Gabarito ENEM - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 26
2010História

(Enem 2010) I – Para consolidar-se como governo, a República precisava eliminar as arestas, conciliar-se com o passado monarquista, incorporar distintas vertentes do republicanismo. Tiradentes não deveria ser visto como herói republicano radical, mas sim como herói cívico religioso, como mártir, integrador, portador da imagem do povo inteiro. (CARVALHO, J. M. C. A formação das almas: O imaginário da Republica no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.) I – Ei-lo, o gigante da praça, / O Cristo da multidão!É Tiradentes quem passa / Deixem passar o Titão.(ALVES, C. Gonzaga ou a revolução de Minas. In: CARVALHO. J. M. C. A formação das almas: O imaginário da Republica no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.) A 1ª República brasileira, nos seus primórdios, precisava constituir uma figura heroica capaz de congregar diferenças e sustentar simbolicamente o novo regime. Optando pela figura de Tiradentes, deixou de lado figuras como Frei Caneca ou Bento Gonçalves. A transformação do inconfidente em herói nacional evidencia que o esforço de construção de um simbolismo por parte da República estava relacionado

Questão 29
2010FilosofiaSociologia

(ENEM 2010) A poltica foi, inicialmente, a arte de impedir as pessoas de se ocuparem do que lhes diz respeito. Posteriormente, passou a ser a arte de compelir as pessoas a decidirem sobre aquilo de que nada entendem. VALRY, P. Cadernos. Apud BENEVIDES, M. V. M. A cidadania ativa. So Paulo: tica, 1996. Nessa definio, o autor entende que a histria da poltica est dividida em dois momentos principais: um primeiro, marcado pelo autoritarismo excludente, e um segundo, caracterizado por uma democracia incompleta. Considerando o texto, qual o elemento comum a esses dois momentos da histria poltica?

Questão 36
2010História

(ENEM 2010) A chegada da televiso A caixa de pandora tecnolgica penetra nos lares e libera suas cabeas falantes, astros, novelas, noticirios e as fabulosas, irresistveis garotas-propaganda, verses modernizadas do tradicional homem-sanduche. SEVCENKO, N. (Org). Histria da Vida Privada no Brasil 3. Repblica: da Belle poque Era do Rdio. So Paulo: Cia das Letras, 1998. A TV, a partir da dcada de 1950, entrou nos lares brasileiros provocando mudanas considerveis nos hbitos da populao. Certos episdios da histria brasileira revelaram que a TV, especialmente como espao de ao da imprensa, tornou-se tambm veculo de utilidade pblica, a favor da democracia, na medida em que

Questão 37
2010Sociologia

(ENEM 2010) Os meios de comunicao funcionam como um elo entre os diferentes segmentos de uma sociedade. Nas ltimas dcadas, acompanhamos a insero de um novo meio de comunicao que supera em muito outros j existentes, visto que pode contribuir para a democratizao da vida social e poltica da sociedade medida que possibilita a instituio de mecanismos eletrnicos para a efetiva participao poltica e disseminao de informaes. Constitui o exemplo mais expressivo desse novo conjunto de redes informacionais a

Questão 41
2010Sociologia

(ENEM 2010) Pecado nefando era expresso correntemente utilizada pelos inquisidores para a sodomia. Nefandus: o que no pode ser dito. A Assembleia de clrigos reunida em Salvador, em 1707, considerou a sodomia to pssimo e horrendo crime, tao contrrio lei da natureza, que era indigno de ser nomeado e, por isso mesmo, nefando. NOVAIS, F.; MELLO E SOUZA L. Histria da vida privada no Brasil. V. 1. So Paulo: Companhia das Letras. 1997 (adaptado). O nmero de homossexuais assassinados no Brasil bateu o recorde histrico em 2009. De acordo com o Relatrio Anual de Assassinato de Homossexuais (LGBT Ls - bicas, Gays, Bissexuais e Travestis), nesse ano foram registrados 195 mortos por motivao homofbica no Pas. Disponvel em: www.alemdanoticia.com.br/utimas_noticias.php?codnoticia=3871. Acesso em: 29 abr. 2010 (adaptado). A homofobia a rejeio e menosprezo orientao sexual do outro e, muitas vezes, expressa-se sob a forma de comportamentos violentos. Os textos indicam que as condenaes pblicas, perseguies e assassinatos de homossexuais no pas esto associadas

Questão 42
2010História

(ENEM 2010) Judicirio contribuiu com ditadura no Chile,diz Juiz Guzmn Tapia As cortes de apelao rejeitaram mais de 10 mil habeas corpus nos casos das pessoas desaparecidas. Nos tribunais militares, todas as causas foram concludas com suspenses temporrias ou definitivas, e os desaparecimentos polticos tiveram apenas trmite formal na Justia. Assim, o Poder Judicirio contribuiu para que os agentes estatais ficassem impunes. Disponvel em: http://www.cartamaior.com.br. Acesso em: 20 jul. 2010 (adaptado). Segundo o texto, durante a ditadura chilena na dcada de 1970, a relao entre os poderes Executivo e Judicirio caracterizava-se pela

Questão 43
2010Sociologia

(ENEM 2010) Um banco ingls decidiu cobrar de seus clientes cinco libras toda vez que recorressem aos funcionrios de suas agncias. E o motivo disso que, na verdade, no querem clientes em suas agncias; o que querem reduzir o nmero de agncias, fazendo com que os clientes usem as mquinas automticas em todo o tipo de transaes. Em suma, eles querem se livrar de seus funcionrios. HOBSBAWM, E. O novo sculo. So Paulo: Companhia das Letras, 2000 (adaptado). O exemplo mencionado permite identificar um aspecto da adoo de novas tecnologias na economia capitalista contempornea. Um argumento utilizado pelas empresas e uma consequncia social de tal aspecto esto em

Questão 46
2010Biologia

(ENEM - 2010)A vacina, o soro e os antibiticos submetem os organismos a processos biolgicos diferentes. Pessoas que viajam para regies em que ocorrem altas incidncias de febre amarela, de picadas de cobras peonhentas e de leptospirose e querem evitar ou tratar problemas de sade relacionados a essas ocorrncias devem seguir determinadas orientaes. Ao procurar um posto de sade, um viajante deveria ser orientado por um mdico a tomar preventivamente ou como medida de tratamento

Questão 49
2010Biologia

(ENEM - 2010) Acrie dental resulta da atividade de bactrias que degradam os acares e os transformam em cidos que corroem a poro mineralizada dos dentes. O flor, juntamente com o clcio e um acar chamado xilitol,agem inibindo esse processo. Quando no se escovam os dentes corretamente e neles acumulam-se restos de alimentos, as bactrias que vivem na boca aderem aos dentes, formando a placa bacteriana ou biofilme. Na placa, elas transformam o acar dos restos de alimentos em cidos, que corroem o esmalte do dente formando uma cavidade, que a crie. Vale lembrar que a placa bacteriana se forma mesmo na ausncia de ingesto de carboidratos fermentveis, pois as bactrias possuem polissacardeos intracelulares de reserva. Disponvel em: http://www.diariodasaude.com.br. Acesso em: 11 ago. 2010 (adaptado). crie 1.destruio de um osso por corroso progressiva. * crie dentria: efeito da destruio da estrutura dentria por bactrias. HOUAISS, Antnio. Dicionrio eletrnico. Verso 1.0. Editora Objetiva, 2001 (adaptado). A partir da leitura do texto, que discute as causas do aparecimento de cries, e da sua relao com as informaes do dicionrio, conclui-se que a crie dental resulta, principalmente, de

Questão 50
2010Física

(ENEM 2010) Em nosso cotidiano, utilizamos as palavras calor e temperatura de forma diferente de como elas so usadas no meio cientfico. Na linguagem corrente, calor identificado como algo quente e temperatura mede a quantidade de calor de um corpo. Esses significados, no entanto, no conseguem explicar diversas situaes que podem ser verificadas na prtica. Do ponto de vista cientfico, que situao prtica mostra a limitao dos conceitos corriqueiros de calor e temperatura?

Questão 51
2010Biologia

(ENEM - 2010) O texto O vo das Folhas traz uma viso dos ndios Ticunas para um fenmeno usualmente observado na natureza: O vo das Folhas Com o vento as folhas se movimentam. E quando caem no cho ficam paradas em silncio. Assim se forma o ngaura. O ngaura cobre o cho da floresta, enriquece a terra e alimenta as rvores.] As folhas velhas morrem para ajudar o crescimento das folhas novas.] Dentro do ngaura vivem aranhas, formigas, escorpies, centopeias, minhocas, cogumelos e vrios tipos de outros seres muito pequenos.] As folhas tambm caem nos lagos, nos igaraps e igaps, A natureza segundo os Ticunas/Livro das rvores. Organizao Geral dos Professores Bilngues Ticunas, 2000 Na viso dos ndios Ticunas, a descrio sobre o ngaura permite classific-lo como um produto diretamente relacionado ao ciclo

Questão 53
2010Biologia

(ENEM - 2010)O fsforo, geralmente representado pelo on de fosfato (PO43), um ingrediente insubstituvel da vida, j que parte constituinte das membranas celulares e das molculas do DNA e do trifosfato de adenosina (ATP), principal forma de armazenamento de energia das clulas. O fsforo utilizado nos fertilizantes agrcolas extrado de minas, cujas reservas esto cada vez mais escassas. Certas prticas agrcolas aceleram a eroso do solo, provocando o transporte de fsforo para sistemas aquticos, que fica imobilizado nas rochas. Ainda, a colheita das lavouras e o transporte dos restos alimentares para os lixes diminuem a disponibilidade dos ons no solo. Tais fatores tm ameaado a sustentabilidade desse on. Uma medida que amenizaria esse problema seria:

Questão 56
2010Biologia

(ENEM - 2010) A fonte de energia representada na figura, considerada uma das mais limpas e sustentveis do mundo, extrada do calor gerado

Questão 57
2010Biologia

(ENEM - 2010) O despejo de dejetos de esgotos domsticos e industriais vem causando srios problemas aos rios brasileiros. Esses poluentes so ricos em substncias que contribuem para a eutrofizao de ecossistemas, que um enriquecimento da gua por nutrientes, o que provoca um grande crescimento bacteriano e, por fim, pode promover escassez de oxignio. Uma maneira de evitar a diminuio da concentrao de oxignio no ambiente :

Questão 59
2010Biologia

(ENEM - 2010)As cidades industrializadas produzem grandes propores de gases como o CO2. o principal gs causador de efeito estufa. Isso ocorre por causa da quantidade de combustveis fsseis queimados, principalmente no transporte, mas tambm em caldeiras industriais. Alm disso, nessas cidades concentram-se as maiores reas com solos asfaltados e concretados, o que aumenta a reteno de calor, formando o que se conhece por ilhas de calor. Tal fenmeno ocorre porque esses materiais absorvem o calor e o devolvem para o ar sob a forma de radiao trmica. Em reas urbanas, devido atuao conjunta do efeito estufa e das ilhas de calor, espera-se que o consumo de energia eltrica

NOVIDADES
Kuadro