Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 5
2004Português

(FUVEST - 2004 - 1a fase) Uma flor, o Quincas Borba. Nunca em minha infncia, nunca em toda a minha vida, achei um menino mais gracioso, inventivo e travesso. Era a flor, e no j da escola, seno de toda a cidade. A me, viva, com alguma cousa de seu, adorava o filho e trazia-o amimado, asseado, enfeitado, com um vistoso pajem atrs, um pajem que nos deixava gazear a escola, ir caar ninhos de pssaros, ou perseguir lagartixas nos morros do Livramento e da Conceio, ou simplesmente arruar, toa, como dous peraltas sem emprego. E de imperador! Era um gosto ver o Quincas Borba fazer de imperador nas festas do Esprito Santo. De resto, nos nossos jogos pueris, ele escolhia sempre um papel de rei, ministro, general, uma supremacia, qualquer que fosse. Tinha garbo o traquinas, e gravidade, certa magnificncia nas atitudes, nos meneios. Quem diria que Suspendamos a pena; no adiantemos os sucessos. Vamos de um salto a 1822, data da nossa independncia poltica, e do meu primeiro cativeiro pessoal. (Machado de Assis, Memrias pstumas de Brs Cubas) Embora pertena modalidade escrita da lngua, este texto apresenta marcas de oralidade, que tm finalidades estilsticas. Dos procedimentos verificados no texto e indicados abaixo, o nico que constitui marca tpica da modalidade escrita :

Questão 6
2004Química

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6)Num laboratrio de ensino de Qumica, foram realizados dois experimentos: I) Uma soluo aquosa bastante concentrada de nitrato de prata (AgNO3) foi adicionada, gradativamente, a 100 mL de uma soluo aquosa de cloreto de sdio de concentrao desconhecida. II) Fluoreto de ltio slido (LiF) foi adicionado, gradativamente, a 100 mL de gua pura. Em ambos os experimentos, registrou-se a condutibilidade eltrica em funo da quantidade (em mols) de AgNO3 e LiF adicionados. No experimento I, a soluo de AgNO3era suficientemente concentrada para que no houvesse variao significativa do volume da soluo original de cloreto de sdio. No experimento II, a quantidade total de LiF era to pequena que variaes de volume do lquido puderam ser desprezadas. Utilize o grfico para responder: a) Qual dos registros, X ou Y, deve corresponder ao experimento I e qual, ao experimento II? Explique seu raciocnio. b) Qual era a concentrao da soluo de cloreto de sdio original? Justifique. c) Qual a solubilidade do LiF, em mol por 100 mL de gua? Justifique. Dados: O produto de solubilidade do cloreto de prata igual a 1,8 x 10-10. A contribuio dos ons nitrato e cloreto, para a condutibilidade da soluo, praticamente a mesma.

Questão 6
2004Português

(FUVEST - 2004 - 1a fase) Uma flor, o Quincas Borba. Nunca em minha infncia, nunca em toda a minha vida, achei um menino mais gracioso, inventivo e travesso. Era a flor, e no j da escola, seno de toda a cidade. A me, viva, com alguma cousa de seu, adorava o filho e trazia-o amimado, asseado, enfeitado, com um vistoso pajem atrs, um pajem que nos deixava gazear a escola, ir caar ninhos de pssaros, ou perseguir lagartixas nos morros do Livramento e da Conceio, ou simplesmente arruar, toa, como dous peraltas sem emprego. E de imperador! Era um gosto ver o Quincas Borba fazer de imperador nas festas do Esprito Santo. De resto, nos nossos jogos pueris, ele escolhia sempre um papel de rei, ministro, general, uma supremacia, qualquer que fosse. Tinha garbo o traquinas, e gravidade, certa magnificncia nas atitudes, nos meneios. Quem diria que Suspendamos a pena; no adiantemos os sucessos. Vamos de um salto a 1822, data da nossa independncia poltica, e do meu primeiro cativeiro pessoal. (Machado de Assis,Memrias pstumas de Brs Cubas) A enumerao de substantivos expressa gradao ascendente em:

Questão 6
2004Biologia

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6)O desenho mostra as estruturas de uma flor em corte longitudinal. a) Identifique com a letra A a seta que aponta a estrutura da qual um inseto retira plen. b) Identifique com a letra B a seta que aponta a estrutura na qual o gro de plen inicia o desenvolvimento do tubo polnico. c) Identifique com a letra C a seta que aponta a estrutura que ir se desenvolver dando origem ao fruto. d) Identifique com a letra D a seta que aponta a estrutura em que ocorre a unio de gametas masculino e feminino e que dar origem semente.

Questão 6
2004Português

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6)No conto A hora e vez de Augusto Matraga, de Guimares Rosa, o protagonista um homem rude e cruel, que sofre violenta surra de capangas inimigos e abandonado como morto, num brejo. Recolhido por um casal de matutos, Matraga passa por um lento e doloroso processo de recuperao, em meio ao qual recebe a visita de um padre, com quem estabelece o seguinte dilogo: - Mas, ser que Deus vai ter pena de mim, com tanta ruindade que fiz, e tendo nas costas tanto pecado mortal? - Tem, meu filho. Deus mede a espora pela rdea, e no tira o estribo do p de arrependido nenhum... (...) Sua vida foi entortada no verde, mas no fique triste, de modo nenhum, porque a tristeza aboio de chamar demnio, e o Reino do Cu, que o que vale, ningum tira de sua algibeira, desde que voc esteja com a graa de Deus, que ele no regateia a nenhum corao contrito. a) A linguagem figurada amplamente empregada pelo padre adequada ao seu interlocutor? Justifique sua resposta. b) Transcreva uma frase do texto que tenha sentido equivalente ao da frase no regateia a nenhum corao contrito.

Questão 6
2004Matemática

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6)A figura abaixo representa duas polias circulares C1e C2de raios R1= 4 cm R2= 1 cm , apoiadas em uma superfcie plana em P1e P2, respectivamente. Uma correia envolve as polias,sem folga. Sabendo-se que a distncia entre os pontos P1e P2 cm,determinar o comprimento da correia.

Questão 6
2004Física

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6)Uma mquina fotogrfica, com uma lente de foco F e eixo OO, est ajustada de modo que a imagem de uma paisagem distante formada com nitidez sobre o filme. A situao esquematizada na figura 1.O filme, de 35 mm, rebatido sobre o plano, tambm est esquematizada na figura 2, com o fotograma K correspondente. A fotografia foi tirada, contudo, na presena de um fio vertical P, prximo mquina, perpendicular folha de papel, visto de cima, na mesma figura. No esquema, a) Represente, na figura 1, a imagem de P, identificando-a por P (Observe que essa imagem no se forma sobre o filme). b) Indique, na figura 1, a regio AB do filme que atingida pela luz refletida pelo fio, e os raios extremos, RA e RB , que definem essa regio. c) Esboce, sobre o fotograma K da figura 2, a regio em que a luz proveniente do fio impressiona o filme, hachurando-a. NOTE E ADOTE: Em uma mquina fotogrfica ajustada para fotos de objetos distantes a posio do filme coincide com o plano que contm o foco F da lente.

Questão 6
2004Geografia

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6) O processo de globalizao econmica e financeira envolve, de diferentes formas, vrios pases. Com base nessa afirmao: a) Aponte uma caracterstica positiva e outra negativa desse processo em relao ao Brasil. b) Explique-as.

Questão 6
2004História

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 6) Cano 1 Suba ao trono o jovem Pedro Exulte toda a Nao; Os heris, os pais da Ptria Aprovaram com unio. Cano 2 Por subir Pedrinho ao trono, No fique o povo contente; No pode ser coisa boa Servindo com a mesma gente. Quadrinhas populares cantadas nas ruas do Rio de Janeiro em 1840. Compare as quadrinhas populares e responda: a) Por que D. Pedro II tornou-se imperador, antes dos dezoito anos, como previa a Constituio? b) Quais as diferentes posies polticas expressas nas duas canes populares?

Questão 7
2004Português

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 7)Considere o seguinte fragmento do antepenltimo captulo de Memrias de um sargento de milcias, no qual se narra a visita que D. Maria, Maria Regalada e a comadre fizeram ao Major Vidigal, para interceder por Leonardo (filho): O major recebeu-as de rodaque de chita e tamancos, no tendo a princpio suposto o quilate da visita; apenas porm reconheceu as trs, correu apressado camarinha vizinha, e envergou o mais depressa que pde a farda: como o tempo urgia, e era uma incivilidade deixar ss as senhoras, no completou o uniforme, e voltou de novo sala de farda, calas de enfiar, tamancos, e um leno de Alcobaa sobre o ombro, segundo seu uso. A comadre, ao v-lo assim, apesar da aflio em que se achava, mal pde conter uma risada que lhe veio aos lbios. ______________________________ Rodaque = espcie de casaco. Camarinha = quarto. Calas de enfiar = calas de uso domstico. a) Considerando o fragmento no contexto da obra, interprete o contraste que se verifica entre as peas do vesturio com que o major voltou sala para conversar com as visitas. b) Qual a relao entre o referido vesturio do major e a sua deciso de favorecer Leonardo (filho), fazendo concesses quanto aplicao da lei?

Questão 7
2004Física

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 7)Um sistema de alimentao de energia de um resistor R = 20 formado por duas baterias, B1 e B2, interligadas atravs de fios, com as chaves Ch1 e Ch2, como representado na figura. A bateria B1 fornece energia ao resistor, enquanto a bateria B2 tem a funo de recarregar a bateria B1. Inicialmente, com a chave Ch1 fechada (e Ch2 aberta), a bateria B1 fornece corrente ao resistor durante 100 s. Em seguida, para repor toda a energia qumica que a bateria B1 perdeu, a chave Ch2 fica fechada (e Ch1 aberta), durante um intervalo de tempo T. Em relao a essa operao, determine: a) O valor da corrente I1, em ampres, que percorre o resistor R, durante o tempo em que a chave Ch1 permanece fechada. b) A carga Q, em C, fornecida pela bateria B1, durante o tempo em que a chave Ch1 permanece fechada. c) O intervalo de tempo T, em s, em que a chave Ch2 permanece fechada. NOTE E ADOTE: As baterias podem ser representadas pelos modelos abaixo, comfem1 = 12 V e r1= 2efem2 = 36 V e r2= 4

Questão 7
2004História

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 7) Na comunidade domstica de constituio patriarcal, ainda bem viva durante nosso Imprio, os escravos constituam uma simples ampliao do crculo familiar. Por isso e tambm por motivos compreensveis de interesse econmico, o bem estar dos escravos devia ser mais caro ao fazendeiro do que o dos colonos. Sergio Buarque de Holanda. Introduo da obra Memria de um colono no Brasil de Thomas Davatz. Com base no texto, a) Indique quais os conflitos decorrentes da tradio escravista dos fazendeiros com relao ao emprego da mo-de-obra livre. b) Explique o que levou os colonos a deixarem a Europa e virem para o Brasil, apesar dos problemas apontados.

Questão 7
2004Química

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 7)O Veculo Lanador de Satlites brasileiro emprega, em seus propulsores, uma mistura de perclorado de amnio slido (NH4CO4) e alumnio em p, junto com um polmero, para formar combustvel slido. a) Na decomposio trmica do perclorato de amnio, na ausncia de alumnio, formam-se quatro produtos. Um deles a gua e os outros trs so substncias simples diatmicas, duas das quais so componentes naturais do ar atmosfrico. Escreva a equao balanceada que representa essa decomposio. b) Quando se d a ignio do combustvel slido, todo o oxignio liberado na decomposio trmica do perclorato de amnio reage com o alumnio, produzindo xido de alumnio (A2O3). Escreva a equao balanceada representativa das transformaes que ocorrem pela ignio do combustvel slido. c) Para uma mesma quantidade de NH4CO4, haver uma diferena de calor liberado se sua decomposio for efetuada na presena ou na ausncia de alumnio. Quanto calor a mais ser liberado se 2 mols de NH4CO4forem decompostos na presena de alumnio? Mostre o clculo. Dado: Calor de formao do xido de alumnio = -1,68 x 103 kJ/mol

Questão 7
2004Geografia

(FUVEST - 2004 - 2 fase - Questo 7) Nos climas tropicais midos, so comuns os solos espessos. Entretanto, alguns fatores naturais podem mudar essa tendncia geral. Observe a figura abaixo, representativa dessas reas. a) Cite dois fatores que causam a diferena de espessura do solo entre o perfil I e II. b) Explique um dos fatores citados.

Questão 7
2004Português

(FUVEST - 2004 - 1a fase) Uma flor, o Quincas Borba. Nunca em minha infncia, nunca em toda a minha vida, achei um menino mais gracioso, inventivo e travesso. Era a flor, e no j da escola, seno de toda a cidade. A me, viva, com alguma cousa de seu, adorava o filho e trazia-o amimado, asseado, enfeitado, com um vistoso pajem atrs, um pajem que nos deixava gazear a escola, ir caar ninhos de pssaros, ou perseguir lagartixas nos morros do Livramento e da Conceio, ou simplesmente arruar, toa, como dous peraltas sem emprego. E de imperador! Era um gosto ver o Quincas Borba fazer de imperador nas festas do Esprito Santo. De resto, nos nossos jogos pueris, ele escolhia sempre um papel de rei, ministro, general, uma supremacia, qualquer que fosse. Tinha garbo o traquinas, e gravidade, certa magnificncia nas atitudes, nos meneios. Quem diria que Suspendamos a pena; no adiantemos os sucessos. Vamos de um salto a 1822, data da nossa independncia poltica, e do meu primeiro cativeiro pessoal. (Machado de Assis,Memrias pstumas de Brs Cubas) Em Era a flor, e no j da escola, seno de toda a cidade., a palavra assinalada pode ser substituda, sem que haja alterao de sentido, por:

NOVIDADES
Kuadro