Gabarito IFAL - Provas Anteriores

ITA
ITA
IME
IME
ENEM
ENEM
FUVEST
FUVEST
UNICAMP
UNICAMP
UNESP
UNESP
ESPCEX
ESPCEX
AFA
AFA
1-15 de 21chevron right center
Questão
2018Matemática

(IFAL - 2017) A base de um tringulo mede x+3 e a altura mede x-2. Se a rea desse tringulo vale 7, o valor de x :

Questão
2018Português

(IFAL - 2018) Saudade de escrever Apesar da concorrncia (internet, celular), a carta continua firme e forte. Basta uma folha de papel, selo, caneta e envelope para que uma pessoa do Rio Grande do Norte, por exemplo, fique por dentro das fofocas registradas por um amigo em So Paulo, dois dias depois. Adoro receber cartas, fico super ansiosa para descobrir o que est escrito, conta Lvia Maria, de 9 anos. Mas ela admite que faz tempo que no escreve nenhuma cartinha. As ltimas foram para a Anglica e para um dos programas do Gugu. Isabela, de 9 anos, lembra que, quando morava em Curitiba, no Paran, trocava correspondncia com sua amiga Raquel, que vive em Belo Horizonte, Minas Gerais. Eu ficava sabendo das novidades e no gastava dinheiro com telefonemas. J Amanda, de 10 anos, tambm gosta de receber cartinhas, mas prefere enviar e-mails. Atualmente estou conversando com meu primo que est nos Estados Unidos via computador, j que a mensagem chega mais rpido e no pago interurbano. TOURRUCCO, Juliana. Saudade de escrever. O Estado de So Paulo, p.5, 25 jul.1998. Suplemento infantil. No perodo: Mas ela admite que faz tempo que no escreve nenhuma cartinha, a palavra nenhuma funciona como pronome indefinido, imprimindo um sentido impreciso ao substantivo cartinha. Assinale a nica alternativa cujo sentido se altera significativamente com a mudana na redao.

Questão
2018RedaçãoPortuguês

(IFAL2018) A GRAMA DO VIZINHO Martha Medeiros Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho no mais verde coisssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco. H no ar certo queixume sem razes muito claras. Converso com mulheres que esto entre os 40 e 50 anos, todas com profisso, marido, filhos, sade, e ainda assim elas trazem dentro delas um no-sei-o-qu perturbador, algo que as incomoda, mesmo estando tudo bem. De onde vem isso? Anos atrs, a cantora Marina Lima comps com o seu irmo, o poeta Antonio Ccero, uma msica que dizia: Eu espero/ acontecimentos/ s que quando anoitece/ festa no outro apartamento. Passei minha adolescncia com esta sensao: a de que algo muito animado estava acontecendo em algum lugar para o qual eu no tinha convite. uma das caractersticas da juventude: considerar-se deslocado e impedido de ser feliz como os outros so, ou aparentam ser. S que chega uma hora em que preciso deixar de ficar to ligada na grama do vizinho. As festas em outros apartamentos so fruto da nossa imaginao, que infectada por falsos holofotes, falsos sorrisos e falsas notcias. Os notveis alardeiam muito suas vitrias, mas falam pouco das suas angstias, revelam pouco suas aflies, no do bandeira das suas fraquezas, ento fica parecendo que todos esto comemorando grandes paixes e fortunas, quando na verdade a festa l fora no est to animada assim. Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho no mais verde coisssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco, com motivos pra danar pela sala e tambm motivos pra se refugiar no escuro, alternadamente. S que os motivos pra se refugiar no escuro raramente so divulgados. Pra consumo externo, todos so belos, sexys, lcidos, ntegros, ricos, sedutores. Nunca conheci quem tivesse levado porrada/ todos os meus conhecidos tm sido campees em tudo. Fernando Pessoa tambm j se sentiu abafado pela perfeio alheia, e olha que na poca em que ele escreveu estes versos no havia esta overdose de revistas que h hoje, vendendo um mundo de faz-de-conta. Nesta era de exaltao de celebridades reais e inventadas fica difcil mesmo achar que a vida da gente tem graa. Mas, tem. Paz interior, amigos leais, nossas msicas, livros, fantasias, desiluses e recomeos, tudo isso vale ser includo na nossa biografia. Ou ser que to divertido passar dois dias na Ilha de Caras fotografando junto a todos os produtos dos patrocinadores? Compensa passar a vida comendo alface para ter o corpo que a profisso de modelo exige? Ser to gratificante ter um paparazzo na sua cola cada vez que voc sai de casa? Estaro mesmo todos realizando um milho de coisas interessantes enquanto s voc est sentada no sof pintando as unhas do p? Favor no confundir uma vida sensacional com uma vida sensacionalista. As melhores festas acontecem dentro do nosso prprio apartamento. Fonte: Disponvel em: http://www.refletirpararefletir.com.br/4-cronicas-de-marthamedeiros. Acesso em 12/09/2017, s 15h13. Segundo a estrutura composicional do texto A grama do vizinho, podemos afirmar que temos o seguinte gnero:

Questão
2018Português

(IFAL - 2018) Considerando que o vebroestarpode ser interpretado como sendoverbo de ligao, se indica apenas um estado, ouverbo intransitivo, se a estada em determinado local, assinale a opo em que, no par de sentenas, o verbo estarseja verbo de ligao na primeira sentena e verbo intransitivo na segunda.

Questão
2018Português

(IFAL - 2018) Saudade de escrever Apesar da concorrncia (internet, celular), a carta continua firme e forte. Basta uma folha de papel, selo, caneta e envelope para que uma pessoa do Rio Grande do Norte, por exemplo, fique por dentro das fofocas registradas por um amigo em So Paulo, dois dias depois. Adoro receber cartas, fico super ansiosa para descobrir o que est escrito, conta Lvia Maria, de 9 anos. Mas ela admite que faz tempo que no escreve nenhuma cartinha. As ltimas foram para a Anglica e para um dos programas do Gugu. Isabela, de 9 anos, lembra que, quando morava em Curitiba, no Paran, trocava correspondncia com sua amiga Raquel, que vive em Belo Horizonte, Minas Gerais. Eu ficava sabendo das novidades e no gastava dinheiro com telefonemas. J Amanda, de 10 anos, tambm gosta de receber cartinhas, mas prefere enviar e-mails. Atualmente estou conversando com meu primo que est nos Estados Unidos via computador, j que a mensagem chega mais rpido e no pago interurbano. TOURRUCCO, Juliana. Saudade de escrever. O Estado de So Paulo, p.5, 25 jul.1998. Suplemento infantil. Quanto anlise morfossinttica dos elementos textuais, apenas uma alternativa est errada, contrariando o que prescreve a norma padro da Lngua Portuguesa. Assinale-a.

Questão
2018Português

(IFAL - 2018) O texto que segue para a prxima questo: . Deda, meu amigo, estou aqui. Podes me ouvir? J faz algum tempo que no conversamos. Poderamos arrancar a malvada saudade de nosso peito, o que achas ento? Teu rosto est envelhecido. Tua carne, envilecida. Teu corpo treme. Tuas dbeis mos fremem. O que ter acontecido contigo, meu velho? Ah, j no s mais bravo e guerreiro, moo e vigoroso: s, sim, p espectral. Logo te ajuntars ao barro da terra. Logo a terra abrir a fecunda e profunda boa para te tragar. Oleiro. Logo, meu velho. Logo. Lembras-te que eras to bom na pontaria, que no erravas uma formiga na mira da tua espingarda, que ficavas a escorar-te em qualquer pilastra por onde pousavas e passavas, em varandas de casebres e casas grandes? Lembras-te, meu velho, que eras to bom na composio de versos, nos improvisos de belos repentes? Tuas pernas j no suportam o peso de teu corpo, mesmo que tu queiras: magro, seco feito imbaba. Triste sofrer. O tempo passou devagar, voraz, amigo. O tempo no espera que o acompanhemos. Segue sozinho os caminhos da vida e vai a todos os lugares e direes: atalhos. (LOURENO, Rosival. Pelos engenhos. Macei: Edufal, 2011, p. 12) Considerando as relaes de coerncia e coeso, bem como as relaes sintticas de concordncia do portugus, assinale a alternativa que apresenta uma afirmao errada quanto ao trecho a que se refere.

Questão
2018Matemática

(IFAL - 2018) Determine o valor da raz da equao 3x+5=2

Questão
2018Redação

(IFAL 2018) Sobre esse anncio publicitrio, o mecanismo usado linguisticamente na seguinte passagem: LEVE UMA DE BROTINHO BANANA! est inserido no plano do(a)

Questão
2017Matemática

O termo independente no desenvolvimento do binmio

Questão
2017Redação

(IFAL 2017) A senhora, uma dona de casa, estava na feira, no caminho que vende galinhas. O vendedor ofereceu a ela uma galinha. Ela olhou para a galinha, passou a mo embaixo das asas de galinha, apalpou o peito da galinha, alisou as coxas da galinha, depois tornou a colocar a galinha na banca e disse para o vendedor: No presta!. A o vendedorolhou para ela e disse: Tambm, madame, num exame assim nem a senhora passsava. FERNANDES, Millr. No texto, observa-se que o autor faz uso repetidas vezes do vocbulo galinha. Com esse mecanismo de coeso referencial, a sua inteno de

Questão
2017Português

(IFAL - 2017) TEXTO PARA A PRXIMA QUESTO: Para efeito de marketing, a empresa que vende o produto que se apresenta nesse rtulo infringe, propositadamente, a ortografia do portugus padro. Em que palavra isso ocorre?

Questão
2017Português

(IFAL - 2017) Leia: A gente no pede para nascer, apenas nasce. Alguns nascem ricos, outros pobres; outros brancos, outros negros; uns nascem num pas onde faz muito frio, outros em terras quentes; enfim, ns no temos muita opo mesmo. O fato que, quando a gente percebe, j nasceu. Eu nasci ndio. Mas no nasci como nascem todos os ndios. No nasci numa aldeia, rodeada de mato por todo lado, com um rio onde as pessoas pescam peixe quase com a mo de to lmpida que a gua. No nasci dentro de uma Uka Munduruku. Eu nasci na cidade. Acho que dentro de um hospital. E nasci numa cidade onde a maioria das pessoas se parece com ndio: Belm do Par. [...] S no gostava de uma coisa: que me chamassem de ndio. No. Tudo, menos isso! Para meu desespero, nasci com cara de ndio, cabelo de ndio (apesar de um pouco loiro), tamanho de ndio. Quando entrei na escola primria, ento, foi um deus-nos-acuda. Todo mundo vivia dizendo: Olha o ndio que chegou nossa escola. Meus primeiros colegas logo, logo se aproveitaram pra me colocar o apelido de Aritana. No precisa dizer que isso me deixou fulo da vida e foi um dos principais motivos das brigas nessa fase da minha histria e no foram poucas brigas, no. Ao contrrio, briguei muito e, claro, apanhei muito tambm. E por que eu no gostava que me chamassem de ndio? Por causa das ideias e imagens que essa palavra trazia. Chamar algum de ndio era classific-lo como atrasado, selvagem, preguioso. E, como j contei, eu era uma pessoa trabalhadora que ajudava meus pais e meus irmos e isso era uma honra para mim. Mas era uma honra que ningum levava em considerao. Para meus colegas s contava a aparncia e no o que eu era e fazia. Munduruku, Daniel. A raiva de ser ndio. 15.01.2017. https://www.xapuri.info/cultura/daniel-munduruku-indio/ Daniel Mundukuru no gostava da alcunha de ndio, porque

Questão
2017Matemática

(IFAL - 2017) Determine a altura relativa hipotenusa de um tringulo retngulo, cujos catetos medem 6 cm e 8 cm.

Questão 2
2016Português

(IFAL - 2016) beira da extino, ave sara apunhalada tem rara chance de se recuperar na natureza A sara apunhalada (o nome faz referncia mancha vermelha no peito do pssaro, que se assemelha a uma punhalada) uma ave simptica de dez centmetros, com plumagem branca e cinza. A alcunha, que na origem s fazia referncia ao visual da espcie, agora serve bem como indicao simblica do perigo pelo qual passa a sara: estimativas indicam que s existem 50 delas na natureza. Para proteg-la, ONGs e rgos ambientalistas do governo lutam para que seja criada uma reserva florestal de 5 mil hectares na regio serrana capixaba. A sara apunhalada vive em bandos e se alimenta de pequenos insetos e frutos. Ela vive no alto de florestas da Mata Atlntica, e est a a sua maior fraqueza, j que 90% dessa vegetao foi destruda pelo homem. A ave, que tambm era encontrada em Minas Gerais, hoje s pode ser vista no Esprito Santo. A extino est associada destruio secular da Mata Atlntica, porque a espcie s sobrevive em florestas muito bem conservadas, diz o bilogo Edson Ribeiro Luiz, coordenador de projetos da SAVE Brasil, ONG ligada Bird Life International, que tem como foco a proteo das aves brasileiras. Em territrio capixaba, onde existe apenas um bloco de vegetao preservado, elas tendem a ficar ilhadas. A luta para proteger a ave ganhou fora no ms passado, quando aconteceu no Estado o Avistar, principal evento de observao de pssaros do pas. Tendo na sara apunhalada o seu smbolo, a festa foi o incentivo que faltava para que o Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA) estabelecesse o prazo de maro de 2016 para a constituio da reserva. A deciso final, porm, continua nas mos do governo. (Disponvel em: https://veja.abril.com.br/ciencia/a-beira-da-extincao-ave-saira-apunhalada-tem-rara-chance-de-se-recuperar-na-natureza/. Acesso em 13/11/2015. Texto adaptado) Quanto acentuao das palavras, assinale a afirmao verdadeira.

Questão
2016Português

(G1 - ifal 2016) O texto abaixo referncia para a questo a seguir: Alis versos no se escrevem para leitura de olhos mudos. Versos cantam-se, urram-se, choram-se. Quem no souber cantar no leia Paisagem n 1. Quem no souber urrar no leia Ode ao Burgus. Quem no souber rezar, no leia Religio. Desprezar: A Escalada. Sofrer: Colloque Sentimental. Perdoar: a cantiga do bero, um dos solos de Minha Loucura, das Enfibraturas do Ipiranga. No continuo. Repugna-me dar a chave de meu livro. Quem for como eu tem essa chave. Mrio de Andrade. Literatura Comentada. p. 131. Ed. Nova cultural Ltda. Tomando como base esse texto de Mrio de Andrade, assinale a nica alternativa falsa quanto s classes de palavras e suas flexes no uso da lngua.

1-15 de 21chevron right center
NOVIDADES
Kuadro