Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 19
2006Português

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) impossvel colocar em srie exata os fatos da infncia porque h aqueles que j acontecem permanentes, que vm para ficar e doer, que nunca mais so esquecidos, que so sempre trazidos tempo afora, como se fossem dagora. a carga. H os outros, midos fatos, incolores e quase sem som que mal se deram, a memria os atira nos abismos do esquecimento. Mesmo prximos eles viram logo passado remoto. Surgem s vezes, na lembrana, como se fossem uma incongruncia. S aparentemente sem razo, porque no h associao de idias que seja ilgica. O que assim parece, em verdade, liga-se e harmoniza-se no subconsciente pelas razes subterrneas razes lgicas! de que emergem os pequenos caules isolados aparentemente ilgicos! s aparentemente! s vezes chegados memria vindos do esquecimento, que outra funo ativa dessa mesma memria. Pedro Nava,Ba de ossos. O que Pedro Nava afirma no final do texto ajuda a compreender o ttulo do livro Esquecer para lembrar, de Carlos Drummond de Andrade, ttulo que contm

Questão 20
2006Português

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) impossvel colocar em srie exata os fatos da infncia porque h aqueles que j acontecem permanentes, que vm para ficar e doer, que nunca mais so esquecidos, que so sempre trazidos tempo afora, como se fossem dagora. a carga. H os outros, midos fatos, incolores e quase sem som que mal se deram, a memria os atira nos abismos do esquecimento. Mesmo prximos eles viram logo passado remoto. Surgem s vezes, na lembrana, como se fossem uma incongruncia. S aparentemente sem razo, porque no h associao de idias que seja ilgica. O que assim parece, em verdade, liga-se e harmoniza-se no subconsciente pelas razes subterrneas razes lgicas! de que emergem os pequenos caules isolados aparentemente ilgicos! s aparentemente! s vezes chegados memria vindos do esquecimento, que outra funo ativa dessa mesma memria. Pedro Nava,Ba de ossos. O valor sinttico-semntico do vocbulo sublinhado no trecho H os outros, (...) que mal se deram, corresponde ao do mesmo termo em:

Questão 21
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) A partir de 64 cubos brancos, todos iguais, forma-se um novo cubo. A seguir, este novo cubo tem cinco de suas seis faces pintadas de vermelho. O nmero de cubos menores que tiveram pelo menos duas de suas faces pintadas de vermelho

Questão 22
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Na figura abaixo, a reta s passa pelo ponto P e pelo centro da circunferncia de raio R, interceptando-a no ponto Q, entre P e o centro. Alm disso, a reta t passa por P, tangente circunferncia e forma um ngulo com a reta s. Se PQ = 2R , ento cos vale

Questão 23
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Um recenseamento revelou as seguintes caractersticas sobre a idade e a escolaridade da populao de uma cidade. Escolaridade Jovens Mulheres Homens Fundamental incompleto 30% 15% 18% Fundamental completo 20% 30% 28% Mdio incompleto 26% 20% 16% Mdio completo 18% 28% 28% Superior incompleto 4% 4% 5% Superior completo 2% 3% 5% Se for sorteada, ao acaso, uma pessoa da cidade, a probabilidade de esta pessoa ter curso superior (completo ou incompleto)

Questão 24
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Joo, Maria e Antnia tinham, juntos, R$ 100.000,00. Cada um deles investiu sua parte por um ano, com juros de 10% ao ano. Depois de creditados seus juros no final desse ano, Antnia passou a ter R$ 11.000,00 mais o dobro do novo capital de Joo. No ano seguinte, os trs reinvestiram seus capitais, ainda com juros de 10% ao ano. Depois de creditados os juros de cada um no final desse segundo ano, o novo capital de Antnia era igual soma dos novos capitais de Maria e Joo. Qual era o capital inicial de Joo?

Questão 25
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Um nmero natural N tem trs algarismos. Quando dele subtramos 396 resulta o nmero que obtido invertendo-se a ordem dos algarismos de N. Se, alm disso, a soma do algarismo das centenas e do algarismo das unidades de N igual a 8, ento o algarismo das centenas de N

Questão 26
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE )Trs nmeros positivos, cuja soma 30, esto em progresso aritmtica. Somando-se, respectivamente, 4, - 4 e - 9 aos primeiro, segundo e terceiro termos dessa progresso aritmtica, obtemos trs nmeros em progresso geomtrica. Ento, um dos termos da progresso aritmtica

Questão 27
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) O conjunto dos pontos (x,y), do plano cartesiano que satisfazem t2 - t - 6 = 0, onde, consiste de

Questão 28
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE )O conjunto dos nmeros reais x que satisfazem a inequao o intervalo:

Questão 29
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Na figura abaixo, tem-se AC = 3 , AB = 4 e CB = 6 . O valor de CD

Questão 30
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE )Na figura abaixo, o tringulo ABC inscrito na circunferncia tem AB = AC . O ngulo entre o lado AB e a altura do tringulo ABC em relao a BC . Nestas condies, o quociente entre a rea do tringulo ABC e a rea do crculo da figura dado, em funo de , pela expresso:

Questão 31
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Um cone circular reto est inscrito em um paraleleppedo reto retngulo, de base quadrada, como mostra a figura. A razo b/a entre as dimenses do paraleleppedo e o volume do cone . Ento, o comprimento g da geratriz do cone

Questão 32
2006Matemática

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Em uma certa comunidade, dois homens sempre se cumprimentam (na chegada) com um aperto de mo e se despedem (na sada) com outro aperto de mo. Um homem e uma mulher se cumprimentam com um aperto de mo, mas se despedem com um aceno. Duas mulheres s trocam acenos, tanto para se cumprimentarem quanto para se despedirem. Em uma comemorao, na qual 37 pessoas almoaram juntas, todos se cumprimentaram e se despediram na forma descrita acima. Quantos dos presentes eram mulheres, sabendo que foram trocados 720 apertos de mo?

Questão 33
2006História

(FUVEST - 2006 - 1 FASE ) Vegetius, escrevendo no sculo IV a. C., afirmava que os romanos eram menos numerosos que os gauleses, menores em tamanho que os germanos, mais fracos que os espanhis, no to astutos quanto os africanos e inferiores aos gregos em inteligncia criativa. Obviamente Vegetius considerava os romanos, como guerreiros, superiores a todos os demais povos. J para os historiadores, o fato de os romanos terem conseguido estabelecer, e por muito tempo, o seu vasto imprio, o maior j visto at ento, deveu-se sobretudo

NOVIDADES
Kuadro