Questões de História - ENEM 2009

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
1-15 de 24
Questão 46
2009História

(Enem 2009) O Egito é visitado anualmente por milhões de turistas de todos os quadrantes do planeta, desejosos de ver com os próprios olhos a grandiosidade do poder esculpida em pedra há milênios: as pirâmides de Gizeh, as tumbas do Vale dos Reis e os numerosos templos construídos ao longo do Nilo. O que hoje se transformou em atração turística era, no passado, interpretado de forma muito diferente, pois

Questão 47
2009História

(Enem 2009) O que se entende por Corte do antigo regime , em primeiro lugar, a casa de habitao dos reis de Frana, de suas famlias, de todas as pessoas que, de perto ou de longe, dela fazem parte. As despesas da Corte, da imensa casa dos reis, so consignadas no registro das despesas do reino da Frana sob a rubrica significativa de Casas Reais. ELIAS, N. A sociedade de corte. Lisboa: Estampa, 1987. Algumas casas de habitao dos reis tiveram grande efetividade poltica e terminaram por se transformar em patrimnio artstico e cultural, cujo exemplo

Questão 48
2009HistóriaSociologia

(Enem 2009) Hoje em dia, nas grandes cidades, enterrar os mortos uma prtica quase ntima, que diz respeito apenas famlia. A menos, claro, que se trate de uma personalidade conhecida. Entretanto, isso nem sempre foi assim. Para um historiador, os sepultamentos so uma fonte de informaes importantes para que se compreenda, por exemplo, a vida poltica das sociedades. No que se refere s prticas sociais ligadas aos sepultamentos,

Questão 49
2009História

(Enem 2009) A Idade Média é um extenso período da História do Ocidente cuja memória é construída e reconstruída segundo as circunstâncias das épocas posteriores. Assim, desde o Renascimento, esse período vem sendo alvo de diversas interpretações que dizem mais sobre o contexto histórico em que são produzidas do que propriamente sobre o Medievo. Um exemplo acerca do que está exposto no texto acima é

Questão 50
2009História

(Enem 2009) A primeira metade do século XX foi marcada por conflitos e processos que a inscreveram como um dos mais violentos períodos da história humana.Entre os principais fatores que estiveram na origem dos conflitos ocorridos durante a primeira metade do século XX estão

Questão 51
2009História

(Enem 2009) Os regimes totalitários da primeira metade do século XX apoiaram-se fortemente na mobilização da juventude em torno da defesa de ideias grandiosas para o futuro da nação. Nesses projetos, os jovens deveriam entender que só havia uma pessoa digna de ser amada e obedecida, que era o líder. Tais movimentos sociais juvenis contribuíram para a implantação e a sustentação do nazismo, na Alemanha, e do fascismo, na Itália, Espanha e Portugal. A atuação desses movimentos juvenis caracterizava-se

Questão 52
2009HistóriaGeografia

(Enem 2009) Do ponto de vista geopolítico, a Guerra Fria dividiu a Europa em dois blocos. Essa divisão propiciou a formação de alianças antagônicas de caráter militar, como a OTAN, que aglutinava os países do bloco ocidental, e o Pacto de Varsóvia, que concentrava os do bloco oriental. É importante destacar que, na formação da OTAN, estão presentes, além dos países do oeste europeu, os EUA e o Canadá. Essa divisão histórica atingiu igualmente os âmbitos político e econômico que se refletia pela opção entre os modelos capitalista e socialista. Essa divisão europeia ficou conhecida como

Questão 53
2009HistóriaSociologia

(Enem 2009) O ano de 1968 ficou conhecido pela efervescncia social, tal como se pode comprovar pelo seguinte trecho, retirado de texto sobre propostas preliminares para uma revoluo cultural: preciso discutir em todos os lugares e com todos. O dever de ser responsvel e pensar politicamente diz respeito a todos, no privilgio de uma minoria de iniciados. No devemos nos surpreender com o caos das ideias, pois essa a condio para a emergncia de novas ideias. Os pais do regime devem compreender que autonomia no uma palavra v; ela supe a partilha do poder, ou seja, a mudana de sua natureza. Que ningum tente rotular o movimento atual; ele no tem etiquetas e no precisa delas. Journal de la comune tudiante. Textes et documents. Paris: Seuil, 1969 (adaptado). Os movimentos sociais, que marcaram o ano de 1968,

Questão 55
2009História

(Enem 2009) O fim da Guerra Fria e da bipolaridade, entre as décadas de 1980 e 1990, gerou expectativas de que seria instaurada uma ordem internacional marcada pela redução de conflitos e pela multipolaridade. O panorama estratégico do mundo pós-Guerra Fria apresenta:

Questão 56
2009HistóriaFilosofia

(Enem 2009) Na democracia estado-unidense, os cidados so includos na sociedade pelo exerccio pleno dos direitos polticos e tambm pela ideia geral de direito de propriedade. Compete ao governo garantir que esse direito no seja violado. Como consequncia, mesmo aqueles que possuem uma pequena propriedade sentem-se cidados de pleno direito. Na tradio poltica dos EUA, uma forma de incluir socialmente os cidados

Questão 57
2009HistóriaFilosofiaSociologia

(Enem 2009) Na dcada de 30 do sculo XIX, Tocqueville escreveu as seguintes linhas a respeito da moralidade nos EUA: A opinio pblica norte-americana particularmente dura com a falta de moral, pois esta desvia a ateno frente busca do bem-estar e prejudica a harmonia domstica, que to essencial ao sucesso dos negcios. Nesse sentido, pode-se dizer que ser casto uma questo de honra. TOCQUEVILLE, A. Democracy in America. Chicago: Encyclopdia Britannica, Inc., Great Books 44, 1990 (adaptado). Do trecho, infere-se que, para Tocqueville, os norteamericanos do seu tempo

Questão 59
2009História

(Enem 2009) Para Caio Prado Jr., a formação brasileira se completaria no momento em que fosse superada a nossa herança de inorganicidade social - o oposto da interligação com objetivos internos - trazida da colônia. Este momento alto estaria, ou esteve, no futuro. Se passarmos a Sérgio Buarque de Holanda, encontraremos algo análogo. O país será moderno e estará formado quando superar a sua herança portuguesa, rural e autoritária, quando então teríamos um país democrático. Também aqui o ponto de chegada está mais adiante, na dependência das decisões do presente. Celso Furtado, por seu turno, dirá que a nação não se completa enquanto as alavancas do comando, principalmente do econômico, não passarem para dentro do país. Como para os outros dois, a conclusão do processo encontra-se no futuro, que agora parece remoto. SCHWARZ, R. Os sete fôlegos de um livro. Sequências brasileiras. São Paulo: Cia. das Letras,1999 (adaptado). Acerca das expectativas quanto à formação do Brasil, a sentença que sintetiza os pontos de vista apresentados no texto é:

Questão 61
2009História

(Enem 2009) O autor da constituição de 1937, Francisco Campos, afirma no seu livro, O Estado Nacional, que o eleitor seria apático; a democracia de partidos conduziria à desordem; a independência do Poder Judiciário acabaria em injustiça e ineficiência; e que apenas o Poder Executivo, centralizado em Getúlio Vargas, seria capaz de dar racionalidade imparcial ao Estado, pois Vargas teria providencial intuição do bem e da verdade, além de ser um gênio político.(CAMPOS, F. O Estado nacional. Rio de Janeiro: José Olympio, 1940 (adaptado).) Segundo as ideias de Francisco Campos,

Questão 62
2009História

(Enem 2009) A partir de 1942 e estendendo-se até o final do Estado Novo, o Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio de Getúlio Vargas falou aos ouvintes da Rádio Nacional semanalmente, por dez minutos, no programa Hora do Brasil. O objetivo declarado do governo era esclarecer os trabalhadores acerca das inovações na legislação de proteção ao trabalho. )GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: IUPERJ / Vértice. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988 (adaptado).) Os programas Hora do Brasil contribuíram para

Questão 63
2009História

(Enem 2009) No final do século XVI, na Bahia, Guiomar de Oliveira denunciou Antônia Nóbrega à Inquisição. Segundo o depoimento, esta lhe dava “uns pós não sabe de quê, e outros pós de osso de finado, os quais pós ela confessante deu a beber em vinho ao dito seu marido para ser seu amigo e serem bem-casados, e que todas estas coisas fez tendo-lhe dito a dita Antônia e ensinado que eram coisas diabólicas e que os diabos lha ensinaram”. ARAÚJO, E. O teatro dos vícios. Transgressão e transigência na sociedade urbana colonial. Brasília: UnB/José Olympio, 1997. Do ponto de vista da Inquisição,

1-15 de 24
NOVIDADES
Kuadro