3 dicas infalíveis para ler os livros que caem no vestibular

Vamos combinar que, com tanta coisa legal para fazer por aí, a última coisa que queremos é sentar para ler um livro escrito em 1800!

Pode confessar! Quando você vai checar a lista dos livros obrigatórios para o vestibular, cruza os dedos para encontrar “Harry Potter” ou “Game of Thrones”, não é verdade?

Nós podemos imaginar, mas a realidade está mesmo em títulos clássicos como “Iracema” e “Dom Casmurro”: os mais cobrados no Enem e nos vestibulares que garantem vaga nas melhores universidades do Brasil.

Por essa razão, os redatores do blog do cursinho online Kuadro decidiram te ajudar. Vamos deixar você por dentro das obras exigidas pelos principais vestibulares do país e, de quebra, mostrar que dá para curtir a leitura dos grandes nomes da literatura nacional e mundial.

A professora Érica Heredia, que dá orientação pedagógica aos alunos da plataforma Kuadro, tem ótimas dicas para acelerar as leituras e fixar o conteúdo dos livros. Depois desse guia completo você vai ficar com as histórias na ponta da língua e deixar todos os concorrentes para trás!

  1. A maioria dos clássicos apresenta um português formal, que não usamos mais no cotidiano. A primeira dica, então, é procurar o significado das palavras desconhecidas. Não precisa ficar folheando o dicionário, hoje existem aplicativos e sites que dão conta disso rapidinho!

  2. Como absorver a grande quantidade de livros recomendados? A palavra de ordem aqui é “organização”. A lista de leituras é divulgada com bastante antecedência, então monte um cronograma. Estipule horários de leitura e estabeleça metas que te motivem a progredir.

  3. Para fixar o conteúdo lido, a dica valiosa é fazer uma ficha ou resumo para cada livro. Isso ajudar a reter partes importantes da história e pode ser usado mais perto da prova. O aluno pode relembrar os principais aspectos da obra relendo suas anotações.

Fazer essa ficha é simples: o aluno deve separar cartões pautados ou folhas soltas e, após realizar a leitura completa da obra, ele deve anotar as seguintes informações: contexto histórico no qual a obra está inserida, escola literária a qual pertence, ideias gerais e valores da obra na literatura brasileira ou mundial, personagens principais, enredo e biografia básica do autor.

Agora que você já está munido de todas as informações que precisa, só falta pegar um cafezinho ou um chocolate quente e aproveitar a sua leitura! Boa sorte!

A seguir, a lista de livros obrigatórios dos vestibulares de 2021 mais disputados do Brasil:

LIVROS QUE CAEM NA FUVEST

  • Poemas Escolhidos, de Gregório de Matos

  • Quincas Borba, de Machado de Assis

  • Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade

  • Angústia, de Graciliano Ramos

  • A Relíquia, de Eça de Queirós

  • Mayombe, de Pepetela

  • Campo Geral, de Guimarães Rosa

  • Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles

  • Nove Noites, de Bernardo Carvalho

Banner geral

LIVROS QUE CAEM NA UNICAMP

  • Sonetos selecionados pela Comvest – Luís de Camões    

  • Sobrevivendo no Inferno – Racionais Mc’s

  • O espelho – Machado de Assis

  • O marinheiro – Fernando Pessoa

  • A falência –  Júlia Lopes de Almeida    

  • O Ateneu – Raul Pompéia 

  • Sermões selecionados pela Comvest – Antonio Vieira

 

LIVROS QUE CAEM NO VESTIBULAR DA UERJ

  • Triste fim de Policarpo Quaresma – Lima Barreto: 1º Exame de Qualificação

  • Assim na terra como embaixo da terra – Ana Paula Maia: 2º Exame de Qualificação

  • 1984 – George Orwell: Prova de Redação

  • Os sonetos – Luiz de Camões: Prova de Língua Portuguesa e Literaturas

 

LIVROS QUE CAEM NO VESTIBULAR DO ITA

  • O alienista – Machado de Assis

  • São Bernardo – Graciliano Ramos

  • A hora e a vez de Augusto Matraga – Guimarães Rosa

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) ainda não divulgou as obras do seu vestibular de 2021, então essas obras são as que caíram no vestibular 2020.

Se você vai fazer o ENEM, prestar a Fuvest, tentar a Unicamp ou o ITA deve ter se assustado com essa quantidade de livros. São muitos vestibulares, muitos conteúdos e pouco tempo… Mas fazer a leitura dos livros exigidos colocará você à frente de seus concorrentes. Estude cada obra na íntegra.

Curtiu esse post? Deixe seu comentário!

Continue acompanhando o Blog do Kuadro e assista às nossas aulas gratuitas e vídeos informativos no nosso canal do YouTube!

7 verdades sobre o perfil do aprovado no ITA

Não existem dúvidas sobre o quanto é concorrido o vestibular do Instituto Tecnológico de Aeronáutica. No último concurso, cerca de 10 mil pessoas concorreram às 110 vagas disponíveis. Portanto, não é tão simples ser um dos candidatos aprovados no ITA.

Pensando nessa realidade de milhares de estudantes, preparamos um conteúdo sobre o perfil de quem passa no vestibular. A pesquisa levou em consideração os iteanos que irão se formar em 2021. Confira!

1 – Mais de 19 anos

Os alunos concluem o ensino médio no Brasil, em sua maioria, com 17 ou 18 anos. Porém, mais da metade dos aprovados no vestibular do ITA possuem mais de 19 anos. Esse número apenas reforça um fato que deve você deve entender o quanto antes: o projeto de ser aprovado nesse vestibular é de médio/longo prazo.

Uma das justificativas para está na qualidade da concorrência. Por já estarem estudando há algum tempo, muitos alunos já começam o ano com um nível muito alto de conhecimento e maturidade. Sem dúvida, a experiência conta muito para a aprovação.

2 – Média de vestibulares

Apesar da variedade de motivos pelos quais os alunos querem passar no ITA, em média, os estudantes seguem uma mesma trajetória (pelo menos a princípio). O aluno vislumbra estudar na instituição, antes de começar a se preparar de maneira eficiente para isso.

O que ocorre, em quase 100% dos casos, é o aluno se assustar com o nível de dificuldade da prova ao ter contato direto pela primeira vez. Mesmo todos sabendo que a prova é difícil, só quem realiza o vestibular entende essa realidade.

Após essa primeira experiência, o candidato normalmente percebe a necessidade de realizar uma preparação mais específica e busca algum tipo de suporte e acompanhamento. Os aprovados fizeram o exame, em média, quatro vezes até conquistar a vaga.

3 – Base fraca

Todos os aprovados que participaram da pesquisa responderam como consideravam a sua base de conhecimento nas matérias exatas e português antes de começarem a se preparar. A maioria das respostas variou entre fraca e média.

Esse resultado é importante porque desconstrói uma impressão que muitos estudantes têm sobre o perfil do iteano. Muitos acreditam que aqueles que passam são gênios que sempre tiveram enorme facilidade de aprendizado e que passaram por poucas dificuldades ao longo da sua preparação.

Entretanto, como podemos ver pelos dados levantados, a genialidade não é uma característica presente no iteano. Na realidade, o perfil de quem passa na prova do ITA é o de pessoas conscientes de que estão defasadas em relação aos demais candidatos, mas que confiam em sua capacidade.

4 – Tempo de preparação

Os estudantes se preparam, em média, por 2,1 anos para alcançarem a tão sonhada vaga. Contamos tanto o tempo que o aluno gasta estudando sozinho quanto o tempo em que ele estuda com algum tipo de acompanhamento de um curso, seja presencial ou on-line.

Além disso, de acordo com a nossa pesquisa, o tempo médio de preparação mensal foi de 30 a 60 horas. Os que responderam com números próximos de 50 horas semanais consideraram o tempo de aula, enquanto os alunos que não consideraram isso, em sua maioria, disseram estudar menos de 30 horas semanais.

Caso o aluno busque um curso preparatório para o ITA online, esse tempo muda, visto que o tempo de estudo fora de aula é bem maior e por consequência mais produtivo – esses alunos estudaram em torno de 42 horas semanais.

5 – Base é importante

Quando você começa a se preparar para o vestibular do ITA, o fator que vai determinar o tempo que será necessário para a sua aprovação é a sua base de conhecimentos. Ou seja, a quantidade de conteúdos que você já aprendeu até o momento. Assim, o seu ponto de partida depende do quanto você já se sentir preparado. Todos os alunos que consideravam que possuíam uma base muito fraca demoraram pelo menos 3 anos para passar.

Para quem considerava ter base fraca, 72% precisaram de 3 anos ou mais de cursinho e 24% precisaram de 2 anos de preparação. Já os que consideravam a sua base média ou boa, demoraram em média 2 anos para serem aprovados. Até mesmo para aqueles que consideravam que possuíam uma base muito boa, apenas 60% conseguiu a aprovação em 1 ano de estudos.

Como você pode ver, o ponto de partida importa bastante, mas não deve ser um fator de desmotivação. Mas, sim, para você ter uma ideia da dimensão do caminho a ser seguido.

Banner ITA/IME

6 – 40% querem ser engenheiros

Você pode estar se perguntando o porquê tão poucos alunos que pleiteiam uma vaga em um curso de engenharia não pretendem seguir na carreira.

Há duas razões principais para esse cenário:

  • A primeira justificativa para essa pergunta é que o profissional que se forma em engenharia desenvolve qualidades que podem ser úteis em outras áreas do mercado de trabalho. Além disso, o mercado atual para os engenheiros está desaquecido.
  • A segunda e mais relevante justificativa é a de que inúmeras empresas — muitas delas que nem sequer trabalham com engenharia — gostam muito do perfil iteano e desejam contar com essa força de trabalho em seus negócios. Companhias financeiras, estratégicas e de educação estão recrutando esses profissionais.

7- Apoio da família é essencial

A maioria dos novos iteanos apontam o apoio da família como um diferencial para a aprovação. Ao responderem a pergunta sobre qual foi pessoa que mais manifestou apoio durante toda a preparação, 76,6% responderam como sendo pais, irmãos ou outro ente familiar.

É muito importante ter um bom relacionamento familiar. O bem-estar dentro de casa e a sensação de ser apoiado são determinantes para que o estudante consiga se concentrar em um único problema: passar no ITA. Conte com o Kuadro para ajudá-lo a ter o perfil do aprovado no ITA. Aqui você pode aprender e ir muito mais longe. Inscreva-se já!

Passar no ITA é possível

Muitos desistem de tentar a aprovação no ITA devido à alta concorrência e dificuldade da prova.

Mas a verdade é que passar na prova do Instituto Tecnológico de Aeronáutica depende de uma boa rotina de estudos e preparação.

Conheça algumas dicas para montar seu ritual de estudo e passar no ITA:

Veja também como o curso preparatório do Kuadro pode te ajudar a conquistar a aprovação no ITA.

Como ir bem na prova objetiva de matemática da FUVEST?

Quanto mais concorrido é um processo seletivo, maior é o tempo de estudo necessário para chegar ao nível exigido pela prova. Esse é o desafio de quem quer passar na USP. Nesse aspecto, a Matemática da Fuvest costuma ser um dos aspectos mais temidos pelos estudantes. As questões dessa disciplina não deixam a desejar no quesito dificuldade. À primeira vista, isso pode até parecer uma notícia ruim. Porém, se essa parte da prova for bem aproveitada, ela se transformará em um diferencial para a sua aprovação.

Confira as últimas provas

É extremamente importante conhecer a prova da Fuvest. Um dos maiores problemas que os estudantes encontram é identificar qual conteúdo deve ser priorizado. Ou melhor, o que deve ser mais estudado durante a preparação. Uma ótima maneira de prever quais conteúdos podem cair com maior peso é observar as provas anteriores do mesmo vestibular. A Fuvest possui um “perfil” de exame que sofre pouquíssimas alterações ao longo dos anos. É um vestibular previsível. Essa dica também vale para as carreiras que tem Matemática na 2º fase. Nessas situações, é importante que o estudante saiba como resolver as questões dissertativas e não apenas encontre um valor, como ocorre na objetiva. O vestibular também costuma repetir assuntos na prova dissertativa.

Banner geral

Tendências observadas

Ao observar as últimas provas de Matemática na Fuvest, é possível perceber que alguns assuntos se repetem. Portanto, embora seja importante o aluno saber o máximo de conteúdo, alguns pontos ele deve, simplesmente, dominar. Nós do Kuadro observamos algumas características dessa disciplina no vestibular da USP. Confira!

  • A maior parte das questões cobra puramente Matemática básica. Isso evidencia que nem sempre é necessário aprofundar demais nos conteúdos para resolver uma questão da Fuvest. A existência desse tipo de questão só comprova que, para ir bem nessa prova, é fundamental ter uma boa base em Matemática;
  • Um terço da prova de Matemática é geometria, seja ela plana, espacial ou analítica. Uma dica é focar bastante na geometria plana, que sempre é utilizada como ferramenta na resolução de questões de analítica e espacial;
  • Conhecer bem as funções mais comuns (1º e 2º grau, logarítmica, exponencial, trigonométrica e modular) é uma ótima ideia. Além de te ajudar a resolver as questões específicas desse conteúdo, também te fornecem uma boa base para resolução de exercícios de outras partes da Matemática;
  • Análise combinatória é uma matéria que não cai com tanta incidência como as outras que já citamos. Contudo, é interessante ir para a prova preparado e na expectativa de encontrar ao menos uma questão desse conteúdo,
  • Polinômios, sequências, números complexos, sistemas, matrizes e determinantes são matérias bem importantes, mas que não caem com tanta frequência na primeira fase do vestibular da USP. Isso não significa que você pode ir para a prova sem saber esses conteúdos. Mas que você pode priorizar outras partes da Matemática que você sente mais dificuldade quando for estudar.

Conclusão

A Matemática para o vestibular não é um assunto simples, mas também não é um bicho-de-sete-cabeças. Com paciência, empenho e material adequado, qualquer pessoa pode ser dar bem nessa disciplina — até mesmo quem é “de Humanas”. Além de ter um peso importante para a Fuvest, a disciplina também ajuda nos conteúdos de Exatas (Física e Química). Por isso, não negligencie essa matéria tão importante que poderá te levar à aprovação. Seguindo as dicas acima, não tem erro. Você enfrentará de igual para igual a prova objetiva dessa matéria, sem nenhuma dúvida. Mas caso ainda exista alguma, não perca tempo! Escreva aqui nos comentários o que achou e o que mais você deseja descobrir sobre os vestibulares. Além disso, no Kuadro você conta com um excelente cursinho on-line, que inclui aulas dinâmicas e material de qualidade. Aprenda o que cai de Matemática na Fuvest com mais facilidade e esteja mais preparado para alcançar os seus objetivos!

O que cai na prova de Matemática do ENEM?

Apesar de ter 45 questões, a parte de matemática do Enem pode ser mais fácil do que grande parte dos estudantes imaginam. É isso mesmo! Nesse exame, você não vai encontrar questões que exijam conhecimento profundo de assuntos espinhosos ou procedimentos longos e minuciosos.
O Kuadro fez um levantamento e constatou que as questões privilegiam alguns assuntos mais básicos, ensinados, inclusive, durante o Ensino Fundamental. Dessa forma, percebe-se que a prova está preocupada em avaliar o raciocínio em exercícios que se aproximam da realidade.
A matemática no Enem apresenta bastante contextualização. Mas não basta saber interpretar as questões, também é necessário aplicar fórmulas e conceitos para resolvê-las. Saiba mais sobre como essa disciplina é cobrada e estude melhor!

1. Regra de três

Razão e proporção, popularmente conhecido como “regra de três”, é um dos assuntos de matemática mais comuns na prova. Ela permite avaliar o raciocínio do candidato, mesmo quando ele não tem muita informação, mas boa capacidade analítica.
Além de ser cobrada na parte de matemática, a regra de três também é uma ferramenta para resolver outros conteúdos. Em geografia, por exemplo, é possível que haja um exercícios envolvendo escala. Nesse caso, a resolução é feita por meio desse método de razão e proporção.

2. Funções

Geralmente, o Enem apresenta enunciados elaborados, em que propõe a utilização de uma função. Ou seja, nem sempre é explícito. Assim, o estudante precisa saber interpretar a situação apresentada e observar que a função é necessária.
Pode até ser que o exame apresente a expressão f(x), mas não é tão comum de acontecer. Portanto, apesar das contas serem fáceis, o estudante deve se esforçar para desvendar o que a questão deseja.

3. Financeira

A Matemática Financeira também é figurinha carimbada no Enem. Também pudera! Ela permite avaliar domínio de conceitos muito básicos e capacidade de raciocínio, além de proporcionar questões muito interessantes.
Para se dar bem nesse tipo de questão, é importante que o estudante entenda bem de porcentagem e as diferenças entre juros simples e compostos. A Matemática Financeira não é difícil, mas exige atenção. Se o estudante não se atentar, ele pode calcular um valor achando que envolve juros simples, quando na verdade trata-se dos compostos.

4. Geometria

Para quem vai prestar exame para os cursos mais concorridos, quanto mais questões acertar de matemática melhor. Por isso, vale a pena dar uma atenção especial para a Geometria Plana e a Espacial.
Como já dissemos, o Enem prefere cobrar matemática básica. Mas geometria também tem a sua vez, ainda que de forma mais simples. Nessa parte, os estudantes têm que dominar sólidos simples (prismas, esferas e pirâmides), problemas envolvendo triângulos retângulos e áreas de figuras planas. Esses conteúdos representam aproximadamente 25% das questões.

5. Probabilidade e estatística

A forma como a prova cobra Probabilidade e Estatística tende a privilegiar os estudantes mais bem preparados. Como no geral esses temas costumam ser vistos como simples, muitos não o estudam nem treinam o suficiente.
Grande engano! Nesses assuntos, o Enem requer a análise de gráficos e, geralmente, coloca algumas pegadinhas no meio. Em função disso, é importante que o estudante leia atentamente todos os dados do enunciado, resolva a questão e releia para saber se a resposta realmente condiz com o enunciado.
A prova pode, por exemplo, mostrar a probabilidade de determinado evento ocorrer. Mas, em vez de solicitar esse número encontrado pelo estudante, ela pode perguntar qual é a chance de algo não acontecer.

Como tirar de letra a parte de matemática

O primeiro passo para se sair bem em matemática no Enem é não se desesperar. Pode até parecer tolo dizer isso, mas é a verdade. Muitos candidatos perdem o foco quando percebem que o exercício possui um longo enunciado ou gráficos para analisar.
Como já visto, esse conteúdo costuma ser mais fácil do que aparenta ser. Assim, depois de ler a questão, comece a anotar todos os dados do problema e lembre-se das ferramentas que pode usar. É um problema de porcentagem? Análise combinatória? Função?
Manter a calma, ler atentamente e saber o máximo de conceitos é a chave para se sair bem no exame. Na hora de estudar matemática, vale a pena dar enfoque máximo na resolução de exercícios, especialmente dos que já foram cobrados.
Dessa forma, você não terá surpresas quando chegar o dia do exame. Quanto mais tipos de enunciados você tiver contato antes, mais fácil será para reconhecer o que a questão pede e, consequentemente, maiores serão os acertos.
Quer se preparar de verdade para o Enem com quem realmente é especialista em aprovação? Venha para o Kuadro. Temos o melhor cursinho on-line da atualidade, com professores disponíveis para qualquer dúvida e muitos recursos pedagógicos!

Por que você deveria fazer cursinho durante o Ensino Médio

O Ensino Médio é um período importante para muita gente. Além de aprofundar as matérias que são ensinadas no Ensino Fundamental, é nessa época que os jovens, geralmente, escolhem uma profissão. Essa é a principal razão que leva estudantes a escolher fazer cursinho preparatório durante essa fase.
O vestibular, que geralmente é feito no terceiro ano do Ensino Médio, é o exame que garante o ingresso dos estudantes às universidades. Por isso, a preocupação dos estudantes é grande quando ainda estão na escola.
Para aumentar as chances de ser aprovado rapidamente, muitos alunos estão fazendo cursinho, ao mesmo tempo em que concluem a escola. Quer entender mais a fundo essa escolha? Vamos as principais razões.

Base educacional fraca

Muitos jovens chegam despreparados ao momento do vestibular, o que geralmente acontece porque o aluno teve uma base educacional fraca. Assim, eles perdem a oportunidade de ingressar em um bom curso.
Infelizmente, o ensino público brasileiro tem falhas e, muitas vezes, deixa lacunas no aprendizado do aluno. Escolas particulares com poucos recursos também não conseguem passar aos estudantes tudo que o vestibular cobrará.
O jovem Lincoln Esteves, que estudou no cursinho pré-vestibular on-line do Kuadro, passou por isso antes de ser aprovado no IME. “Tanto meu Ensino Fundamental quanto o Ensino Médio foram em escolas públicas do Rio de Janeiro, na Baixada Fluminense. Então, eu não tive uma boa qualidade de ensino como o resto dos aprovados têm normalmente”, afirma.
Cursar o Ensino Médio e estudar em cursinho pode ajudar o aluno a identificar essas falhas e corrigi-las a tempo para a prova. Dessa forma, ele pode nivelar o conhecimento até conseguir atingir a aprovação na graduação que deseja.

Dúvida sobre que carreira seguir

Qual carreira você deseja seguir? Engenharia? Psicologia? Medicina? Geografia? Muitas vezes, o vestibular está chegando e o vestibulando ainda não decidiu que curso prestar.
Por envolver diversas questões, a escolha da profissão nunca é tão simples. O estudante deve levar em consideração, por exemplo, a área de que mais gosta, as matérias que irá estudar e rotina da carreira.
Quanto a isso, o curso para vestibular é um ótimo aliado. Geralmente, ele reúne profissionais formados em cursos distintos de várias áreas.
Dessa forma, o vestibulando pode perguntar a professores e outros funcionários (monitores, diretores) que curso eles fizeram e quais as especificidades de cada um. Com esse contato, ele ganha mais base para tomar uma decisão certeira.
No Kuadro, a orientação pedagógica também cumpre esse papel. O orientador, responsável por acompanhar o desenvolvimento do aluno, tem bastante conhecimento a respeito do perfil do aluno. Por esse motivo, a equipe pedagógica pode propor ao aluno algumas reflexões sobre essa escolha.

Banner geral

Direcionamento de estudo

Para quem deseja prestar cursos mais concorridos ou quer carreiras específicas, como as de instituições militares, muitas vezes, o Ensino Médio não oferece um estudo direcionado. Para alguns vestibulares é necessário que o aluno saiba conteúdos restritos, que o conteúdo do Ensino Médio não aborda.
Foi o que ocorreu com a jovem Bianca Campos, ex-aluna do cursinho para Medicina do Kuadro, aprovada na UNICAMP e na UNESP. “Não tinha um cursinho específico perto de mim, na minha cidade, que fosse viável fazer”, afirma.
Esse problema pode ser resolvido com o estudo simultâneo em um cursinho. Alguns oferecem turmas focadas em uma área ou em algum tipo de vestibular, como é o caso do Kuadro. Nelas, o aluno pode aprender o que precisa para o vestibular que deseja.

Diferença do cursinho para a escola

Antes de se inscrever em um dos cursinhos preparatórios, é importante que o estudante entenda qual é a diferença deles para a escola. Enquanto no Ensino Médio o conteúdo é passado para que o aluno entenda o conceito, no curso preparatório tem como foco passar no vestibular.
Portanto, no cursinho, o estudante encontra aulas mais objetivas e concisas. Além disso, nesse tipo de ensino, a revisão tem um papel muito grande. Diferentemente da escola, em que os professores costumam só revisar a matéria dias antes da prova, nas aulas para vestibular isso é feito com mais frequência.
Porém, para tirar o melhor proveito dessa jornada dupla, é necessário que o estudante se organize para otimizar o seu estudo. Com organização e dedicação, a aprovação na carreira que deseja estará mais próxima!

O cursinho on-line Kuadro

O Kuadro é uma ótima opção para quem deseja fazer um cursinho durante o Ensino Médio. Além do conteúdo completo oferecido, a orientação pedagógica e a flexibilidade de horário facilitam a adaptação à rotina do estudante.
Alguns dos nossos alunos comprovam isso, como é o caso do jovem Lucas Carvalho, aprovado em Engenharia Aeroespacial na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Por ser à distância, [o curso] era bastante maleável. Eu consegui adaptar aos meus horários, conciliar junto com o terceirão e acabou sendo a melhor escolha”, afirma o jovem.
Conheça os cursinhos preparatórios do Kuadro e escolha aquele que mais se adequa às suas necessidades.

Como Vencer a Concorrência nos Vestibulares ITA-IME

O vestibular do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e do IME (Instituto Militar de Engenharia) estão entre os mais difíceis e concorridos do país. São provas com formatos diferentes daqueles que os estudantes estão acostumados, e as vagas são bastante enxutas.
É preciso desenvolver uma estratégia bastante específica para se dar bem nessas provas. Para te ajudar nessa missão, a equipe do Kuadro separou algumas dicas essenciais, que podem ser seu diferencial no dia do vestibular!

Estude para ITA – IME pelas provas anteriores 

Resolver as provas dos anos anteriores aos vestibulares do IME e ITA é essencial para conseguir entrar nas universidades. É apenas fazendo os exercícios específicos que você conseguirá entender o formato tradicional das questões.

ITA e IME contam com vestibulares extremamente específicos, o que significa que não basta saber a matéria, você precisa compreender como ela é cobrada nessas determinadas provas. Dessa forma, suas chances de acertar quando for a sua vez serão muito maiores e o tempo para resolver cada questão também.
Todos sabem que o tempo é um dos maiores vilões para quem presta vestibular, então, não deixe de cronometrar quanto tempo você demora para resolver uma questão. Simule um dia de prova: sem celulares ou distrações, com tempo determinado.

Estude as questões recorrentes. Não faça apenas questões de livros, de olimpíadas internacionais de Matemática, Física e Química. Foque naquilo que sempre cai. O que é recorrente nas provas tem altas chances de se repetir.

Estude para o vestibular do ITA IME pelas provas anteriores! Assim você se habitua ao modelo e perguntas que costumam cair.
Estude para o vestibular do ITA IME pelas provas anteriores! Assim você se habitua ao modelo e perguntas que costumam cair.

Não deixe Português de lado 

É muito comum alunos focarem seus esforços nas matérias exatas, nas quais o conteúdo cobrado é além daquele que aprendemos durante o ensino médio. É preciso pensar nessa matéria como o seu diferencial. Não deixe o Português de lado e muito menos a redação. Ambos são fatores decisivos para sua aprovação no vestibular.

As questões objetivas de Português, por exemplo, podem valer mais do que as de Matemática. É pressuposto que se você quer entrar nessas universidades, seu nível de conhecimento das matérias de exatas já é superior. Provar que você também é bom no Português é essencial.

Prestar atenção nas matérias que muitos consideram como “secundárias” pode ser o diferencial necessário para garantir sua vaga na faculdade dos seus sonhos. No ITA, por exemplo, o peso das quatro matérias (Matemática, Física, Química e Português) é o mesmo para o Inglês.
A língua estrangeira pede uma nota mínima para passar, então é preciso entender pelo menos um pouco para conseguir alcançar a média necessária.

Não deixe de lado o português e o inglês. Eles são diferenciais na hora da prova!
Não deixe de lado o português e o inglês. Eles são diferenciais na hora da prova!

Planeje seus horários de estudo

A quantidade de matéria cobrada nos vestibulares ITA – IME é massiva. Não basta estudar um pouco, não basta revisar o conteúdo. É preciso se dedicar de verdade. Inclusive, é raro vermos casos de alunos que conseguiram passar direto do ensino médio, mas os que conseguiram, com certeza desenvolveram um cronograma certeiro de estudos.

A ideia é combinar sua rotina com as aulas em um cursinho preparatório para vestibular específico para a universidade que você quer ingressar. Se seu cursinho é à noite, por exemplo, o ideal é acordar cedo, estudar, almoçar e ir para a aula. Depois da aula, se houver tempo, participe de grupos de estudos ou de resoluções de provas. Vai valer a pena!

Uma boa ideia para quem almeja ITA e IME é o Kuadro, um cursinho pré vestibular on-line. Você pode contar com ele ou até mesmo completar suas aulas do cursinho presencial. O curso é específico e a dificuldade das questões é como as que você vai enfrentar na vida real! Confira tudo sobre o curso ITA – IME do Kuadro.

20 anos de Enem: veja o que mudou desde a criação do exame

Em 20 anos de Enem, muita coisa mudou. Criado em 1998 como ferramenta para analisar o nível da educação do Ensino Médio no Brasil, o Enem cresceu e se consolidou como a maior porta de entrada para as universidades do Brasil!
Em 2017, foram quase 7 milhões de inscritos e atualmente são mais de 500 universidades públicas e particulares que utilizam o Enem como forma de ingresso.
Veja o que mudou nesses 20 anos de Enem!

Função do Enem

Quando surgiu, há duas décadas, a prova tinha o objetivo apenas de avaliar os estudantes que estavam terminando o Ensino Médio. Não à toa, o Enem é a sigla para Exame Nacional do Ensino Médio.
Com o exame, o Ministério da Educação (MEC) tinha o intuito de analisar como estava o conhecimento dos alunos e, com isso, promover melhorias nas políticas educacionais, especialmente na rede pública de ensino.
De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), em 1998 foram 157 mil inscritos e cerca de 115 mil fizeram a prova. Até então, apenas cerca de 90 instituições usavam o Enem como forma de ingresso no ensino superior. Em relação à edição de 2017, esse número cresceu mais de cinco vezes!

Formato da prova

Em 1998, o Enem continha 63 questões e foi aplicado em um dia. A prova, com duração de quatro horas, tinha questões de Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia.
A redação, que também já existia naquele ano, teve como tema “Viver e Aprender”. O texto de apoio na época foi um trecho da música “O que é o que é”, do cantor e compositor Gonzaguinha.

 

Além de mais curto, o exame exigia conteúdos menos aprofundados do que hoje. A redação ganhou mais textos de apoio e proposta de intervenção; as questões se tornaram mais aprofundadas e conteudistas com o passar dos anos.

Banner ENEM

20 anos de Enem: veja grandes mudanças

As mudanças no Enem aconteceram foram graduais e a prova levou anos para se consolidar como a maior do país. Veja as principais alterações:

2001

Três anos depois da primeira edição do exame, em 2001, aconteceu a primeira mudança significativa do Enem: a criação da isenção da taxa para alunos da rede pública.
Essa mudança resultou em um grande aumento no número de inscritos. Em 2000, 390 mil pessoas haviam se inscrito para o exame; no ano seguinte, após a criação da isenção da taxa, o número de inscritos passou para 1,6 milhão.
Também em 2001, por pressão dos participantes, a duração da prova aumentou em uma hora, passando de quatro para cinco horas.
O custo de inscrição na primeira edição do Enem era de R$20. Em 2000, o valor aumentou para R$35, número que se manteve até 2014.

2004

Neste ano, destaca-se a criação do Programa Universidade para Todos (ProUni), que até hoje permite que alunos consigam bolsa em universidades particulares de acordo com a nota no Enem. Graças ao ProUni, no ano seguinte o Enem dobrou o número de inscritos e bateu 3 milhões de inscritos.

2009

Em 2009, o Enem passou a funcionar como um vestibular unificado. Passou a ter dois dias de prova e teve 200 questões e uma redação, número superior ao de questões hoje (180).
Neste ano também foi criado o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), para ser válido em janeiro de 2010, e o Enem passou a ser usado como método para obtenção do certificado de conclusão do Ensino Médio.
Por outro lado, foi no Enem 2009 que ocorreu escândalo do roubo da prova. O problema resultou no declínio de outras universidades para usar o Enem como forma de ingresso, como foi o caso da Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
O conflito resultou também na ausência de mais de um terço dos inscritos no exame (37,7%). Recentemente, o problema foi tema do livro “O Roubo do ENEM”, escrito pela jornalista Renata Cafardo e publicado em 2017.

2015

O valor da taxa foi reajustado, após mais de 10 anos, para R$63. Neste ano também as notas do Enem passaram a valer para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

2017

No ano passado, a principal mudança no exame foi a alteração nos dias de prova após uma consulta pública sobre a estrutura do exame. Anteriormente, o exame ocorria em um sábado e um domingo.
Em 2017, o Enem passou a acontecer em dois domingos consecutivos, o que acarretou em mudanças nas datas de outros vestibulares (em especial os estaduais de São Paulo).
Também neste ano a divisão das disciplinas na prova foi alterada. Antes, o primeiro dia de prova era de Ciências da Natureza e Ciências Humanas e o segundo, Linguagens, Matemática e Redação.
Em 2017, o primeiro dia conteve questões de Linguagens e Ciências Humanas, além da Redação; já o segundo dia ficava com as questões de Matemática e Ciências da Natureza.
Ainda, no ano passado deixou de valer a regra que permitia que as notas do Enem fossem usadas para obtenção do certificado de conclusão do Ensino Médio.

2018

Neste ano, a principal mudança foi o acréscimo de 30 minutos no segundo dia de prova (Matemática e Ciências da Natureza).
O exame mantém o modelo de prova de 2017, com dois domingos consecutivos de prova e 180 questões interdisciplinares, além da redação.
Houve mudança em relação ao pedido de isenção de taxa, que neste ano foi anterior à época de inscrições pro exame. Além disso, neste ano os ausentes em 2017 tiveram de justificar suas faltas para conseguirem a isenção em 2018.
O valor da taxa de inscrição se mantém em relação ao ano passado, custando R$82.

O que se manteve

O principal ponto que não mudou no ENEM em suas duas décadas de existência foi o cunho social da prova.
Apesar das mudanças em relação ao aprofundamento das disciplinas, o ENEM continua exigindo que o candidato relacione o conteúdo a problemas e situações contextualizados na sociedade atual.

Cronograma do Enem 2018

O ENEM 2018 seguirá o seguinte cronograma. Anote as datas:

  • Inscrições: 07 a 18/05/2018
  • Pagamento da taxa de inscrição: 07 a 23/05/2018
  • Solicitação de Atendimento pelo Nome Social: 28/05 a 03/06/2018
  • Aplicação das provas: 04/11/2018 e 11/11/2018
  • Gabarito oficial: 14/11/18

O que achou deste texto? Deixe seu comentário e compartilhe com os amigos!
Continue acompanhando o Blog do Kuadro para outros conteúdos imperdíveis sobre ENEM e vestibulares!

Lista das Faculdades de Medicina do Brasil

Quer aprender a estudar da forma mais eficiente e garantir sua vaga entre os 2% que passam em medicina nas universidades públicas? Só conferir o curso Medicina que te prepara para o ENEM e todos os vestibulares mais concorridos do país!

Sabemos como o curso de Medicina é concorrido em todo o Brasil. Por isso, divulgamos uma Lista das Faculdades de Medicina do Brasil por estado. Confere aí:

ACRE – AC    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
FAB/UNINORTE Faculdade Barão do Rio Branco – Rio Branco/AC – FAB Privada
UFAC Universidade Federal do Acre – UFAC Federal
ALAGOAS – AL    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
CESMAC Centro Universitário Cesmac Privada
FITS Centro Universitário Tiradentes – Maceió/AL — FITS Privada
UNCISAL Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas – Maceió – UNCISAL Estadual
UFAL-Arapiraca Universidade Federal de Alagoas – Arapiraca/AL Federal
UFAL Universidade Federal de Alagoas – UFAL Federal
AMAZONAS – AM    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
FAMETRO Faculdade Metropolitana de Manaus – FAMETRO – Manaus-AM Privada
UEA Universidade do Estado do Amazonas -Manaus – UEA Estadual
UFAM – Coari Universidade Federal do Amazonas – campus Coari -AM Federal
UFAM Universidade FedeUniversidade Federal do Amazonas -UFAM Federal
UNINILTONLINS Universidade Nilton Lins – Manaus – UNINILTONLINS Privada
AMAPÁ – AP    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIFAP Universidade Federal do Amapá – UNIFAP Federal
BAHIA – BA    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
EBMSP Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública – Salvador- EBMSP Privada
FAM Faculdade AGES de Medicina – FAM- JACOBINA/BA Privada
FAS Faculdade de Ciências Agrária e da Saude – Lauro de Freitas/BA – FAS Privada
FG Faculdade de Guanambi – BA Privada
FASB Faculdade de Medicina de São Francisco de Barreiras- FASB – BA Privada
FASA Faculdade de Saúde Santo Agostinho de Vitoria da Conquista – BA – FSA Privada
FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências-Salvador/BA – FTC Privada
Estácio-Alagoinhas Faculdade Estácio de Alagoinhas – Privada
Estácio-Juazeiro Faculdade Estácio de Juazeiro Privada
UFVSF Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco – Paulo Afonso/BA Federal
UNEB – Cabula Universidade do Estado da Bahia – Cabula/Salvador – UNEB Estadual
UEFS Universidade Estadual de Feira de Santana- BA – UEFS Estadual
UESC Universidade Estadual de Santa Cruz- Ilheus/BA – UESC Estadual
UESB Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- Jequié – UESB Estadual
UESB Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-Vitória da Conquista – UESB Estadual
CAT Universidade Federal da Bahia – campus Anísio Teixeira – CAT Federal
UFBA Universidade Federal da Bahia – UFBA Federal
UFOB – Barreiras Universidade Federal do Oeste da Bahia -Barreiras/BA – UFOB/Barreiras Federal
UFRB Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – Santo Antônio de Jesus -(BA) – UFRB Federal
UFSBA – Teixeira de Freitas Universidade Federal do Sul da Bahia – Teixeira de Freitas/BA – UFSBA Federal
UNIFACS Universidade Salvador/BA – UNIFACS Privada
CEARÁ – CE    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNICHRISTUS Centro Universitário Unichristus – Fortaleza – UNICHRISTUS Privada
ESTÁCIOFMJ Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte/CE ESTÁCIO FMJ Privada
INTA Instituto Superior de Teologia Aplicada – INTA – Sobral/CE Privada
UNIFOR Universidade de Fortaleza – CE – UNIFOR Privada
UECE Universidade Estadual do Ceará – UECE Estadual
UFCA/Barbalha Universidade Federal do Cariri – Campus de Barbalha – UFCA/Barbalha Federal
UFC Universidade Federal do Ceará – UFC Federal
UFC/Sobral Universidade Federal do Ceará- Campus de Sobral – UFC/Sobral Federal
DISTRITO FEDERAL – DF    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNICEUB Centro Universitário de Brasília – UNICEUB Privada
ESCS Escola Superior de Ciências da Saúde – Brasília – ESCS Estadual
FACIPLAC Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central – Brasilia – FACIPLAC Privada
UCB Universidade Católica de Brasília – UCB Privada
UnB Universidade de Brasília – DF – UNB Federal
ESPÍRITO SANTO – ES    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNESC Centro Universitário do Espirito Santo- Colatina – UNESC Privada
EMESCAM Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória – EMESCAM Privada
MULTIVIX VITORIA Faculdade Brasileira – Vitória/ES – MULTIVIX VITORIA Privada
UFES Universidade Federal do Espírito Santo- UFES Federal
UVV Universidade Vila Velha – ES -UVV Privada
GOIÁS – GO    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UniEVANGELICA Centro Universitário de Anápolis – GO – UniEVANGÉLICA Privada
UNIFIMES Centro Universitário de Mineiros – UNIFIMES (GO) Municipal
UNIFAN Faculdade Alfredo Nasser – Aparecida de Goiania – GO – UNIFAN Privada
FAMA Faculdade Mineirense – Mineiros/GO – FAMP (SUB JUDICE) Privada
PUC-GO Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC-GO Privada
UniRV Universidade de Rio Verde – UniRV – Aparecida de Goiania – GO Municipal
UniRV Universidade de Rio Verde – UniRV – Rio Verde/GO Municipal
UniRV/Goianésia Universidade de Rio Verde – UniRV/GO – Goianésia Municipal
UFG – Catalão Universidade Federal de Goias – campus de Catalão – UFG-UC Federal
UFG-Jataí Universidade Federal de Goiás – Jataí/Go Federal
UFG Universidade Federal de Goiás – UFG Federal
MARANHÃO – MA    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNICEUMA – Imperatriz Universidade do Ceuma – Imperatriz/MA – UNICEUMA IMPERATRIZ Privada
UNICEUMA Universidade do Ceuma-UNICEUMA Privada
UEMA Universidade Estadual do Maranhão- Caxias – UEMA Estadual
UFMA Universidade Federal do Maranhão – São Luis – UFMA Federal
UFMA/Pinheiro Universidade Federal do Maranhão – UFMA-Pinheiro (MA) Federal
UFMA-Imperatriz Universidade Federal do Maranhão- UFMA-Imperatriz (MA) Federal
MINAS GERAIS – MG    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNI-BH Centro Universitário de Belo Horizonte/MG – UNI-BH Privada
UNEC Centro Universitário de Caratinga -MG – UNEC Privada
UNIPAM Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM Privada
FA Faculdade Atenas – Paracatu-MG – FA Privada
Atenas-Passos Faculdade Atenas-Passos – MG Privada
FASEH Faculdade da Saúde e Ecologia Humana – Vespasiano – MG – FASEH Privada
FACIG Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu/MG – FACIG Privada
FCMMG Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais- FELUMA – FCMMG – Privada
FCMS-JF Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora-MG – SUPREMA Privada
FAME Faculdade de Medicina de Barbacena/MG – FAME Privada
FMIt Faculdade de Medicina de Itajubá-MG – FMIt Privada
FAMINAS Muriaé Faculdade de Minas – FAMINAS/Muriaé – MG Privada
FAMINAS Faculdade de Minas BH – FAMINAS – MG Privada
FADIP Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga- Ponte Nova/MG – FADIP Privada
Atenas Sete Lagoas Faculdade Sete Lagoas – MG – Atenas Sete Lagoas Privada
FAGOC Faculdade Ubaense Ozanam Coelho – FAGOC – UBÁ/MG Privada
FIP-MOC Faculdades Integradas Pitágoras – Montes Claros/MG – FIP-MOC Privada
UFV Fundação Universidade Federal de Viçosa – MG – UFV Pública
ICS Instituto de Ciências da Saúde – Montes Claros – MG -ICS/ FUNORTE Privada
IPTAN Instituto de ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves – S.João del Rei /MG – IPTAN Privada
IMEPAC Instituto Master de Ensino Presidente Antônio Carlos – IMEPAC Araguari/MG Privada
IMES Instituto Metropolitano de Ensino Superior – Ipatinga/MG- IMES Privada
PUC MINAS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Betim/MG – PUCMINAS Privada
PUC-CONTAGEM-MG Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais- PUC – CONTAGEM- MG Privada
PUC-Poços de Caldas Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais- PUC Poços de Caldas – MG Privada
UIt Universidade de Itaúna – UIt Privada
UNIUBE Universidade de Uberaba – MG – UNIUBE Privada
UEMG/PASSOS Universidade do Estado de Minas Gerais- UEMG/PASSOS Estadual
UNIVAS Universidade do Vale do Sapucaí – Pouso Alegre/MG – UNIVAS Privada
UNIMONTES Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES Estadual
UNIFAL Universidade Federal de Alfenas(UNIFAL) Alfenas (MG) Federal
UFJF – Governador Valadares Universidade Federal de Juiz de Fora – Governador Valadares/MG – UFJF Federal
UFJF.br/GV Universidade Federal de Juiz de Fora – Governador Valadares/MG Autorizado UFJF Pública
UFJF Universidade Federal de Juiz de Fora/MG – UFJF Federal
UFLA Universidade Federal de Lavras – MG – UFLA Federal
UFMG Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG Federal
Ufop Universidade Federal de Ouro Preto/MG – UFOP Federal
UFSJ Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ) – São João Del-Rei (MG) Federal
UFSJ Universidade Federal de São João Del Rei – MG /Divinópolis – UFSJ Federal
UFU Universidade Federal de Uberlândia – MG – UFU Federal
UFTM Universidade Federal do Triângulo Mineiro – Uberaba – UFTM Federal
UFVJM Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – Diamantina (MG) UFVJM Federal
UFVJM -Teófilo Otoni Universidade Federal dos Vales doo Jequitinhonha e Mucuri – Teófilo Otoni/MG – UFVJM Federal
UNIFENAS Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS/ Alfenas/MG Privada
UNIFENAS-BH Universidade José do Rosário Vellano – Belo Horizonte/MG – UNIFENAS/BH Privada
UNIPAC Universidade Presidente Antônio Carlos/MG – UNIPAC /Juiz de Fora Privada
UNIVALE MG Universidade Vale do Rio Doce – MG – UNIVALE Privada
MATO GROSSO DO SUL – MS
   
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIDERP Universidade Anhanguera-Uniderp – MS – UNIDERP Privada
UEMS Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS Estadual
UFGD Universidade Federal da Grande Dourados – MS – UFGD Federal
UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- Campo Grande – UFMS Federal
UFMS- Três lagoas Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS-Três Lagoas/MS Federal
MATO GROSSO – MT    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIVAG Centro Universitário de Várzea Grande – MT – UNIVAG Privada
UNIC Universidade de Cuiabá/MT – UNIC Privada
UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT Estadual
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT Federal
UFMT-Sinop) Universidade Federal do Mato Grosso- UFMT-Sinop (MT) Federal
UFMT- Rondonópolis Universidade Federal do Mato Grosso-UFMT- Rondonópolis (MT) Federal
PARÁ – PA    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
CESUPA Centro Universitário do Estado do Pará – PA – CESUPA Privada
FAMAZ Faculdade Metropolitana da Amazônia – FAMAZ – PA Privada
UEPA Universidade do Estado do Pará – Belem/PA – UEPA Estadual
UEPA Universidade do Estado do Pará – Santarém/PA – UEPA Estadual
UEPA/Marabá Universidade do Estado do Pará – UEPA / Marabá Estadual
UFPA Universidade Federal do Pará – UFPA Federal
PARAÍBA – PB    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIPÊ Centro Universitário de João Pessoa – PB – UNIPE Privada
FCMPB Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba/J.Pessoa/PB – FCMPB Privada
FACISA – FCM Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande – PB – FCM Privada
FAMENE Faculdade de Medicina Nova Esperança- J.Pessoa/ PB – FAMENE Privada
FSM Faculdade Santa Maria – FSM – Cajazeiras/PB Privada
FIP Faculdades Integradas de Patos- FIP – Patos/PB Privada
UFPB Universidade Federal da Paraíba – J. Pessoa – UFPB Federal
UFCG Universidade Federal de Campina Grande – Cajazeiras/PB (UFCG) Federal
UFCG Universidade Federal de Campina Grande – UFCG Federal
PERNAMBUCO – PE    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNINASSAU Centro Universitário Mauricio de Nassau – UNINASSAU – PE Privada
FMO Faculdade de Medicina de Olinda/PE – FMO Privada
FPS Faculdade Pernambucana de Saúde/Recife – FPS Privada
Unit-Jaboatão Faculdade Tiradentes de Jaboatão dos Guararapes – UNIT-Jaboatão Privada
UNICAP Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP Privada
UPE – Serra Talhada Universidade de Pernambuco -UPE/Serra Talhada (PE) Estadual
UPE Universidade de Pernambuco-/Recife – UPE Estadual
UPE-Garanhuns Universidade de Pernambuco/Garanhuns – UPE Estadual
UFPE (Caruaru) Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Caruaru (PE) Federal
UFPE Universidade Federal de Pernambuco – UFPE Federal
UNIVASF Universidade Federal do Vale do São Francisco/Petrolina/PE – UNIVASF Federal
PIAUÍ – PI    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNINOVAFAPI Centro Universitário Uninovafapi – UNINOVAFAPI – Piaui Privada
FAHESP/iESVAP Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e da Saúde do Piauí – FAHESP/iESVAP Privada
FACID Faculdade Integral Diferencial-Piaui – FACID Privada
UESPI Universidade Estadual do Piauí – Teresina – UESPI Estadual
UFPI Universidade Federal do Piauí – UFPI Federal
UFPI – Picos Universidade Federal do Piauí – campus Senador Elvidio N. de Barros – PICOS -PI – UFPI Federal
UFP – Parnaíba Universidade Federal do Piauí – UFP/Parnaiba Federal
PARANÁ – PR    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
INGÁ Centro Universitário Ingá -Maringá/PR – INGÁ Privada
FAG Faculdade Assis Gurgacz – Cascavel/PR – FAG Privada
CAMPOREAL Faculdade Campo Real – Guarapuava PR- CAMPOREAL Privada
FADEP Faculdade de Pato Branco – Pato Branco. PR – FADEP Privada
Estácio de Jaraguá do Sul Faculdade Estácio de Jaraguá do Sul – Jaraguá do Sul -SC Privada
FEPAR Faculdade Evangélica do Paraná – Curitiba – FEPAR Privada
FICM Faculdade Integrada de Campo Mourão – PR Privada
FPP Faculdades Pequeno Principe – FPP – Curitiba/PR Privada
PUCPR Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Curitiba – PUCPR Privada
PUC PR Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Londrina – PUC PR Privada
CESUMAR Universidade de Maringá – CESUMAR Privada
UEL Universidade Estadual de Londrina – PR – UEL Estadual
UEM Universidade Estadual de Maringá/PR – UEM Estadual
UEPG Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG – PR Estadual
UNIOESTE – Francisco Beltrão Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE – Francisco Beltrão Estadual
UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Cascavel – UNIOESTE Estadual
UNILA _ Foz do Iguaçu Universidade Federal da Integração Latino-Americana,- Foz do Iguaçu /PR – UNILA Federal
UFPR/TOLEDO Universidade Federal do Paraná – campus de TOLEDO – UFPR/TOLEDO Federal
UFPR Universidade Federal do Paraná – Curitiba – UFPR Federal
UNIPAR Universidade Paranaense – Umuarama – UNIPAR – PR Privada
UP Universidade Positivo- Curitiba/PR – UP Privada
RIO DE JANEIRO – RJ    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
CESVA/FAA Centro de Ensino Superior de Valença- RJ – CESVA Privada
UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda- RJ – UNIFOA Privada
UNIFESO Centro Universitário Serra dos Órgãos – Teresópolis/RJ – UNIFESO Privada
EMSM Escola de Medicina Souza Marques – Rio de Janeiro/RJ – EMSM Privada
FMC Faculdade de Medicina de Campos – RJ – FMC Privada
FMP Faculdade de Medicina de Petrópolis – Fundação Otacílio Gualberto – FMP Privada
FMMSCBJI Faculdade Metropolitana São Carlos BJI – B.J.Itabapoana-RJ – FAMESC Privada
FacRedentor Faculdade Redentor – FacRedentor – Itaperuna/RJ Privada
UERJ Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Estadual
UNIGRANRIO Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy – Duque de Caxias/RJ- UNIGRANRIO Privada
UNIGRANRIO Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy – RJ – UNIGRANRIO Privada
UNESA – Angra dos Reis Universidade Estácio de Sá – Angra dos Reis. RJ – UNESA Privada
ESTÁCIO -JOÀO UCHOA. Universidade Estácio de Sá – Campus João Uchoa – RJ – UNESA Privada
UNESA Universidade Estácio de Sá – RJ – UNESA Privada
UNIRIO Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/RJ – UNIRIO Federal
UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ Federal
UFRJ/Macaé Universidade Federal do Rio de Janeiro/Macaé – UFRJ Federal
UFF Universidade Federal Fluminense – Niteroi/ RJ – UFF Federal
UNIG/Itaperuna Universidade Iguaçu – Itaperuna/RJ – UNIG/Itaperuna Privada
UNIG/Nova Iguaçu Universidade Iguaçu -Nova Iguaçu – RJ – UNIG/Nova Iguaçu Privada
USS Universidade Severino Sombra – Vassouras RJ – USS Privada
RIO GRANDE DO NORTE – RN
   
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UERN Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Mossoró/RN – UERN Estadual
UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN Federal
UFRN – Caicó Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN-Caicó/RN Federal
UFERSA – Mossoró Universidade Federal Rural do Semi-Árido – campus de Mossoró – UFERSA/RN Federal
UnP Universidade Potiguar -RN – UnP Privada
RONDÔNIA – RO    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UniSL Centro Universitário São Lucas – Porto Velho-RO – UniSL Privada
FACIMED Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal – RO – FACIMED Privada
FINCA Faculdades Integradas Aparício Carvalho- Porto Velho/RO – FIMCA Privada
UNIR Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR Federal
RORAIMA – RR    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UFRR Universidade Federal de Roraima – UFRR Federal
RIO GRANDE DO SUL – RS    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIFRA Centro Universitário Franciscano – Santa Maria/RS – UNIFRA Privada
UNIVATES Centro Universitário Univates – UNIVATES – Lajeado -RS Privada
IMED Faculdade Meridional – Passo Fundo/RS – IMED Privada
PUCRS Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS Privada
UCPEL Universidade Católica de Pelotas-RS – UCPEL Privada
UCS Universidade de Caxias do Sul/RS – UCS Privada
UPF Universidade de Passo Fundo/RS – UPF Privada
UNISC Universidade de Santa Cruz do Sul – RS -UNISC Privada
UNISINOS Universidade do Vale do Rio dos Sinos – São Leopoldo. RS – UNISINOS Privada
UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul – Passo Fundo -RS – UFFS Federal
UFCSPA Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – RS – UFCSPA Federal
UFPel Universidade Federal de Pelotas – UFPel Federal
UFSM Universidade Federal de Santa Maria – RS – UFSM Federal
UNIPAMPA – URUGUAIANA Universidade Federal do Pampa – Uruguaiana – RS – UNIPAMPA Federal
UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Federal
FURG Universidade Federal do Rio Grande/RS – FURG Federal
FEEVALE Universidade Feevale – Novo Hamburgo. RS – FEEVALE Privada
ULBRA Universidade Luterana do Brasil – Canoas – RS – ULBRA Privada
URI ERECHIM Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI ERECHIM – ERECHIM/RS Privada
SANTA CATARINA – SC    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
Unidavi Centro Univ.p/ o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí – SC – UNIDAVI Privada
UNOCHAPECO Universidade Comunitária da Região de Chapecó/SC – UNOCHAPECÓ Municipal
UNIVILLE Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE Privada
UnC Universidade do Contestado – Mafra-SC – UcN Privada
UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense – Criciúma – UNESC Privada
UNOESC Universidade do Oeste de Santa Catarina – Joaçaba – UNOESC Privada
UNIPLAC Universidade do Planalto Catarinense – Lages – UNIPLAC Privada
UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina – Palhoça/SC – UNISUL Municipal
UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina- Campus Tubarão – UNISUL Privada
UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí – SC – UNIVALI Privada
UFFS – Chapecó Universidade Federal da Fronteira Sul – Chapecó – SC UFFS Federal
UFSC- ARAGUANGUÁ Universidade Federal de Santa Catarina – Campus ARARANGUÁ Pública
UFSC Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Federal
FURB Universidade Regional de Blumenau – SC – FURB Privada
SERGIPE – SE    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UFS Universidade Federal de Sergipe – UFS Federal
UFS/Campus de Lagarto Universidade Federal de Sergipe – UFS/Campus Lagarto Federal
UNIT Universidade Tiradentes – SE – UNIT Privada
SÃO PAULO – SP    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UFBM Centro Universitário Barão de Mauá- Ribeirão Preto – SP -UFBM Privada
UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium – UNISALESIANO – Campus Araçatuba/SP, Privada
CEUCLAR Centro Universitário Claretianorc – Rio Claro.SP – CEUCLAR Privada
FAE Centro Universitário das Faculdade Associadas de Ensino – FAE – S.João da Boa Vista/SP- UNIFAE Municipal
FAI Centro Universitário de Adamantina/SP – FAI Municipal
UNIARA Centro Universitário de Araraquara-SP – UNIARA Privada
UNIFEV Centro Universitário de Votuporanga – SP – UNIFEV Privada
UNILUS Centro Universitário Lusíada- Santos – UNILUS Privada
UNI-FACEF Centro Universitário Municipal de Franca – FRANCA – SP – Uni-FACEF Municipal
SAOCAMILO Centro Universitário São Camilo – São Paulo/SP – SÃOCAMILO Privada
UNISEB Centro Universitário Uniseb -Ribeirão Preto/SP – UNISEB Privada
FACERES Faculdade Ceres – S.José do Rio Preto – SP – FACERES Privada
FAM Faculdade das Américas – São Paulo/SP – FAM Privada
FACISB Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata – FACISB Privada
FCMSCSP Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo/SP – FCMSCSP Privada
Humanitas Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos – SP – HUMANITAS Privada
FMJ Faculdade de Medicina de Jundiaí-SP – FMJ Municipal
FAMEMA Faculdade de Medicina de Marília-SP – FAMEMA Estadual
FAMERP Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto -SP – FAMERP Estadual
FMABC Faculdade de Medicina do ABC Privada
FICSAE Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einsten – São Paulo/SP – FICSAE Privada
FASM Faculdade Santa Marcelina – FASM Privada
FSLM Faculdade São Leopoldo Mandic – ARARAS – SP – FMANDIC Privada
SLMANDIC Faculdade São Leopoldo Mandic -São Paulo / SLMANDIC Privada
UNIFRADA Faculdade Unifrada Dracena – UNIFRADA-SP Privada
FIPA Faculdades Integradas Padre Albino – Catanduva – SP – FIPA Privada
FEMA Fundação Educacional do Município de Assis – SP – FEMA Municipal
PUC-CAMPINAS Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUC-CAMPINAS Privada
PUCSP- Sorocaba Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Campus Sorocaba- PUC-SP Privada
UNILAGO União das Faculdades dos Grandes Lagos – S. José do Rio Preto – SP – UNILAGO Privada
UAM Universidade Anhembi Morumbi – São Paulo/SP – UAM Privada
UAM-Piracicaba Universidade Anhembi-Morumbi – UAM – PIRACICABA.SP Privada
UAM- São José dos Campos Universidade Anhembi-Morumbi – UAM – São José dos Campos – SP Privada
UNIBRASIL Universidade Brasil – (ex. Camilo Castelo Branco)- Fernandópolis/SP – UNICASTELO Privada
UNICID Universidade Cidade de São Paulo – UNICID Privada
UNIFRAN Universidade de Franca – UNIFRAN – SP Privada
UNIMAR Universidade de Marília/SP – UNIMAR Privada
UMC Universidade de Mogi das Cruzes – UMC Privada
UNAERP Universidade de Ribeirão Preto – UNAERP Privada
UNISA Universidade de Santo Amaro – SP – UNISA Privada
USCS-SP Universidade de São Caetano do Sul – USCS – S.Paulo Municipal
FMRP-USP Universidade de São Paulo – Campus Ribeirão Preto – USP-RP Estadual
FMSP-USP Universidade de São Paulo – Campus São Paulo – USP-SP Estadual
USP-Baurú Universidade de São Paulo – USP – Baurú Estadual
UNITAU Universidade de Taubaté – UNITAU Municipal
UNOESTE/JAÚ Universidade do Oeste Paulista – JAÚ – SÃO PAULO Privada
UNOESTE Universidade do Oeste Paulista – Presidente Prudente – UNOESTE Privada
UNICAMP Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Estadual
UNESP Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – Botucatu/SP – UNESP Estadual
UFSCAR Universidade Federal de São Carlos – SP – UFSCAR Federal
UNIFESP Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP Federal
UNIMES Universidade Metropolitana de Santos – SP – UNIMES Privada
USCS-SP Universidade Municipal de São Caetano do Sul – Campus Bela Vista – USCS-SP Municipal
USCS Universidade Municipal de São Caetano do Sul-SP – USCS Municipal
UNINOVE – S.Bernardo do Campo Universidade Nove de Julho – São Bernardo do Campo . SP – UNINOVE / S.Bernardo Privada
UNINOVE Universidade Nove de Julho – São Paulo – UNINOVE Privada
UNINOVE – Mauá Universidade Nove de Julho- Mauá. SP – UNINOVE – Privada
UNINOVE Universidade Nove de Julho- Osasco.SP – UNINOVE – OSASCO Pública
UNINOVE – Guarulhos Universidade Nove de Julho-SP – Guarulhos – UNINOVE Privada
USF Universidade São Francisco – Bragança Paulista – USF Privada
TOCANTINS – TO    
Sigla Instituição Mantenedora Administração
UNIRG Centro Universitário Unirg – GurupiTO – UNIRG Municipal
FAHESA/ITPAC Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaina – TO – FAHESA/ITPAC Privada
FAPAC Faculdade Presidente Antonio Carlos – Porto Nacional – ITPAC-PORTO/FAPAC Privada
ITPAC/PALMAS Instituto Presidente Antonio Carlos – ITPAC -Palmas/T0 Privada
UFT/Araguaína Universidade Federal de Tocantins – Araguaina/TO – UFT Federal
UFT Universidade Federal do Tocantins – Palmas/TO – UFT Federal

Fonte: Escolas Médicas do Brasil

Banner medicina

Estude para Medicina com o Kuadro!

O Kuadro oferece preparação completa para quem deseja cursar Medicina no Ensino Superior!

O Curso Medicina do Kuadro inclui diversos benefícios, como:

  • Orientação pedagógica;
  • Monitoria;
  • Aulas gravadas e ao vivo;
  • Correção de redação;
  • Simulados;
  • Exercícios.

Veja a História de Bianca, ex-aluna do Curso Medicina do Kuadro e aprovada em Medicina na Unicamp:

Está se preparando para passar em medicina? Confira essas 14 dicas para estudar em casa.

Especialista ensina passo a passo da redação do Enem

Redação do Enem: siga o passo a passo do especialista e destaque-se na prova

Não é necessário ser um gênio ou ter feito faculdade de jornalismo para conseguir escrever um bom texto. É verdade que algumas pessoas têm facilidade e talento para contar histórias de forma atrativa, mas segundo especialistas e escritores, o segredo de uma redação perfeita está mesmo na prática.
Com a redação do Enem não é diferente, embora ela tenha algumas particularidades. Antes de entrar nos detalhes, confira o passo a passo da redação do Enem revelado pela professora Erica Machado Herédia, que tem licenciatura em Letras pela UFMG e dá aulas da disciplina no cursinho online Kuadro.

Passo 1 – Antes da prova e da redação do Enem – Bagagem cultural ajuda na redação do Enem

Ao longo da vida você já deve ter se dedicado a ampliar seus conhecimentos em diversos assuntos, certo? Errado… você nem estava tão atento a isso, mas fez algumas viagens, visitou museus, participou de cursos e, com certeza, poderá aproveitar sua bagagem para ir bem na
redação.
Caso contrário, ainda assim tem salvação. Comece agora a buscar temas de impacto social que vêm sendo noticiados e comentados na internet. Quanto mais você se informar, lendo com atenção os textos de jornais, revistas e portais de notícias, mais consistentes serão suas argumentações na hora da prova.
Dica preciosa: durante a leitura, além de prestar atenção ao tema abordado, repare na forma como o texto foi escrito. Há boas redações feitas por jornalistas e colunistas no mundo digital.

Passo 2 – No momento da redação do Enem – Leia o enunciado que traz o tema da redação

Parece óbvio, mas muitos alunos acreditam que os textos de apoio são desnecessários e, com medo de estourarem o tempo da prova, acabam lendo rapidamente a proposta e partindo direto para a escrita. Um dos erros mais graves para um aluno na redação do Enem é fugir ao tema apresentado.
Se a prova oferece textos de apoio, leia-os com atenção! Eles indicam um caminho para os textos, direcionam seus argumentos e dão insights, isto é, “estalos” com ideias para a abordagem do tema.

Passo 3 – O primeiro parágrafo da redação do Enem – Essa é sua chance de chamar a atenção da banca que corrige a redação do Enem

O primeiro parágrafo de todo texto, também chamado por jornalistas de lead, deve trazer um resumo do que será a redação, ou seja, o leitor precisa saber logo no início o tema que será abordado e dentro de que contexto.
A redação – e isso vale para todos os textos que você for escrever de agora em diante – deve começar de forma atrativa, para que o leitor queira passar para o segundo parágrafo e seguir adiante. Você deve despertar a curiosidade do leitor. Deve usar um número de uma entidade de credibilidade, como a ONU, por exemplo. Também pode levantar uma questão polêmica… Enfim, usar sua criatividade dentro do tema proposto.

Passo 4 – Manter a coesão do texto – Um parágrafo tem que chamar o próximo e assim sucessivamente, com raciocínio coerente.

Quando você for escrever uma redação, “ligue” um parágrafo ao outro. Você tem que manter uma linha de raciocínio coerente. Mais do que criar um vínculo entre parágrafos, você precisa preocupar-se com a estrutura do texto e dar sentido a eles, concatenando as ideias.
Dica preciosa da especialista: para manter a coesão na redação do Enem, trate ponto a ponto das possíveis argumentações que seu leitor possivelmente faria ao ler o texto. Mantenha a calma, sem perder o fluxo de pensamento, sem pular de um ponto A para um ponto E, então volte ao ponto B. É importante ter em mente que a coesão é a costura bem feita das ideias em um texto e não um remendo!

Passo 5 – Propondo soluções para o tema citado no primeiro parágrafo

A redação do Enem, em geral, pede textos dissertativos (que narram uma história com começo, meio e fim) ou argumentativos (que apresentam respostas às perguntas do imaginário do leitor)
A redação do ENEM exige um tipo de texto de natureza reflexiva que consiste na ordenação de ideias, na proposição de argumentos e na discussão.
Uma das coisas mais importante é colocar uma proposta de solução do problema na redação do Enem. E atenção, a proposta de solução não é sinônimo de conclusão; ou seja: não precisa ser apresentada apenas na parte final da redação.
Você tem que ter em mente que fazer redação é discutir, questionar e expressar um ponto de vista, mas principalmente fazer isso tudo com o propósito de convencer o leitor. É primordial, nesse tipo de texto, que o desenvolvimento de raciocínios e argumentos que fundamentem as posições apresentadas sejam feitos com muito cuidado.
Dica preciosa da especialista: dedique-se à leitura e ao treino de textos que usam linguagem formal e que não citem datas específicas. Pegue papel e caneta e comece a escrever. No início, talvez não saia nada, mas com persistência você vai começar a produzir uma linha, uma frase e, finalmente, terá um parágrafo pronto. Siga em frente.

Passo 6 – Conclusão: chegou a hora de encerrar a discussão – Feche sua redação do Enem com chave de ouro

Aqui está sua última oportunidade de demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita e também que você está atento às questões atuais de cunho social e político.
Em geral, a banca que corrige a redação do Enem espera que o aluno apresente números que comprovem o problema abordado e proponha soluções para ele.
A escolha do tema da redação é bastante sigilosa, mas os eixos temáticos costumam se repetir, priorizando o lado social, como os que já apareceram em provas anteriores, como imigração, publicidade infantil e violência contra a mulher.
Depois de seguir estes passos, vamos aos detalhes. Se você conseguiu acompanhar a matéria até aqui, já pode ser um sinal de que tem chances de ir bem na redação. Saber ler, afinal de contas, é um dos maiores segredos de quem sabe escrever.
De acordo com Erica Herédia, uma boa estratégia na hora da redação do Enem é montar um rascunho, transformando o tema proposto em uma pergunta. Monte a estrutura colocando em cada parágrafo uma resposta para a questão e, de um modo simples e claro, concorde ou discorde do argumento apresentado. A resposta deve ser o seu ponto de vista sobre o assunto.
“Durante a redação, pergunte a si mesmo o porquê de sua resposta. Encontre uma razão para justificar sua posição: aí estará o seu argumento principal e é em cima dele que toda a argumentação secundária será construída”, afirma a professora do cursinho online Kuadro.
Ela diz ainda que é importante respaldar seus argumentos com fatos e informações de autoridade. Pode ser um fato da vida política, econômica, social ou até a citação de um filme, sempre alinhado ao tema principal e com originalidade.

Assista a uma aula completa sobre a estrutura do Texto Dissertativo com a Profª Erica:


O que achou deste conteúdo? Para mais textos conteúdos sobre o ENEM, continue acompanhando o Blog do Kuadro!

Aulas grátis para o ENEM

Resumo Teórico – Fenômenos Ondulatórios – Parte 1

Observação 1: Para o estudo dos “Fenômenos Ondulatórios” é essencial saber os “Conceitos Fundamentais da Ondulatória”. Para relembrar essa matéria clique aqui e acesse o resumo do Kuadro sobre o tema.
Observação 2: A luz possui um comportamento dual, ora comporta-se como partícula, ora comporta-se como onda. Na física, a matéria que estuda a luz a partir do comportamento de partícula é a “Óptica Geométrica”, já a matéria que estuda o comportamento ondulatório da luz é a “Óptica física”, que é um caso particular do estudo de ondulatória. Deste modo, alguns fenômenos vistos em óptica geométrica aparecem novamente no estudo de ondulatória.

1. Reflexão:

a) Definição:

Fenômeno físico que permite a onda encontrar uma extremidade e, após o choque, retornar ao meio que propagava anteriormente deslocando se no sentido de afastamento.

b) Ondas unidimensionais:

A onda quando se propaga em uma corda e encontra uma extremidade fixa, ela sofre inversão de fase.

Reflexão unidimensional – Extremidade Fixa – Fonte: PhET – Universidade do Colorado

A onda quando se propaga em uma corda e encontra uma extremidade livre (que possui liberdade de movimentação), ela NÃO sofre inversão de fase.

Reflexão unidimensional – Extremidade Livre – Fonte: PhET – Universidade do Colorado

Dica: para entender melhor o comportamento de uma onda unidimensional quando sofre reflexão acesse o site do PhET. Ele foi elaborado pela Universidade do Colorado e apresenta um simulador de reflexão de ondas em corda.

c) Ondas bidimensionais:

I) As ondas incidem em uma superfície.

Incidência da onda

II) As ondas refletem ao encontrarem a superfície.

Reflexão da onda

III) As ondas retornam ao meio ao qual propagavam anteriormente.

Propagação da onda refletida

2. Refração:

a) Definição:

Fenômeno físico que permite a onda encontrar uma extremidade e, após o choque, passar para um outro meio diferente do que ela se propagava anteriormente.

b) Ondas unidimensionais:

O fenômeno da refração em ondas unidimensionais só é possível ocorrer se simultaneamente ocorre o fenômeno da reflexão.

  • 1º Caso: Pulso vem da corda MENOS DENSA e vai para a corda MAIS DENSA.

A corda MENOS DENSA vê a corda MAIS DENSA como uma extremidade FIXA, sendo assim ocorre o fenômeno da reflexão com inversão de fase e a refração não inverte a fase.

  • 2º Caso: Pulso vem da corda MAIS DENSA e vai para a corda MENOS DENSA.

A corda MAIS DENSA vê a corda MENOS DENSA como uma extremidade LIVRE, sendo assim os fenômenos da reflexão e da refração ocorrem sem que haja inversão de fase.

c) Ondas bidimensionais:

As ondas sofrem alteração no comprimento de onda quando saem de um meio de propagação e vão para outro meio. Observe a figura a seguir:

Refração de ondas bidimensionais

Considerando válidas a Lei de Snell-Descartes (relembre aqui) e a Equação Fundamental da Ondulatória (relembre aqui), podemos deduzir a seguinte relação matemática entre as grandezas envolvidas:

Relação matemática da refração bidimensional

Onde:
i = ângulo de incidência (formado pela frente de onda incidente e a reta normal)
r = ângulo de refração (formado pela frente de onda refratada e a reta normal)
v1 = velocidade da luz no meio 1 (incidente)
v2 = velocidade da luz no meio 2 (refratado)
λ1 = comprimento de onda da luz no meio 1 (incidente)
λ2 = comprimento de onda da luz no meio 2 (refratado)

3. Exercício de aplicação de fenômenos ondulatórios:

(ENEM 2010 – Questão 47) As ondas eletromagnéticas, como a luz visível e as ondas de rádio, viajam em linha reta em um meio homogêneo. Então, as ondas de rádio emitidas na região litorânea do Brasil não alcançariam a região amazônica do Brasil por causa da curvatura da Terra. Entretanto sabemos que é possível transmitir ondas de rádio entre essas localidades devido à ionosfera.
Com a ajuda da ionosfera, a transmissão de ondas planas entre o litoral do Brasil e a região amazônica é possível por meio da
A) reflexão.
B) refração.
C) difração.
D) polarização.
E) interferência.
Para obter o gabarito dessa questão, acesse o link contido em “ENEM 2010 – Questão 47”

LOGO-KUADRO-branco

PDF – MÉTODO KUADRO DE APROVAÇÃO

Preencha o formulário e receba o seu PDF