esse erro é muito comum em vestibulandos de Medicina por diversos fatores. Muitos acreditam que não têm preparo psicológico ou que não sabem o suficiente para passar. Em ambos os casos, é importante trabalhar sua mente de maneira positiva para enfrentar essa insegurança.
Se sente que a pressão para o curso é muito grande, procure ajuda. Converse com professores, orientadores do curso ou colégio em que você estuda, pais e amigos. Se não se sentir compreendido por essas pessoas, buscar ajuda profissional pode ser uma saída. Comunique seus medos e suas necessidades, muitas vezes colocar para fora ajuda a amenizar a angústia.
O medo de não saber o suficiente também pode ser trabalhado. Conforme você estuda, especialmente quando tem uma boa orientação, acertar os exercícios se torna mais fácil. Quanto mais exercícios você acerta, mais sua segurança e confiança em si mesmo aumentam!
Lembre-se de que todos os anos, em todas as universidades, dezenas de alunos são selecionados. Você só precisa de uma vaga! Acredite que é possível.
O Kuadro te guia passo a passo.

5. Procrastinação

Você sabe que precisa estudar, sabe em quais disciplinas focar mas vai empurrando o momento de estudos para depois? Essa prática é muito prejudicial para o seu desempenho no vestibular!
Para evitar a procrastinação, procure se organizar. Siga o que se propôs em seu cronograma e horário de estudos. Foque no seu objetivo e treine a si mesmo para, quando o desânimo surgir, você dizer a si mesmo “vou fazer isso agora!”.

6. Falta de concentração

Com a quantidade de assuntos que um vestibulando de Medicina precisa compreender, é muito importante ter concentração para garantir o aprendizado.
Para melhorar seu foco nos estudos, busque sempre um lugar tranquilo para estudar, confortável, com pouco barulho e boa iluminação. Evite deixar o celular perto, pois as notificações e mensagens atrapalham seu foco.
Além disso, procure estar descansado e bem alimentado na hora de estudar. Às vezes a falta de concentração é causada por fatores fisiológicos (sono, desgaste mental, fome, entre outros).

7. Não valorizar conteúdos básicos

Se você tem dificuldade para aprender conteúdos mais complexos, provavelmente houve falhas no seu aprendizado em conteúdos básicos. Comece pelos exercícios mais simples de teorias básicas e siga para os mais complexos somente quando se sentir seguro.
Faça perguntas para professores e monitores. Eventualmente, procure amigos didáticos que saibam o conteúdo para te ajudar! O que não vale é ficar com dúvida!
O que achou desse conteúdo? Esperamos que tenha te ajudado!
Para mais textos sobre Vestibular, continue acompanhando o Blog do Kuadro!

Seis Perfis do Instagram Sobre Vestibular para Ajudar nos Estudos

Se engana quem pensa que o Instagram serve apenas para acompanhar as fotos de viagens dos amigos ou ver vídeos de receitas! A rede social pode ser de grande ajuda na hora de estudar ou ficar informado sobre o vestibular dos seus sonhos! Por isso, selecionamos cinco perfis do Instagram sobre vestibular para você acompanhar de perto!

1. Professor Noslen

Com quase 30 mil seguidores, Noslen é professor de Língua Portuguesa e Redação. É licenciado em Letras: Português – Espanhol, youtuber de educação com o canal Professor Noslen e um dos principais perfis do Instagram sobre vestibular.
Em seu perfil do instagram, Noslen publica diversas dicas e conteúdos rápidos de Português e Redação para tornar o estudo de Linguagens mais leve.

2. Matemática Rio

Idealizado pelo matemático Rafael Procopio, o perfil Matemática Rio tem mais de 50 mil seguidores e tem foco total em Matemática. Procopio é um dos embaixadores do YouTube EDU, uma subdivisão da rede Youtube focada em ensino e aprendizagem.
O perfil Matemática Rio divulga desafios rápidos, conceitos e imagens de humor para seus seguidores. A ideia é tirar a imagem negativa da Matemática e tornar o estudo mais prazeroso.

3. Física Total

O perfil Física Total, comandado pelo professor Ivys Urquiza, tem 31 mil seguidores no Instagram. O curso Física Total tem também um canal no Youtube, que apresenta vídeos sobre conteúdos de Física.
No Instagram, as postagens também buscam tornar o estudo de Física menos pesado e mais atrativo, além de motivar o aluno a estudar.

4. Paulo Valim, do Química em Ação

Fundador do projeto Química em Ação e embaixador do YouTube EDU, Paulo Valim tem quase 53 mil seguidores no Instagram.
O perfil do professor no Instagram divulga alguns conteúdos bem-humorados e exercícios. Seu intuito é abordar a Química de maneira mais divertida e didática.

5. Kennedy Ramos, do BioExplica

Kennedy Ramos é biólogo e fundador do BioExplica, um projeto voltado para a Biologia cobrada no vestibular. Quando o assunto é o estudo da vida, a conta de Ramos na rede social é um dos maiores perfis do Instagram sobre vestibular.
Seu perfil no Instagram atualmente tem 62 mil seguidores e divulga conteúdos divertidos e motivacionais relacionados a Biologia e estudo para vestibular.

6. Kuadro

Claro que não podia faltar o nosso perfil no Instagram, né?
Lá você encontra dicas de várias disciplinas e se informa sobre as notícias dos principais vestibulares do Brasil! E, claro, fica por dentro de tudo que rola aqui no Kuadro!

Sentiu falta de outros perfis do Instagram sobre vestibular?

Acompanha influenciadores digitais que não estão nesta lista? Conta pra gente quem são nos comentários!
Para outros conteúdos relacionados a estudos e vestibular, continue acompanhando o Blog do Kuadro e o Canal do Kuadro no Youtube!

Como a Flexibilidade de Horário de Cursinhos Online Ajuda nos Estudos

A qualidade do aprendizado de um vestibulando depende de diversos fatores. Além de um bom cronograma de estudos e de materiais completos, o estudante precisa estar fisiologicamente bem. Isso quer dizer que cansaço e sono dificultam que o rendimento. Para resolver isso, estudar pela internet é uma das principais estratégias. Neste post, te contaremos por que a flexibilidade de horário de cursinhos online melhora o rendimento dos estudos.

Tempo de despertar do cérebro

Um estudo feito pelo especialista do sono Paul Kelley, da Universidade de Oxford, constatou que pessoas com idade próxima aos 20 anos idealmente devem acordar às 9h30 da manhã.
Isso porque o cérebro trabalha dois processos durante o sono, um de alerta e outro de insistência no sono. O processo de alerta é comandado pelo hormônio orexina. O processo de insistência no sono, por sua vez, é liderado pelo hormônio melatonina.
O que acontece com os jovens é que, aos 20 anos, a orexina não consegue se sobrepor à melatonina antes da metade da manhã, por volta das 9h30.

Flexibilidade de horário de cursinhos online

Essa é a razão para escolher um cursinho virtual. Em um cursinho online os conteúdos ficam disponíveis na plataforma e o aluno não precisa estudar especificamente em um local e em um horário. É ele quem escolhe a que horas prefere começar a estudar.
A flexibilidade de horário de cursinhos online permite que o aluno escolha qual o melhor horário para estudar de acordo com seu rendimento.
As conclusões do estudo de Paul Kelley explicam também por que muitos jovens não se adaptam aos estudos em instituições presenciais. As aulas geralmente se iniciam às 7h, o que é bem mais cedo do que o “horário ótimo” de despertar dos jovens.

Na prática

Markan Filho, orientador pedagógico do Kuadro, acompanha o desenvolvimento de alguns alunos da plataforma. Markan confirma a preferência em relação aos horários de estudo. Segundo o orientador, a maioria dos alunos que estudam para o vestibular integralmente no Kuadro preferem estudar no período da tarde, fugindo do início da manhã.
José Braga é aluno do curso ITA-IME do Kuadro. Ao ser questionado sobre os períodos em que mais rende nos estudos, responde: “Manhã e tarde. Mas não muito no começo do manhã, mais para o meio, por volta das 9h”.
Já entendeu como a flexibilidade de horário dos cursinho online pode te ajudar a melhorar seu rendimento, né?
Quer mais dicas e informações sobre estudos e vestibular? Continue acompanhando o Blog do Kuadro e o Canal do Kuadro no Youtube.

Trabalhar e Fazer Cursinho Online Ao Mesmo Tempo é Possível?

Para muitas pessoas no Brasil hoje, trabalhar não é sinônimo de deixar de estudar. Alguns profissionais desejam aprimorar sua carreira, outros desejam mudar de área. Em ambos os casos, é comum a procura por ajuda de instituições de educação, especialmente virtuais. Mas normalmente essas pessoas se preocupam com o cansaço que trabalhar e fazer cursinho online ao mesmo tempo pode trazer.
Considerando essa preocupação, neste post explicaremos por que essa é uma opção possível e, além disso, quais as vantagens dessa escolha.

Flexibilidade

As plataformas virtuais são conhecidas por sua flexibilidade, tanto em relação ao horário quanto ao local. Quem estuda online não precisa assistir a aulas exclusivamente em um horário ou lugar.
A plataforma online permite que o estudante escolha o horário mais adequado para seus estudos, além de dar flexibilidade em relação ao lugar onde vai estudar: em sua própria casa, na casa de outra pessoa, em uma biblioteca… onde for melhor.

Por essas razões, trabalhar e fazer cursinho online se torna mais fácil do que estudar presencialmente. O profissional não precisa sair apressado do trabalho para estar fisicamente no cursinho em determinado horário. Ele tem mais autonomia para escolher o que é melhor.

Administração do cansaço

Para quem trabalha e faz cursinho ao mesmo tempo, administrar o cansaço é essencial. Trabalhou muito em um dia e precisa descansar mas tem medo de perder a matéria? Isso não acontece se você estuda online.
O profissional que faz cursinho online pode (com responsabilidade, é claro) escolher descansar em um dia e no outro compensar os estudos. Não há a ameaça de perder conteúdo, porque a matéria pode ser acessada posteriormente na plataforma, diferentemente de como acontece em um curso presencial.
Essa administração deixa o aluno menos ansioso e aumenta sua produtividade.

Organização

Trabalhar e fazer cursinho online exige bastante organização, pois são duas atividades que exigem bastante tempo.
Então, embora seja desafiador, optar por ambos ao mesmo tempo fará você aprenderá a organizar e otimizar o seu tempo para dar conta de fazer o que precisa.

Qual a vantagem de trabalhar e fazer cursinho online no Kuadro?

Além dos pontos positivos apontados acima, estudar no Kuadro ainda dá um benefício a mais para quem trabalha: orientação pedagógica.
A função do orientador pedagógico é acompanhar os alunos em seu desenvolvimento e processo de aprendizagem. Ele não deixa o aluno desanimar e o incentiva a manter o ritmo de estudos.
Para isso, ele conhece bem o aluno, compreende seus desejos e medos, quais suas habilidades e em quais conteúdos ele tem mais dificuldade.
Para quem trabalha, esse apoio é essencial. Conhecendo o aluno, o orientador pedagógico poderá montar um horário de estudos adaptado à rotina de trabalho. Ele ainda saberá motivar o aluno em momentos de cansaço por causa do trabalho.

O apoio pedagógico é oferecido para todos os alunos. Por isso, para quem trabalha o cursinho online Kuadro é uma boa escolha!
O que achou deste conteúdo? Deixe seus comentários!
Continue acompanhando o Blog e o Canal do Kuadro para mais conteúdos interessantes!

Por Que é Tão Importante Cursar Faculdade no Brasil?

Para muitas pessoas, cursar uma faculdade parece um passo muito distante. Mas, para outras, a faculdade é apenas mais uma etapa a ser concluída. Hoje, no nosso país, fazer o ensino superior ainda é uma conquista que poucos conseguem. Mas, afinal, por que é tão importante cursar faculdade no Brasil? Nós explicamos.

Para o mercado de trabalho é importante cursar faculdade no Brasil?

No mundo hoje, para viver bem é essencial ter um trabalho. Trabalhar te dará recursos financeiros para ter autonomia e qualidade de vida. Existem incontáveis áreas e tipos de trabalho, divididos formalmente entre o primeiro setor (agropecuária e extrativismo), o segundo setor (indústria) e o terceiro setor (prestação de serviços e comércio).
Todos os tipos de trabalho, independentemente da área, são dignos e essenciais para a economia do país hoje. Cada um exige características e conhecimentos específicos.  Mas, para todos os setores, quanto mais conhecimento um funcionário tem, mais “valioso” ele é. Isso porque ele pode utilizar seus saberes para melhorar e desenvolver suas atividades e, consequentemente, ajudar a instituição para a qual ele trabalha.

Para o mercado de trabalho é importante cursar faculdade no Brasil
O mercado de trabalho valoriza profissionais com muito conhecimento.

Para quem estuda, a faculdade é a etapa seguinte ao ensino médio. É nela que o estudante vai continuar adquirindo conhecimento, o qual ele pode colocar em prática no seu trabalho. Por essa razão, trabalhadores que cursam uma faculdade costumam ser mais valorizados em suas áreas.

A educação básica no Brasil

Além dessa situação geral do mercado de trabalho, o estágio atual da educação básica no país também contribui para que seja tão importante cursar faculdade no Brasil.
Hoje, a educação pública muitas vezes não dá conta de formar um profissional completo para determinadas áreas. O sucateamento, ou seja, o abandono da educação pública faz com que um profissional que tenha “apenas” o ensino básico não seja tão valorizado, pois pode ficar subentendido que seus conhecimentos sejam limitados.
Lembrando que isso não é uma regra e que pessoas que estudaram até o Ensino Médio não são inferiores a quem fez uma faculdade.

Emprego na área de Educação

Assim como para a maioria das carreiras, para trabalhar como professor também é importante cursar faculdade no Brasil.
Quem deseja dar aulas de disciplinas básicas da educação pública (Matemática, Português, História, Biologia etc) no ensino fundamental e médio precisa cursar uma graduação naquela área do conhecimento no formato de licenciatura.
Para quem deseja ministrar aulas para a Educação Infantil é exigido cursar Pedagogia.
Se a intenção é dar aulas em Universidades, o caminho ainda é um pouco maior: além da graduação é necessário também uma pós-graduação (mestrado e/ou doutorado).

Além do âmbito profissional…

Já deve ter ficado clara a importância do Ensino Superior para ingressar no mercado de trabalho, especialmente na área de Educação. Mas há uma razão especial, desvinculada de carreira e dinheiro, para você fazer faculdade: o conhecimento.

Por que é tão importante cursar faculdade no Brasil
Ao ingressar na Universidade, o aluno tem contato com conhecimentos variados.

A quantidade de assuntos aos quais um universitário tem acesso é imensa. Não à toa as universidades têm esse nome: elas vêm de “universo”. Quando um estudante entra na universidade, seu leque de conhecimentos aumenta muito. Ele estabelece contato com muitos professores e profissionais e tem maior acesso a livros, documentos e conteúdos em outros formatos.
Saber das coisas te torna mais independente. Se você tem conhecimento sobre algo, não depende sempre de outras pessoas para explicá-lo.
Além disso, o ensino superior funciona de maneira muito diferente do médio e do fundamental. O processo de aprendizagem depende mais do aluno do que do professor, o qual representa um papel de “mentor” e não entrega todos os conteúdos de maneira tão didática (como ocorre nas outras etapas da educação).
Nesse processo, o aluno ganha autonomia e aprende a buscar os conhecimentos sem esperar que alguém o entregue  pronto.
Em resumo, o conhecimento é uma ferramenta essencial para que um indivíduo consiga desenvolver suas potencialidades. E fazer uma faculdade te ajudará nesse processo.
Como muito bem afirmou o físico Albert Einstein: “As pessoas podem tirar tudo de você, menos o seu conhecimento”.
Gostou desse texto? Continue acompanhando o nosso Blog e curta o canal do Kuadro para mais conteúdos que vão te ajudar!

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF