Gabarito IFSP - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
1-15 de 19
Questão
2017Português

(IFSP/2017) Leia as estrofes abaixo, que se referem a uma pea teatral de Gil Vicente. [...] Renego deste lavrar E do primeiro que o usou; diabo que o eu dou, Que to mau daturar. Oh Jesus! Que enfadamento, E que raiva e que tormento, Que cegueira, e que canseira! Eu hei de buscar maneira Dalgum outro aviamento. Coitada, assi hei de estar Encerrada nesta casa Como panela sem asa, Que sempre est num lugar? E assi ho de ser logrados Dous dias amargurados, Que eu possa durar viva? E assim hei de estar cativa Em poder de desfiados? [...] Assinale a alternativa correta acerca da obra a que estas estrofes pertencem.

Questão
2017Matemática

(IFSP - 2017) O planeta Terra pertence ao nosso Sistema Solar. Segundo a Comunidade cientfica, estima-se que o planeta Terra tenha cerca de 4 bilhes e 500milhes de anos. Assinale a alternativa que apresenta como tal nmero escrito.

Questão
2017Português

(IFSP - 2017) As alternativas abaixo apresentam trechos adaptados. De acordo com a norma-padro da Lngua Portuguesa e com relao pontuao e ortografia, assinale a alternativa correta.

Questão
2017Português

(IFSP - 2017) Conjunes so palavras que ligam oraes independentes; elas podem apresentar ideias conclusivas, alternadas, explicativas, dependendo do contexto e conjuno utilizada. Observe a orao abaixo: Joana estudou o ano inteiro, logo foi bem nas provas finais. Assinale a alternativa cuja conjuno destacada apresenta a mesma funo da conjuno destacada na orao.

Questão
2017Biologia

(G1 - ifsp 2017) Assinale a alternativa que apresenta os átomos encontrados em carboidratos.

Questão
2016Geografia

(IFSP - 2016) De acordo com o gegrafo Jurandyr Ross, [...] consolidam-se na parte externa da superfcie da Terra e por isso passam por um processo de esfriamento rpido. Entre os exemplos mais comuns esto o basalto, o riolito, o fonolito e as obsidianas. (Fonte: ROSS, Jurandyr L. Sanches (org).Geografia do Brasil.So Paulo: Edusp, 2008, p.40). Com base na descrio, o autor se refere a:

Questão
2016Português

(IFSP - 2016) De acordo com a norma padro da Lngua Portuguesa e a gramtica normativa, com relao s concordncias verbal e nominal, observe as placas apresentadas e, em seguida, assinale a alternativa correta.

Questão
2016Português

(IFSP - 2016) Concordncia o mecanismo pelo qual as palavras alteram suas terminaes para se adequarem harmonicamente na frase. Considerando o conceito de concordncia e a norma padro da Lngua Portuguesa, associe as colunas indicando a alternativa que ordena corretamente as frases e a avaliao dos eventos de concordncia: I. Ns nos conhecamos haviam anos. II. Ns nos conhecamos havia anos. III. proibido a entrada. IV. proibida a entrada. ( ) a concordncia verbal est correta. ( ) h um erro de concordncia verbal. ( ) h um erro de concordncia nominal ( ) a concordncia nominal est correta

Questão
2016Português

(G1 - ifsp 2016) Leia, abaixo, o fragmento da História da Província de Santa Cruz, de Pero de Magalhães Gândavo, para responder à questão. Finalmente que como Deus tenha de muito longe esta terra dedicada à cristandade, e o interesse seja o que mais leva os homens trás si que nenhuma outra coisa haja na vida, parece manifesto querer entretê-los na terra com esta riqueza do mar até chegarem a descobrir aquelas grandes minas que a mesma terra promete, para que assim desta maneira tragam ainda toda aquela bárbara gente que habita nestas partes ao lume e ao conhecimento da nossa santa fé católica, que será descobrir-lhe outras minas maiores no céu, o qual nosso Senhor permita que assim seja, para glória sua, e salvação de tantas almas. GÂNDAVO, Pero de Magalhães. História da Província de Santa Cruz. Org. Ricardo Martins Valle. Introd. e notas Ricardo Martins Valle e Clara Carolina Souza Santos. São Paulo: Hedra, 2008. p. 115. A leitura atenta do texto permite afirmar que

Questão
2016Português

(IFSP 2016) Leia o texto abaixo, um trecho do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, para assinalar a alternativa correta no que se refere à obra desse autor e ao Humanismo em Portugal. Nota: foram feitas pequenas alterações no trecho para facilitar a leitura. Vem um Frade com uma Moça pela mão, e um 1broquel e uma espada na outra, e um 1casco debaixo do 2capelo; e, ele mesmo fazendo a baixa, começou de dançar, dizendo: FRADE Tai-rai-rai-ra-rã; ta-ri-ri-rã; ta-rai-rai-rai-rã; tai-ri-ri-rã: tã-tã; ta-ri-rim-rim-rã. Huhá! DIABO Que é isso, padre?! Que vai lá? FRADE Deo gratias! Sou cortesão. DIABO Sabes também o tordião? FRADE Por que não? Como ora sei! DIABO Pois entrai! Eu tangerei e faremos um serão. Essa dama é ela vossa? FRADE Por minha a tenho eu, e sempre a tive de meu DIABO Fizestes bem, que é formosa! E não vos punham lá 3grosa no vosso convento santo? FRADE E eles fazem outro tanto! DIABO Que cousa tão preciosa... Entrai, padre reverendo! FRADE Para onde levais gente? DIABO Pera aquele fogo ardente que não temestes vivendo. FRADE Juro a Deus que não te entendo! E este hábito não me vale? DIABO Gentil padre mundanal, a Belzebu vos encomendo! 1broquel e casco respectivamente, escudo e armadura para cabeça são elementos por meio dos quais o autor descreve o frade. 2capelo chapéu ou capuz usado pelos religiosos. 3pôr grosa censurar.

Questão
2015Filosofia

(IFSP 2015) Em A disseminação (1972), Derrida ilustra a desconstrução com um exemplo tomado da história da filosofia. No Fedro, Platão narra o mito de Tot - o deus que inventou a escrita - e Tamuz - o rei egípcio a quem ele ofereceu a criação. Tamuz recusa o presente, julgando que seus perigos suplantam seus benefícios para a humanidade. FEARN, Nicholas. Aprendendo a filosofar em 25 lições. Do poço de Tales à desconstrução de Derrida. Trad. Maria Luiza S. de A. Borges. Rio de janeiro: Editora Zahar, 2004. p.175 A partir dessa referência e com base nos estudos realizados, para Derrida é CORRETO afirmar que:

Questão
2014História

(IFSP 2014) Abrir clareiras nas matas e construir casas de pau-a-pique em um local totalmente estranho. Este era o primeiro passo dos italianos que chegavam ao Rio Grande do Sul na esperança de melhorar de vida. A chegada dos imigrantes estava de acordo com o que o governo imperial pretendia: importar mão de obra europeia e vender terras gaúchas ainda inabitadas para aumentar a população e a produção agrícola. A ideia era privilegiar italianos que fundassem grupos coloniais no campo, para desenvolver a policultura e abastecer economicamente a região. Quando chegavam, os imigrantes recebiam os lotes de terras, nos quais se praticava uma divisão etária, sexual e familiar das tarefas. (http://www.revistadehistoria.com.br/secao/capa/imigracao-tridificil Acesso em: 25.10.2013. Adaptado) Analisando as informações do texto, é correto afirmar que a imigração italiana no Rio Grande do Sul

Questão
2014Biologia

(IFS/2014)Os seres vivos mantêm relações entre si e com o meio onde vive. A respeito das relações ecológicas foram feitas algumas afirmações. Assinale a alternativa INCORRETA:

Questão
2013HistóriaFilosofia

(IFSP) Em 1776, Adam Smith lanou o livro A Riqueza das Naes, que apresenta as bases da economia clssica. Segundo o autor, o crescimento econmico de uma nao depende

Questão
2013RedaçãoPortuguês

(G1 - ifsp 2013) Buscando a excelncia Lya Luft Estamos carentes de excelncia. A mediocridade reina, assustadora, implacvel e persistentemente. Autoridades, altos cargos, lderes, em boa parte desinformados, desinteressados, incultos, lamentveis. Alunos que saem do ensino mdio semianalfabetos e assim entram nas universidades, que aos poucos refiro-me s pblicas vo se tornando reduto de pobreza intelectual. As infelizes cotas, contras as quais tenho escrito e s quais me oponho desde sempre, servem magnificamente para alcanarmos este objetivo: a mediocrizao tambm do ensino superior. Alunos que no conseguem raciocinar porque no lhes foi ensinado, numa educao de brincadeirinha. E, porque no sabem ler nem escrever direito e com naturalidade, no conseguem expor em letra ou fala seu pensamento truncado e pobre. [...] E as cotas roubam a dignidade daqueles que deveriam ter acesso ao ensino superior por mrito [...] Meu conceito serve para cotas raciais tambm: no pela raa ou cor, sobretudo autodeclarada, que um jovem deve conseguir diploma superior, mas por seu esforo e capacidade. [...] Em suma, parece que trabalhamos para facilitar as coisas aos jovens, em lugar de educ-los com e para o trabalho, zelo, esforo, busca de mrito, uso da prpria capacidade e talento, j entre as crianas. O ensino nas ltimas dcadas aprimorou-se em fazer os pequenos aprender brincando. Isso pode ser bom para os bem pequenos, mas j na escola elementar, em seus primeiros anos, bom alertar, com afeto e alegria, para o fato de que a vida no s brincadeira, que lazer e divertimento so necessrios at sade, mas que a escola tambm preparao para uma vida profissional futura, na qual haver disciplina e limites que alis deveriam existir em casa, ainda que amorosos. Muitos diro que no estou sendo simptica. No escrevo para ser agradvel, mas para partilhar com meus leitores preocupaes sobre este pas com suas maravilhas e suas mazelas, num momento fundamental em que, em meio a greves, justas ou desatinadas, [...] se delineia com grande inteligncia e preciso a possibilidade de serem punidos aqueles que no apenas prejudicaram monetariamente o pas, mas corroeram sua moral, e a dignidade de milhes de brasileiros. Est sendo um momento de excelncia que nos devolve nimo e esperana. O texto apresentado um artigo de opinio, que se insere no conjunto dos textos de tipo

1-15 de 19
NOVIDADES
Kuadro