Questões - UFSJ | Gabarito e resoluções

chevron left center106-120 de 121chevron right center
Questão
2006Filosofia

(Ufsj 2006) Para Aristteles, ... h uma diferena entre argumentos que procedem dos primeiros princpios e os que se voltam para eles. (...)... embora devamos comear pelo que conhecido, os objetos do conhecimento o so em dois sentidos diferentes: alguns para ns, outros na acepo absoluta da palavra ARISTTELES. tica a Nicmaco. Livro I. So Paulo: Abril Cultural, 1979, p. 51. (Coleo Pensadores). Nesse caso, para ouvir inteligentemente as prelees sobre temas da cincia poltica, preciso

Questão
2006Filosofia

(UFSJ - 2006) Nossa discusso ser adequada se tiver tanta clareza quanto comporta o assunto, pois no se deve exigir a preciso em todos os raciocnios por igual, assim como no se deve busc-la nos produtos de todas as artes mecnicas. (ARISTTELES. tica a Nicmaco. Livro I. So Paulo: Abril Cultural, 1984, p.50). Considerando o texto acima, assinale a resposta que confere autoria a Aristteles.

Questão
2006Filosofia

(UFSJ -2006) Se, pois, para as coisas que fazemos existe um fim que desejamos por ele mesmo e tudo o mais desejado no interesse desse fim; e se verdade que nem toda coisa desejamos com vista em outra (...), evidentemente tal fim ser o bem, ou antes, o sumo bem. (ARISTTELES. tica a Nicmaco. Livro I. So Paulo: Abril Cultural, 1979, p. 49. (Coleo Pensadores)). No trecho acima, Aristteles se refere poltica como arte mestra e como um bem porque a poltica

Questão
2006Filosofia

(UFSJ 2006) Conforme Aristteles, existem trs tipos principais de vida, que so

Questão
2006Filosofia

(UFSJ - 2006) Se a funo do homem uma atividade da alma que segue ou que implica um princpio racional e se dizemos que um tal-e-tal e um bom tal-e-tal tm uma funo que a mesma em espcie ..., se realmente assim [...]. (ARISTTELES. tica a Nicmaco. Livro I. So Paulo: Abril Cultural, 1979, p. 56. (Coleo Pensadores)). Assinale a alternativa que completa essa ideia de Aristteles.

Questão
2005Filosofia

(UFSJ 2005) Entende-se que, para Platão, na Alegoria da Caverna: I) aponta-se para o sentido da entrada do homem no mundo inteligível e o retorno ao mundo sensível. II) aponta-se para o sentido da natureza da educação apropriada ao filósofo. III) o mundo da opinião está presente nas imagens que projetam as sombras e as próprias sombras. IV) a educação deve conduzir para as essências, para a ciência que a alma possui no seu interior. V) a educação deve conduzir para questões que afastem o homem das especulações intelectuais. Estão CORRETAS as afirmações contidas na alternativa

Questão
2005Filosofia

(Ufsj 2005) Para Platão, os governantes do Estado são 

Questão
2005Filosofia

(Ufsj 2005) Segundo Platão, há três classes que possuem papel específico na Cidade: a dos camponeses e artesãos, a dos guardiões e a dos filósofos. Em relação a essa informação, é CORRETO afirmar que

Questão
2005História

(UFSJ - 2005) A Guerra Civil foi uma guerra total porque o Norte s poderia conseguir atingir seus fins de restaurar a Unio se derrotasse o Sul por completo [...]. Uma guerra total o teste entre sociedades, economias e sistemas polticos... (Robert A. Divine e outros. Amrica: passado e presente) A Guerra de Secesso estadunidense, ocorrida entre 1860 e 1865, se deu entre

Questão
2005Filosofia

(Ufsj 2005) Para a formação do filósofo, segundo Platão, as Ciências mais indicadas são

Questão
2005Filosofia

(UFSJ - 2005) Considerando o pensamento de Plato na Alegoria da Caverna, CORRETO afirmar que

Questão
2005História

(UFSJ - 2005) A Idade Moderna (sculos XV-XVII) foi um perodo de transformaes econmicas, polticas, culturais e religiosas na Europa e influenciou o Mundo todo. Foram fatos importantes dessas mudanas:

Questão
2005Filosofia

(Ufsj 2005) No Livro VII da República de Platão, a educação é a arte 

Questão
2005História

(UFSJ - 2005) Os Povos comearam a inquietar-se e os Cidados, que pensam, a estremecer de horror, achando que o Gnio do mal, semeando discrdias, e intrigas entre Irmos e Amigos, ameaava a todos com os espantosos males, que costuma a preparar a anarquia. J ao longe fuzilara o raio precursor, e um momento mais de demora, decidiria para sempre da sorte do Brasil, quando Vossa Alteza Real prevendo a horrssona tempestade, e acautelando seus tremendos efeitos, soube qual destro Nauta, desviar a Nau do Estado dos escolhos, em que estava a pique de naufragar. E de que modo, Senhor, a salvou Vossa Alteza Real! Elevando o Brasil Dignidade de uma Nao livre, concedendo-lhe o benefcio de uma Constituio justa, prpria, e adequada as suas circunstncias, e relaes, e Mandando convocar desde j uma Assembleia Geral de Deputados para exercerem a Soberania, que essencialmente reside em a Nao. (Cmara Municipal da Vila de So Joo del Rei, 30 de junho de 1822.) A liderana de D. Pedro na Independncia do Brasil e adoo da monarquia deveu-se

Questão
2004Filosofia

(UFSJ - 2004) H uma maneira diferente de ser feliz, quando cada um possui a felicidade em concreto. H quem seja feliz simplesmente em esperana. Estes possuem a felicidade de um modo inferior ao daqueles que j so realmente felizes. Mas, ainda assim, esto muito melhor que aqueles que no tm nem a felicidade, nem a sua esperana. Mesmo estes devem experiment-la de qualquer modo, porque, no caso contrrio, no desejariam ser felizes. Ora, absolutamente certo que eles o querem ser. (AGOSTINHO de Hipona. Confisses. In: Os Pensadores.Traduo de J. Oliveira Santos, S. J. e A Ambrsio de Pina, S. J. So Paulo: Nova Cultural, 1999. p. 279, 285) De acordo com o trecho, Agostinho entende que

chevron left center106-120 de 121chevron right center