ENEM

ITA

IME

FUVEST

UNICAMP

UNESP

UNIFESP

UFPR

UFRGS

UNB

Novas Resoluções
Resolução da questão de Português da AFA 2022
Resolução da questão de Português da AFA 2022

TEXTO II

A VERDADEIRA LEI DE GÉRSON 

                                                Raul Marinho Gregorin 

                Você se lembra daquele célebre comercial do 

      cigarro Vila Rica, onde nosso tricampeão Gérson falava 

      a famosa frase: “...Porque você tem que levar 

      vantagem em tudo, cerrrto?” A frase teve tanto 

5    impacto que acabou sendo criada a “Lei de Gérson”, que

      simboliza o oportunismo e a falta de escrúpulos típicas de 

      uma grande parcela da nossa sociedade.(...)

                  Concordo que nossa postura oportunista

      realmente contribui para nos manter neste estado de      

10  atraso econômico e cultural em que vivemos. Só que a 

      “Lei de Gérson”, na verdade, é muito mais antiga que o 

      próprio. No excelente livro “Mauá, Empresário do 

      império”, de Jorge Caldeira (Ed. Companhia das Letras), 

      percebe-se que há quase duzentos anos atrás esta lei já 

15  era cumprida. Aliás, essa deve ser a lei mais antiga do 

      Brasil, pois desde as capitanias hereditárias nossa 

      história é pontilhada de exemplos de oportunismo e falta 

      de escrúpulos. A própria escravidão não deixa de ser

      uma mostra do viés ético de nossa sociedade desde 

20  tempos imemoriais, mas isso já é outra história. 

                Eu não conheço a biografia do Gérson, muito

      menos do publicitário que criou a frase e o comercial do 

      Vila Rica. Mas acho muito improvável que o Gérson real 

      seja um oportunista sanguinário como ficou sendo sua 

25  imagem. Nem acredito que o diretor de criação da 

      agência poderia imaginar que esta frase seria usada mais 

      de vinte anos depois para designar esta nossa

      característica. 

                Nossa língua é ferina. Quando a Volkswagen

30  lançou o Fusca com teto solar no final da década de 60, 

      as vendas despencaram depois que passou a ter a 

      conotação de “carro chifrudo”. A VASP na década de 

35  criou um voo noturno ligando São Paulo ao Guarujá 

      para atender aos executivos que deixavam suas famílias 

      no balneário e passavam a semana trabalhando na 

      capital. O nome do voo era “Corujão” devido ao horário. 

      Não demorou muito o voo passou a ser apelidado de 

      “Cornudão”, pelo fato das esposas ficarem na praia

      enquanto os maridos ficavam na cidade. A VASP teve 

40  que cancelar a linha por falta de passageiros. 

                E óbvio que a VW tinha introduzido o teto solar

      baseado no fato do Brasil ser um país quente e 

      ensolarado, perfeito para aquele opcional. Só que o 

      consumidor preferia ficar passando calor a ser visto

45  dirigindo um carro com um buraco no teto para “deixar os

      chifres de fora”. O voo corujão era perfeito,

      especialmente na época em que não havia Piaçaguera e, 

      para chegar ao Guarujá de carro na alta temporada, o 

      motorista tinha que enfrentar horas de fila na balsa. Mas 

50 era melhor demorar oito ou dez horas de carro do que ir 

     de avião, em meia hora, num voo chamado “Cornudão”...

                Com o comercial do Gérson foi a mesma coisa. 

       Levar vantagem em tudo não significa que os outros têm

      que levar desvantagem. O oportunismo foi incorporado à 

      55 frase por quem a leu/ouviu, não por quem a 

      escreveu/disse. O problema é que passou a ficar (para

      usar um conceito atual) “politicamente incorreto” levar 

      vantagem em alguma coisa. 

                Na verdade, parece que nossa sociedade se 

60  divide em dois grandes blocos: um que leva vantagem

       em tudo (no sentido pejorativo) e outro que não pode

       levar vantagem em nada. Acontece que dá para levar 

       vantagem em tudo sem fazer com que os outros saiam 

       em desvantagem. Você não precisa esmagar a outra 

65  parte para sair ganhando. 

(http://www.geocities.ws/cp_adhemar/leidegerson.html. Acesso em: 10 abril 2017.
Texto revisado conforme a nova ortografia.)

De acordo com os episódios da história da propaganda abordados no texto II, podemos notar que as vantagens, às vezes, com o tempo revelam problemas que as tornam desvantagens. Essa ideia está presente no seguinte trecho: 

1 dia
Resolução da questão 3 de Inglês da ESPCEX 2014
Resolução da questão 3 de Inglês da ESPCEX 2014

(EsPCEx - 2014)

Military Officers Face a New Evaluation

Gen. Martin E. Dempsey, the chairman of the Joint Chiefs of Staff, is leading important changes following recent scandals involving high-ranking officers. This is part of training and development programs for generals and admirals. They will include new courses to train the security detail, executive staffs and even the spouses of senior officers.


Saying (1) he was disturbed about the misconduct issues, General Dempsey said that evaluations of top officers needed to go beyond the traditional assessment of professional performance by superior officers alone. He said that he had decided the changes were necessary “to assess both competence and character in a richer way”.


“You can have someone of incredible character who can’t lead their way out of a forward operating base because they don’t have the competence to understand the application of military power, and that doesn’t do me any good”, General Dempsey said. “(2) Conversely, you can have someone who is intensely competent in the skills of the profession, but doesn’t live a life of character. And that doesn’t do me any good.”


General Dempsey said that regular professional reviews would be transformed from top-down assessments to the kind of “360-degree performance evaluation”, which includes feedback from subordinates, peers and superiors. For the new training programs, he said that while it may be impossible to prevent infractions, “most officers need to be reminded of the rules and regulations on a routine basis”.


Teams of inspectors will observe and review the procedures of commanders and their staffs. The inspections will not be punitive, but will provide a “periodic opportunity for general officers to understand whether, from an institutional perspective, we think they are inside or outside the white lines”, he said. In addition, new programs will be instituted to ensure that a commander’s staff, and a spouse, are fully aware of military regulations.


“In my 39 years in the military, I have learned that you are not a profession just because you say you are. You have to earn it and re-earn it and re-evaluate it from time to time”, General Dempsey said.

Adapted from www.nytimes.com/2013/04/14/us

 

In the sentence “Conversely, you can have...” (ref. 2), the word conversely indicates that the two situations described in the paragraph :

1 dia