Resumo Teórico – Separação de Misturas Heterogêneas

Resumo Teórico – Separação de Misturas Heterogêneas

Separação de misturas – Parte I

Um dos interesses dos químicos é estudar as propriedades das substâncias puras e como na maioria das vezes essas substâncias se apresentam misturadas é essencial conhecer os principais métodos de separação. Para escolher o método de separação de misturas adequado é importante você conhecer um pouco da sua mistura, como por exemplo, se ela é heterogênea (mistura com duas ou mais fases) ou homogênea (mistura com apenas uma fase). Nessa primeira parte do resumo abordaremos as principais técnicas de separação de misturas heterogêneas.

Técnicas de Separação de Misturas Heterogêneas

Filtração

Usada para separar misturas sólido-líquido ou sólido-gás. No caso mais simples utilizamos um papel como filtro onde as partículas sólidas ficam retidas e o líquido escoa. Para o tratamento da água canalizada que recebemos em casa, por exemplo, essa água passa por filtro de areia, onde este retém partículas sólidas presentes na água.

Filtração à vácuo

Em casos onde a filtração é muito lenta, ou seja, a parte líquida leva muito tempo para escoar, podemos acoplar uma bomba de vácuo ao equipamento para acelerar o processo.

Decantação

Pode ser usada para separar sólidos de líquidos ou líquidos imiscíveis entre si, como por exemplo, água e óleo. Para a separação de um sólido e um líquido deixamos a mistura em repouso e por ação da gravidade o sólido irá se depositar no fundo. Para retirar a parte líquida, podemos verter cuidadosamente o recipiente, para retirar a parte líquida, ou ainda, podemos utilizar um sifão, no processo conhecido como sifonação.

Assista ao vídeo para ver exemplos:

Centrifugação

Caso a decantação seja muito lenta, é possível acelerar o processo através do uso de uma centrífuga. Nesse processo, as misturas são colocadas em tubos de ensaio que são encaixados na centrífuga. Esta gira rapidamente forçando a parte mais densa da amostra a se depositar no fundo de recipiente. Através desse processo é possível separar uma amostra de sangue em três fases: plasma; glóbulos brancos e plaquetas; glóbulos vermelhos.

Funil de separação

Para separação de misturas entre dois líquidos imiscíveis, utilizamos uma vidraria chamada funil de separação ou funil de decantação. O líquido mais denso ficará no fundo e para retirar o componente mais denso basta abrir a torneira do funil.

Dissolução fracionada

Essa técnica separa uma mistura formada por dois sólidos, onde apenas um deles é solúvel em determinado solvente. Por exemplo, se quisermos separar uma mistura de areia e sal de cozinha (cloreto de sódio), adicionamos água à mistura, onde sabemos que o sal irá se dissolver e a areia não. Podemos prosseguir com a separação, filtrando (onde a areia ficará retida no papel), seguida por uma evaporação da água, restando apenas o sal.

Separação magnética

Separação de sólidos quando um dos componentes possui propriedades magnéticas, como o caso das partículas de ferro. Para tanto, utilizamos um imã ou eletroímã.

Sublimação

Separação de sólidos quando um deles sofre sublimação (passagem do estado sólido para estado gasoso, sem passar pelo estado líquido) por meio de aquecimento ou não. Esse é um processo pelo qual purificamos iodo, onde este sublima com aquecimento.

Cadastre-se também para assistir às Aulas Ao Vivo Kuadro sobre diversas matérias do ENEM e outros Vestibulares!

O que achou desse resumo? Deixe nos comentários e continue acompanhando o Blog e o Canal do Kuadro!

Blog Kuadro