Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

Questão 9
2003Física

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )Duas pequenas esferas metlicas, A e B, so mantidas em potenciais eletrostticos constantes, respectivamente, positivo e negativo. As linhas cheias do grfico na folha de resposta representam as interseces, com o plano do papel, das superfcies equipotenciais esfricas geradas por A, quando no h outros objetos nas proximidades. De forma anloga, as linhas tracejadas representam as interseces com o plano do papel, das superfcies equipotenciais geradas por B. Os valores dos potenciais eltricos dessas superfcies esto indicados no grfico. As questes se referem situao em que A e B esto na presena uma da outra, nas posies indicadas no grfico, com seus centros no plano do papel. a) Trace, com caneta, em toda a extenso do grfico da folha de respostas, a linha de potencial V=0, quando as duas esferas esto nas posies indicadas. Identifique claramente essa linha por V=0. b) Determine, em volt / metro, utilizando dados do grfico, os mdulos dos campos eltricos Epae Epbcriados, no ponto P, respectivamente, pelas esferas A e B. c) Represente, em uma escala conveniente, no grfico, com origem no ponto P, os vetores Epa, Epbe o vetor campo eltrico Epresultante em P. Determine, a partir desta construo grfica, o mdulo de Ep, em volt / metro. d) Estime o mdulo do valor do trabalho , em joules, realizado quando uma pequena carga q=2,0nC levada do ponto P ao ponto S, indicados no grfico. (2,0nC=2,0 nanocoulombs =2,0 x C) ..

Questão 10
2003História

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )A partir da charge de Verssimo, responda: a) Qual a crtica nela veiculada? b) Qual o papel que o FMI desempenha no atual estgio do capitalismo?

Questão 10
2003Física

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )Uma onda sonora plana se propaga, em uma certa regio do espao, com velocidade V=340m/s, na direo e sentido do eixo y, sendo refletida por uma parede plana perpendicular direo de propagao e localizada direita da regio representada no grfico da folha de respostas. As curvas I e R desse grfico representam, respectivamente, para as ondas sonoras incidente e refletida, a diferena entre a presso P e a presso atmosfrica P0, (P P0), em funo da coordenada y, no instante t=0. As flechas indicam o sentido de propagao dessas ondas. a) Determine a freqncia f da onda incidente. b) Represente, com caneta, no grfico da folha de respostas, a curva de P P0, em funo de y, no instante t=0, para a onda sonora resultante da superposio, nesta regio do espao, das ondas incidente e refletida. (Represente ao menos um ciclo completo). c) Uma pessoa caminhando lentamente ao longo da direo y percebe, com um de seus ouvidos (o outro est tapado), que em algumas posies o som tem intensidade mxima e em outras tem intensidade nula. Determine uma posio y0 e outra ym, do ouvido, onde o som tem intensidade nula e mxima, respectivamente. Encontre, para a onda resultante, o valor da amplitude Am, de P P0, em pascals, na posio ym.

Questão 10
2003Português

(FUVEST - 2003 - 2 FASE)A imagem abaixo foi criada por Lus Jardim, para ilustrar o conto Famigerado, de Primeiras estrias. Considerando as relaes entre a imagem e o conto que ela ilustra, responda ao que se pede. a) Quem so as personagens representadas na ilustrao? Como est figurada, na imagem, a relao entre essas personagens? Explique sucintamente. b) Que elemento da narrativa est representado pelo grande ponto de interrogao?

Questão 10
2003Biologia

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )Duas doenas sexualmente transmissveis muito comuns so a uretrite no-gonoccica que, tudo indica, causada pela Chlamydia trachomatis e o herpes genital, causado pelo Herpes simplex. A tabela a seguir compara algumas caractersticas desses dois agentes infecciosos: a) Esses organismos so vrus, bactrias, protozorios, algas, fungos, plantas ou animais? Justifique sua classificao com base nas caractersticas mencionadas na tabela. b) Esses dois agentes infecciosos indicados podem ter seu crescimento populacional representado pelo grfico a seguir? Justifique sua resposta. ..

Questão 10
2003Português

(FUVEST - 2003 - 1a Fase) Histria estranha Um homem vem caminhando por um parque quando de repente se v com sete anos de idade. Est com quarenta, quarenta e poucos. De repente d com ele mesmo chutando uma bola perto de um banco onde est a sua bab fazendo tric. No tem a menor dvida de que ele mesmo. Reconhece a sua prpria cara, reconhece o banco e a bab. Tem uma vaga lembrana daquela cena. Um dia ele estava jogando bola no parque quando de repente aproximou-se um homem e... O homem aproxima-se dele mesmo. Ajoelha-se, pe as mos nos seus ombros e olha nos seus olhos. Seus olhos se enchem de lgrimas. Sente uma coisa no peito. Que coisa a vida. Que coisa pior ainda o tempo. Como eu era inocente. Como os meus olhos eram limpos. O homem tenta dizer alguma coisa, mas no encontra o que dizer. Apenas abraa a si mesmo, longamente. Depois sai caminhando, chorando, sem olhar para trs. O garoto fica olhando para a sua figura que se afasta. Tambm se reconheceu. E fica pensando, aborrecido: quando eu tiver quarenta, quarenta e poucos anos, como eu vou ser sentimental! (Luis Fernando Verssimo, Comdias para se ler na escola) O discurso indireto livre empregado na seguinte passagem:

Questão 10
2003Matemática

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )Um cilindro oblquo tem raio das bases igual a 1, altura e est inclinado de um ngulo de 60(ver figura). O plano perpendicular s bases do cilindro, passando por seus centros. Se P e A so os pontos representados na figura, calcule PA. .

Questão 10
2003Química

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )Dimetil-hidrazina e tetrxido de dinitrognio foram usados nos foguetes do mdulo que pousou na Lua nas misses Apollo. A reao, que ocorre pela simples mistura desses dois compostos, pode ser representada por ( a) Entre os reagentes, identifique o oxidante e o redutor. Justifique sua resposta, considerando os nmeros de oxidao do carbono e do nitrognio. b) Cite duas caractersticas da reao apresentada que tornam adequado o uso desses reagentes. c) Qual a presso parcial do gs nitrognio quando a presso da mistura gasosa liberada se iguala presso na superfcie da Lua? Mostre os clculos. Dados: nmero de oxidao do carbono na dimetil-hidrazina: -2 presso na superfcie lunar: 3 x Pa

Questão 10
2003Geografia

(FUVEST - 2003 - 2 FASE )a) Discorra sobre duas caractersticas que demonstram o potencial de influncia da Unio Europia no mundo contemporneo. b) Cite e explique duas dificuldades para insero da Unio Europia como potncia militar no sistema internacional.

Questão 11
2003Português

(FUVEST -2003 - 1aFase) Dos verbos destacados, s est corretamente empregado o que aparece na frase:

Questão 12
2003Português

(FUVEST- 2003 - 1a Fase) Os leitores estaro lembrados do que o compadre dissera quando estava a fazer castelos no ar a respeito do afilhado, e pensando em dar-lhe o mesmo ofcio que exercia, isto , daquele arranjei-me, cuja explicao prometemos dar. Vamos agora cumprir a promessa. Se algum perguntasse ao compadre por seus pais, por seus parentes, por seu nascimento, nada saberia responder, porque nada sabia a respeito. Tudo de que se recordava de sua histria reduzia-se a bem pouco. Quando chegara idade de dar acordo da vida achou-se em casa de um barbeiro que dele cuidava, porm que nunca lhe disse se era ou no seu pai ou seu parente, nem tampouco o motivo por que tratava da sua pessoa. Tambm nunca isso lhe dera cuidado, nem lhe veio a curiosidade de indag-lo. Esse homem ensinara-lhe o ofcio, e por inaudito milagre tambm a ler e a escrever. Enquanto foi aprendiz passou em casa do seu... mestre, em falta de outro nome, uma vida que por um lado se parecia com a do fmulo*, por outro com a do filho, por outro com a do agregado, e que afinal no era seno vida de enjeitado, que o leitor sem dvida j adivinhou que ele o era. A troco disso dava-lhe o mestre sustento e morada, e pagava-se do que por ele tinha j feito. (*) fmulo: empregado, criado (Manuel Antnio de Almeida, Memrias de um sargento de milcias) Neste excerto, mostra-se que o compadre provinha de uma situao de famlia irregular e ambgua. No contexto do livro, as situaes desse tipo

Questão 13
2003Português

(FUVEST- 2003 - 1a Fase) Os leitores estaro lembrados do que o compadre dissera quando estava a fazer castelos no ar a respeito do afilhado, e pensando em dar-lhe o mesmo ofcio que exercia, isto , daquele arranjei-me, cuja explicao prometemos dar. Vamos agora cumprir a promessa. Se algum perguntasse ao compadre por seus pais, por seus parentes, por seu nascimento, nada saberia responder, porque nada sabia a respeito. Tudo de que se recordava de sua histria reduzia-se a bem pouco. Quando chegara idade de dar acordo da vida achou-se em casa de um barbeiro que dele cuidava, porm que nunca lhe disse se era ou no seu pai ou seu parente, nem tampouco o motivo por que tratava da sua pessoa. Tambm nunca isso lhe dera cuidado, nem lhe veio a curiosidade de indag-lo. Esse homem ensinara-lhe o ofcio, e por inaudito milagre tambm a ler e a escrever. Enquanto foi aprendiz passou em casa do seu... mestre, em falta de outro nome, uma vida que por um lado se parecia com a do fmulo*, por outro com a do filho, por outro com a do agregado, e que afinal no era seno vida de enjeitado, que o leitor sem dvida j adivinhou que ele o era. A troco disso dava-lhe o mestre sustento e morada, e pagava-se do que por ele tinha j feito. (*) fmulo: empregado, criado (Manuel Antnio de Almeida, Memrias de um sargento de milcias) A condio social de agregado, referida no excerto, caracteriza tambm a situao de

Questão 14
2003Português

(FUVEST- 2003 - 1a Fase) Os leitores estaro lembrados do que o compadre dissera quando estava a fazer castelos no ar a respeito do afilhado, e pensando em dar-lhe o mesmo ofcio que exercia, isto , daquele arranjei-me, cuja explicao prometemos dar. Vamos agora cumprir a promessa. Se algum perguntasse ao compadre por seus pais, por seus parentes, por seu nascimento, nada saberia responder, porque nada sabia a respeito. Tudo de que se recordava de sua histria reduzia-se a bem pouco. Quando chegara idade de dar acordo da vida achou-se em casa de um barbeiro que dele cuidava, porm que nunca lhe disse se era ou no seu pai ou seu parente, nem tampouco o motivo por que tratava da sua pessoa. Tambm nunca isso lhe dera cuidado, nem lhe veio a curiosidade de indag-lo. Esse homem ensinara-lhe o ofcio, e por inaudito milagre tambm a ler e a escrever. Enquanto foi aprendiz passou em casa do seu... mestre, em falta de outro nome, uma vida que por um lado se parecia com a do fmulo*, por outro com a do filho, por outro com a do agregado, e que afinal no era seno vida de enjeitado, que o leitor sem dvida j adivinhou que ele o era. A troco disso dava-lhe o mestre sustento e morada, e pagava-se do que por ele tinha j feito. (*) fmulo: empregado, criado (Manuel Antnio de Almeida, Memrias de um sargento de milcias) Um trao de estilo, presente no excerto, tambm se encontrar nas Memrias pstumas de Brs Cubas, onde assumir aspectos de provocao e acinte. Trata-se

Questão 15
2003Português

(FUVEST- 2003 - 1a Fase) Os leitores estaro lembrados do que o compadre dissera quando estava a fazer castelos no ar a respeito do afilhado, e pensando em dar-lhe o mesmo ofcio que exercia, isto , daquele arranjei-me, cuja explicao prometemos dar. Vamos agora cumprir a promessa. Se algum perguntasse ao compadre por seus pais, por seus parentes, por seu nascimento, nada saberia responder, porque nada sabia a respeito. Tudo de que se recordava de sua histria reduzia-se a bem pouco. Quando chegara idade de dar acordo da vida achou-se em casa de um barbeiro que dele cuidava, porm que nunca lhe disse se era ou no seu pai ou seu parente, nem tampouco o motivo por que tratava da sua pessoa. Tambm nunca isso lhe dera cuidado, nem lhe veio a curiosidade de indag-lo. Esse homem ensinara-lhe o ofcio, e por inaudito milagre tambm a ler e a escrever. Enquanto foi aprendiz passou em casa do seu... mestre, em falta de outro nome, uma vida que por um lado se parecia com a do fmulo*, por outro com a do filho, por outro com a do agregado, e que afinal no era seno vida de enjeitado, que o leitor sem dvida j adivinhou que ele o era. A troco disso dava-lhe o mestre sustento e morada, e pagava-se do que por ele tinha j feito. (*) fmulo: empregado, criado (Manuel Antnio de Almeida, Memrias de um sargento de milcias) No excerto, temos derivao imprpria ou converso (emprego de uma palavra fora de sua classe normal) no seguinte trecho:

Questão 16
2003Português

(FUVEST - 2003 - 1a Fase) Tanto Lusa (O primo Baslio) quanto Virglia (Memrias pstumas de Brs Cubas) praticaram o adultrio