ENEM

ITA

IME

FUVEST

UNICAMP

UNESP

UNIFESP

UFPR

UFRGS

UNB

VestibularEdição do vestibular
Disciplina
Busca avançada
Ir para Ranking

(FUVEST - 2001 - 2a fase - Questão 10)

Muitas personagens das Primeiras estórias acham-se privadas de saúde, de recursos materiais, de posição social e até mesmo do pleno uso da razão. Pelos esquemas de uma lógica social moderna, estritamente capitalista, só lhes resta esperar a miséria, a abjeção, o abandono, a morte. O narrador, cujo olho perspicaz nada perde, não poupa detalhes sobre o seu estado de carência extrema. Apesar disso, os contos não correm sobre os trilhos de uma história de necessidades, mas relatam como, através de processos de suplência afetiva e simbólica, essas mesmas criaturas conhecerão a passagem para o reino da liberdade.

(Alfredo Bosi, Céu, inferno)

Este texto aponta um aspecto muito relevante de vários contos de Primeiras estórias, de Guimarães Rosa: a "passagem" de um estado de "necessidade" para o "reino da liberdade". Tendo em vista esse aspecto, explique sucintamente essa "passagem" nos seguintes contos:

a) "Soroco, sua mãe, sua filha" (em que Soroco leva as outras duas personagens, loucas, para o embarque no trem que as conduzirá ao hospício);

b) "Substância" (em que se narra a história de Maria Exita, cujo ofício era o de partir o polvilho).