Elementos da Narrativa: o tempo e o espaço

Elementos da Narrativa: o tempo e o espaço

O gênero narrativo pode ser cobrado no vestibular a partir da proposta de redação ou mesmo a partir das questões de interpretação de texto, então, é muito importante você ficar por dentro de tudo sobre a construção de um texto narrativo. Para escrevê-lo bem você precisa seguir uma estrutura específica para esse gênero textual. Por isso, é importante entender e saber utilizar os elementos da narrativa, como enredo, tempo, espaço, personagem e narrador. No post de hoje vamos falar especificamente sobre os elementos de tempo e espaço, vamos lá?

Elemento da Narrativa: Tempo

O tempo é um elemento de construção da narração e pode estar presente no seu texto como cronológico ou psicológico. Você precisa saber que o escritor tem todo o domínio sobre o tempo presente na narração. Isso faz toda a diferença para que você consiga desencadear os fatos da sua história.

Cronológico:

O tempo cronológico é o tempo real, é o tempo da natureza, dividido em dias, semanas, estações do ano, e etc. É o tempo marcado pelo relógio. Esse tempo é denominado como tempo externo, justamente por estar a parte do personagem, por ser externo a ele. E também é conhecido como tempo histórico.

A construção da sua narrativa precisa de um contexto temporal. É o que permite que o leitor possa se situar sobre o momento em que aconteceu determinado fato. Isso vai ajudar você a construir a sua história de forma mais completa e clara para o leitor.

Dica: Lembre-se sempre de que o tempo cronológico é igual para todos, nós o chamamos de tempo social ou coletivo.

A marcação de tempo cronológico não precisa necessariamente aparecer como horas ou dias da semana. Ela pode ser marcada por períodos do dia (manhã, tarde) ou do ano (natal, carnaval) que indicam um tempo específico. É muito comum que a marcação de tempo cronológico se apresente a partir de um adjunto adverbial. Veja um exemplo:

Na segunda-feira voltou o menino armado com a sua competente pasta a tiracolo, a sua lousa de escrever e o seu tinteiro de chifre; o padrinho o acompanhou até a porta. Logo nesse dia portou-se de tal maneira que o mestre não se pôde dispensar de lhe dar quatro bolos(…)” (Manuel Antônio de Almeida, Memórias de um sargento de milícias. São Paulo: Ateliê, 2000.)

>> Quer entrar para a faculdade pelo ENEM? Conheça nosso curso Semiextensivo. <<

Psicológico:

O tempo psicológico é o tempo individual. Ao contrário do cronológico, não é igual para todos, cada pessoa (personagem ou narrador) sente a passagem do tempo de uma forma diferente. Isso significa que existe uma influência de emoções, situações, sentimentos, que determinam essa passagem do tempo. É um tempo interno.

Sabe quando você espera na fila da padaria e de repente 10 minutos parecem uma eternidade? E quando você quer dormir mais um pouquinho e 10 minutos passam como se fosse 1? O tempo real é o mesmo, mas as sensações daquele momento fazem você sentir que demorou mais ou que passou mais rápido. Esse é o tempo psicológico.

Ele é marcado na narrativa através de memórias e lembranças de um personagem, aparecendo como uma digressão ou um flashback. Normalmente, encontramos esse tempo em histórias com narrador onisciente (que tudo vê) ou narrador personagem (que participa da história).

O tempo psicológico é visto como um fluxo de consciência: uma imaginação, sonho ou um devaneio por parte do personagem. Como no exemplo a seguir, em que o defunto-autor relembra a sua morte:

Dito isto, expirei às duas horas da tarde de uma sexta-feira do mês de agosto de 1869, na minha bela chácara de Catumbi. Tinha uns sessenta e quatro anos, rijos e prósperos, era solteiro, possuía cerca de trezentos contos e fui acompanhado ao cemitério por onze amigos. Onze amigos!”  (Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas).

Elemento da Narrativa: Espaço

O espaço é um elemento muito importante para a narrativa, justamente por construir de fato a história. Através dele podemos sugerir características para os personagens e compreender ou inferir situações sociais. O espaço também serve para construir um “plano de fundo” para a história acontecer.

Em muitas narrativas o espaço pode ser dividido entre real e psicológico, assim como acontece com o elemento tempo. O espaço real é onde os personagens de fato vivem a história, estão presentes nele no momento dos fatos. Já o espaço psicológico, pode ser o espaço nas memórias do personagem, nas lembranças de determinado período ou fato passado.

A importância do Espaço

Esse elemento é tão importante para a construção de uma boa narrativa, que muitas vezes os espaço descritos nas histórias ganham uma personificação e são compreendidos como o próprio personagem. Isso acontece na obra “O Cortiço”, de Aluísio de Azevedo, em que o cortiço (espaço onde ocorre a história) ganha características humanas: “Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. Um acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada, sete horas de chumbo (…)”

>> Passe em Medicina estudando online! Conheça o Curso Medicina do Kuadro. <<

A construção do espaço na narrativa também pode acontecer como um reflexo do interior das personagens, das emoções e sensações representadas por elas. Por exemplo, uma cena onde é descrito que o céu está cinza e escuro, pode demonstrar um sentimento de angústia, nostalgia ou preocupação por parte do personagem e do momento na narrativa. Dessa forma, o elemento espaço pode representar não só o cenário de uma história, mas sim características internas e externas de uma personagem.

Agora ficou mais fácil de construir seu texto, certo? Lembre-se desses elementos na hora de produzir a sua narrativa e fique de olho em outras dicas que deixamos aqui para vocês!

O que achou deste post? Continue acompanhando o Blog do Kuadro e assista às nossas Aulas Ao Vivo!

A Marina é graduanda em Letras pela UNIFESP. É orientadora pedagógica e monitora do Kuadro. Sabe tudo sobre língua portuguesa e redação. Tire suas dúvidas aqui nos comentários!

Blog Kuadro