Questões de Português - FUVEST

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
1-15 de 544
Questão
2020RedaçãoPortuguês

(FUVEST - 2020 - 2 fase) REDAO Texto 1: Texto 2: Somente numa sociedade onde exista um clima cultural, em que o impulso curiosidade e o amor descoberta sejam compreendidos e cultivados, pode a cincia florescer. Somente quando a cincia se torna profundamente enraizada como um elemento cultural da sociedade que pode ser mantida e desenvolvida uma tecnologia progressista e inovadora, tornando-se, ento, possvel uma associao ntima e vital entre cincia e tecnologia. Essa associao uma caracterstica da nossa poca e certamente essencial para a manuteno de uma civilizao com os nveis presentes de populao e qualidade de vida. Oscar Sala, O papel da cincia na sociedade. 1974. Disponvel em http://www.revistas.usp.br/revhistoria. Adaptado. Texto 3: Quanta do latim Plural de quantum Quando quase no h Quantidade que se medir Qualidade que se expressar Fragmento infinitsimo Quase que apenas mental Quantum granulado no mel Quantum ondulado no sal Mel de urnio, sal de rdio Qualquer coisa quase ideal Cntico dos cnticos Quntico dos qunticos Canto de louvor De amor ao vento Vento arte do ar Balanando o corpo da flor Levando o veleiro pro mar Vento de calor De pensamento em chamas Inspirao Arte de criar o saber Arte, descoberta, inveno Teoria em grego quer dizer O ser em contemplao Sei que a arte irm da cincia Ambas filhas de um Deus fugaz Que faz num momento E no mesmo momento desfaz Esse vago Deus por trs do mundo Por detrs do detrs Cntico dos cnticos Quntico dos qunticos Gilberto Gil, Quanta. 1997. Texto 4: Ns criamos uma civilizao global em que os elementos mais cruciais o transporte, as comunicaes e todas as outras indstrias, a agricultura, a medicina, a educao, o entretenimento, a proteo ao meio ambiente e at a importante instituio democrtica do voto dependem profundamente da cincia e da tecnologia. Tambm criamos uma ordem em que quase ningum compreende a cincia e a tecnologia. uma receita para o desastre. Podemos escapar ilesos por algum tempo, porm mais cedo ou mais tarde essa mistura inflamvel de ignorncia e poder vai explodir na nossa cara. Carl Sagan, 1996. Texto 5: Algo muito estranho est acontecendo no mundo atual. Vivemos melhor que qualquer outra gerao anterior. Pessoas so saudveis graas s cincias da sade. Moram em residncias robustas, produto da engenharia. Usam eletricidade, domada pelo homem devido ao seu conhecimento de qumica e fsica. Paradoxalmente, essas mesmas pessoas ligam seus computadores, tablets e celulares para adquirir e disseminar informaes que rejeitam a mesma cincia que to presente em suas vidas. Vivemos num mundo em que pessoas usam a cincia para negar a cincia. Alicia Kowaltowski, Usando a cincia para negar a cincia. 2019. Disponvel em https://www.nexojornal.com.br/. Adaptado. Considerando as ideias apresentadas nos textos e tambm outras informaes que julgar pertinentes, redija uma dissertao em prosa, na qual voc exponha seu ponto de vista sobre o tema: o papel da cincia no mundo contemporneo. Instrues: A dissertao deve ser redigida de acordo com a norma-padro da lngua portuguesa. Escreva, no mnimo, 20 linhas, com letra legvel e no ultrapasse o espao de 30 linhas da folha de redao. D um ttulo a sua redao.

Questão 1
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Quarenta e seis anos depois, a vietnamita que comoveu o mundo quer que sua foto contribua para a paz S vi esse registro muito tempo depois. Passei 14 meses no hospital, tratando as queimaduras. Quando voltei para casa, meu pai me mostrou a foto, recortada de um jornal vietnamita: Aqui est sua foto, Kim. Olhei a foto e, meu Deus, como fiquei envergonhada! Como eu estava feia! E pelada! Todos estavam vestidos, e eu, uma menina, estava sem roupa. Vi a agonia e dor em meu rosto. Fiquei com raiva. Por que ele tirou aquela foto de mim? Era melhor no ter tirado nenhuma! Eu era s uma criana, mas tinha de lidar com muita dor. Quanto mais famosa a imagem ficava, mais eu precisava encarar minha tragdia. Kim Phuc Phan Thi, em depoimento a Ruan de Sousa Gabriel, 19/09/2018. Disponvel em https://epoca.globo.com/. a) Justifique o emprego das sentenas exclamativas, explicitando o motivo do espanto de Kim. b) A partir da expresso minha tragdia, que encerra o depoimento, analise os dois nveis de apreenso do evento trgico, considerando o momento do primeiro contato de Kim com oregistro fotogrfico e o momento do testemunho.

Questão 2
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) A reinveno da vrgula No comeo de 1902, Machado de Assis ficou desesperado por causa de um erro de reviso no prefcio da segunda edio de suas Poesias completas. Dizem que chegou a se ajoelhar aos ps do Garnier implorando para que o editor tirasse o livro de circulao. O aristocrtico e impoluto Machado, quem diria. Mas a gralha era mesmo feia. O tipgrafo trocou o E por A na palavra cegara, o revisor deixou passar, e vocs imaginam no que deu. No nosso caso, o erro no foi nada de mais, nem erro foi para falar a verdade, apenas um acrscimo besta de pontuao, talvez dispensvel, ainda que de modo algum incorreto. Vai o revisor, fiel ortodoxia da gramtica normativa, e espeta duas vrgulas para isolar um adjunto adverbial deslocado, coisa de pouca monta, diria algum, mas suficiente para o autor sair bradando aos quatro ventos que lhe roubaram o ritmo da sentena. Um editor experiente traria um cafezinho bem doce, a conter o mpeto dramtico do autor de primeira viagem, talvez caoando, deixa de onda, a lembrlo valhame Deus! que ele no nenhum Bruxo do Cosme Velho*. E assim lhe cortando as asas antes do voo. * Referente a Machado de Assis. Disponvel em https://jornal.usp.br/artigos/areinvencaodavirgula/. Adaptado. a) Qual o sentido da palavra espeta, destacada no texto, e qual o efeito que ela produz? b) Explique o significado, no texto, da expresso cortando as asas antes do voo

Questão 3
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Tenho utilizado o conceito de precariado num sentido bastante preciso que se distingue, por exemplo, do significado dado por Guy Standing e Ruy Braga. Para mim, precariado é a camada média do proletariado urbano constituída por jovens adultos altamente escolarizados com inserção precária nas relações de trabalho e vida social. Para Guy Standing, autor do livro The Precariat: The new dangerous class, o precariado é uma nova classe social (o título da edição espanhola do livro é explícito: Precariado: una nueva clase social). Ruy Braga o critica, com razão, salientando que o precariado não é exterior à relação salarial que caracteriza o modo de produção capitalista, isto é, o precariado pertence sim à classe social do proletariado, sendo tão somente o proletariado precarizado. (...) Por outro lado, embora Ruy Braga (no livro A política do precariado) esteja correto em sua crítica do precariado como classe social exterior à relação salarial, ele equivoca se quando identifica o precariado meramente com o proletariado precarizado, perdendo, deste modo, a particularidade heurística do conceito capaz de dar visibilidade categorial às novas contradições do capitalismo global. Giovanni Alves, O que é precariado?. Disponível em https://blogdaboitempo.com.br/. Adaptado. a) Explique o processo de formao da palavra precariado, associandoo ao seu significado. b) Qual a funo sinttica da expresso com razo e o seu sentido na construo do texto

Questão 4
2020Português

( FUVEST- 2020- 2 Fase) O vdeo Por que mentiras bvias geram tima propaganda destaca quatro aspectos principais da propaganda russa: 1) alto volume de contedo; 2) produo rpida, contnua e repetitiva; 3) sem comprometimento com a realidade; e 4) sem consistncia entre o que se diz entre um discurso e outro. Essencialmente, isso o firehosing (fluxo de uma mangueira de incndio). O conceito foi concebido aps cerca de seis anos de observao do governo de Vladimir Putin. No entanto, impossvel no notar as semelhanas com as tticas discursivas de polticos ocidentais. Para tentar inibir efeitos da ttica, apenas rebater as mentiras disseminadas no uma ao eficaz. J mostrar outra narrativa, tal como contar como funciona a criao de mentiras dos propagandistas, sim, seria um mtodo mais efetivo. De maneira simplificada, o que o linguista norteamericano George Lakoff chama de verdadesanduche: primeiro exponha o que verdade; depois aponte qual a mentira e diga como ela diferente do fato verdadeiro; depois repita a verdade e conte quais so as consequncias dessa contradio. A ideia tentar desmentir discursos falsos sem repetilos. Le Monde Diplomatique Brasil, Firehosing: a estratgia de disseminao de mentiras usada como propaganda poltica. Disponvel em https://diplomatique.org.br/. Adaptado. a) De que maneira o conceito de firehosing aproximase da imagem do fluxo de uma mangueira de incndio? b) Explique com suas palavras a metfora verdadesanduche usada pelo linguista George Lakoff

Questão 5
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Examine a capa da revista Superinteressante, publicada em julho de 2019. a) Indique o duplo sentido presente na manchete de capa da revista, explicitando os elementos lingusticos utilizados. b) Explique como a imagem e o texto se combinam na construo do sentido

Questão 6
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Adaptados a esse idioma que se transforma conforme a plataforma, os memes e textes dominaram a rotina desta dcada como modos de a gente rir, repercutir notcias, dividir descontentamentos, colocar o dedo em feridas, relatar injustias e at se informar. Entraram logo no vocabulrio para alm da internet: virar meme, dar texto. Suas caractersticas tambm interferiram no jeito de compreender o mundo e expressar o que acontece nossa volta. Viktor Chagas, professor e pesquisador da Universidade Federal Fluminense (UFF), os v como manifestaes culturais de grande relevncia para entender o perodo e, tambm, como extravasadores de afetos. [...] Por mais que o texto seja o, assim como o meme ele uma expresso sinttica tpica de hoje, explica Viktor Chagas. Mesmo o texto mais longo na verdade um textinho: faz parte da lgica do espao em que circula. TAB UOL,Vim pelo meme e era texto. Disponvel em https://tab.uol.com.br/. Adaptado. a) Retire do texto dois argumentos que justifiquem a caracterizao de memes e textes como extravasadores de afetos. b) Em que sentido pode se afirmar que no h uma contradio no trecho Mesmo o texto mais longo na verdade um textinho

Questão 7
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Que fars se eu continuar a andar? perguntou o Comissrio. Das duas, uma: ou te prendo ou te acompanho. Estou indeciso. A primeira repugna-me, nem justa. A segunda hiptese agradame muito mais, mas no avisei na Base nem trouxe o sacador. (...) Nunca me prenderias! Achas que no? O Comissrio deitou o cigarro fora. Que vais fazer a Dolisie, Joo? Pela primeira vez, Sem Medo chamara-o pelo nome. Pepetela, Mayombe. a) Identifique o evento diretamente relacionado mudana de tratamento entre Comissrio e Sem Medo. b) Sem Medo no um apelido aleatrio. Justifique a afirmao com base em elementos do desfecho do romance.

Questão 8
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Texto 1 Desde que a febre de possuir se apoderou dele totalmente, todos os seus atos, todos, fosse o mais simples, visavam um interesse pecuniário. Só tinha uma preocupação: aumentar os bens. Das suas hortas recolhia para si e para a companheira os piores legumes, aqueles que, por maus, ninguém compraria; as suas galinhas produziam muito e ele não comia um ovo, do que no entanto gostava imenso; vendia os todos e contentava se com os restos da comida dos trabalhadores. Aquilo já não era ambição, era uma moléstia nervosa, uma loucura, um desespero de acumular, de reduzir tudo a moeda. E seu tipo baixote, socado, de cabelos à escovinha, a barba sempre por fazer, ia e vinha da pedreira para a venda, da venda às hortas e ao capinzal, sempre em mangas de camisa, de tamancos, sem meias, olhando para todos os lados, com o seu eterno ar de cobiça, apoderando se, com os olhos, de tudo aquilo de que ele não podia apoderar se logo com as unhas. Aluísio Azevedo, O Cortiço. Texto 2 (...) Rubião é sócio do marido de Sofia, em uma casa de importação, à Rua da Alfândega, sob a firma Palha Cia. Era o negócio que este ia propor lhe, naquela noite, em que achou o Dr. Camacho na casa de Botafogo. Apesar de fácil, Rubião recuou algum tempo. Pediam lhe uns bons pares de contos de réis, não entendia de comércio, não lhe tinha inclinação. Demais, os gastos particulares eram já grandes; o capital precisava do regime do bom juro e alguma poupança, a ver se recobrava as cores e as carnes primitivas. O regime que lhe indicavam não era claro; Rubião não podia compreender os algarismos do Palha, cálculos de lucros, tabelas de preço, direitos da alfândega, nada; mas, a linguagem falada supria a escrita. Palha dizia coisas extraordinárias, aconselhava o amigo que aproveitasse a ocasião para pôr o dinheiro a caminho, multiplicá-lo. Machado de Assis, Quincas Borba. A) Como o contraste entre os trechos já não era ambição, era uma moléstia nervosa, uma loucura, um desespero de acumular e não entendia de comércio, não lhe tinha inclinação, respectivamente sobre as personagens João Romão e Rubião, reflete distintas linhas estéticas na prosa brasileira do fim do século XIX? B)A partir das diferentes esferas sociais e práticas econômicas referidas nos fragmentos, trace um breve paralelo entre as trajetórias dos protagonistas nos dois romances.

Questão 9
2020Português

(FUVEST - 2020 - 2 fase)Observe as seguintes capas que o artista Santa Rosa desenhou para o livro Angstia, de Graciliano Ramos a) Comente o episdio figurado na capa de 1941, analisando a posio de Lus da Silva na cena. b) Comente o episdio figurado na capa de 1947, analisando a posio de Lus da Silva na cena

Questão 10
2020Português

(Fuvest 2020- 2fase)Considere os seguintes trechos: (I) Era um pedreiro de Naim (...). O aoite dos intendentes rasgaralhe a carne; depois a doena levaralhe a fora, como a geada seca a macieira. E agora, sem trabalho, com os filhos de sua filha a alimentar, procurava pedras raras nos montes e gravava nelas nomes santos, stios santos, para as vender no Templo aos fiis. Em vspera de Pscoa, porm, viera um Rabi de Galileia cheio de clera que lhe arrancara o seu po!... (II) (...) E ns tivemos de fugir, apupados pelos mercadores ricos, que, bem encruzados nos seus tapetes de Babilnia, e com o seu lajedo bem pago, batiam palmas ao Rabi... Ah! Contra esses o Rabi nada podia dizer, eram ricos, tinham pago! (...) Mas eu fui expulso pelo Rabi, somente porque sou pobre! (III)(...) Bati no peito, desesperado. E a minha angstia toda era por Jesus ignorar esta desgraa, que, na violncia do seu espiritualismo, suas mos misericordiosas tinham involuntariamente criado, como a chuva benfica por vezes, fazendo nascer a sementeira, quebra e mata uma flor isolada. 1. Vaiados. Ea de Queirs, A relquia. Se quisssemos recolher tudo o que j foi encontrado [da cruz de Cristo], daria para lotar um navio. O Evangelho conta que a cruz podia ser levada por um homem. Encher a Terra com tamanha quantidade de fragmentos de madeira que nem 300 homens aguentariam levar uma desfaatez, j afirmava o telogo francs Jean Calvino, profundamente cristo, em seu Tratado das Relquias, publicado em 1543. A observao de Calvino continua viva cinco sculos depois. Os pedaos da chamada Vera Cruz, a cruz em que Jesus de Nazar foi executado segundo a tradio crist, so considerados relquias de primeira categoria pela Igreja Catlica, mas aparentemente so to numerosos que do a impresso de que Cristo foi um gigante crucificado em dois troncos de sequoias. Manuel Ansede, Fragmentos da cruz de Cristo dariam para lotar um navio inteiro. In: El pas, Caderno Cincia. Maro de 2016. Adaptado. a) Identifique as personagens que atuam como narradoras em cada um dos excertos de Ea de Queirs. b) possvel afirmar que o romance A Relquia endossa a perspectiva adotada por Manuel Ansede a respeito de elementos pertinentes tradio crist? Justifique

Questão 32
2020Português

(FUVEST 2020) Cantiga de enganar (...) O mundo não tem sentido. O mundo e suas canções de timbre mais comovido estão calados, e a fala que de uma para outra sala ouvimos em certo instante é silêncio que faz eco e que volta a ser silêncio no negrume circundante. Silêncio: que quer dizer? Que diz a boca do mundo? Meu bem, o mundo é fechado, se não for antes vazio. O mundo é talvez: e é só. Talvez nem seja talvez. O mundo não vale a pena, mas a pena não existe. Meu bem, façamos de conta. De sofrer e de olvidar, de lembrar e de fruir, de escolher nossas lembranças e revertê‐las, acaso se lembrem demais em nós. Façamos, meu bem, de conta mas a conta não existe que é tudo como se fosse, ou que, se fora, não era. (...) Carlos Drummond de Andrade, Claro Enigma Em Claro Enigma, a ideia de engano surge sob a perspectiva do sujeito maduro, já afastado das ilusões, como se lê no verso‐síntese Tu não me enganas, mundo, e não te engano a ti. (Legado). O excerto de Cantiga de enganar apresenta a relação do eu com o mundo mediada

Questão 33
2020Português

TEXTOS PARA AS QUESTÕES DE 33 A 35 (FUVEST 2020) Os textos literários são obras de discurso, a que falta a imediata referencialidade da linguagem corrente; poéticos, abolem, destroem o mundo circundante, cotidiano, graças à função irrealizante da imaginação que os constrói. E prendem‐nos na teia de sua linguagem, a que devemo poder de apelo estético que nos enleia; seduz‐nos o mundo outro, irreal, neles configurado (...). No entanto, da adesão a esse mundo de papel, quando retornamos ao real, nossa experiência, ampliada e renovada pela experiência da obra, à luz do que nos revelou, possibilita redescobri‐lo, sentindo‐o e pensando‐o de maneira diferente e nova. A ilusão, a mentira, o fingimento da ficção, aclara o real ao desligar‐se dele, transfigurando‐o; e aclara‐o já pelo insight que em nós provocou. Benedito Nunes, Ética e leitura, de Crivo de Papel. O que eu precisava era ler um romance fantástico, um romance besta, em que os homens e as mulheres fossem criações absurdas, não andassem magoando‐se, traindo‐se. Histórias fáceis, sem almas complicadas. Infelizmente essas leituras já não me comovem. Graciliano Ramos, Angústia. Romance desagradável, abafado, ambiente sujo, povoado de ratos, cheio de podridões, de lixo. Nenhuma concessão ao gosto do público. Solilóquio doido, enervante. Graciliano Ramos, Memórias do Cárcere, em nota a respeito de seu livro Angústia. 33 O argumento de Benedito Nunes, em torno da natureza artística da literatura, leva a considerar que a obra só assume função transformadora se

Questão 34
2020Português

TEXTOS PARA AS QUESTÕES DE 33 A 35 (FUVEST 2020) Os textos literários são obras de discurso, a que falta a imediata referencialidade da linguagem corrente; poéticos, abolem, destroem o mundo circundante, cotidiano, graças à função irrealizante da imaginação que os constrói. E prendem‐nos na teia de sua linguagem, a que devemo poder de apelo estético que nos enleia; seduz‐nos o mundo outro, irreal, neles configurado (...). No entanto, da adesão a esse mundo de papel, quando retornamos ao real, nossa experiência, ampliada e renovada pela experiência da obra, à luz do que nos revelou, possibilita redescobri‐lo, sentindo‐o e pensando‐o de maneira diferente e nova. A ilusão, a mentira, o fingimento da ficção, aclara o real ao desligar‐se dele, transfigurando‐o; e aclara‐o já pelo insight que em nós provocou. Benedito Nunes, Ética e leitura, de Crivo de Papel. O que eu precisava era ler um romance fantástico, um romance besta, em que os homens e as mulheres fossem criações absurdas, não andassem magoando‐se, traindo‐se. Histórias fáceis, sem almas complicadas. Infelizmente essas leituras já não me comovem. Graciliano Ramos, Angústia. Romance desagradável, abafado, ambiente sujo, povoado de ratos, cheio de podridões, de lixo. Nenhuma concessão ao gosto do público. Solilóquio doido, enervante. Graciliano Ramos, Memórias do Cárcere, em nota a respeito de seu livro Angústia. Se o discurso literário aclara o real ao desligar‐se dele, transfigurando‐o, pode‐se dizer que Luís da Silva, o narrador‐ protagonista de Angústia, já não se comove com a leitura de histórias fáceis, sem almas complicadas porque

Questão 35
2020Português

TEXTOS PARA AS QUESTÕES DE 33 A 35 (FUVEST 2020) Os textos literários são obras de discurso, a que falta a imediata referencialidade da linguagem corrente; poéticos, abolem, destroem o mundo circundante, cotidiano, graças à função irrealizante da imaginação que os constrói. E prendem‐nos na teia de sua linguagem, a que devemo poder de apelo estético que nos enleia; seduz‐nos o mundo outro, irreal, neles configurado (...). No entanto, da adesão a esse mundo de papel, quando retornamos ao real, nossa experiência, ampliada e renovada pela experiência da obra, à luz do que nos revelou, possibilita redescobri‐lo, sentindo‐o e pensando‐o de maneira diferente e nova. A ilusão, a mentira, o fingimento da ficção, aclara o real ao desligar‐se dele, transfigurando‐o; e aclara‐o já pelo insight que em nós provocou. Benedito Nunes, Ética e leitura, de Crivo de Papel. O que eu precisava era ler um romance fantástico, um romance besta, em que os homens e as mulheres fossem criações absurdas, não andassem magoando‐se, traindo‐se. Histórias fáceis, sem almas complicadas. Infelizmente essas leituras já não me comovem. Graciliano Ramos, Angústia. Romance desagradável, abafado, ambiente sujo, povoado de ratos, cheio de podridões, de lixo. Nenhuma concessão ao gosto do público. Solilóquio doido, enervante. Graciliano Ramos, Memórias do Cárcere, em nota a respeito de seu livro Angústia. Para Graciliano Ramos, Angústia não faz concessão ao gosto do público na medida em que compõe uma atmosfera

NOVIDADES
Kuadro