Gabarito FUVEST - Provas Anteriores

Questão 6
2009Física

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 6) Em um grande tanque, uma haste vertical sobe e desce continuamente sobre a superfcie da gua, em um ponto P, com freqncia constante, gerando ondas, que so fotografadas em diferentes instantes. A partir dessas fotos, podem ser construdos esquemas, onde se representam as cristas (regies de mxima amplitude) das ondas, que correspondem a crculos concntricos com centro em P. Dois desses esquemas esto apresentados ao lado, para um determinado instante t0 = 0 s e para outro instante posterior, t = 2 s. Ao incidirem na borda do tanque, essas ondas so refletidas, voltando a se propagar pelo tanque, podendo ser visualizadas atravs de suas cristas. Considerando tais esquemas: a) Estime a velocidade de propagao V, em m/s, das ondas produzidas na superfcie da gua do tanque. b) Estime a freqncia f, em Hz, das ondas produzidas na superfcie da gua do tanque. c) Represente, na folha de respostas, as cristas das ondas que seriam visualizadas em uma foto obtida no instante t = 6,0 s, incluindo as ondas refletidas pela borda do tanque.

Questão 6
2009Português

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 6) Leia o trecho abaixo, extrado de um conto, e responda ao que se pede. eu estava ali deitado olhando atravs da vidraa as roseiras no jardim fustigadas pelo vento que zunia l fora e nas venezianas de meu quarto e de repente cessava e tudo ficava to quieto to triste e de repente recomeava e as roseiras frgeis e assustadas irrompiam na vidraa e eu estava ali o tempo todo olhando estava em minha cama com minha blusa de l as mos enfiadas nos bolsos os braos colados ao corpo as pernas juntas estava de sapatos Mame no gostava que eu deitasse de sapatos deixe de preguia menino! mas dessa vez eu estava deitado de sapatos e ela viu e no falou nada ela sentou-se na beirada da cama e pousou a mo em meu joelho e falou voc no quer mesmo almoar? Luiz Vilela. Eu estava ali deitado. a) O texto procura representar um fluxo de conscincia, ou seja, a livre-associao de idias do narradorpersonagem. Aponte dois recursos expressivos, presentes no texto, que foram empregados com essa finalidade. b) Cite, do texto, um exemplo de emprego do discurso direto.

Questão 7
2009Física

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) Um campo eltrico uniforme, de mdulo E, criado entre duas grandes placas paralelas carregadas, P1 e P2, utilizado para estimar a carga presente em pequenas esferas. As esferas so fixadas na extremidade de uma haste isolante, rgida e muito leve, que pode girar em torno do ponto O. Quando uma pequena esfera A, de massa M = 0,015 kg e carga Q, fixada na haste, e sendo E igual a 500 kV/m, a esfera assume uma posio de equilbrio, tal que a haste forma com a vertical um ngulo ș = 45. Para essa situao: a) Represente, no esquema da folha de respostas, a fora gravitacional P e a fora eltrica FE que atuam na esfera A, quando ela est em equilbrio sob ao do campo eltrico. Determine os mdulos dessas foras, em newtons. b) Estime a carga Q, em coulombs, presente na esfera. c) Se a esfera se desprender da haste, represente, no esquema da folha de respostas, a trajetria que ela iria percorrer, indicando-a pela letra T. NOTE E ADOTE: Desconsidere efeitos de induo eletrosttica.

Questão 7
2009História

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) A expresso poltica do caf com leite muito utilizada para caracterizar a Primeira Repblica no Brasil. Sobre essa poltica, descreva a) seu funcionamento; b) seu colapso na dcada de 1920.

Questão 7
2009Química

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) O titnio pode ser encontrado no mineral ilmenita, . O metal ferro e o xido de titnio (IV) slido podem ser obtidos desse mineral, a partir de sua reao com monxido de carbono. Tal reao forma, alm dos produtos indicados, um composto gasoso. a) Escreva a equao qumica balanceada da reao da ilmenita com monxido de carbono, formando os trs produtos citados. b) Um outro mtodo de processamento do mineral consiste em fazer a ilmenita reagir com cloro e carvo, simultaneamente, produzindo cloreto de titnio (IV), cloreto de ferro (III) e monxido de carbono. Considere que, na ilmenita, o estado de oxidao do ferro +2. Preencha a tabela da folha de respostas, indicando, para a reao descrita neste item, todos os elementos que sofrem oxidao ou reduo e tambm a correspondente variao do nmero de oxidao. c) Que massa de ferro pode ser obtida, no mximo, a partir de 1,0 x 103molsde ilmenita? Mostre os clculos. Dados: massas molares (g/mol) O ...... 16 Ti ...... 48 Fe ..... 56

Questão 7
2009Matemática

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) No plano cartesiano Oxy, a circunferncia C tem centro no ponto A (-5,1) e tangente reta t de equao 4x - 3y - 2 = 0 em um ponto P. Seja ainda Q o ponto de interseco da reta t com o eixo Ox. Assim: a) Determine as coordenadas do ponto P. b) Escreva uma equao para a circunferncia C . c) Calcule a rea do tringulo APQ.

Questão 7
2009Geografia

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) No perodo colonial, a escravido africana e a pecuria bovina interligaram, de algum modo, as vrias ilhas regionais daquele antigo arquiplago econmico, conforme definido por alguns autores. Com base nessas informaes e em seus conhecimentos, identifique a) as duas principais portas de entrada e respectivas rotas de penetrao do gado nordestino serto adentro, durante a fase colonial; b) a frente pioneira da expanso pecuria bovina no Brasil de hoje.

Questão 7
2009Biologia

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) A figura mostra um artrpode. a) A que grupo de artrpodes pertence esse animal? Cite uma caracterstica observvel na figura e que permite chegar a essa concluso. b) Em algumas espcies desse grupo, os machos cuidam dos ovos. Em experimentos laboratoriais, quando fmeas foram colocadas em situao de escolha de um macho para cpula, elas escolheram aqueles que estavam cuidando de ovos. Qual seria a vantagem adaptativa desse comportamento de escolha de machos cuidadores de ovos ?

Questão 7
2009Português

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 7) Leia o trecho de abertura de Memrias de um sargento de milcias e responda ao que se pede. Era no tempo do rei. Uma das quatro esquinas que formam as ruas do Ouvidor e da Quitanda, cortando-se mutuamente, chamava-se nesse tempo O canto dos meirinhos ; e bem lhe assentava o nome, porque era a o lugar de encontro favorito de todos os indivduos dessa classe (que gozava ento de no pequena considerao). Os meirinhos de hoje no so mais do que a sombra caricata dos meirinhos do tempo do rei; esses eram gente temvel e temida, respeitvel e respeitada; formavam um dos extremos da formidvel cadeia judiciria que envolvia todo o Rio de Janeiro no tempo em que a demanda era entre ns um elemento de vida: o extremo oposto eram os desembargadores. Manuel Antnio de Almeida. Memrias de um sargento de milcias. a) A frase Era no tempo do rei refere-se a um perodo histrico determinado e possui, tambm, uma conotao marcada pela indeterminao temporal. Identifique tanto o perodo histrico a que se refere a frase quanto a mencionada conotao que ela tambm apresenta. b) No trecho aqui reproduzido, o narrador compara duas pocas diferentes: o seu prprio tempo e o tempo do rei. Esse procedimento raro ou freqente no livro? Com que objetivos o narrador o adota?

Questão 7
2009Português

(FUVEST - 2009 - 1 FASE)ISTO - Quais so os equvocos mais comuns a respeito das pessoas altamente criativas? Weisberg - O primeiro que apenas um tipo especfico de pessoa criativa, e que ela usa processos mentais diferentes do restante dos seres humanos. Existe um mito de que os gnios usam processos inconscientes para criar suas obras ou tm patologias mentais que contribuem no processo criativo. Isso no verdade. ISTO - Mas no se pode dizer que so pessoas comuns. Weisberg - As diferenas existem, claro. Picasso, por exemplo. Um aspecto bem distinto dele foi sua produtividade. Ele trabalhava o tempo todo e queria, propositadamente, criar coisas novas. Quase todos ns podemos aprender a desenhar. No acho que essa habilidade seja o que o diferencia do restante, mas talvez o desejo de produzir algo novo, que afete o mundo. Entrevista de Robert Weisberg concedida a Leoleli Camargo, Isto, n 2013, pgina 6, 04/06/08. Ao responder revista, como o entrevistado procura desmistificar a figura do gnio?

Questão 8
2009Química

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 8) Aminas primrias e secundrias reagem diferentemente com o cido nitroso: a) A liberao de N2(g), que se segue adio de HNO2, permite identificar qual dos seguintes aminocidos?Explique sua resposta. Uma amostra de 1,78 g de certo D-aminocido (isto , um aminocido no qual o grupo amino esteja ligado ao carbono vizinho ao grupo ) foi tratada com , provocando a liberao de nitrognio gasoso. O gs foi recolhido e, a 25C e 1 atm, seu volume foi de 490 mL. b) Utilizando tais dados experimentais, calcule a massa molar desse D-aminocido, considerando que 1 mol de D-aminocido produz 1 mol de nitrognio gasoso. c) Escreva a frmula estrutural plana desse D-aminocido, sabendo-se que, em sua estrutura, h um carbono assimtrico. Dados: a 25C e 1 atm, volume molar = 24,5 L/mol ; massas molares (g/mol): H ..... 1 ; C ...... 12 ; N ...... 14 ; O ...... 16.

Questão 8
2009Português

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 8) Leia o trecho de A cidade e as serras, de Ea de Queirs, e responda ao que se pede. Ento, de trs da umbreira da taverna, uma grande voz bradou, cavamente, solenemente: Bendito seja o Pai dos Pobres! E um estranho velho, de longos cabelos brancos, barbas brancas, que lhe comiam a face cor de tijolo, assomou no vo da porta, apoiado a um bordo, com uma caixa a tiracolo, e cravou em Jacinto dois olhinhos de um brilho negro, que faiscavam. Era o tio Joo Torrado, o profeta da serra... Logo lhe estendi a mo, que ele apertou, sem despegar de Jacinto os olhos, que se dilatavam mais negros. E mandei vir outro copo, apresentei Jacinto, que corara, embaraado. Pois aqui o tem, o senhor de Tormes, que fez por a todo esse bem pobreza. O velho atirou para ele bruscamente o brao, que saa, cabeludo e quase negro, de uma manga muito curta. A mo! E quando Jacinto lha deu, depois de arrancar vivamente a luva, Joo Torrado longamente lha reteve com um sacudir lento e pensativo, murmurando: Mo real, mo de dar, mo que vem de cima, mo j rara! [...] Eu ento debrucei a face para ele, mais em confidncia: Mas, tio Joo, oua c! Sempre certo voc dizer por a, pelos stios, que el-rei D. Sebastio voltara? Ea de Queirs. A cidade e as serras. a) No trecho, Jacinto chamado, pelo velho, de Pai dos Pobres. Essa qualificao indica que Jacinto mantinha com os pobres da serra uma relao democrtica e igualitria? Justifique sua resposta. b) Tendo em vista o contexto da obra, explique sucintamente por que o narrador, no final do trecho, se refere a el-rei D. Sebastio.

Questão 8
2009Geografia

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 8) O local assinalado no mapa, com um crculo, uma das reas em conflito na Amaznia Legal, hoje. a) Identifique essa rea e cite os sujeitos sociais envolvidos no conflito a presente. b) Explique as razes da existncia desse conflito. c) Por que tal conflito tem sido considerado uma questo geopoltica?

Questão 8
2009Biologia

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 8) Em vez de seqenciar as bases nitrogenadas de todos os cromossomos de uma planta com um genoma muito grande, pesquisadores selecionaram partes desse genoma para seqenciar. Somente as seqncias de DNA que correspondem ao conjunto dos RNA mensageiros transcritos no fruto sero estudadas. O DNA a ser seqenciado foi sintetizado em laboratrio, tendo como molde as molculas de RNA extradas dos frutos. a) Se os cientistas fossem seqenciar todo o genoma dessa planta, haveria diferena se o material gentico viesse do fruto ou da folha da planta? Justifique. b) No estudo das seqncias que tiveram como molde RNA mensageiro, faria diferena se esse RNA mensageiro fosse extrado das folhas ou dos frutos? Justifique.

Questão 8
2009História

(FUVEST - 2009 - 2 fase - Questo 8) Dentre as Revolues ocorridas na Amrica Latina, no sculo XX, duas sobressaem: a Mexicana de 1910 e a Cubana de 1959. Pode-se afirmar que o trao distintivo da primeira seu carter campons e o da segunda, seu carter socialista. Explique o significado desses traos distintivos em relao a) Revoluo Mexicana. b) Revoluo Cubana.