Questões de História - FUVEST | Gabarito e resoluções

Questão 40
2021História

(FUVEST -2021 - 1 fase) A ascenso de regimes autoritrios na Europa nas primeiras dcadas do sculo XX teve o amparo de milcias que arregimentaram uma legio de indivduos de origem social heterognea. Dentre estes grupos, destaca(m)-se:

Questão 41
2021História

(FUVEST 2021 - 1 fase) A imagem considerada uma das referncias do movimento artstico e cultural denominado Renascimento. Analise-a atentamente. Essa imagem pode ser considerada renascentista porque

Questão 42
2021História

(FUVEST 2021 - 1 fase) Leia com ateno os dados do quadro e da tabela, relativos epidemia de gripe espanhola na cidade de So paulo, em 1928. Considerando as informaes apresentadas, correto afirmar:

Questão 43
2021História

(FUVEST 2021 - 1 fase ) Leia o texto: A corrupo nos costumes das mulheres ainda uma coisa prejudicial ao fim que se prope o governo, e boa conservao das leis do Estado (...). o que aconteceu em Esparta (...). Tais so as observaes feitas entre os lacedemnios: no tempo da sua dominao as mulheres resolviam quase todas as questes. De resto, que diferena existe em que asmulheres governem, ou que os magistrados sejam governados por mulheres? (...) as mulheres dos lacedemnios, mesmo no caso de perigo, fizeram-lhes a maior mal possvel. Aristteles, A poltica. Rio de Janeiro: Ediouro, s./ d., p. 79-80. correto afirmar sobre as mulheres na Grcia Antiga:

Questão 44
2021História

(FUVEST - 2021 - 1 Fase) [No Brasil], a transio da predominncia indgena para a africana na composio da fora de trabalho escrava ocorreu aos poucos ao longo de aproximadamente meio sculo. Quando os senhores de engenho, individualmente, acumulavam recursos financeiros suficientes, compravam alguns cativos africanos, e iam acrescentando outros medida que capital e crdito tornavam-se disponveis. Em fins do sculo XVI, a mo de obra dos engenhos era mista do ponto de vista racial, e a proporo foi mudando crescentemente em favor dos africanos importados e sua prole. Stuart Schwartz, Segredos inteiros. So Paulo: Companhia das Letras, 1988, p.68. Com base na leitura do trecho e em seus conhecimentos, pode-se afirmar corretamente que, no Brasil,

Questão 1
2020História

(FUVEST- 2020 - 2 FASE) Os efeitos sociais do futebol enquanto elemento de uma dinmica cultura popular impelira o estado colonial a intervir sobre este universo. Depois da abolio [...] do indigenato, o desporto servir para alimentar a propaganda luso‐tropicalista, nomeadamente depois das vitrias do Benfica de Coluna e Eusbio (este s na segunda) na Taa dos Campees Europeus em 1961 e 1962, mais tarde, com a participao da seleo no Mundial de 1966. Nuno Domingos, Desporto moderno e situaes coloniais: o caso do futebol em Loureno Marques. In: MELO, V. A. de e outros (orgs.) Mais que um jogo: o esporte e o continente africano. Rio de Janeiro: Apicuri, 2010. a) Explique a relao entre Moambique e Portugal na dcada de 1960. b) Quais as relaes da propaganda luso‐tropicalista portuguesa com a imagem da democracia racial no Brasil? c) As conquistas do Benfica e o desempenho da seleo portuguesa no Mundial de 1966 fortaleceram a propaganda oficial do governo portugus? Justifique.

Questão 2
2020História

(FUVEST- 2020- 2 FASE) O suplcio tem ento uma funo jurdico‐poltica. um cerimonial para reconstituir a soberania lesada por um instante [...]. A execuo pblica, por rpida e cotidiana que seja, se insere em toda a srie dos grandes rituais do poder eclipsado e restaurado (coroao, entrada do rei numa cidade conquistada, submisso dos sditos revoltados). [...] O suplcio no restabelecia a justia; reativava o poder. No sculo XVII, e ainda no comeo do XVIII, ele no era, com todo o seu teatro de terror, o resduo ainda no extinto de uma outra poca. Suas crueldades, sua ostentao, a violncia corporal, o jogo desmesurado de forcas, o cerimonial cuidadoso, enfim, todo o seu aparato se engrenava no funcionamento poltico da penalidade. [...] Mas nessa cena de terror o papel do povo ambguo. Ele chamado como espectador: convocado para assistir s exposies, s confisses pblicas; os pelourinhos, as forcas e os cadafalsos so erguidos nas praas pblicas ou beira dos caminhos; os cadveres dos supliciados muitas vezes so colocados bem em evidncia perto do local de seus crimes. As pessoas no s tm que saber, mas tambm ver com seus prprios olhos. Porque necessrio que tenham medo; mas tambm porque devem ser testemunhas e garantias da punio, e porque at certo ponto devem tomar parte nela. Michel Foucault, Vigiar e Punir. Petrpolis: Vozes, 1983. a) Identifique uma das prticas punitivas descritas no texto empregadas na sociedade colonial brasileira. b) Explique as relaes entre a exibio do poder monrquico e as punies judiciais na sociedade do Antigo Regime europeu. c) A participao do povo nas execues conferia a elas um carter democrtico? Justifique.

Questão 3
2020História

(FUVEST 2020 - 2 fase) Leia o poema e responda ao que se pede. Mas a taba cresceu... Tigueras* agressivas, Para trs! Agora o asfalto anda em Tabatinguera. Mal se esgueira um paj entre locomotivas E o forde assusta os manes** lentos do Anhanguera. [...] Segue pra forca da Tabatinguera. Lento O cortejo acompanha a rubra cadeirinha Pro Ipiranga. Ser que em to pequeno assento A marquesa botou sua imperial bundinha!... Mrio de Andrade, Tabatinguera, Losango Cqui (1924). In: Poesias completas v.1. So Paulo: Martins Fontes, 1979. * rea plantada onde j se fez a colheita. ** alma dos mortos, restos mortais. a) Identifique um aspecto mencionado no poema que justifique a expresso a taba cresceu. b) Destaque um argumento histrico e outro de carter esttico para o emprego de expresses indgenas no poema. c) Explique as condies histricas que favoreceram a citao do asfalto, das locomotivas e do forde.

Questão 4
2020História

(FUVEST - 2020 - 2aFASE) A semente da integrao nacional seria, pois, lanada pela nova Corte como um prolongamento da administrao e da estrutura colonial, um ato de vontade de portugueses adventcios, cimentada pela dependncia e colaborao dos nativos e forjada pela presso dos ingleses que queriam desfrutar do comrcio sem ter de administrar. A insegurana social cimentaria a unio das classes dominantes nativas com a vontade de ser brasileiros dos portugueses imigrados que vieram fundar um novo Imprio nos trpicos. A luta entre as faces locais levaria fatalmente procura de um apoio mais slido no poder central. Os conflitos inerentes sociedade no se identificam com a ruptura poltica com a Me Ptria, e continuam como antes, relegados para a posteridade. Maria Odila Leite da Silva Dias, A interiorizao da metrpole e outros estudos. So Paulo: Alameda, 2005. a) Caracterize o perodo histrico de que trata o texto. b) Descreva os projetos dos principais grupos polticos do perodo. c) Explique a frase: Os conflitos inerentes sociedade no se identificam com a ruptura poltica com a Me Ptria, e continuam como antes, relegados para a posteridade.

Questão 5
2020História

(FUVEST 2020 - 2 fase) Observe a imagem e leia o texto. Felipe Guamn Poma de Ayala, o autor da imagem, foi um cronista amerndio de ascendncia incaica que viveu no Peru entre 1534 e 1615. A imagem faz parte de sua Nueva Cornica y Buen Gobierno, finalizada no comeo do sculo XVII e endereada ao rei Felipe III, sendo acompanhada da seguinte legenda, traduzida do espanhol: Pobre dos ndios, de seis animais que comem e a que temem os pobres dos ndios deste reino: serpente, corregedor; tigre, espanhis das cidades; leo, encomendero; cadela, padre da doutrina; gato, escrivo; rato, cacique principal. Estes ditos animais que no temem a Deus esfolam aos pobres ndios deste reino, e no h remdio, pobre Jesus Cristo. a) Identifique a situao do Peru quando da elaborao da obra. b) Descreva as estruturas de poder poltico e econmico que so comentadas na imagem e no texto que a acompanha. c) Analise as tenses no mundo indgena sugeridas por texto e imagem.

Questão 6
2020História

(FUVEST - 2020 - 2 fase) Em 29 de outubro de 1956, uma grave crise poltica descambou em uma interveno militar na regio do Canal de Suez e da Pennsula do Sinai (Egito). a) Indique a importncia dessa regio nos quadros da poltica internacional do perodo. b) Mencione as potncias envolvidas diretamente nesse conflito e os seus respectivos interesses. c) Explique as tenses associadas articulao poltica entre os diversos Estados rabes nesse perodo.

Questão 58
2020História

(FUVEST -2020)Pesquisadores do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, encontraram o crnio e uma parte do fmur de Luzia, o esqueleto humano mais antigo descoberto na Amrica que revolucionou as teorias cientficas sobre a ocupao do continente. Os fsseis foram achados h alguns dias (no foi divulgado quando) junto aos escombros do edifcio, parcialmente destrudo por um incndio em 2 de setembro. O crnio est fragmentado, porque a cola que mantinha os seus pedaos juntos se foi com o calor, mas a equipe est bastante otimista com suas condies. (Jlia Barbon, Folha de So Paulo, Outubro/2018. Adaptado.) O esqueleto de Luzia,

Questão 59
2020História

(FUVEST - 2020) Afirmo, portanto, que tnhamos atingido j o ano bem farto da Encarnao do Filho de Deus, de 1348, quando, na mui excelsa cidade de Florena, (...) sobreveio a mortfera pestilncia. (...) apareciam no comeo, tanto em homens como nas mulheres, ou na virilha ou na axila, algumas inchaes(...) chamava‐as o populacho de bubes (...). (Giovanni Boccaccio, Decamero.) A respeito da Peste Negra do sculo XIV, correto afirmar:

Questão 60
2020HistóriaGeografia

(FUVEST - 2020) A imagem a seguir refere‐se s principais rotas de comrcio da frica do Norte e Ocidental, no sculo XV. Eric Wolf, A Europa e os Povos sem Histria (trad.). So Paulo: Edusp, 2005. Em relao s rotas comerciais representadas no mapa, correto afirmar que elas

Questão 61
2020História

(FUVEST - 2020) A chamada questão trabalhista no Brasil foi objeto de conflitos, debates e regulamentações entre os anos 1920 e 1946. Identifique uma das dimensões deste processo.