Gabarito ENEM - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 26
2019Português

(ENEM - 2019) A cincia do Homem-Aranha Muitos dos superpoderes do querido Homem-Aranha de fato se assemelham s habilidades biolgicas das aranhas e so objetos de estudo para produo de novos materiais. O sentido-aranha adquirido por Peter Parker funciona quase como um sexto sentido, uma espcie de habilidade premonitria e, por isso, soa como um mero elemento ficcional. No entanto, as aranhas realmente tm um sentido mais aguado. Na verdade, elas tm um dos sistemas sensoriais mais impressionantes da natureza. Os pelos sensoriais das aranhas, que esto espalhados por todo o corpo, funcionam como uma forma muito boa de perceber o mundo e captar informaes do ambiente. em muitas espcies, esse tato por meio dos pelos tem papel mais importante que a prpria viso, uma vez que muitas aranhas conseguem prender e atacar suas presas na completa escurido. E por que os pelos humanos no so to eficientes como rgos sensoriais como os das aranhas? Primeiro, porque um ser humano tem em mdia 60 fios de pelo em cada cm do corpo, enquanto algumas espcies de aranha podem chegar a ter 40 mil pelos por cm ; segundo, porque cada pelo das aranhas possui at 3 nervos para fazer a comunicao entre a sensao percebida e o crebro, enquanto ns, seres humanos, temos apenas 1 nervo por pelo. Disponvel em: http://cienciahoje.org.br. Acesso em: 11 dez.2019 (adaptado) Como estratgia de progresso do texto, o autor simula uma interlocuo com o pblico litor ao recorrer

Questão 27
2019Português

(ENEM - 2019) PICASSO, P. Cabea de touro. Bronze, 33,5 cm x 43,5 cm x 19cm. Muse Picasso, Paris. Frana, 1945. JANSON, H. W. Iniciao histria da arte.So Paulo: Martins Fontes, 1988. Na obra Cabea de touro, o material descartado torna-se objeto de arte por meio da

Questão 28
2019Português

(ENEM - 2019) Emagrecer sem exerccio? Hormnio aumenta a esperana de perder gordura sem sair do sof. A soluo viria em cpsulas O sonho dos sedentrios ganhou novo aliado. Um estudo publicado na revista cientfica Nature, em janeiro, sugere que possvel modificar a gordura corporal sem fazer exerccio.Pesquisadores do Dana-Farber Cancer Institute e da Escola de Medicina de Harvard, nos EUA, isolaram em laboratrio a irisina, hormnio naturalmente produzido pelas clulas musculares durante os exerccios aerbicos, como caminhada, corrida ou pedalada. A substncia foi aplicada em ratos e agiu como se eles tivessem se exercitado, inclusive com efeito protetor contra o diabetes.O segredo foi a converso de gordura branca aquela que estoca energia inerte e estraga nossa silhueta em marrom. Mais comum em bebs, e praticamente inexistente em adultos, esse tipo de gordura serve para nos aquecer. E, nesse processo, gasta uma energia tremenda. Como efeito colateral, afinaria nossa silhueta.A expectativa que, se o hormnio funcionar da mesma forma em humanos, surja em breve um novo medicamento para emagrecer. Mas ele estaria longe de substituir por completo os benefcios da atividade fsica. Possivelmente, existem muitos outros hormnios musculares liberados durante o exerccio e ainda no descobertos, diz o fisiologista Paul Coen, professor assistente da Universidade de Pittsburgh, nos EUA. A irisina no fortalece os msculos, por exemplo. E para ficar com aquele trceps de fazer inveja s o levantamento de controle remoto no daria conta. LIMA, F. Galileu. So Paulo, n 248, mar. 2012. Para convencer o leitor de que o exerccio fsico importante, o autor usa a estratgia de divulgar que

Questão 29
2019Português

(ENEM - 2019) Inverno! Inverno! Inverno! Tristes nevoeiros, frios negrumes da longa treva boreal, descampados de gelo cujo limite escapa-nos sempre, desesperadamente, para l do horizonte, perptua solido inspita, onde passa uivando como uma legio de lobo, atravs da cidade de catedrais e tmulos de cristal na plancie, fantasmas que a migrarem povoam e animam, tudo isto: decepes, obscuridade, solido, desespero e a hora invisvel que passa como o vento, tudo isto o frio inverno da vida. H no esprito o luto profundo daquele cu de bruma dos lugares onde a natureza dorme por meses, espera do sol avaro que no vem. POMPEIA, R. Canes sem metro. Campinas: Unicamp, 2013. Reconhecido por linguagem impressionista, Raul Pompeia desenvolveu-a na prosa potica, em que se observa a

Questão 30
2019Português

(ENEM - 2019) Antes de Roma ser fundada, as colinas de Alba eram ocupadas por tribos latinas, que dividiam o ano de acordo com seus deuses. Os romanos adaptaram essa estrutura. No princpio dessa civilizao o ano tinha dez meses e comeava por Martius (atual maro). Os outros dois teriam sido acrescentados por Numa Pomplio, o segundo rei de Roma. At Jlio Csar reformar o calendrio local, os meses eram lunares, mas as festas em homenagem aos deuses permaneciam designada pelas estaes. O descompasso de dez dias por ano fazia que, em todos os trinios, um dcimo terceiro ms, o Intercalaris, tivesse que ser enxertado. Com a ajuda de matemticos do Egito emprestados por Clepatra, Jlio Csar acabou com a baguna ao estabelecer o seguinte calendrio solar: Januarius, Februarius, Martius, Aprilis, Maius, Junius, Quinctilis, Sextilis, September, October, November e December. Quase igual ao nosso, com as diferenas que Quinctilis e Sextilis deram origem aos meses de julho e agosto. Disponvel em: https://aventurasnahistoria,uol.com.br. Acesso em: 8 dez.2019. Considerando as informaes no texto e aspectos histricos da formao da lngua, a atual escrita dos meses em portugus

Questão 31
2019Português

(ENEM - 2019) No Brasil, a disseminao de uma expectativa de corpo com base na esttica da magreza bastante grande e apresenta uma enorme repercusso, especialmente, se considerada do ponto de vista da realizao pessoal. Em pesquisa feita na cidade na cidade de So Paulo, aparecem os percentuais de 90% entre as mulheres pesquisadas que se dizem preocupadas com seu peso corporal, sendo que 95% se sentem insatisfeitas com seu prprio corpo. SILVA, A. M. Corpo, cincia e mercado: reflexes acerca da gestao de um novo arqutipo da felicidade. Campinas: Autores Associados; Florianpolis: UFSC 2011 A preocupao excessiva com o peso corporal pode provocar o desenvolvimento de distrbios associados diretamente imagem do corpo, tais como:

Questão 32
2019Português

(ENEM - 2019) TEXTO 1 Fotografia de Jackson Pollock pintando em seu ateli, realizada por Hans Namuth em 1951. CHIPP, H. Teorias da arte moderna. So Paulo: Martins Fontes, 1988. TEXTO 2 MUNIZ, V. Action Photo (segundo Hans Namuth em Pictures in Chocolate). Impresso fotogrfica, 152,4 cm x 121,92 cm, The Museum of Modern Art, Nova Iorque, 1977. NEVES, A. Histria da arte 4. Vitria: Ufes - Nead, 2011. Utilizando chocolate derretido como matria-prima, essa obra de Vik Muniz, reproduz a clebre fotografia do processo de criao de Jackson Pollock. A originalidade dessa releitura reside na

Questão 33
2019Português

(ENEM - 2019) Na semana passada, os alunos do colgio do meu filho se mobilizaram, atravs do Twitter, para no comprarem na cantina da escola, naquele dia, pois acharam o preo do po de queijo abusivo. So adolescentes. Quase senhores das novas tecnologias, transitam nas redes sociais, varrem o mundo atravs dos teclados dos celulares, iPads e se organizam para fazer um movimento pacfico de no comprar lanches por um dia. GOMES, A. A revoluo silenciosa e o impacto na sociedade das redes sociais. Disponvel em: www.hsm.com.br Acesso em 31 jul. 2012 O texto aborda a temtica das tecnologias da informao e comunicao, especificamente o uso de redes sociais. Muito se debate acerca dos benefcios e malefcios do uso desses recursos e, nesse sentido, o texto

Questão 34
2019Português

(ENEM - 2019) O computador, dando prioridade busca pela prpria felicidade, parou de trabalhar para os humanos. assim que termina o conto O dia em que o computador escreveu um conto, escrito por uma inteligncia artificial com a ajuda de cientistas humanos. Os cientistas selecionaram palavras e frases que seriam usados na narrativa, e definiram um roteiro geral da histria, que serviria como guia para a inteligncia artificial. A partir da, o computador criou o texto combinando as frases e seguindo as diretrizes que os cientistas impuseram. Os juzes no sabem quais textos so escritos por humanos e quais so feitos por computadores, o que mostra que o conto estava bem escrito. O dia s no passou para as prximas etapas porque, de acordo com os juzes, os personagens no foram muito bem descritos, embora o texto estivesse estruturalmente impecvel. A ideia dos cientistas continuar desenvolvendo a criatividade da IA para que ela se parea cada vez mais com a humana. Simular esse tipo de resposta difcil, porque o computador precisa ter, primeiro, um banco de dados vasto vinculado a uma programao especfica para cada tipo de projeto - escrita, pintura, msica, desenho e por a vai. DANGELO, H. Disponvel em: https://super.abril.com.br. Acesso em: 5 dez. 2018. O xito e as limitaes da tecnologia utilizada na composio do conto evidencia a:

Questão 35
2019Português

(ENEM - 2019) Essa lua enlutada, esse desassossego A convulso de dentro, ilharga Dentro da solido, corpo morrendo Tudo isso te devo. E eram to vastas As coisas planejadas, navios, Muralhas de marfim, palavras largas Consentimento sempre. E seria dezembro. Um cavalo de Jade sob as guas Dupla transparncia, fio suspenso Todas essas coisas na ponta dos teus dedos E tudo se desfez no prtico do tempo Em lvido silncio. Umas manhs de vidro Vento, a alma esvaziada, um sol que no vejo Tambm isso te devo. HILST, H. Jbilo, memria, noviciado da paixo. So Paulo: Cia. das Letras, 2018 No poema, o eu lrico faz um inventrio de estados passados espelhados no presente. Nesse processo, aflora o

Questão 36
2019Português

(ENEM - 2019) Expostos na web desde a gravidez Mais da metade das mes e um tero dos pais ouvidos em uma pesquisa sobre compartilhamento paterno em mdias sociais discutem nas redes sociais sobre a educao dos filhos. Muitos so pais e mes de primeira viagem, frutos da gerao Y (que nasceu junto com a internet) e usam esses canais para saberem que no esto sozinhos na empreitada de educar uma criana. H, contudo, um risco no modo como as pessoas esto compartilhando essas experincias. a chamada exposio parental exagerada, alertam os pesquisadores. De acordo com os especialistas no assunto, se voc compartilha uma foto ou vdeo do seu filho pequeno fazendo algo ridculo, por achar engraadinho, quando a criana tiver seus 11, 12 anos, pode se sentir constrangida. A autoconscincia vem com a idade. A exibio da privacidade dos filhos comea a assumir uma caracterstica de linha do tempo e eles no participaram da aprovao ou recusa quanto veiculao desses contedos. Assim, quando a criana cresce, sua privacidade pode j estar violada. OTONI, A. C. O Globo, 31 mar. 2015 (adaptado). Sobre o compartilhamento parental excessivo em mdias sociais, o texto destaca como impacto o(a)

Questão 37
2019Português

(ENEM - 2019) O projeto DataViva consiste na oferta de dados oficiais sobre exportaes, atividades econmicas, localidades e ocupaes profissionais de todo o Brasil. Num primeiro momento, o DataViva construiu uma ferramenta que permitia a anlise da economia mineira embasada por essa perspectiva metodolgica complexa e diversa. No entanto, diante das possibilidades oferecidas pelas bases de dados trabalhadas, a plataforma evoluiu para um sistema mais completo. De maneira interativa e didtica, o usurio guiado por meio das diversas formas de navegao dos aplicativos. Alm de informaes sobre os produtos exportados, bemcomo acerca do volume das exportaes em cada um dos estados e municpios do Pas, em poucos cliques, o interessado pode conhecer melhor o perfil da populao, o tipo de atividade desenvolvida, as ocupaes formais e a mdia salarial por categoria. MANTOVANI, C.A. Guardio de informaes. Minas fazCincia, n. 58, jun.-jul.-ago. 2014 (adaptado). Entra as novas possibilidades promovidas pelo desenvolvimento de novas tecnologias, o texto destaca a

Questão 38
2019Português

(ENEM - 2019) A mquina de costura avanava decidida sobre o pano. Que bonita que a mo era, com os alfinetes na boca. Gostava de olh-la calada, estudando seus gestos, enquanto recortava retalhos de pano com a tesoura. Interrompia s vezes seu trabalho, era quando a me precisava da tesoura. Admirava o jeito decidido da me ao cortar pano, no hesitava nunca, nem errava. A me sabia tanto! Tita chamava-a de ( ) como quem diz ( ). Tentava no pensar as palavras, mas sabia que na mesma hora da tentativa tinha-as pensado. Oh, tudo era to difcil. A me saberia o que ela queria perguntar-lhe intensamente agora quase com fome depressa depressa antes de morrer, tanto que no se conteve e -Mame, o que desquitada? - atirou rpida com uma voz sem timbre. Tudo ficou suspenso, se algum gritasse o mundo acabava ou Deus aparecia - sentia Ana Lcia. Era muito forte aquele instante, forte demais para uma menina, a mo parada com a tesoura no ar, tudo sem soluo podendo desabar a qualquer pensamento, a mquina avanando desgovernada sobre o vestido de seda brilhante espalhando luz luz luz. NGELO, I. Menina. In: A face horrvel. So Paulo: Lazuli, 2017. Escrita na dcada de 1960, a narrativa pe em evidncia uma dramaticidade centrada na

Questão 39
2019Português

(ENEM - 2019) TEXTO I O Estatuto do idoso completou 15 anos em 2018 e s no primeiro semestre o Disque 100 recebeu 16 mil denncias de violao dos idosos em todo o Pas. Para especialistas da rea, o aumento no nmero de denncias pode ser consequncia do encorajamento dos mais velhos na busca pelos direitos. Mas tambm pode refletir uma onda crescente de violncia na sociedade e dentro das prprias famlias. Polticas pblicas mais eficazes no atendimento ao idoso so o mnimo que um pas deve estabelecer. O Brasil est ficando para trs e preciso levar em considerao que o Pas envelhece (tendncia mundial) sem estar preparado para arcar com os desafios, como criar um rede de proteo, preparar os servios de sade pblica e dar suporte s famlias que precisam cuidar de seus idosos dependentes. Disponvel em: www.folhadelondrina.com.br. Acesso em: 9 dez. 2018 (adaptado) TEXTO II Disponvel em: www.brasil.gov.br. Acesso em: 9 dez. 2018. Na comparao entre os textos, conclui-se que as regras do Estatuto do Idoso

Questão 40
2019Português

(ENEM - 2019) Educao para a sade mediante programas de educao fsica escolar A educao para a sade dever ser alcanada mediante interao de aes que possam envolver o prprio homem mediante suas atitudes frente s exigncias ambientais representadas pelos hbitos alimentares, estado de estresse, opes de lazer, atividade fsica, agresses climticas etc. Dessa forma, parece evidente que o estado de ser saudvel no algo esttico. Pelo contrrio, torna-se necessrio adquiri-lo e constru-lo de forma individualizada constantemente ao longo de toda a vida, apontando para o fato de que sade educao e, portanto, deve ser tratada no apenas com base em referenciais de natureza biolgica e higienista, mas sobretudo em um contexto didtico-pedaggico. GUEDES, D. P. Motriz, n. 1, 1999. A educao para a sade pressupe a adoo de comportamentos com base na interao de fatores relacionados

NOVIDADES
Kuadro