ENEM

ITA

IME

FUVEST

UNICAMP

UNESP

UNIFESP

UFPR

UFRGS

UNB

VestibularEdição do vestibular
Disciplina
Busca avançada
Ir para Ranking
Física | termologia | calorimetria | calor específico
Física | termologia | calorimetria | calor latente
Física | termologia | calorimetria | calor sensível
Física | termologia | calorimetria | calorímetro
Física | termologia | calorimetria | capacidade térmica
Física | termologia | calorimetria | equação fundamental da calorimetria
Física | termologia | diagrama de fases | diagrama de fases
Física | termologia | diagrama de fases | ebulição e condensação
Física | termologia | diagrama de fases | evaporação - umidade do ar
Física | termologia | diagrama de fases | fusão e solidificação
Física | termologia | diagrama de fases | isotérmas de Andrews
Física | termologia | diagrama de fases | pressão máxima de vapor
Física | termologia | diagrama de fases | sublimação
Física | termologia | mudanças de fase | curvas de aquecimento e de resfriamento
Física | termologia | mudanças de fase | quantidade de calor latente
Física | termologia | mudanças de fase | superfusão
FUVEST 1991FUVEST FísicaTurma ENEM Kuadro

Enche-se uma seringa com pequena quantidade de água destilada a uma temperatura um pouco abaixo da temperatura de ebulição. Fechando o bico, como mostra a figura A a seguir, e puxando rapidamente o êmbolo, verifica-se que a água entra em ebulição durante alguns instantes (veja figura B). Podemos explicar este fenômeno considerando que:

A

na água há sempre ar dissolvido e a ebulição nada mais é do que a transformação do ar dissolvido em vapor.

B

com a diminuição da pressão a temperatura de ebulição da água fica menor do que a temperatura da água na seringa.

C

com a diminuição da pressão há um aumento da temperatura da água na seringa.

D

o trabalho realizado com o movimento rápido do êmbolo se transforma em calor que faz a água ferver.

E

calor específico da água diminui com a diminuição da pressão.