Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 55
2014Geografia

(FUVEST 2014) O local e o global determinam-se reciprocamente, umas vezes de modo congruente e consequente, outras de modo desigual e desencontrado. Mesclam-se e tensionam-se singularidades, particularidades e universalidades. Conforme Anthony Giddens, A globalização pode assim ser definida como a intensificação das relações sociais em escala mundial, que ligam localidades distantes de tal maneira que acontecimentos locais são modelados por eventos ocorrendo a muitas milhas de distância e vice-versa. Este é um processo dialético porque tais acontecimentos locais podem se deslocar numa direção inversa às relações muito distanciadas que os modelam. A transformação local é, assim, uma parte da globalização. Octávio Ianni, Estudos Avançados. USP. São Paulo, 1994. Adaptado. Neste texto, escrito no final do século XX, o autor refere-se a um processo que persiste no século atual. A partir desse texto, pode-se inferir que esse processo leva à

Questão 56
2014Geografia

(FUVEST 2014) Na atualidade, o número de pessoas atingidas por desastres naturais, no mundo, vem aumentando. Em 2012, foram registrados 905 grandes eventos desse tipo no planeta. Esses eventos podem ser de natureza geofísica, climática, meteorológica e hidrológica, entre outras. No mapa acima, estão indicadas áreas mais suscetíveis à ocorrência de alguns tipos de desastres naturais. A área assinalada no mapa e os fenômenos mais suscetíveis de nela ocorrer estão corretamente indicados em:

Questão 57
2014HistóriaGeografia

(FUVEST 2014) Após o Tratado de Tordesilhas (1494), por meio do qual Portugal e Espanha dividiram as terras emersas com uma linha imaginária, verifica-se um descobrimento gradual do atual território brasileiro. Tendo em vista o processo da formação territorial do País, considere as ocorrências e as representações abaixo: Ocorrências: Tratado de Madrid (1750); Tratado de Petrópolis (1903); Constituição da República Federativa do Brasil (1988)/consolidação da atual divisão dos Estados. Associe a ocorrência com sua correta representação:

Questão 58
2014História

(FUVEST 2014) Csar no sara de sua provncia para fazer mal algum, mas para se defender dos agravos dos inimigos, para restabelecer em seus poderes os tribunos da plebe que tinham sido, naquela ocasio, expulsos da Cidade, para devolver a liberdade a si e ao povo romano oprimido pela faco minoritria. Caio Jlio Csar. A Guerra Civil. So Paulo: Estao Liberdade, 1999, p. 67. O texto, do sculo I a.C., retrata o cenrio romano de

Questão 59
2014História

(FUVEST 2014) Durante muito tempo, sustentou-se equivocadamente que a utilização de especiarias na Europa da Idade Média era determinada pela necessidade de se alterar o sabor de alimentos apodrecidos, ou pela opinião de que tal uso garantiria a conservação das carnes. A utilização de especiarias no período medieval

Questão 60
2014História

(FUVEST 2014) As chamadas revoluções inglesas, transcorridas entre 1640 e 1688, tiveram como resultados imediatos

Questão 61
2014História

(FUVEST 2014) A ideia de ocupao do continente pelo povo americano teve tambm razes populares, no senso comum e tambm em fundamentos religiosos. O sonho de estender o princpio da unio at o Pacfico foi chamado de Destino Manifesto. Nancy Priscilla S. Naro. A formao dos Estados Unidos. So Paulo: Atual, 1986, p. 19. A concepo de Destino Manifesto, cunhada nos Estados Unidos da dcada de 1840,

Questão 62
2014História

(FUVEST 2014) Entre os fatores que permitem associar o contexto histórico de Portugal, na década de 1970, às independências de suas colônias na África, encontram-se

Questão 63
2014História

(FUVEST 2014) A fotografia acima, tirada em Beijing, China, em 1989, pode ser identificada, corretamente, como

Questão 64
2014História

(FUVEST 2014) No h trabalho, nem gnero de vida no mundo mais parecido cruz e paixo de Cristo, que o vosso em um destes engenhos [...]. A paixo de Cristo parte foi de noite sem dormir, parte foi de dia sem descansar, e tais so as vossas noites e os vossos dias. Cristo despido, e vs despidos; Cristo sem comer, e vs famintos; Cristo em tudo maltratado, e vs maltratados em tudo. Os ferros, as prises, os aoites, as chagas, os nomes afrontosos, de tudo isto se compe a vossa imitao, que, se for acompanhada de pacincia, tambm ter merecimento e martrio[...]. De todos os mistrios da vida, morte e ressurreio de Cristo, os que pertencem por condio aos pretos, e como por herana, so os mais dolorosos. P. Antnio Vieira, Sermo dcimo quarto. In: I. Incio T. Lucca (orgs.). Documentos do Brasil colonial. So Paulo: tica, 1993, p.73-75. A partir da leitura do texto acima, escrito pelo padre jesuta Antnio Vieira em 1633, pode-se afirmar, corretamente, que, nas terras portuguesas da Amrica,

Questão 65
2014História

(FUVEST 2014) O tráfico de escravos africanos para o Brasil

Questão 66
2014HistóriaPortuguês

(FUVEST 2014) Em seu contexto de origem, o quadro acima corresponde a uma

Questão 67
2014Português

(FUVEST 2014) Com base na leitura da obra A cidade e as serras, de Eça de Queirós, publicada originalmente em 1901, é correto concluir que, nela, encontra-se

Questão 68
2014História

(Fuvest 2014) A charge satiriza uma prática eleitoral presente no Brasil da chamada Primeira República. Tal prática revelava a

Questão 69
2014Inglês

(FUVEST 2014) A wave of anger is sweeping the cities of the world. The protests have many different origins. In Brazil people rose up against bus fares, in Turkey against a building project. Indonesians have rejected higher fuel prices. In the euro zone they march against austerity, and the Arab spring has become a perma-protest against pretty much everything. Yet just as in 1848, 1968 and 1989, when people also found a collective voice, the demonstrators have much in common. In one country after another, protesters have risen up with bewildering speed. They tend to be ordinary, middle class people, not lobbies with lists of demands. Their mix of revelry and rage condemns the corruption, inefficiency and arrogance of the folk in charge. Nobody can know how 2013 will change the world if at all. In 1989 the Soviet empire teetered and fell. But Marxs belief that 1848 was the first wave of a proletarian revolution was confounded by decades of flourishing capitalism and 1968 did more to change sex than politics. Even now, though, the inchoate significance of 2013 is discernible. And for politicians who want to peddle the same old stuff, news is not good. The Economist, June 29, 2013. Adaptado. (FUVEST 2014) Segundo o texto, os protestos de 2013, em diversos lugares do mundo,

NOVIDADES
Kuadro