Já é nosso aluno? Acesse a plataforma!

Resumo de historia: Povos pré-colombianos



Antes da chegada dos Europeus ao território americano havia aqui uma série de povos com culturas e organizações muito diferentes. Esses grupos receberam o nome de povos pré-colombianos (por existirem antes da chegada de Colombo).

A organização e costumes desses povos representaram um grande desafio à compreensão dos espanhóis. Ainda que a conquista espanhola tenha subjugado esses indígenas, esses conquistadores incorporaram algumas de suas características e tiveram que se adaptar às realidades do “novo continente”.

QUEM ERAM OS POVOS PRÉ-COLOMBIANOS?

Procurando recuperar aspectos do processo de formação das antigas civilizações americanas, trabalharemos, nesse resumo com três delas: os maias, os astecas e os incas.

OS MAIAS

A civilização maia floresceu na região de Iucatã, península localizada no sul do México e em territórios da Guatemala, Honduras, Belize e El Salvador e perdurou do século III ao XII.

Esse povo desenvolveu uma civilização organizada em múltiplas cidades que competiam militar e comercialmente entre si. Eram essencialmente agrícolas e cultivavam principalmente milho. A população vivia no campo e ia à cidade somente nas datas dos rituais religiosos ou para fazer negócios.

Arquitetura, a MatemáticaEngenharia e Astronomia eram extremamente desenvolvidas e, além disso, possuíam um poderoso sistema de irrigação, fundamental para a prática agrícola. Várias das pirâmides, que serviam de altares para os rituais, existem até hoje e despertam curiosidades sobre as suas complexas estruturas.

Estima-se que sua população tenha alcançado 2 milhões de habitantes, mas no século XVI quando os espanhóis chegaram essa civilização já estava em decadência. Não se sabe ao certo o que levou a sua desintegração.

OS ASTECAS

Quando os europeus chegaram ao México, o império Asteca estava em seu apogeu. Contava com uma população de cerca de 12 milhões de pessoas espalhadas pela porção central e do sul do atual Estado mexicano. Sua capital, Tenochtitlán, foi fundada em 1325 e era o centro do império.

Os astecas, também chamados de mexicas, possuíam uma organização centralizada e com um poder militar forte, e assim, impuseram seus sistemas comerciais e religiosos à diferentes povos que eles dominaram.

O poder se concentrava nas mãos de um soberano, o Tlatoani, que assumia a autoridade política e religiosa, militar e judiciária. A consolidação do império aconteceu sob o comando de Montezuma I (1440-1469) e Montezuma II (1502-1519).

Os astecas, assim como os maias, também possuíam grandes conhecimentos de Matemática, Arquitetura, Astronomia e Engenharia, deixando um grande legado nessas áreas de conhecimento.

A pedra do Sol, localizada hoje no Museu Nacional de Antropologia (México) era o calendário cíclico asteca.

A pedra do Sol, localizada hoje no Museu Nacional de Antropologia (México) era o calendário cíclico asteca.

OS INCAS

A civilização inca se desenvolveu na costa oeste do continente americano, na Cordilheira dos Andes (atuais territórios da Bolívia, Peru, parte do Equador, Chile e Argentina andina) e chegou a abrigar cerca de 15 milhões de habitantes.

O império Inca começou a se desenvolver por volta do século II, mas só se expandiu a partir da região de Cuzco, no século XIII.

Cuzco, a capital inca, era o centro administrativo e a cidade sagrada do império. Foi fundada no século XV e lá habitavam os imperadores, nobres, sacerdotes e funcionários do governo.

A sociedade era estratificada, sendo dirigida por uma elite, que estava abaixo do imperador. Nas camadas inferiores estavam os camponeses e por último os escravos, que geralmente eram prisioneiros de guerra.

A base da economia era agrícola, sendo a batata e o milho os seus principais produtos.

Os incas também sucumbiram perante o invasor espanhol, que ficou maravilhado com os adornos de ouro usados pelos sacerdotes, bem como pelas estátuas e jóias. O fato de o império estar em guerra civil também facilitou a sua destruição.