Gabarito IFPE - Provas Anteriores

ITA
ITA
IME
IME
ENEM
ENEM
FUVEST
FUVEST
UNICAMP
UNICAMP
UNESP
UNESP
ESPCEX
ESPCEX
AFA
AFA
chevron left center31-34 de 34
Questão
2014Biologia

(IFPE - 2014) Com relao estrutura do corao dos vertebrados, analise as alternativas abaixo e assinale a correta.

Questão
2012Redação

(IFPE 2012) A presidente Dilma ou a presidenta Dilma? Larcio Lutibergue Essa a pergunta que mais temos recebido nos ltimos dias por e-mail, pelas redes sociais (Twitter e Facebook) e mesmo pessoalmente. H uma explicao para isso(I): a eleio da primeira mulher Presidncia da Repblica, Dilma Rousseff. J falamos deste assunto aqui(II), mas diante do acontecimento do domingo 31 de outubro e da avalanche de perguntas somos obrigados a retom-lo. Gramaticalmente as duas formas esto corretas. Ou seja, pode ser a presidente Dilma e a presidenta Dilma. Neste momento, com base nas ocorrncias na imprensa, inclusive no Jornal do Commercio, sem dvida a presidente a mais comum. E, se olharmos para o passado da lngua, a mais lgica. Palavras que vieram do particpio presente do latim, normalmente terminadas em -ante, -ente e -inte, so invariveis. O que identifica o gnero delas o artigo ou outro determinante: o/a amante, o/a gerente, meu/minha presidente. A lngua, contudo, nem sempre lgica. Muitas vezes ela foge do controle e revela uma face inventiva indiferente s regras. Isso ocorreu, por exemplo, com comediante, que ganhou o feminino comedianta; com infante, que ganhou infanta; com parente, que ganhou parenta; e com presidente, que ganhou presidenta. Certamente o extralingustico atuou na formao desses femininos. A verso feminina de um nome de cargo destaca com mais fora a presena da mulher na sociedade. Os mais velhos devem se lembrar do que ocorreu com a indiana Indira Gandhi. Comearam chamando-a de o primeiro-ministro Indira Gandhi; depois, passaram para a primeiro-ministro; e terminaram em a primeira-ministra. E hoje algum tem dvida de que uma mulher primeira-ministra? A favor de presidenta existe tambm o aspecto legal. A Lei Federal n 2.749/56 diz que o emprego oficial de nome designativo de cargo pblico deve, quanto ao gnero, se ajustar ao sexo do funcionrio. Ou seja, segundo a lei, os cargos, se forem genericamente variveis, devem assumir feio masculina ou feminina. Por tudo isso(III), defendemos a adoo do feminino a presidenta. Apesar de neste momento a maioria, pelo que mostra a imprensa, preferir a presidente. Intumos, porm, que ocorrer no Brasil o mesmo(IV) que sucedeu com dois vizinhos nossos. Na Argentina, Cristina Kirchner comeou sendo chamada de la presidente e hoje la presidenta. O mesmo ocorreu com Michelle Bachelet, no Chile, que(V) terminou o mandato como la presidenta. O tempo dir se nossa intuio estava certa. (Texto publicado na coluna Com todas as letras, Jornal do Commercio do Recife, em 10/11/2010) Quanto aos tipos de argumentos utilizados pelo autor, analise as proposies abaixo. I. O argumento de exemplificao em todo o texto corrobora com a defesa do termo presidenta. II. O dispositivo legal e a gramtica constituem, nesse contexto, argumentos de autoridade. III. A indicao de que outros pases usam a forma presidenta um argumento do senso comum. IV. O principal argumento que explica o uso de presidenta o fator extralingustico. V. A referncia ao fato de a imprensa no usar o termo presidenta um argumento por prova concreta. Esto corretas, apenas:

Questão
2012RedaçãoPortuguês

(IFPE - 2012) Futebol de rua Lus Fernando Verssimo Pelada o futebol de campinho, de terreno baldio. Mas existe um tipo de futebol ainda mais rudimentar do que a pelada. o futebol de rua. Perto do futebol de rua qualquer pelada luxo e qualquer terreno baldio o Maracan em jogo noturno. Se voc homem, brasileiro e criado em cidade, sabe do que eu estou falando. Futebol de rua to humilde que chama pelada de senhora. No sei se algum, algum dia, por farra ou nostalgia, botou num papel as regras do futebol de rua. Elas seriam mais ou menos assim: DA BOLA A bola pode ser qualquer coisa remotamente esfrica. At uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a merendeira do seu irmo menor, que sair correndo para se queixar em casa. (...) DAS GOLEIRAS As goleiras podem ser feitas com, literalmente, o que estiver mo. Tijolos, paraleleppedos, camisas emboladas, os livros da escola, a merendeira do seu irmo menor, e at o seu irmo menor, apesar dos seus protestos. Quando o jogo importante, recomenda-se o uso de latas de lixo. Cheias, para agentarem o impacto. (...) DO CAMPO O campo pode ser s at o fio da calada, calada e rua, calada, rua e a calada do outro lado e nos clssicos o quarteiro inteiro. O mais comum jogar-se s no meio da rua. DA DURAO DO JOGO At a me chamar ou escurecer, o que vier primeiro. Nos jogos noturnos, at algum da vizinhana ameaar chamar a polcia. DA FORMAO DOS TIMES O nmero de jogadores em cada equipe varia, de um a 70 para cada lado. Algumas convenes devem ser respeitadas. Ruim vai para o golo. Perneta joga na ponta, a esquerda ou a direita dependendo da perna que faltar. De culos meia-armador, para evitar os choques. Gordo beque. DO JUIZ No tem juiz. (...) DAS SUBSTITUIES S so permitidas substituies: a) No caso de um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer a lio. b) Em caso de atropelamento. DO INTERVALO PARA DESCANSO Voc deve estar brincando. DA TTICA Joga-se o futebol de rua mais ou menos como o Futebol de Verdade (que como, na rua, com reverncia, chamam a pelada), mas com algumas importantes variaes. O goleiro s intocvel dentro da sua casa, para onde fugiu gritando por socorro. permitido entrar na rea adversria tabelando com uma Kombi. Se a bola dobrar a esquina crner. DAS PENALIDADES A nica falta prevista nas regras do futebol de rua atirar um adversrio dentro do bueiro. considerada atitude antiesportiva e punida com tiro indireto. DA JUSTIA ESPORTIVA Os casos de litgio sero resolvidos no tapa. *crner = escanteio (Publicado emPara Gostar de Ler, v. 7. SP: tica: 1961) Considerando o tipo textual crnica, analise as proposies abaixo. I. um texto descritivo que indica as caractersticas e os elementos envolvidos em um jogo de futebol de rua. II. Trata-se de um texto injuntivo (instrucional), caracterizado por verbos no modo imperativo, que indicam como se deve jogar o futebol de rua. III. Possui sequncias narrativas que contam o desenvolvimento de um jogo de futebol de rua. IV. um texto predominantemente argumentativo, pois o autor de forma irnica defende uma opinio sobre o futebol de rua. V. Apresenta sequncias injuntivas, pois se assemelha a um manual de instrues que explica as regras do futebol de rua. Esto corretas, apenas:

Questão
2012Espanhol

(IFPE/2012 - adaptada) La dialctica del vivir en el campo o en la ciudad 01Gertrudis: No aguanto ms tanto ruido, tanto humo y tanta prisa. 02Ignacio: A qu te refieres ? 03Gertrudis: A la vida en la ciudad. 04Ignacio: La verdad es que estoy acostumbrado a todo eso. 05Gertrudis: Yo dara cualquier cosa por vivir en un huerto. Abrira los ojos sin necesidad de06despertador, regara y podara las plantas, respirara hondo todo el da. 07Ignacio: No te olvides que los gallos y los perros son los despertadores del campesino.08Cuando sale el sol se arma un folln infernal. Vivir en el campo significa identificarse con la09naturaleza: el da para trabajar y la noche para dormir, qu10haras t, con lo noctvaga que eres? 11Gertrudis: Qu s yo! Me acostumbrara a leer bastante en medio de los rboles, a media12maana. 13Ignacio: Por cierto , pas unas vacaciones en la finca de mi abuelo e intent hacer eso que14dices , leer a media maana en medio de los rboles. Aguant exactos cinco15minutos: se formaron inmediatamente filas de hormigas, apareci un abejorro y un16montn de moscas. Llegu a la conclusin que al campo no le gustan los libros. 17Gertrudis: No digas tonteras. 18Ignacio: Prubalo y ya me contars. 19Gertrudis: El aire puro y el contacto con la naturaleza todo lo compensa. 20Ignacio: Ten en cuenta que cuidar de la naturaleza exige un gran esfuerzo fsico,21exponerse al sol, aguantar malos olores, ensuciarse. T, que te embadurnas de crema las22manos cada vez que te las lavas, soportaras que se te resquebrajaran y se te llenaran de23duricias y rozaduras? 24Gertrudis: Para eso existen protectores solares y mscaras. 25Ignacio. Tal vez aguantaras la vida en el campo si te rodearas de recursos tecnolgicos 26ordenador, televisin a cable, un coche todo terreno y de algunos empleados. 27Gertrudis: Lo ideal sera que la casa de campo quedara cerca de la ciudad, para disfrutar de28las ventajas de ambos, y estuviera bien comunicada. Tal vez una buena urbanizacin fuera lo29mejor : un chaletito con algunas plantas y un perrito. 30Ignacio: Algo as. Pues campo, lo que se dice campo, slo lo soporta el que nace all o lo trabaja. Los turistas duran poco; se aburren enseguida. 31Gertrudis: Pues yo no renuncio a la frmula mgica. 32Ignacio: Eso. Aire puro y plantas, cerquita de cines, teatros y cafs. 33Gertrudis: Todo lo sacas de quicio. Se encuentra el artculo neutro, como en lo noctvaga que eres ( Ref. 10 ), en el fragmento:

chevron left center31-34 de 34
NOVIDADES
Kuadro