Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

ITA
IME
ENEM
FUVEST
UNICAMP
UNESP
ESPCEX
AFA
Questão 71
2016Geografia

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) preocupante a deteco de resduos de agrotxicos no planalto matogrossense [Planaltos e Chapada dos Parecis], onde nascem o rio Paraguai e parte de seus afluentes, cujos cursos dirigemse para a Plancie do Pantanal. Em termos ecolgicos, o efeito crnico da contaminao, mesmo sob baixas concentraes, implica efeitos na sade e no ambiente a mdio e longo prazos, como a diminuio do potencial biolgico de espcies animais e vegetais. Dossi Abrasco Associao Brasileira de Sade Coletiva, Rio de Janeiro/So Paulo: EPSJV/Expresso Popular, 2012. Adaptado. Com base no texto e em seus conhecimentos, correto afirmar:

Questão 72
2016Geografia

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Observe os mapas. Dentre as seguintes alternativas, a nica que apresenta a principal causa para o correspondente fluxo migratrio :

Questão 73
2016Geografia

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) O mapa representa um dos possveis trajetos da chamada Ferrovia Transocenica, planejada para atender, entre outros interesses, ao transporte de produtos agrcolas e de minrios, tornando as exportaes possveis tanto pelo Oceano Atlntico quanto pelo Oceano Pacfico. Considerando-se o trajeto indicado no mapa e levando em conta uma sobreposio aos principais Domnios Morfoclimticos da Amrica do Sul e as faixas de transio entre eles, definidos pelo gegrafo Aziz AbSber, pode-se identificar a seguinte sequncia de Domnios, do Brasil ao Peru:

Questão 74
2016Geografia

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) O processo de industrializao que se efetivou em So Paulo a partir do incio do sculo XX foi o indutor do processo de metropolizao. A partir do final dos anos 1950, a concentrao da estrutura produtiva e a centralizao do capital em So Paulo foram acompanhadas de uma urbanizao contraditria que, ao mesmo tempo, absorvia as modernidades possveis e expulsava para as periferias imensa quantidade de pessoas que, na impossibilidade de viver o urbano, contraditoriamente, potencializavam a sua expanso. Assim, de 1960 a 1980, a expanso da metrpole caracterizouse tambm pela intensa expanso de sua rea construda, marcadamente fragmentada e hierarquizada. Esse processo se constituiu em um ciclo da expanso capitalista em So Paulo marcada por sua periferizao. Isabel Alvarez. Projetos Urbanos: alianas e conflitos na reproduo da metrpole. Disponvel em: http://gesp.fflch.usp.br/sites/gesp.fflch.usp.br/files/02611.pdf. Acessado em 10/08/2015. Adaptado. Com base no texto e em seus conhecimentos, correto afirmar:

Questão 75
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) O aparecimento da plis constitui, na histria do pensamento grego, um acontecimento decisivo. Certamente, no plano intelectual como no domnio das instituies, s no fim alcanar todas as suas consequncias; a plis conhecer etapas mltiplas e formas variadas. Entretanto, desde seu advento, que se pode situar entre os sculos VIII e VII a.C., marca um comeo, uma verdadeira inveno; por ela, a vida social e as relaes entre os homens tomam uma forma nova, cuja originalidade ser plenamente sentida pelos gregos. Jean-Pierre Vernant. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Difel, 1981. Adaptado. De acordo com o texto, na Antiguidade, uma das transformaes provocadas pelo surgimento da plis foi

Questão 76
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Os imprios do mundo antigo tinham ampla abrangncia territorial e estruturas politicamente complexas, o que implicava custos crescentes de administrao. No caso do Imprio Romano da Antiguidade, so exemplos desses custos:

Questão 77
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Assim como o campons, o mercador est a princpio submetido, na sua atividade profissional, ao tempo meteorolgico, ao ciclo das estaes, imprevisibilidade das intempries e dos cataclismos naturais. Como, durante muito tempo, no houve nesse domnio seno necessidade de submisso ordem da natureza e de Deus, o mercador s teve como meio de ao as preces e as prticas supersticiosas. Mas, quando se organiza uma rede comercial, o tempo se torna objeto de medida. A durao de uma viagem por mar ou por terra, ou de um lugar para outro, o problema dos preos que, no curso de uma mesma operao comercial, mais ainda quando o circuito se complica, sobem ou descem tudo isso se impe cada vez mais sua ateno. Mudana tambm importante: o mercador descobre o preo do tempo no mesmo momento em que ele explora o espao, pois para ele a durao essencial aquela de um trajeto. Jacques Le Goff. Para uma outra Idade Mdia. Petrpolis: Vozes, 2013. Adaptado. O texto associa a mudana da percepo do tempo pelos mercadores medievais ao

Questão 78
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) A explorao da mo de obra escrava, o trfico negreiro e o imperialismo criaram conflitivas e duradouras relaes de aproximao entre os continentes africano e europeu. Muitos pases da frica, mesmo depois de terem se tornado independentes, continuaram usando a lngua dos colonizadores. O portugus, por exemplo, lngua oficial de

Questão 79
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) A imagem pode ser corretamente lida como uma

Questão 80
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Somos produto de 500 anos de luta: primeiro, contra a escravido, na Guerra de Independncia contra a Espanha, encabeada pelos insurgentes; depois, para evitar sermos absorvidos pelo expansionismo norte-americano; em seguida, para promulgar nossa Constituio e expulsar o Imprio Francs de nosso solo; depois, a ditadura porfirista nos negou a aplicao justa das leis de Reforma e o povo se rebelou criando seus prprios lderes; assim surgiram Villa e Zapata, homens pobres como ns, a quem se negou a preparao mais elementar, para assim utilizar-nos como bucha de canho e saquear as riquezas de nossa ptria, sem importar que estejamos morrendo de fome e enfermidades curveis, sem importar que no tenhamos nada, absolutamente nada, nem um teto digno, nem terra, nem trabalho, nem sade, nem alimentao, nem educao, sem ter direito a eleger livre e democraticamente nossas autoridades, sem independncia dos estrangeiros, sem paz nem justia para ns e nossos filhos. Primeira declarao da Selva Lacandona (janeiro de 1994), in Massimo diFelice e Cristoval Muoz (orgs.). A revoluo invencvel. Subcomandante Marcos e Exrcito Zapatista de Libertao Nacional. Cartas e comunicados. So Paulo: Boitempo, 1998. Adaptado. O documento, divulgado no incio de 1994 pelo Exrcito Zapatista de Libertao Nacional, refere-se, entre outros processos histricos,

Questão 81
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) O processo de expanso das caractersticas multilaterais do sistema ocidental nas diversas reas do mundo conheceu crescente impasse a partir do incio do novo sculo. A sustentabilidade de um sistema substancialmente unipolar mostrou-se cada vez mais crtica, precisamente em face das transformaes estruturais, ligadas, antes de mais nada, ao crescimento econmico da sia, que pareciam complementar e sustentar a ordem mundial do ps-GuerraFria. A ameaa do fundamentalismo islmico e do terrorismo internacional dividiu o Ocidente. O papel de pilar dos Estados Unidos oscilou entre um unilateralismo imperial, tendendo a renegar as prprias caractersticas da hegemonia, e um novo multilateralismo, ainda a ser pensado e definido. Silvio Pons. A revoluo global: histria do comunismo internacional (1917-1991). Rio de Janeiro: Contraponto, 2014. O texto prope uma interpretao do cenrio internacional no princpio do sculo XXI e afirma a necessidade de se

Questão 81
2016HistóriaGeografia

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) O processo de expanso das caractersticas multilaterais do sistema ocidental nas diversas reas do mundo conheceu crescente impasse a partir do incio do novo sculo. A sustentabilidade de um sistema substancialmente unipolar mostrouse cada vez mais crtica, precisamente em face das transformaes estruturais, ligadas, antes de mais nada, ao crescimento econmico da sia, que pareciam complementar e sustentar a ordem mundial do psGuerra Fria. A ameaa do fundamentalismo islmico e do terrorismo internacional dividiu o Ocidente. O papel de pilar dos Estados Unidos oscilou entre um unilateralismo imperial, tendendo a renegar as prprias caractersticas da hegemonia, e um novo multilateralismo, ainda a ser pensado e definido. Silvio Pons. A revoluo global: histria do comunismo internacional (19171991). Rio de Janeiro: Contraponto, 2014 O texto prope uma interpretao do cenrio internacional no princpio do sculo XXI e afirma a necessidade de se

Questão 82
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Eu por vezes tenho dito a V. A. aquilo que me parecia acerca dos negcios da Frana, e isto por ver por conjecturas e aparncias grandes aquilo que podia suceder dos pontos mais aparentes, que consigo traziam muito prejuzo ao estado e aumento dos senhorios de V. A. E tudo se encerrava em vs, Senhor, trabalhardes com modos honestos de fazer que esta gente no houvesse de entrar nem possuir coisa de vossas navegaes, pelo grandssimo dano que da se podia seguir. Serafim Leite. Cartas dos primeiros jesutas do Brasil, 1954. O trecho acima foi extrado de uma carta dirigida pelo padre jesuta Diogo de Gouveia ao Rei de Portugal D. Joo III, escrita em Paris, em 17/02/1538. Seu contedo mostra

Questão 83
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Examine o grfico. O grfico fornece elementos para afirmar:

Questão 84
2016História

(FUVEST - 2016 - 1 FASE) Na Belle poque brasileira, que difusamente coincidiu com a transio para o regime republicano, surgiram aquelas perguntas cruciais, envoltas no oxignio mental da poca, muitas das quais, contudo, nos incomodam at hoje: como construir uma nao se no tnhamos uma populao definida ou um tipo definido? Frente quele amlgama de passado efuturo, alimentado e realimentado pela Repblica, quem era o brasileiro? (...) Inmeras tentativas de respostas a todas estas questes mobilizaram os intelectuais brasileiros durante vrias dcadas. Elias Thom Saliba. Razes do riso. So Paulo: Companhia das Letras, 2002. Entre as tentativas de responder, durante a Belle poque brasileira, s dvidas mencionadas no texto, correto incluir

NOVIDADES
Kuadro