Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

ITA
ITA
IME
IME
ENEM
ENEM
FUVEST
FUVEST
UNICAMP
UNICAMP
UNESP
UNESP
ESPCEX
ESPCEX
AFA
AFA
Questão 1
2016Português

(FUVEST 2016 - 2 fase)Examine este anncio de uma instituio financeira, cujo nome foi substitudo por X, para responder s questes 01 e 02. Compare os diversos elementos que compem o anncio e atenda ao que se pede. a) Considerando o contexto do anncio, existe alguma relao de sentido entre a imagem e o slogan DIFERENTE QUANDO VOC CONHECE? Explique. b) A incluso, no anncio, dos cones e algarismos que precedem o texto escrito tem alguma finalidade comunicativa? Explique.

Questão 1
2016Geografia

(FUVEST 2016 - 2 fase) Considere a matriz energtica mundial. a) Identifique, com base no quadro acima, uma fonte de energia que considerada a maior responsvel tanto pelo efeito estufa quanto pela formao da chuva cida. Justifique sua resposta. b) Identifique a principal fonte de energia usada nas usinas hidreltricas, no Brasil, e explique uma vantagem quanto ao uso desse recurso natural. c) Identifique, com base no quadro acima, as fontes de energia usadas nas usinas termeltricas, no Brasil, e explique uma desvantagem de ordem econmica que elas apresentam.

Questão 1
2016Matemática

(FUVEST - 2016 - 2a FASE) So dadas trs circunferncias de raio r, duas a duas tangentes. Os pontos de tangncia so P1,P2 e P3 Calcule, em funo de r, a) o comprimento do lado do tringulo equiltero Tdeterminado pelas trs retas que so definidas pela seguinte exigncia: cada uma delas tangente a duas das circunferncias e no intersecta a terceira; b) a rea do hexgono no convexo cujos lados so os segmentos ligando cada ponto P1,P2 e P3 aos dois vrtices do tringulo Tmais prximos a ele

Questão 1
2016Biologia

(FUVEST - 2016) Determinada planta do cerrado abriga formigas, cigarrinhas, predadores e parasitas de cigarrinhas e tambm herbvoros que causam dano foliar. Os grficos abaixo mostram os resultados de estudo sobre relaes entre os animais e entre eles e a planta. Grfico I: Nmero mdio de cigarrinhas, em plantas com e sem formigas, ao longo de duas semanas. Grfico II: Nmero mdio de predadores e parasitas das cigarrinhas, em plantas com e sem formigas, ao longo de duas semanas Grfico III: Porcentagem de dano foliar em plantas com e sem associao entre formigas e cigarrinha Com base nos resultados representados nos grficos, responda: a) A associao entre formigas e cigarrinhas benfica ou prejudicial para alguma dessas populaes de insetos? Cite o(s) grfico(s) que permite(m) tal concluso. b) A associao entre formigas e cigarrinhas benfica ou prejudicial para a planta? Justifique sua resposta

Questão 2
2016Português

(FUVEST 2016 - 2 fase) Com base na parte escrita do anncio, responda. a) Qual a relao temporal que se estabelece entre os verbos conhecer, oferecer, proporcionar e alcanar? Explique. b) Complete a frase impressa na pgina de resposta, flexionando de forma adequada os verbos oferecer, proporcionar e alcanar.

Questão 2
2016Química

(FUVEST 2016 - 2 fase) Em uma oficina de galvanoplastia, uma pea de ao foi colocada em um recipiente contendo soluo de sulfato de cromo (III) [Cr2(SO4)3], a fim de receber um revestimento de cromo metlico. A pea de ao foi conectada, por meio de um fio condutor, a uma barra feita de um metal X, que estava mergulhada em uma soluo de um sal do metal X. As solues salinas dos dois recipientes foram conectadas por meio de uma ponte salina. Aps algum tempo, observou-se que uma camada de cromo metlico se depositou sobre a pea de ao e que a barra de metal X foi parcialmente corroda. A tabela a seguir fornece as massas dos componentes metlicos envolvidos no procedimento a) Escreva a equao qumica que representa a semirreao de reduo que ocorreu nesse procedimento. b) O responsvel pela oficina no sabia qual era o metal X, mas sabia que podia ser magnsio (Mg), zinco (Zn) ou mangans (Mn), que formam ons divalentes em soluo nas condies do experimento. Determine, mostrando os clculos necessrios, qual desses trs metais X

Questão 2
2016Inglês

(FUVEST - 2016 - 2 FASE) Worrying: A Literary and Cultural History. By Francis OGorman. Bloomsbury; 173 pages. When he is not teaching Victorian literature at the University of Leeds or writing books, Francis OGorman admits to doing a lot of unnecessary brooding. Worrying: A Literary and Cultural History is his affectionate tribute to lowlevel fretting what the author calls the hidden histories of ordinary pain in everyones life. Humanitys sense of anxiety has deep roots. Contemporary angst is inextricably tied up with living in an advanced, hypermodern society, and yet, when worrying takes hold, it often does so in ways that appear altogether premodern, even pre-Enlightenment. If there is a message in the book, it addresses the everexpanding cottage industry around happiness and wellbeing. The latest edition of the American Psychiatric Associations Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorder, DSM5, has broadened psychiatrys reach into everyday life, medicalising and stigmatising an ever greater number of quirks and foibles. Against this backdrop, Mr OGormans celebration of the wonderful eccentricity of human nature is both refreshing and necessary. He believes that being a modern worrier is justthe motheaten sign of being human and playfully suggests that people should refine Descartess famous dictum to: I worry, therefore I am. The Economist, August 1st7th 2015. Adaptado. Levando-se em conta que o texto parte de uma resenha de um livro, responda, em portugus, s seguintes perguntas: a) Qual o objetivo do autor do livro? b) De que forma o propsito do livro de OGorman se ope ao que proposto pela Associao Americana de Psiquiatria? c) Qual a sugesto do autor do livro para modificar a famosa frase de Ren Descartes Penso, logo existo?

Questão 2
2016Matemática

(FUVEST - 2016 - 1a FASE) Os pontosA, B e C so colineares,=5,=2 e B est entre A e C. Os pontos C e D pertencem a uma circunferncia com centro em A. Traa-se uma reta r perpendicular ao segmento BD passando pelo seu ponto mdio. Chama-se de P a interseco de r com AD. Ento, AP + BP vale:

Questão 2
2016Biologia

(FUVEST- 2016) A atividade das enzimas influenciada pelo pH do meio. O grfico abaixo mostra a velocidade de reao de duas enzimas que atuam na digesto humana, pepsina e tripsina. Para identificar se um frasco rotulado Enzima contm pepsina ou tripsina, foi planejado um experimento com quatro tubos de ensaio: dois tubos teste e dois tubos controle. a) Complete o quadro da pgina de resposta, indicando como deve ser montado cada um dos quatro tubos de ensaio do experimento. Para cada tubo, devem ser indicadas trs condies: adio de enzima ou gua esterilizada; tipo de substrato (protena, amido ou gordura); valor de pH. b) Qual o resultado esperado em cada tubo de ensaio, caso o frasco contenha apenas pepsina? c) Em que rgo(s) do sistema digestrio humano atuam a pepsina e a tripsina?

Questão 2
2016Matemática

(FUVEST - 2016 - 2a FASE) Considere as funes f e g definidas por a) Calcule f(3/2),f(2),f(3),g(-4),g(0) e g(2). b) Encontre x, 1 x 4, tal que f(x) = g(x).

Questão 2
2016História

(FUVEST - 2016- 2 FASE) O papel da imprensa, como agente histrico, foi decisivo para a Independncia do Brasil na medida em que significou e ampliou espaos de liberdade de expresso e de debate poltico, que formaram e interferiram no quadro da separao de Portugal e de incio da edificao da ordem nacional. A palavra impressa no prprio territrio do Brasil era ento uma novidade que circulava e ajudava a delinear identidades culturais e polticas e constituiu-se em significativo mecanismo de interferncia, com suas singularidades e interligada a outras dimenses daquela sociedade que aliava permanncias e mutaes. Marco Morel, Independncia no papel: a imprensa peridica. I. Jancs (org.). Independncia: histria e historiografia. Adaptado. a) Explique por que a imprensa pode ser considerada uma novidade no Brasil poca da Independncia. b) O texto se refere a outras dimenses daquela sociedade que aliava permanncias e mutaes. D dois exemplos dessas dimenses, relacionando as com o incio da edificao da ordem nacional no Brasil da poca da Independncia.

Questão 2
2016Física

(FUVEST 2016 - 2 FASE) Um sistema formado por um disco com um trilho na direo radial e um bloco que pode se mover livremente ao longo do trilho. O bloco, de massa 1 kg, est ligado a uma mola de constante elstica 300 N/m. A outra extremidade da mola est fixa em um eixo vertical, perpendicular ao disco, passando pelo seu centro. Com o sistema em repouso, o bloco est na posio de equilbrio, a uma distncia de 20 cm do eixo. Um motor de potncia 0,3 W acoplado ao eixo ligado no instante t = 0, fazendo com que todo o conjunto passe a girar e o bloco, lentamente, se afaste do centro do disco. Para o instante em que a distncia do bloco ao centro de 30 cm, determine a) o mdulo da fora F na mola; b) a velocidade angular do bloco; c) a energia mecnica E armazenada no sistema massa-mola; d) o intervalo de tempo t decorrido desde o incio do movimento.

Questão 3
2016Física

(FUVEST2016 - 2 FASE) Lasers pulsados de altssima potncia esto sendo construdos na Europa. Esses lasers emitiro pulsos de luz verde, e cada pulso ter 1015W de potncia e durao de cerca de 30 x 10-15s. Com base nessas informaes, determine a) o comprimento de onda da luz desse laser; b) a energia E contida em um pulso; c) o intervalo de tempo t durante o qual uma lmpada LED de 3W deveria ser mantida acesa, de forma a consumir uma energia igual contida em cada pulso; d) o nmero N de ftons em cada pulso.

Questão 3
2016Matemática

(FUVEST - 2016 - 1a FASE) Um veculo viaja entre dois povoados da Serra da Mantiqueira, percorrendo a primeira tera parte do trajeto velocidade mdia de 60 km/h, a tera parte seguinte a 40 km/he o restante do percurso a 20 km/h. O valor que melhor aproxima a velocidade mdia do veculo nessa viagem, em km/h,

Questão 3
2016História

(FUVEST - 2016- 2 FASE) Como proteo contra a fantasia e a demncia financeiras, a memria muito melhor do que a lei. Quando a lembrana do desastre de 1929 se perdeu no esquecimento, a lei e a regulao no foram suficientes. A histria extremamente til para proteger as pessoas da avareza dos outros e delas mesmas. John Kenneth Galbraith, O grande crash, 1929. a) Indique duas das caractersticas principais do que o autor chama de desastre de 1929. b) Identifique algum fenmeno posterior, comparvel ao desastre de 1929, estabelecendo semelhanas e diferenas entre ambos.

NOVIDADES
Kuadro