sombra

Reino Plantae

Com a conquista do meio terrestre pelas plantas, foi possível a chegada e permanência dos animais em diversos ambientes. Os animais dependem direta ou indiretamente das plantas para sua sobrevivência. O Reino Plantae apresenta como representantes as briófitas, as pteridófitas, gimnospermas e angiospermas. Vamos estudar um pouco mais sobre esses grupos?

Características do Reino Plantae

Entre as principais características dos representantes desse reino estão: são seres multicelulares, eucarióticos e autótrofos.

Produzem seu próprio alimento a partir da fotossíntese e servem como fonte de energia para os consumidores de um ecossistema – direta ou indiretamente.  

Podem ser divididos em avasculares – sem vasos condutores de seiva, como por exemplo: as briófitas e vasculares – que possuem vasos condutores, como, por exemplo: pteridófitas, gimnospermas e angiospermas.

No cladograma abaixo, é possível ver a sequência com algumas das novidades evolutivas de cada grupo: algas, briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas. Lembrando que na classificação em cinco reinos, as algas pertencem ao Reino Protista:

Novidades evolutivas das plantas
Fonte: Planeta Biologia

Briófitas:

São plantas pequenas e que apresentam organização corporal simplificada.

São seres avasculares, a água e os nutrientes são absorvidos diretamente pela superfície corporal da planta, e a distribuição das substâncias no interior do organismo do vegetal ocorre através de um processo denominado difusão, que ocorre célula a célula.

A falta de vasos condutores está relacionada ao tamanho corporal reduzido desse grupo de vegetais.

São plantas que vivem em ambiente úmido e sombreado. A maior parte das espécies não chega a 5cm de altura.

Possuem rizoides, cauloides, filoides, uma vez que apresentam organização estrutural diferente dos demais representes desse reino.

Abaixo, segue a figura representativa respectivamente de antóceros e musgos, exemplos de briófitas:

Exemplos de briófitas
Figura: Amabis e Martho (2016)

Pteridófitas

São representantes desse grupo as avencas, samambaias, cavalinhas, entre outros.

Possuem vasos condutores de seiva (xilema e floema) e não formam sementes. Apresentam como fase dominante o esporófito, que é composto por caule, raízes e folhas.

Vivem preferencialmente em ambientes úmidos e sombreados.

A presença de vasos condutores tornou mais eficiente o transporte de água no interior da planta. A rapidez no transporte de seiva favoreceu o surgimento de vegetais de porte elevado.

Além disso, a vascularização foi uma importante contribuição para a adaptação ao ambiente terrestre. Embora ainda sejam dependentes da água para a reprodução.

A figura abaixo ilustra:

A – Esquema de um esporófito de uma pteridófita e cortes transversais da folha, caule e raiz.

Exemplos de pteridófitas popularmente conhecidas como:

  • B – Samambaia;
  • C – Avenca;
  • D- Licopódio;
  • E- Selaginela;
  • F- Cavalinha.
Fonte: Amabis e Martho (2016)

Gimnospermas

Sua principal característica é a formação de sementes, estruturas que são produzidas a partir do óvulo. Como não apresentam frutos, são conhecidas por apresentar as sementes nuas. Exemplo: pinheiros e sequoias.

Em geral, estão adaptadas a viver em ambientes de clima frio e em grandes altitudes.

No Brasil, uma conífera muito conhecida é o Pinheiro- do- Paraná, pertencente à espécie Araucaria augustifolia.

Há espécies monoicas (uma planta possui estruturas femininas e masculinas) e dioicas (existem plantas femininas e plantas masculinas). Nesse grupo, há o surgimento do grão de pólen e o transporte dessa estrutura ocorre pelo vento (anemofilia), sem a presença de polinizadores.

A figura abaixo mostra dois exemplos de Gimnospermas: A- Araucaria augustifolia e B – Cycas revoluta:

exemplos de gimnospermas
Fonte: Amabis e Martho (2016)

Angiospermas

É o grupo de plantas dominantes no planeta. Além dos vasos condutores de sementes e seiva, essas plantas possuem flores e frutos.

Os frutos são formados a partir do desenvolvimento do ovário da planta e são fundamentais para a proteção e disseminação das sementes, visto que em geral apresentam sabor agradável aos animais, que se alimentam deles e dispersam as sementes em locais distantes da planta-mãe, o que favorece a colonização de novos ambientes.

São encontradas em diversos ambientes e em várias formas como gramíneas, arbustos e árvores.

Essas plantas são dependentes da interação com animais, seja na dispersão de sementes ou através da polinização. Assim suas flores podem apresentar cor e odor agradáveis para a atração dos polinizadores, como por exemplo as abelhas.

Exemplos de angiospermas
Figura: Exemplo de angiosperma (Laranjeira). Fonte: Conexão Planeta

O que você achou?